Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Estudos CACD - História do Brasil Aula07.1 - PEB durante a Ditadura Militar

3.600 Aufrufe

Veröffentlicht am

Estudos para o CACD
missaodiplomatica.blogspot.com.br

História do Brasil
Política Externa durante a Ditadura Militar

Veröffentlicht in: Bildung
  • Als Erste(r) kommentieren

Estudos CACD - História do Brasil Aula07.1 - PEB durante a Ditadura Militar

  1. 1. História do Brasil Aula 7.1 Política Externa durante a Ditadura Militar (1964 a 1985)
  2. 2. Aula 07.1 – PEB durante Ditadura (1964 a 1985)
  3. 3. Aula 07.1 – PEB durante Ditadura (1964 a 1985) 1 Contexto antes do Golpe de 64 2 Castelo Branco (1964 a 1967): Interdependência 3 Costa e Silva (1967 a 1969): Diplomacia da Prosperidade 4 Médici (1969 a 1974): Diplomacia do Interesse Nacional 5 Geisel (1974 a 1979): Pragmatismo Ecumênico e Responsável 6 Figueiredo (1979 – 1985): Universalismo
  4. 4. 1 Contexto antes do Golpe de 64 . Aprofundamento da Política Externa Independente (PEI) . Santiago Dantas no MRE e aprofundamento da PEI - reatamento de relações com URSS (1962) - posição contrária à expulsão de Cuba da OEA - defesa da autonomia da África, mas manutenção de ambiguidade na relação de apoio à Portugal - discurso mais moderado e equilibrado de Jango - defesa da soberania, não intervenção, globalismo e multilateralismo - Prioridade para o desenvolvimento e para América Latina Aula 07.1 – PEB durante Ditadura (1964 a 1985)
  5. 5. Aula 07.1 – PEB durante Ditadura (1964 a 1985)
  6. 6. 2.1 Castelo Branco (1964 a 1967): Interdependência . Vasco Leitão da Cunha no MRE - desmonte do Globalismo da PEI . Conceito dos Círculos Concêntricos - prioridades regionais perante plano global . Alinhamento automático aos EUA - Apoio dos EUA ao Golpe - Capitalismo moderno como forma de conter ameaça comunista - Ajuda do governo americano e FMI (Aliança para o progresso – Kennedy) - política de segurança hemisférica (preocupação com o comunismo) - rompimento de relações com Cuba (1964) - envio de tropas para apoio ao golpe em Granada - Criação da Força Interamericana de Paz (FIP) – “polícia ideológica continental” Aula 07.1 – PEB durante Ditadura (1964 a 1985)
  7. 7. 2.2 Castelo Branco (1964 a 1967): Interdependência . Tensões com Argentina - aproximação do Brasil com o Paraguai de Strossner - inauguração da Ponte da Amizade em Foz do Iguaçu - assinatura da Ata das Cataratas (1966) – acordo Brasil e Paraguai para uso do potencial hidrelétrico . Relações com África - relações comerciais perdem prioridade - foco na segurança contra perigo comunista (proteção da costa atlântica) - Posição ambígua do Brasil no apoio a Portugal (descolonização) e manutenção de relações com África do Sul (Apartheid) . Mundo Comunista - Brasil rompe relações com Cuba mas mantém relações com URSS - Distanciamento da China . Europa - Melhora nas relações com países da Europa Ocidental (França e Alemanha) Aula 07.1 – PEB durante Ditadura (1964 a 1985)
  8. 8. Aula 07.1 – PEB durante Ditadura (1964 a 1985)
  9. 9. 3.1 Costa e Silva (1967 a 1969): Diplomacia da Prosperidade . Mudanças na PEB - descontentamento com fracos resultados no relacionamento com EUA - maior nacionalismo do novo grupo no poder - prioridade para o desenvolvimento nacional sobre as questões ideológicas . Magalhães Pinto no MRE - retomada dos valores da UDN e do PTB: desenvolvimento como política de Estado . Posição contrária ao TNP - assinatura do Tratado de Tlatelolco (Proscrição de Armas Nucleares na América Latina e Caribe) utilizada como “escudo moral” para não assinatura do TNP - posição nacionalista: direito de desenvolver tecnologia nuclear Aula 07.1 – PEB durante Ditadura (1964 a 1985)
  10. 10. 3.2 Costa e Silva (1967 a 1969): Diplomacia da Prosperidade . Reaproximação com América Latina - Tratado da Bacia do Prata (1969): promover desenvolvimento regional com Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai - mudança de posição em relação à Força Interamericana de Paz (FIP) – Brasil passa a priorizar segurança interna . Reaproximação com África - Início dos “Anos Dourados” das relações com a África - abandona-se ideia de segurança contra comunismo e priorizam-se as relações comerciais - apesar de reaproximação, Brasil mantém ambiguidade em relação à questão colonial e ao Apartheid . Ampliação de comercio exterior (Europa, Mundo Comunista, Índia) - Acordo Geral de Cooperação com Alemanha (tecnologia e cooperação nuclear) - primeiro Acordo de Comércio entre Brasil e Índia Aula 07.1 – PEB durante Ditadura (1964 a 1985)
  11. 11. Aula 07.1 – PEB durante Ditadura (1964 a 1985)
  12. 12. 4.1 Médici (1969 a 1974): Diplomacia do Interesse Nacional . Milagre Econômico (Delfim Neto) - Independência do FMI (distanciamento dos EUA) - forte dependência do comercio exterior (e de investimentos/empréstimos) . Mario Gibson Barboza no MRE - prioridade no projeto de desenvolvimento econômico - foco no comércio exterior (crescimento de 5X durante o Milagre) . Aumento de tensões com EUA - manutenção da oposição à assinatura do TNP - declaração de aumento do mar territorial brasileiro para 200 milhas - apesar das tensões é assinado acordo de construção da Usina Nuclear de Angra com a Westinghouse, porém sem transferência de tecnologia Aula 07.1 – PEB durante Ditadura (1964 a 1985)
  13. 13. 4.2 Médici (1969 a 1974): Diplomacia do Interesse Nacional . Aumento de tensões com América Latina - apesar de discurso nacionalista brasileiro permanece preocupação de “sub-imperialismo” - intervenção brasileira nos vizinhos americanos - acusação de participação no golpe da Bolívia (Hugo Banzer) - participação do SNI com militares chilenos no golpe contra Salvador Allende (1973) . Aumento de tensões com Argentina - avanço das posições nacionalistas brasileiras - alinhamento da Argentina com os EUA - questões do aproveitamento hidrelétrico na região do Prata (Itaipu e usina de Corpus) - avanço na liderança brasileira no cone sul - Conferência de Estocolmo para o Meio Ambiente: proposta argentina sobre “necessidade de consulta prévia para utilização de recursos naturais compartilhados” . Aumento de relações com África - necessidade de aumentar comércio e desenvolver alternativas para fornecimento de petróleo (Nigéria e Angola) - visita do chancelar Gibson Barboza a 9 países africanos - Gibson Barboza defende necessidade de mudar postura em relação a Portugal e o colonialismo - Médici apóia Gibson, e Portugal reage de forma ríspida contra a posição do Brasil Aula 07.1 – PEB durante Ditadura (1964 a 1985)
  14. 14. Aula 07.1 – PEB durante Ditadura (1964 a 1985)
  15. 15. 5.1 Geisel (1974 a 1979): Pragmatismo Ecumênico e Responsável . Crise econômica - esgotamento do Milagre - 1ª crise do petróleo força Brasil procurar novos fornecedores (Nigéria e Angola) . Antonio Azeredo da Silveira no MRE - postura expansiva - foco no comércio exterior e desenvolvimento . PEB como política de governo - postura de potência emergente - compromisso com independência dos Estados - autodeterminação, soberania e igualdade das nações - não interferência nos assuntos internos - identificação com o 3º Mundo Aula 07.1 – PEB durante Ditadura (1964 a 1985)
  16. 16. 5.2 Geisel (1974 a 1979): Pragmatismo Ecumênico e Responsável . Aumento das tensões com os EUA - cancelamento do acordo com a americana Westinghouse e assinatura de Acordo Nuclear com Alemanha com transferência de tecnologia - críticas dos EUA sobre violação dos direitos humanos no Brasil - denúncia pelo Brasil do Acordo de Cooperação Militar de 1952 . América Latina - aliança do governo militar brasileiro com os regimes ditatoriais latino-americanos (Plano Condor de colaboração contra o comunismo) - assinatura do Tratado de Cooperação Amazônica (1978) com Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela – desenvolvimento econômico, integração política e segurança regional . Aumento de tensões com Argentina - chanceler Azeredo da Silveira entende que Brasil deve ser mais firme com Argentina (não representaria mais ameaça concreta) - avanço na liderança regional com aproximação do Brasil com Bolívia, Paraguai, Uruguai - apesar das tensões políticas, o comércio cresce com Argentina – Pragmatismo de Azeredo da Silveira Aula 07.1 – PEB durante Ditadura (1964 a 1985)
  17. 17. 5.3 Geisel (1974 a 1979): Pragmatismo Ecumênico e Responsável . Anos Dourados com a África - fim da postura contraditória no relacionamento com a África - posicionamento a favor das independências nacionais, apoio à Angola e reconhecimento do novo governo - Brasil vota a favor da condenação do Apartheid na África do Sul - posição brasileira fortalece imagem perante países do 3º Mundo Aula 07.1 – PEB durante Ditadura (1964 a 1985)
  18. 18. Aula 07.1 – PEB durante Ditadura (1964 a 1985)
  19. 19. 6.1 Figueiredo (1979 a 1985): Universalismo . Manutenção do processo de abertura e do Pragmatismo Ecumênico e Responsável . Ramiro Saraiva Guerreiro no MRE - ênfase no multilateralismo, diálogo e não intervenção . “Distanciamento Consciente” com os EUA - política de Reagan não privilegia relacionamento com países emergentes - manutenção das divergências sobre os direitos humanos, porém tanto Brasil quanto EUA evitam deliberadamente a discussão sobre o assunto - Brasil se nega a apoiar as sanções contra URSS pela invasão do Afeganistão (1979) - Figueiredo e o Itamaraty criticam política intervencionista dos EUA (Granada, 1983) - Neoliberalismo considerado como nova forma de colonialismo - aprofundamento da questão nuclear com a aproximação brasileira com Alemanha Aula 07.1 – PEB durante Ditadura (1964 a 1985)
  20. 20. 6.2 Figueiredo (1979 a 1985): Universalismo . Reaproximação com Argentina - prioridade brasileira para o relacionamento com América Latina e em particular com a Argentina - Figueiredo visita Argentina (1979) e são assinados acordos de cooperação econômica, comercial, militar e em energia nuclear - assinatura do Acordo Tripartite (cooperação hidrelétrica de Itaipu e Corpus) - apoio do Brasil à Argentina na Guerra das Malvinas (material bélico, aviões) - Brasil reitera posição de que Malvinas pertence à Argentina . Relações com África - manutenção do apoio às novas nações africanas, porém de forma mais cautelosa - comércio com África atinge seu maior nível histórico (7% de todas as exportações brasileiras) - Aumento de embaixadas: de 12 (em 1974) para 21 (em 1985) - Figueiredo faz primeira viagem de um presidente brasileiro para a África - chanceler Saraiva Guerreiro visita vários países - destaque para relações com Angola: apoio ao governo do MPLA nas lutas contra grupos revolucionários (UNITA+ grupos da África do Sul) Aula 07.1 – PEB durante Ditadura (1964 a 1985)
  21. 21. missaodiplomatica.blogspot.com.br

×