Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

TCF sobre O lixo e os impactos no ambiente e na saúde da população de gameleira ii3 cópia

Trabalho de Conclusão do Fundamental/PE

  • Loggen Sie sich ein, um Kommentare anzuzeigen.

  • Gehören Sie zu den Ersten, denen das gefällt!

TCF sobre O lixo e os impactos no ambiente e na saúde da população de gameleira ii3 cópia

  1. 1. 1 IZAQUE JOSÉ DA SILVA JÚNIOR JACIARA MARIA BALBINO DA SILVA JOYCE CAMYLLE DA SILVA KAILANY MANUELLE ALVES DA SILVA MÔNICA MARIA DE ANDRADE SILVA TAMIRES MARIA DE LIMA O LIXO E OS IMPACTOS CAUSADOS AO MEIO AMBIENTE E À SAÚDE DA POPULAÇÃO DE GAMELEIRA Trabalho de Conclusão do Ensino Fundamental apresentado à EREM Dr. Jaime Monteiro como requisito parcial para aprovação, sob orientação da Professora Márcia Oliveira da Silva. GAMELEIRA – PE 2016
  2. 2. 2 Dedicamos este trabalho, primeiramente, a Deus e, em especial, aos nossos pais, pois são eles que nos fortalecem diariamente na busca de um futuro melhor.
  3. 3. 3 “Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da Criação, seja animal ou vegetal, ninguém precisará ensiná-lo a amar seu semelhante.” (Albert Schweitzer)
  4. 4. 4 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS IBAM Instituto Brasileiro de Administração Municipal ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ITEP Instituto Tecnológico de Pernambuco PNRS Programa Nacional de Resíduos Sólidos PRO-RS Programa Institucional de Resíduos Sólidos TCE-PE Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco TCF Trabalho de Conclusão do Fundamental
  5. 5. 5 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO.............................................................................................. 06 JUSTIFICATIVA................................................................................................ 07 PROBLEMA MOBILIZADOR.......................................................................... 08 OBJETIVOS....................................................................................................... 09 CAPÍTULO I CONSTRUINDO REFERÊNCIAS.................................................................... 10 1.1 Um breve histórico sobre o lixo no Brasil.................................................... 10 1.2 Política Nacional de Resíduos Sólidos........................................................ 11 1.3 Resíduos Sólidos: definição e classificação................................................. 12 1.4 A destinação final dos resíduos sólidos produzidos no município de Gameleira..................................................................................................... 14 1.5 Os impactos provocados pelo lixo ao meio ambiente e à saúde da população gameleirense............................................................................... 16 1.6 Contribuições da população para que os impactos provocados pelo lixo sejam resolvidos ou minimizados................................................................ 18 ETAPAS.............................................................................................................. 20 RECURSOS......................................................................................................... 21 CRONOGRAMA................................................................................................ 22 CONSIDERAÇÕES FINAIS............................................................................. 23 REFERÊNCIAS ................................................................................................. 24 APÊNDICE.......................................................................................................... 25 ANEXOS............................................................................................................ 26
  6. 6. 6 APRESENTAÇÃO Um dos maiores problemas socioambientais enfrentado em todo o mundo está diretamente ligado ao consumismo proveniente do processo de industrialização e da urbanização: a produção de lixo. Parte dos resíduos sólidos produzidos diariamente no Brasil, seja ele doméstico, industrial, hospitalar, eletrônico ou, até mesmo, o lixo verde – aquele resultante da poda de árvores e restos de feiras que deveriam ser aproveitados para compostagem, produção de adubo e até confecção de artesanato – é descartado em vazadouros a céu aberto (lixões) ou em aterros sanitários. Em Pernambuco, cerca de dez mil toneladas de lixo são produzidas diariamente segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O descarte incorreto desse material tornou-se um grande problema para os municípios, pois fere a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), a qual estabelece que os mesmos só poderão ser despejados em aterros sanitários e que a coleta e tratamento do lixo serão de responsabilidade das prefeituras. Em Gameleira, cidade do interior de Pernambuco com pouco mais de 30 mil habitantes (IBGE,2010), a situação não foi diferente. Por décadas, o lixo urbano do município foi depositado de forma inadequada em vazadouro a céu aberto (“lixão”), numa área próxima a cidade, sem nenhum cuidado específico, onde pessoas e animais disputavam o espaço na luta pela sobrevivência. Esses resíduos sólidos e orgânicos, além da poluição do ar (através da emissão de gases), do solo e dos lençóis freáticos, causaram danos à saúde da população. Atualmente, Gameleira é um dos municípios que depositam seus lixos em aterros sanitários com situação adequada, junto a Sirinhaém, Tamandaré e Rio Formoso. Entretanto, apenas uma parte do problema foi solucionado. Muito ainda precisa ser feito, principalmente no que diz respeito à consciência ecológica.. Este trabalho apresenta um levantamento bibliográfico do tema embasado na Política Nacional de Resíduos Sólidos e investiga o gerenciamento do lixo urbano do município da Gameleira.
  7. 7. 7 JUSTIFICATIVA Este trabalho visa identificar os principais impactos socioambientais causados pelo acúmulo de lixo no município da Gameleira, como também os danos que esses dejetos causam à saúde da população quando manuseados ou descartados de maneira incorreta. Além disso, procura estimular a conscientização ambiental da comunidade escolar, isto é, formar uma comunidade sustentável, onde as pessoas cuidem das relações que estabelecem uns com os outros, com a natureza e com o lugar onde vivem.
  8. 8. 8 PROBLEMA MOBILIZADOR Afirmar que o lixo é um problema ambiental, todos sabemos. Mas a dimensão desse problema não é clara para o cidadão comum. Para ele, o problema do lixo só existe e incomoda quando há interrupção da coleta, causando um desconforto por causa do odor e da proliferação de insetos e animais nocivos a saúde. Essa mentalidade precisa ser mudada. Todos somos responsáveis pelo lixo produzido e pelas consequências por ele causadas. Se houvesse um consumo consciente e sustentável, não teríamos tantos resíduos acumulados ou depositados em lixões ou aterros sanitários. Foi procurando entender essa situação que escolhemos essa temática para nosso trabalho de pesquisa. Afinal, que destino deve ser dado ao lixo urbano para evitar impactos no meio ambiente e na saúde da população gameleirense?
  9. 9. 9 OBJETIVOS Objetivo Geral Identificar os problemas relacionados ao descarte de lixo no meio urbano e estimular a comunidade escolar a colaborar com o sistema municipal de coleta de lixo, melhorando o aspecto visual da cidade e minimizando os problemas ambientais e de saúde pública gerados pelo descarte inadequado dos resíduos sólidos urbanos. Objetivos Específicos  Estimular na comunidade escolar uma conscientização ambiental ao despertar a preocupação com o destino final do lixo produzido pela população;  Incentivar novos hábitos de consumo em prol da conservação do meio ambiente e da própria saúde, através de projeto escolar;  Cobrar da gestão pública o gerenciamento correto do lixo urbano;  Reconhecer a responsabilidade individual na preservação do meio ambiente.
  10. 10. 10 CAPÍTULO I CONSTRUINDO REFERÊNCIAS 1.1 Um breve histórico sobre o lixo no Brasil. O lixo nem sempre foi sinônimo de problema. Na Pré-história, os indivíduos alimentavam-se da caça, da pesca e dos vegetais disponíveis. Os restos dessas ‘refeições’ eram descartados diretamente no solo, decompondo-se naturalmente. Com a industrialização – meados do século XX - o crescimento populacional, o êxodo rural, a ocupação desordenada das cidades e, posteriormente, a era tecnológica, mais produtos passaram a ser produzidos, consumidos e descartados. Como consequência desse progresso, montanhas de lixo acumularam-se a céu aberto, contribuindo para a uma série de danos ao meio ambiente. Segundo Branco (1988), o grande problema da civilização industrial, moderna e tecnológica é de não perceber que cada indivíduo depende da natureza. À medida que ele foi desenvolvendo novas tecnologias e ampliando seu domínio sobre os elementos da natureza em geral, os impactos ambientais foram se ampliando em intensidade e extensão. Foi entre o final do século XIX e o início do século XX que a limpeza urbana tornou- se uma grande preocupação. A primeira empresa brasileira desse setor foi contratada pela cidade do Rio de Janeiro, em 1876 e era comandada por Aleixo Gary - seu sobrenome virou sinônimo de coletor de lixo. Muito antes disso, no século XVII, ações do governo de Maurício de Nassau enquanto governador da colônia holandesa em Pernambuco, já apontavam para uma preocupação para com o meio ambiente como: melhoria da qualidade dos serviços públicos em Recife , investimentos na coleta de lixo e em obras sanitárias. O governo brasileiro sancionou em 2010 a Lei 12.305, conhecida como a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Entre muitas ações, essa lei estabelece prazo para o fim dos
  11. 11. 11 lixões nos municípios brasileiros – agosto de 2014 - mas acabou sendo prorrogado por mais alguns anos para que os municípios se adequem às metas previstas e não sejam punidos, como cita o texto da referida lei. Das 184 cidades pernambucanas, apenas 32 destinam seu lixo para aterros sanitários com operação regular - aponta levantamento pelo Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE/2015) um ano após o fim do prazo legal para extinção dos lixões em todo o País. Mesmo assim, 129 municípios de Pernambuco ainda descartam o lixo sem nenhum controle, enquanto 23 utilizam aterros que não atendem todos os requisitos legais. Hoje, existem apenas nove aterros sanitários no Estado, quando o Plano Estadual de Resíduos Sólidos prevê 54. Gameleira é um dos municípios que depositam seus lixos em aterros sanitários com situação adequada, junto a Sirinhaém, Tamandaré e Rio Formoso – é neste último onde o aterro está localizado. Mas ainda faltam incentivos à coleta seletiva, a reciclagem e a educação ambiental. Figura 01 : Vista aérea da cidade de Gameleira-PE. Fonte: www.cidade-brasil.com.br 1.2 Política Nacional de Resíduos Sólidos A Lei nº 12.305/10 – aprovada há seis anos- altera a Lei nº 9.605/98 e institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Nela estão contidos instrumentos variados e importantes que permitem o avanço necessário para o país enfrentar dos principais problemas ambientais, sociais e econômicos decorrentes do manejo inadequado dos resíduos sólidos.
  12. 12. 12 Art 1º da Lei 12.305/2010 - Esta Lei institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, dispondo sobre seus princípios, objetivos e instrumentos, bem como sobre as diretrizes relativas à gestão integrada e ao gerenciamento de resíduos sólidos, incluídos os perigosos, às responsabilidades dos geradores e do poder público e aos instrumentos econômicos aplicáveis. Entre as metas previstas, estão:  A redução na geração de resíduos, tendo como proposta a prática de hábitos de consumo sustentável e o incentivo à reciclagem e reutilização , como também, a destinação ambiental adequado dos rejeitos, isto é, do que não pode ser reciclado ou reutilizado;  A instituição da responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos, isto é, promover o aproveitamento e a redução dos resíduos sólidos, como também incentivar as boas práticas socioambientais;  Implementação de sistemas de logística reversa, ou seja , o retorno do produto após o uso pelo consumidor. São eles: agrotóxicos, pilhas, baterias, pneus, óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens, lâmpadas de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista, produtos eletroeletrônicos e seus componentes;  Eliminação dos lixões e da queima de lixo a céu aberto como destinação ou disposição final. 1.3 Resíduos Sólidos: Definição e Classificação Oficialmente, o termo Resíduos Sólidos, no Brasil é definido pela Política Nacional de Resíduos Sólidos da seguinte forma: Art. 3°, Inciso XVI da Lei 12.305/2010 – Resíduos sólidos: material, substância, objeto ou bem descartado resultante de atividades humanas em sociedade, a cuja destinação final se procede, se propõe proceder ou se está obrigado a proceder, nos estados sólido ou semissólido, bem como gases contidos em recipientes e líquidos cujas particularidades tornem inviável o seu lançamento na rede pública de esgotos ou em corpos d’água, ou exijam para isso soluções técnica ou economicamente inviáveis em face da melhor tecnologia disponível.
  13. 13. 13 Conforme o IBAM (2001), o principal elemento caracterizador dos resíduos sólidos está relacionado à sua origem. E para efeitos da Lei, eles têm a seguinte classificação: De acordo com a origem:  Resíduos Hospitalares ou de Serviços de Saúde: são materiais utilizados nas intervenções médicas e hospitalares como, seringas, agulhas, curativos e outros materiais que podem apresentar algum tipo de contaminação;  Resíduos Domiciliares : são aqueles gerados nas residências como restos de alimentos, resíduos sanitários (papel higiênico, por exemplo), papel, plástico, vidro, etc.;  Resíduos Comerciais: são aqueles produzidos pelo comércio em geral. A maior parte é constituída por materiais recicláveis como papel e papelão, principalmente de embalagens, e plásticos, mas também podem conter restos sanitários e orgânicos;  Resíduos Industriais: são originados dos processos industriais, como restos de matérias-primas e de sub-produtos, e possuem composição bastante diversificada;  Resíduos Públicos ou de Varrição: é aquele recolhido nas vias públicas e áreas de realização de feiras;  Resíduos Sólidos Urbanos: é o conjunto de todos os tipos de resíduos gerados nas cidades e coletados pelo serviço municipal;  Resíduos de Construção Civil: os gerados nas construções, reformas e escavações;  Resíduos de Serviços de Transportes: originários dos portos, aeroportos, rodoviárias, etc.;  Resíduos Agrossilvipastoris: gerados de atividades agropecuárias e silviculturais;  Resíduos de Mineração: gerados na atividade de pesquisa, extração e beneficiamento de minérios.
  14. 14. 14 De acordo com o tipo, os resíduos sólidos podem ser recicláveis ou não recicláveis. Quanto a composição química, orgânicos e inorgânicos. E quanto a periculosidade, resíduos classe I – perigosos e resíduos classe II – não perigosos. 1.4 A destinação final dos resíduos sólidos produzidos no município da Gameleira Segundo declaração do secretário de agricultura, reforma agrária e meio ambiente à equipe de jornalismo da TV Replay, no dia 02 de fevereiro de 2015, “A Secretaria vem desempenhando um brilhante papel. Nossa secretaria está dando um apoio diferenciado as pessoas que sobrevivem da coleta seletiva de lixo em Gameleira.” E continuou: ”Acabamos com um lixão que existia aqui no nosso município, planejamos e trouxemos um novo caminho para aqueles que dependiam dessa atividade (os catadores de lixo), e para isso, pensamos em dar apoio a essas pessoas em prol da sua subsistência e maior qualidade de vida, daí vimos junto com o ITEP- Instituto Tecnológico de Pernambuco e a Secretaria de Meio Ambiente do Estado que tem desenvolvido alguns projetos, entre eles, o “Recicla Pernambuco”. Dentro desse projeto, nós alugamos um galpão para guardar os materiais recicláveis que os catadores coletam no município.” Durante nossa pesquisa de campo, o que vimos não corresponde ao que foi dito pelo secretário. Há muito lixo acumulado em diversos pontos da cidade como, por exemplo, na ladeira do Bairro da Penha, próximo à Escola Municipal José Basílio. Não observamos nenhum catador, apenas uma ou outra criança procurando latinhas. Quanto ao galpão para guardar os materiais recicláveis, está fechado por falta de pagamento do aluguel do prédio. Enfim, ficou ainda mais evidente para nossa equipe que a falta de gerenciamento do lixo continua sendo um desafio para a gestão pública de Gameleira e que há uma necessidade urgente de reeducação da população em relação ao descarte do lixo, seja ele qual for. Do montante do lixo produzido pelos municípios pernambucanos – cerca de dez mil toneladas (IBGE), boa parte não recebia uma destinação adequada. Ou era descartada em vazadouros a céu aberto, os “lixões”, ou queimados. Dois erros gravíssimos. Tratar esses resíduos de maneira adequada, sustentável e inclusiva é uma questão já sancionada pela legislação brasileira. É nesse caminho que o ITEP ( Instituto de Tecnologia de Pernambuco)
  15. 15. 15 executa o Programa Recicla-PE, vinculado à Unidade do Programa Institucional de Resíduos Sólidos (PRO-RS). Um levantamento feito em 2015 pelo Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE) diagnosticou que das 184 cidades pernambucanas, apenas 32 destinam seu lixo para aterros sanitários com operação regular, atendendo o disposto na Lei nº 12.305/10, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Porém, 129 municípios de Pernambuco ainda descartam o lixo sem nenhum controle, enquanto 23 utilizam "aterros controlados", que não atendem todos os requisitos legais. Era o caso da cidade da Gameleira. Atualmente, ela faz parte do Portal Sul Consórcio, justamente com Sirinhaém, Tamandaré e Rio Formoso - sendo esse último sede do aterro sanitário e da unidade de compostagem, usina de triagem e de uma empresa de reciclagem de plásticos. Figura 02: unidade de triagem de resíduos em Rio Formoso-PE Fonte: planetasustentavel.abril.com.br A cerca de 10 toneladas de lixo doméstico e urbano produzidos diariamente e recolhidos três vezes por semana é levado ao aterro sanitário do município de Rio Formoso, pioneiro na capacitação na área de gestão de resíduos sólidos através do projeto Recicla Pernambuco, desenvolvido pelo ITEP. Com essa parceria, parte do problema foi solucionado. Porém muito precisa ser feito ainda, principalmente no que diz respeito â consciência ecológica. É necessário que a população mude radicalmente hábitos e costumes em relação ao lixo produzido e descartado.
  16. 16. 16 1.5 Os impactos provocados pelo lixo ao meio ambiente e à saúde da população gameleirense Gameleira é um pequeno município da Mata Sul do Estado com pouco mais de trinta mil habitantes. Há até poucos anos, todo o lixo coletado, com exceção do hospitalar, era depositado em um lixão próximo ao Bairro Santo Antônio, na parte alta da cidade, manipulado por catadores sem nenhum equipamento de proteção. Esse material é nocivo à saúde por atrair animais transmissores de diversas doenças. O quadro a seguir mostra os agentes causadores de doenças e as formas de transmissão. Figura 03: Doenças relacionadas ao acúmulo do lixo. Fonte: Entrevista com agente de saúde Outro agravante é o fato de esses vetores servirem de alimento para animais peçonhentos como cobras, aranhas e escorpiões, aumentando o perigo para a população que vive próximo ou utilizam o lixão para sua subexistência. Havia uma prática comum em pleno verão: a queimada do lixão. A fumaça e o cheiro forte eram sentidos a distância, aumentando os casos de cansaço, asma, rinite alérgica, entre outros, principalmente em crianças. Ainda hoje é possível ver lixo sendo queimado em diversos pontos da cidade, quando a coleta municipal atrasa. Além da poluição do ar e do solo, o Rio Sirinhaém que corta a cidade está agonizando. Onde não há saneamento básico ou fossas sépticas, os dejetos humanos são lançados diretamente nele, causando na população que utiliza suas água pescar, tirar areia, banhar
  17. 17. 17 animais, irrigar a plantação e tomar banho, doenças como: esquistossomose, gastroenterite, hepatite, verminoses, entre outras. Figura 04: Alagamento do bairro do Matadouro Fonte:matasul.wordpress.com No ano de 2010, a cidade sentiu a fúria da natureza quando sofreu com uma enchente, juntamente com Palmares, Cortês, Ribeirão, Rio Formoso, Tamandaré, Barreiros, entre outros. Várias famílias ficaram desabrigadas, pontes caíram e outras foram interditadas. Moradores da zona rural ficaram isolados por semanas. Casas, mesmo distantes do rio, foram invadidas pelas águas que jorravam dos ralos e dos esgotos congestionados de lixo. Nesse período, homens do exército vindo do Rio Grande do Norte vieram instalar uma ponte provisória e ajudar na distribuição de roupas e alimentos Figura 05: Alagamento da Av. José Mariano Fonte: palavra-acesa-italoagra.blogspot.com.br
  18. 18. 18 1.6 Contribuições da população para que os impactos provocados pelo lixo sejam resolvidos ou minimizados A efetiva colaboração da população é de extrema importância para que os impactos provocados pelo lixo urbano sejam resolvidos ou minimizados. Para que isso aconteça, é necessário que a prefeitura e as entidades envolvidas desenvolvam uma campanha educativa em prol do meio ambiente e do bem-estar da população. É preciso agir rápido e reduzir a quantidade de lixo que produzimos. Conforme Guarany (2002), devemos reciclar, ou melhor, reutilizar os materiais, em vez de jogá-los fora e preciclar, ou seja, não comprar coisas que não podem ser reutilizadas como sacolas e outras embalagens de plásticos. “Uma alternativa aos lixões é a reciclagem, pois é considerada a mais adequada ecologicamente e economicamente, porque diminui os acúmulos de detritos na natureza e a reutilização dos materiais principalmente dos recursos naturais não renováveis”. (SCARLATO; PONTIN, 1992). Conforme Assis (2001), as agressões praticadas contra a natureza violam direitos do cidadão, afinal, o homem faz parte do meio ambiente. Essa visão socioambiental e o papel dos cidadãos aparecem manifestos no capítulo VI, artigo 225 da Constituição Federal de 1988: Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações. Resta-nos compreender a dinâmica do gerenciamento dos resíduos sólidos proposto na PNRS e perceber a responsabilidade da sociedade ,como um todo, de solucionar ou minimizar os problemas causados ao meio ambiente e à saúde. Sendo assim, cabe a cada cidadão fazer sua parte, começando com novas práticas de consumo sustentável.
  19. 19. 19 ETAPAS Este Trabalho de Conclusão do Fundamental (TCF) é uma pesquisa descritiva que trata do estudo de caso da situação dos resíduos sólidos do município de Gameleira – PE. Inicialmente, recebemos um folheto com informações sobre o trabalho a ser realizado e, numa aula no contra-turno, as orientações necessárias para a realização do TCF com a professora Joselma Costa e Márcia Oliveira. Nesta ocasião, foi decidida a composição da equipe e o tema. Em outro momento, para coletar dados e informações sobre o tema, realizamos uma consulta na biblioteca da escola. Infelizmente, pouco material bibliográfico foi encontrado. Então, iniciamos consultas na internet, onde foram encontrados inúmeros materiais para dar suporte à pesquisa. Com o material em mãos, elaboramos um sumário provisório e dê-mos início as leituras e as produções textuais. Tudo sob a orientação e supervisão da professora de Língua Portuguesa. Realizamos sessões de fotos pelos bairros da cidade. Essas imagens comprovam o que, infelizmente é comum em muitos municípios brasileiros: a falta de gerenciamento do lixo continua sendo um desafio para a gestão pública de Gameleira e que há uma necessidade urgente de reeducar da população em relação ao descarte do lixo, seja ele qual for. Para finalizar o trabalho, realizamos uma entrevista com um profissional da área de saúde do município, Geraldo de Lira Lima, para levantar dados e informações que fundamentem a pesquisa e norteiem possíveis soluções para o problema.
  20. 20. 20 RECURSOS Para a realização dessa pesquisa foram utilizados os seguintes materiais:  Livros de Ciências e de Biologia;  Celulares para sessão de fotos;  Pesquisa na internet  Computador;  Data show;  Whatsapp;  Papel ofício.
  21. 21. 21 CRONOGRAMA Atividades AGO SET OUT NOV DEZ Orientação sobre TCF X X X X X Formação da equipe X Escolha do tema X Definição do produto final X Pesquisa bibliográfica X X X X Pesquisa de campo X X Análise dos dados pesquisados X X Elaboração do sumário provisório X Produção dos textos X X X Revisão dos textos X X X Aplicação de entrevista com um profissional da saúde X Produção de slide X Entrega do TCF X Apresentação do TCF X
  22. 22. 22 CONSIDERAÇÕES FINAIS Ao finalizar este trabalho, foi possível identificar os motivos pelos quais o lixo passou a ser um grande problema em todo o mundo; compreender a dinâmica do gerenciamento dos resíduos sólidos proposto na PNRS e perceber a responsabilidade da sociedade ,como um todo, de solucionar ou minimizar os problemas causados ao meio ambiente e à saúde. Sendo assim, cabe a cada cidadão fazer sua parte, começando com novas práticas de consumo sustentável, como a reciclagem e a reutilização.
  23. 23. 23 REFERÊNCIAS ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (NBR 10004). Resíduos Sólidos – Classificação. Rio de Janeiro, 2004. ASSIS, José Chacon. Preservação da água: Questão de sobrevivência. Rio de Janeiro: CREA/RJ. 3 ed., 2001. BRANCO, Samuel Murgel.O meio ambiente em debate. São Paulo: Moderna, 1988. BRASIL, Lei Federal nº 12.305, de 02 de agosto de 2010. Política Nacional de Resíduos Sólidos. Diário Oficial (da) República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília – DF, 2010. GUARANY, Reynaldo. 50 coisas simples que as crianças podem fazer para salvar a terra/ The Earth Work Group. 9.ed.Rio de Janeiro: José Olympio, 2002 IBAM. Instituto Brasileiro de Administração Municipal. Manual Integrado de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. Rio de Janeiro: IBAM, 2001. 200 p. IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades@. Disponível em: . Acesso em: 21 de out. 2016. SCARLATO, Francisco Capuano e PONTIM, Joel Arnaldo. Do Nicho ao Lixo: Ambiente sociedade e educação. São Paulo: Atual, 1992. https://www.novareplay.com.br/jornalismo/gameleira-pe-secretário-de-agricltura-fala-sobre- a-coleta-de-lixo < Acesso em 29 de setembro de 2016 > http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/politica/pernambuco/noticia/2015/09/15/apenas-32- cidades-destinam-lixo-de-maneira-adequada-em-pernambuco-199116.php>. <Acesso em 29 de setembro de 2016> http://comsul.pe.gov.br/nisb.php <Acesso em 13 de outubro de 2016> http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/politica/2015/06/08/interna_politica,5800 84/municipios-que-investiram-em-aterros-sanitarios-vem-recebendo-reforco-financeiro-do- icms-ecologico.shtml <Acesso em 29 de setembro de 2016> http://www.cidade-brasil.com.br/foto-gameleira.html <Acesso em 20 de outubro de 2016>
  24. 24. 24 APÊNDICE PESQUISA DE CAMPO PARA TCF SÉRIE: 9º ano TURMA: “A” ANO: 2016 TÍTULO: O lixo e os impactos causados ao ambiente e à saúde da população de Gameleira ENTREVISTADO:______________________________________________ OBJETIVO DA ENTREVISTA: Levantar dados e informações para fundamentar a pesquisa e nortear possíveis soluções para o problema. TEMA: Um dos maiores problemas socioambientais enfrentado em todo o mundo esta diretamente ligado ao consumismo e a urbanização: o gerenciamento do lixo, principalmente o urbano. Mas a dimensão desse problema não é clara para o cidadão comum. Para ele, o problema com o lixo só existe e incomoda quando há interrupção da coleta. Essa mentalidade precisa ser mudada porque todos somos responsáveis pelo lixo produzido e por suas consequências. 01. Quais as doenças mais comuns causadas por animais que vivem e alimentam-se do lixo? 02. Em nosso município é comum vermos lixo sendo queimado pela população. Essa prática pode acarretar problemas à saúde ? Quais? 03. Como deve ser feito o descarte dos resíduos hospitalares ? Por quê? 04. Quais as doenças causadas pela água poluída e/ou contaminada? 05. Os garis e demais pessoas que trabalham na limpeza urbana e coleta de lixo estão suscetíveis a contaminação? Que cuidados eles devem tomar? 06. Em sua opinião, o que pode e deve ser feito para minimizar os danos causados pelo lixo ao meio ambiente?
  25. 25. 25 ANEXOS
  26. 26. 26 LIXO DESCARTADO DE FORMA INCORRETA EM VÁRIOS LOCAIS NA CIDADE DE GAMELEIRA-PE
  27. 27. 27

×