Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Die SlideShare-Präsentation wird heruntergeladen. ×
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Wird geladen in …3
×

Hier ansehen

1 von 21 Anzeige
Anzeige

Weitere Verwandte Inhalte

Diashows für Sie (20)

Andere mochten auch (20)

Anzeige

Ähnlich wie Apres pibid (20)

Anzeige

Apres pibid

  1. 1. Bolsista PIBID: Graciele Cardoso Lukasak Curso Lincom 2009
  2. 2. “Ninguém educa a ninguém, ninguém educa a si mesmo, os homens se educam entre si midiatizados pelo mundo.
  3. 3. Atualmente a formação de crianças e jovens vêm mostrando a necessidade de ser estudada e primeiramente devemos pensar em que contexto contemporâneo é que estão inseridos?
  4. 4. • Os ambientes urbanos têm obrigado muitos deles a mudar os espaços de convívio e seus comportamentos, as ruas, calçadas, praças e etc, estão sendo substituídos por escolinhas, condomínios e os comportamentos podem ser a sua permanência em casa na frente de uma tela de Tv ou computador. Claro que não podemos negar que há um maior acesso a informação (as mídias eletrônicas e digitais funcionam 24 horas por dia) e há transformações ocorrendo na sociedade (a violência urbana) fatores que contribui para esse fatores.
  5. 5. • Podemos citar um exemplo típico de um comportamento desse contexto urbano e digital é quando uma criança de aproximadamente 4 anos vai á um evento com uma câmera digital e sai fotografando tudo que vê a sua volta, ou um jovem entre 10 á 14 anos que carrega no bolso ou na mochila um celular com diversos recursos tecnológicos ao ir à escola e lá utiliza para trocar mensagens durante aula, ver vídeos e etc... Mas o que nos perguntamos é se o uso e consumo da tecnologia por essas crianças e jovens está influenciando na sua formação.
  6. 6. • Buscamos essa reposta através do papel da escola na vida deles, pois é aí que vão para aprender cultura e compreender o mundo e transformá-lo. É necessário pensar, estimular a capacidade de raciocínio e julgamento, tornando essas crianças e jovens críticos e não passivos e o conhecimento da sua "identidade" contribui para a sua reflexão como sujeito e quando articulamos com a produção da subjetividade com as relações de poder que circulam na mídia vamos fazê- los reconhecer e permitir produzir emoções libertadoras, aliadas à criatividade, à emancipação dos outros e deles mesmos.
  7. 7. • Portanto estamos trabalhando na era da "cultural digital" que aparecem nos espaços informais como nos espaços formais como a escola. E a nossa preocupação com crianças e jovens é educativa com a recepção e um consumo de mídia equilibrado e responsável, hoje a preocupação deve ser também com uma produção responsável.
  8. 8. • Aliás, é importante lembrar que as mudanças na escola estão relacionadas às mudanças do contexto mais amplo, às mudanças nas famílias e em outros espaços da educação informal. Além disso, as práticas culturais e midiáticas atravessam o cotidiano dessas crianças e jovens e se as tecnologias da "cultura digital" parecem estar naturalizadas noutros espaços, na escola ainda não estão. O que só aumenta o desafio da escola no sentido de propiciar as mediações necessárias para tal.
  9. 9. E isso tudo significa também repensar, planejar as atividades e as diferentes formas da nossa participação nesse processo.
  10. 10. • Gênero • Mídia Educação (espaços formais e informais) • Agenda Setting (copa- identidade cultural construída pela mídia) • Corpo (identidade fem/masc e produção da subjetividade através da mídia) • Gameficação (mídia na escola- louças interativas e nas casas games de ultima geração) • Mitologia da produção (Barthes) Revista de beleza e análise do dircuso-signos
  11. 11. Obrigada

×