Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Cura prevencao hiv aids 2020 infectologia - alexandre naime barbosa

96 Aufrufe

Veröffentlicht am

Cura prevencao hiv aids 2020 infectologia - alexandre naime barbosa

Veröffentlicht in: Gesundheit & Medizin
  • Als Erste(r) kommentieren

  • Gehören Sie zu den Ersten, denen das gefällt!

Cura prevencao hiv aids 2020 infectologia - alexandre naime barbosa

  1. 1. Prevenção e Cura do HIV/Aids em 2020 Alexandre Naime Barbosa MD, PhD Professor Doutor - Infectologia Liga Acadêmica Infectologia da UFJF-GV (LAIN) Liga Acadêmica Doenças Infecto Parasitárias Universidade Vale do Rio Doce (LADIP) Set/2020 - Evento On-Line
  2. 2. Vínculos e Conflitos de Interesse (CFM e ANVISA) Vínculos: - UNESP/Medicina: Professor Doutor MD PhD, Chefe do Departamento de Infectologia - HC FMB Botucatu: Chefe da Infectologia e Infectologista Público e Privado - SAE Infectologia Botucatu: Diretor Clínico e Responsável por HIV, VHB, VHC e HTLV - Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI): Especialista e Membro Titular - SBI: Membro da Comissão do Título de Especialista - Ministério da Saúde - Médico de Referência em Genotipagem do HIV - HC FMB Botucatu: Coordenador do Grupo Técnico Médico da COVID-19 Sem Potenciais Conflitos de Interesse nessa Apresentação
  3. 3. Declaração de Conteúdo e de Uso da Apresentação O material que se segue faz parte do projeto de Divugação Científica do Prof. Dr. Alexandre Naime Barbosa Objetivos 1. Ensino: Treinamento de Estudantes e Profissionais da Área de Saúde; 2. Extensão: Facilitar o Contato da População em Geral com Conceitos Científicos; 3. Científico: Fomentar a Discussão Científica e Compartilhar Material Didático. Autoria e Cessão 1. Conteúdo: Os dados contidos estão referenciados, em respeito ao autor original; 2. Uso: Está permitido o uso do material, desde que citada a fonte; 3. Contato: fale com o autor e conheça o seu projeto didático em: @dr.alexandre.naime.barbosa @drbarbosa Dr. Alexandre Naime Barbosa
  4. 4. 1. Qual a Situação Atual da Pandemia HIV/Aids? 2. Como se Prevenir do HIV em 2020? 3. Casos de Cura são reais? Como aconteceram? 4. Discussão Final Prevenção e Cura do HIV/Aids 2020
  5. 5. HIV/Aids: Cenário Mundial Atual da Pandemia (2019) Unaids - Aids Epidemic Update, 2020 1981-2019: > 75,7 milhões de casos -> ± 32,7 milhões de mortes Boletim 2020 (Dados 2019): Prevalência Estimada: 39 milhões Casos Notificados: 31,9 milhões Sem Dx: 7,1 milhões PVHA Incidência: 1,7 milhões de casos novos Óbitos: 690.000 mortes/ano Tratamento (TARV): 25 milhões (67%)
  6. 6. HIV/Aids: Cenário Mundial Unaids - Aids Epidemic Update, 2020
  7. 7. HIV/Aids: Cenário Nacional Atual (2018) Boletim Epidemiológico HIV/Aids, 2019 1981-2019: ? milhões de casos -> ? mil mortes Boletim 2019 (Dados 2018): Prevalência Estimada: 900.000 PVHA Casos Notificados: 765.000 PVHA Sem Dx: 135.000 PVHA Incidência: 43.941 casos novos/ano Óbitos: 10.980 mortes/ano Tratamento: 594.000 PVHA em TARV Em TARV Indetectáveis: 554.000 PVHA
  8. 8. HIV/Aids: ↑ da Incidência entre Jovens no Brasil Boletim Epidemiológico HIV/Aids, 2019
  9. 9. HIV/Aids: ↑ da Incidência entre Jovens no Brasil
  10. 10. Infecção pelo HIV/Aids: Jovens em Alto Risco
  11. 11. Motivos das ISTs em Alta: Falta de Percepção de Risco
  12. 12. HIV/Aids: Fatores Contribuintes  Uso de Drogas  Uso de Álcool
  13. 13. HIV/Aids: Populações Chave no Brasil Boletim Epidemiológico HIV/Aids, 2019
  14. 14. HIV/Aids: Populações Chave no Brasil - Epidemia presente em todas as segmentos - Concentrada em populações vulneráveis
  15. 15. HIV/Aids: Populações Chave no Brasil
  16. 16. HIV/Aids: Populações Chave no Brasil
  17. 17. HIV/Aids: Risco de Transmissão
  18. 18. HIV/Aids: Tipos de Relação Sexual  Lesões por Atrito  Lubrificação  Retenção fluídos  Fluídos Sexuais  Muco anal  Sangue
  19. 19. HIV/Aids: Não Uso do Preservativo Brasil, Ministério da Saúde - Pesquisa de Conhecimentos, Atitudes e Práticas na População Brasileira (PCAP), 2014
  20. 20. HIV/Aids: Como lidar com essa situação?
  21. 21. 1. Qual a Situação Atual da Pandemia HIV/Aids? 2. Como se Prevenir do HIV em 2020? 3. Casos de Cura são reais? Como aconteceram? 4. Discussão Final Prevenção e Cura do HIV/Aids 2020
  22. 22. HIV/Aids: Prevenção Combinada
  23. 23. HIV/Aids e Outras ISTs: Importância dos Preservativos
  24. 24. Testagem HIV/Aids e Outras ISTs Quem deve ser testado para HIV e outras ISTs? - Vida sexual ativa, e ainda não foi testado - Já foi testado, mas teve relação sexual desprotegida após - Dúvidas sobre o status sorológico - Exposição Ocupacional de Risco - Gestantes - Doadores de Sangue ou de Órgãos - Sinais e sintomas sugestivos dessas doenças
  25. 25. HIV/Aids: Importância da Testagem
  26. 26. HIV/Aids: Importância da CV Indetectável  HAART: CV indetectável  Supressão em virgens ou não  Grande redução da mortalidade  Taxas próximas do normal Objetivo da TARV Tempo Carga Viral 4 - 6 semanas ↓ 1 log 4 meses ↓ 2 log 6 meses Indetectável À longo prazo Indetectável
  27. 27. HIV/Aids: Tratamento como Prevenção
  28. 28. TARV HIV: Quando Iniciar e Quando Postergar TARV HIV: CV Indetectável (virgens ou não)  CV Indetectável = ↓ Mortalidade: ↑ Expectativa Vida  CV Indetectável = ↓ Morbidades: ↓ Custo a Longo Prazo  CV Indetectável = Intransmissível: ↓ Número Casos Novos  CV Indetectável = ↓ Inflamação Crônica HIV: ↓ Morbidade e Mortalidade  CV Indetectável = ↓ Reservatório Pró-Viral: ↑ Chance de “Cura” no futuro  Outros...
  29. 29. TARV HIV: Quando Iniciar e Quando Postergar TARV HIV: CV Indetectável (virgens ou não)  CV Indetectável = ↓ Mortalidade: ↑ Expectativa Vida  CV Indetectável = ↓ Morbidades: ↓ Custo a Longo Prazo  CV Indetectável = Intransmissível: ↓ Número Casos Novos  CV Indetectável = ↓ Inflamação Crônica HIV: ↓ Morbidade e Mortalidade  CV Indetectável = ↓ Reservatório Pró-Viral: ↑ Chance de “Cura” no futuro  Outros...
  30. 30. HIV/Aids: Prevenção Combinada
  31. 31. PEP HIV: O que é? - Proteção Pós Exposição de Risco - Funciona até 72 horas - Exposição Sexual Consentida - Violência Sexual - Exposição Ocupacional - 2 cps, 1 x/dia, por 28 dias - Altíssima Eficácia, Urgência Médica - 451 Locais no Estado de São Paulo: www3.crt.saude.sp.gov.br/profilaxia/hotsite HIV/Aids: Profilaxia Pós-Exposição (PEP HIV)
  32. 32. HIV/Aids: Infecção Inicial < 72h, chance de impedir a formação de pró-vírus, ARVs impedem a perpetuação da infecção Infecção crônica pelo HIV, ARVs controlam replicação, mas não esterilizam as células
  33. 33. HIV/Aids: Profilaxia Pós-Exposição (PEP HIV)
  34. 34. HIV/Aids: Profilaxia Pós-Exposição PEPs SAEI-DAM & HC UNESP (Infectologia FMB-HC UNESP (Jan/2014 - Jun/2015) Categoria de Exposição Nº Acidente Ocupacional 44 Exp. Hetero Ocasional 41 Violência Sexual - Mulher 17 HSH 8 Trabalhador(a) do Sexo 5 Violência Sexual - Criança 5 Outros 4 MSM 1 Violência Sexual - Adolescente 1 Usuário de Drogas 0 Total 126 35% 33% 13% 6% 4% 4% 3% 1% 1% 0% Acidente Ocupacional Exp. Sex. Hetero Ocasional Violência Sexual - Mulher Exp. Sex. HSH Trabalhador(a) do Sexo Violência Sexual - Criança Outros Exp. Sex. MSM Violência Sexual - Adolescente SAEI-DAM, 2015
  35. 35. HIV/Aids: Profilaxia Pós-Exposição PEPs SAEI-DAM & HC UNESP (Infectologia FMB-HC UNESP (Jan/2014 - Jun/2015) SAEI-DAM, 2015 6% 10% 34% 26% 18% 6% Crianças (< 13 anos) 13 - 19 20 - 29 30 - 39 40 - 49 50 ou mais Idade Nº Crianças (< 13 anos) 8 13 - 19 12 20 - 29 43 30 - 39 33 40 - 49 22 50 ou mais 8 Total 126 51%49% Feminino Masculino Sexo Nº Feminino 64 Masculino 62 Total 126
  36. 36. HIV/Aids: Profilaxia Pós-Exposição PEPs SAEI-DAM & HC UNESP (Infectologia FMB-HC UNESP (Jan/2014 - Jun/2015) SAEI-DAM, 2015 0% 20% 40% 60% 80% 100% PEP Completa: Sim PEP Completa: Não Completou PEP Nº PEP Completa: Sim 126 PEP Completa: Não 0 Total 126 0% 20% 40% 60% 80% 100% Transmissão HIV: Sim Transmissão HIV: Não Transmissão HIV Nº Transmissão HIV: Sim 0 Transmissão HIV: Não 126 Total 126
  37. 37. HIV/Aids: Profilaxia Pré-Exposição (PrEP HIV) PrEP HIV: O que é? - Proteção Pré Exposição de Risco - Populações ↑ Vulnerabilidade - 1 cp, 1 x/dia: TDF/FTC (Truvada) - Altíssima eficácia - Aprovado pela Anvisa - Disponível pelo SUS - Centros em Expansão no Brasil - Consultórios Particulares/Privado
  38. 38. HIV/Aids: Ação de TDF/FTC nos LT CD4
  39. 39. PrEP HIV: Início do Debate em 2010 https://youtu.be/1bzU-Sytxm4
  40. 40. PrEP HIV: Eficácia depende da Adesão Estudo clínico Participantes Número Droga Eficácia de mITT a na redução da % de infecção por HIV a Eficácia ajustada à adesão com base na detecção de TDF no sangue b % (IC 95%) % (IC 95%) iPrEx HSH 2499 TVDc 42 (18-60) 92 (40-99) PrEP da Partners Casais HIV discordantes 4747 TDF 67 (44-81) 86 (67-94) TVDc 75 (55-87) 90 (58-98) TDF 2 Homens e mulheres heterossexualmente ativos 1200 TVDc 62 (22-83) 84 NS Estudo do Tenofovir em Bangkok UDI 2413 TDF 49 (10-72) 74 (2-91) PROUD* HSH 500 TVDc 86 (58-96) ----- ----- KAISER* HSH 99% 388 pessoas- ano TVD 100 ___ ----- ----- PrEP-Fem Mulheres heterossexualmente ativas 1951 TVDc 6e .59-1,52 < 40% ----- VOICE Mulheres heterossexualmente ativas 5029 TVDc - 4e 0,97-2,3 <30% ----- a. Intenção de tratamento modificada b. Foram excluídos apenas os pacientes inscritos que descobriram estar infectados no momento da randomização e aqueles que não tiveram visita de acompanhamento ou que não realizaram testes para o HIV c. TVD = FTC/TDF d. O regime Sob demanda” constitui: FTC/TDF ou 2 placebos < 24 horas antes da exposição à prática sexual 1 dosagem de FTC/TDF ou placebo 24 horas após a prática sexual, e uma dosagem final 48 horas após a prática sexual e. Não é estatisticamente significativo * Considerado dados “reais”
  41. 41. HIV/Aids: Profilaxia Pré-Exposição (PrEP HIV)
  42. 42. HIV/Aids: Indicação de Profilaxia Pré-Exposição
  43. 43. HIV/Aids: Indicação de Profilaxia Pré-Exposição
  44. 44. PrEP HIV: Critérios de Exclusão
  45. 45. PrEP HIV: Elegibilidade e Seguimento PCDT Brasil
  46. 46. PrEP HIV: Uso na Prática
  47. 47. PrEP HIV: Uso na Prática https://youtu.be/AegZBjyNyow
  48. 48. PrEP HIV: Resultado de Vida Real nos EUA NHSS: National HIV Surveillance System *Highest PrEP use quintile = 11% prevalence Sullivan P, et al. AIDS 2018, Poster #LBPEC036. Diminuição dos diagnósticos de HIV a medida que aumenta o uso de PrEP , 2012-2016 (N=147,000) FTC/TDF for PrEP Use and HIV Diagnosis Rates For US States in High Use Quintile PrEPUse/1000 Population HIVDiagnoses/100,000Population PrEP Use Average HIV Diagnoses HIV Diagnoses Trend
  49. 49. PrEP HIV: Falha em Uso de TDF/FTC
  50. 50. PrEP HIV: Compensação de Risco
  51. 51. PrEP HIV: Gaps para das Metas UNAIDS 2020
  52. 52. PrEP HIV: On Demand (Intermitente) para HSH
  53. 53. PrEP HIV: Tenofovir Alafanamida (TAF) vs TDF Sax P, et al. Lancet 2015 Wohl D, et al. CROI 2016. Boston, MA. #681 TAF 25 mg resulta em níveis plasmáticos >90% menores que TDF 300 mg OAT, organic anion transporter; TAF, tenofovir alafenamide; TDF, tenofovir disoproxil fumarate; TFV, tenofovir.
  54. 54. PrEP HIV: Estratégias em Pesquisa
  55. 55. PrEP HIV: HTPN 083
  56. 56. PrEP HIV: HPTN 083
  57. 57. PrEP HIV: HPTN 083
  58. 58. Vacinas Anti-HIV
  59. 59. Dificuldades no Desenvolvimento de Vacinas
  60. 60. Estratégias de Prevenção HIV Comparadas Abdool Karim S, Abdool Karim Q, et al. Lancet. 2011;378:e23-e25.
  61. 61. 1. Qual a Situação Atual da Pandemia HIV/Aids? 2. Como se Prevenir do HIV em 2020? 3. Casos de Cura são reais? Como aconteceram? 4. Discussão Final Prevenção e Cura do HIV/Aids 2020
  62. 62. HIV/Aids: Há Cura?
  63. 63. HIV/Aids: Tipos de Evolução
  64. 64. HIV/Aids: Controlador ou Supressor de Elite Diaz, R. - 2018
  65. 65. HIV/Aids: Supressores de Elites e Cura Funcional
  66. 66. HIV/Aids: Cinética Viral da TARV Stop HAART Carl W. Dieffenbach, 2013
  67. 67. HIV/Aids: Cinética Viral da TARV
  68. 68. HIV/Aids: Latência Viral Celular De Elgui, 2010
  69. 69. HIV/Aids: Reservatórios vs Santuários Carl W. Dieffenbach, 2013
  70. 70. HIV/Aids: Reservatório Viral
  71. 71. HIV/Aids: Cinética Viral da TARV
  72. 72. HIV/Aids: Modelos de Tipos de Cura
  73. 73. HIV/Aids: Cura Esterilizante
  74. 74. HIV/Aids: Diferenças de Expressão Gênica CCR5
  75. 75. HIV/Aids: Receptores Celulares para o Vírus
  76. 76. HIV/Aids: Diferenças de Expressão Gênica CCR5
  77. 77. HIV/Aids: Distribuição da Delta-32 no Mundo
  78. 78. HIV/Aids: O Paciente Berlin
  79. 79. HIV/Aids: O Paciente Berlin Hutter G, et al N Engl J Med, 2009.
  80. 80. HIV/Aids: O Paciente Berlin Prova de Conceito que a Cura do HIV é Possível!
  81. 81. HIV/Aids: O Paciente Londres
  82. 82. HIV/Aids: O Paciente Londres
  83. 83. HIV/Aids: O Paciente Londres
  84. 84. HIV/Aids: Cura Esterilizante Muito difícil reproduzir essa proposta em larga escala atualmente, devido ao alto risco de complicações graves do transplante de medula óssea e raridade em se encontrar um doador compatível ao paciente, e que ao mesmo tempo abrigue com a mutação delta-32.
  85. 85. HIV/Aids: Tipos de Cura
  86. 86. HIV/Aids: Cura Funcional Nesse modelo o objetivo não é a eliminação permanente do HIV, e sim a supressão virológica sustentada no sangue, sem a necessidade das medicações antirretrovirais atualmente utilizadas (coquetel). As distintas investigações recaem sobre alvos potencialmente vulneráveis na estrutura do vírus, ou no seu ciclo de replicação.
  87. 87. HIV/Aids: Cura Funcional 1. Induzir a ativação e morte dos vírus latentes (reservatório) 2. Eliminar seletivamente linhagens de células infectadas com o vírus oculto; 3. Silenciar o genoma do HIV integrado nas células alvo; 4. Inativar ou suprimir receptores do vírus nas células; 5. Melhorar a resposta imunológica do paciente através de vacinas terapêuticas; 6. Ativar o sistema imune contra os reservatórios virais; 7. Bloquear a recrudescência viral com estímulos imunológicos; 8. Outras linhas de ação.
  88. 88. HIV/Aids: Cura Funcional deve ter Múltiplos Passos
  89. 89. HIV/Aids: Pesquisa em Cura Funcional/Remissão
  90. 90. HIV/Aids: Pesquisa em Cura Funcional/Remissão
  91. 91. HIV/Aids: Pesquisa em Cura Funcional/Remissão
  92. 92. HIV/Aids: Pesquisa em Cura Funcional/Remissão
  93. 93. HIV/Aids: Pesquisa em Cura Funcional/Remissão
  94. 94. HIV/Aids: Pesquisa em Cura Funcional/Remissão
  95. 95. HIV/Aids: Pesquisa em Cura Funcional/Remissão
  96. 96. 1. Porque a TARV HIV não promove Cura? 2. Casos de Cura são reais? Como aconteceram? 3. Como a Ciência pretende alcançar a Cura? 4. Outras Armas contra a Pandemia HIV/Aids 5. Discussão Final Cura do HIV/Aids 2020
  97. 97. Cura e Prevenção HIV 2020: Discussão Final  Cura do HIV: Esterilizante vs Funcional  Casos relatados de Cura HIV: prova de conceito científico  Cura do HIV: pouca factibilidade à curto/médio prazo  Promover sempre o uso do preservativo e outras estratégias  PEP HIV: uso ocasional, para baixo risco  PrEP HIV: uso contínuo, para alto risco  Prevenção do HIV: personalizar as ferramentas
  98. 98. Obrigado pela Atenção! SAE de Infectologia UNESP HC UNESP Botucatu Faculdade de Medicina UNESP @dr.alexandre.naime.barbosa @drbarbosa Alexandre Naime BarbosaDr. Alexandre Naime Barbosa

×