Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.
Relatório da Visita de Estudo                     “NAVEGAR - Camões, Pessoa e o V Império” e “Percurso Pessoano”          ...
5 – Uma foto tirada no interior do Café “A Brasileira”,       4 - Logo a seguir, encontrámos                       que F. ...
11 - Revista Orpheu e Jornal Tabacaria.                                      12 - Bilhete de identidade de Fernando Pessoa...
Nächste SlideShare
Wird geladen in …5
×

Relatório da visita de estudo joana c.

4.576 Aufrufe

Veröffentlicht am

  • Als Erste(r) kommentieren

  • Gehören Sie zu den Ersten, denen das gefällt!

Relatório da visita de estudo joana c.

  1. 1. Relatório da Visita de Estudo “NAVEGAR - Camões, Pessoa e o V Império” e “Percurso Pessoano” No dia 30 de Janeiro de 2012, as turmas A e B do 12º ano, deslocaram-se a Lisboa para uma visita enriquecedora para os seus conhecimentos sobre as obras estudadas. Saímos de Arraiolos e dirigimo-nos a Lisboa, mais concretamente ao Mosteiro dos Jerónimos, onde assistimos ao espectáculo “NAVEGAR - Camões, Pessoa e o V Império” representado por actores reconhecidos do público português como Rogério Jacques (Camões), Paulo Pinto (Pessoa), Filipe Araújo (Sebastião) e Suzana Branco (Inês)os quais, de forma brilhante, nos levaram ao encontro de Camões e Pessoa. Camões cantava a glória dos portugueses n’Os Lusíadas, enquanto Pessoa traduzia a decadência do Império na Mensagem. Mas entre eles um ponto em comum: ambos defendiam o V Império: Camões, o territorial; Pessoa, o império da língua e da cultura. Todo este espectáculo maravilhoso envolvendo músicas violentas e enquadradas no tema. Após o espectáculo, saímos do Mosteiro e almoçámos no jardim situado mesmo à sua frente. Seguidamente, já do autocarro, observámos a Torre de Belém e o Padrão dos Descobrimentos, sendo estes alguns exemplos de património arquitectural e cultural de Lisboa na época dos Descobrimentos. A este respeito, recorde-se que n’Os Lusíadas, no canto IV - Episódio ‘O Velho do Restelo’, no momento em que as naus de Vasco da Gama se despediam do porto de Belém, um ancião, o Velho do Restelo, elevando a voz, manifestou a sua oposição à viagem para a Índia. A sua fala pode ser interpretada como a sobrevivência da mentalidade agrária, oposta ao expansionismo e às navegações, que configuravam os interesses da burguesia e da monarquia. É a expressão rigorosa do conservadorismo. Certo é que Camões, mesmo numa epopeia que se propõe a exaltar as Grandes Navegações, dá a palavra aos que se opõem ao projecto expansionista. Note-se pois como O Velho do Restelo representa a oposição passado vs presente, antigo vs novo. Com efeito, o ancião chama de vaidoso aqueles que, por cobiça ou ânsia de glória, por sua audácia ou coragem, se lançam às aventuras ultramarinas. Simboliza assim, a preocupação daqueles que antevêem um futuro sombrio para a Pátria Portuguesa. Passado algum tempo, dirigimo-nos para a Baixa Pombalina, onde iniciámos o nosso percurso Pessoano a pé. 1 - Bilhete que nos deram para assistirmos ao espectáculo.2 - Rua onde fomos deixados pelo autocarro e que descemos com vista para o Rio Tejo. 3 - Tivemos oportunidade de passar pela estátua de Luís Vaz de Camões, no Largo Camões.
  2. 2. 5 – Uma foto tirada no interior do Café “A Brasileira”, 4 - Logo a seguir, encontrámos que F. Pessoa frequentava assiduamente. uma estátua em bronze de Fernando Pessoa, sentado à mesa do café “A Brasileira”. 7 – No Rossio, deparámo-nos com a estátua de D. Pedro IV, vigésimo-oitavo rei de Portugal e primeiro 6 –Descendo o Largo do Chiado, passámos por ruas imperador do Brasil independente. Na sua base, as cheias de lojas e vimos os famosos ‘Armazéns do quatro figuras femininas são alegorias à Justiça, à Chiado’. Sabedoria, à Força e à Moderação, qualidades atribuídas ao Rei-Soldado.8 - Na estação de comboios do Rossio, comprámosbebidas e até observámos os painéis, como se vê nafigura 9. 9 - Painel - ‘D. Sebastião: O Encoberto’. Entretanto, esperámos pacientemente por alguns colegas que não podiam andar e poroutros um pouco despistados e seguimos para oTerreiro do Paço. Aí, entrámos para o CaféRestaurante “Martinho da Arcada”, ondeFernando Pessoa passava muito do seu tempo. 10 - Imagens observadas no Café Restaurante.
  3. 3. 11 - Revista Orpheu e Jornal Tabacaria. 12 - Bilhete de identidade de Fernando Pessoa. 13 - Por fim, um postal de Fernando Pessoa à porta do Café Restaurante “Martinho da Arcada”, oferta do empregado do restaurante que nos recebeu com toda a simpatia. Esta viagem trouxe-nos um maior enriquecimento a nível da matéria dada nas aulas dadisciplina de Português. Pois eu fiquei a ter a certeza que um escritor espectacular comoFernando Pessoa está verdadeiramente perto de nós, ao fim ao cabo ele é português, comonós, falava a nossa língua e até estivemos onde ele esteve. Por exemplo, às vezes quandoestamos a ver um filme, imaginamos como seria se já tivéssemos estado com aquele actor ouaté mesmo nos sítios onde ele pudesse ter estado. Neste caso, acontece o mesmo mas aomesmo tempo torna-se diferente. Não estamos fisicamente com o poeta, todavia andamospelos seus passos e conhecemos as suas rotinas. E, principalmente, partilhamos aquilo que elemais gostava, as letras, as palavras, a Literatura. Joana Carona, nº11, 12ºA

×