Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 23-24

809 Aufrufe

Veröffentlicht am

Aula 23-24

Veröffentlicht in: Bildung
  • DOWNLOAD THAT BOOKS INTO AVAILABLE FORMAT (2019 Update) ......................................................................................................................... ......................................................................................................................... Download Full PDF EBOOK here { http://bit.ly/2m6jJ5M } ......................................................................................................................... Download Full EPUB Ebook here { http://bit.ly/2m6jJ5M } ......................................................................................................................... Download Full doc Ebook here { http://bit.ly/2m6jJ5M } ......................................................................................................................... Download PDF EBOOK here { http://bit.ly/2m6jJ5M } ......................................................................................................................... Download EPUB Ebook here { http://bit.ly/2m6jJ5M } ......................................................................................................................... Download doc Ebook here { http://bit.ly/2m6jJ5M } ......................................................................................................................... ......................................................................................................................... ................................................................................................................................... eBook is an electronic version of a traditional print book that can be read by using a personal computer or by using an eBook reader. (An eBook reader can be a software application for use on a computer such as Microsoft's free Reader application, or a book-sized computer that is used solely as a reading device such as Nuvomedia's Rocket eBook.) Users can purchase an eBook on diskette or CD, but the most popular method of getting an eBook is to purchase a downloadable file of the eBook (or other reading material) from a Web site (such as Barnes and Noble) to be read from the user's computer or reading device. Generally, an eBook can be downloaded in five minutes or less ......................................................................................................................... .............. Browse by Genre Available eBooks .............................................................................................................................. Art, Biography, Business, Chick Lit, Children's, Christian, Classics, Comics, Contemporary, Cookbooks, Manga, Memoir, Music, Mystery, Non Fiction, Paranormal, Philosophy, Poetry, Psychology, Religion, Romance, Science, Science Fiction, Self Help, Suspense, Spirituality, Sports, Thriller, Travel, Young Adult, Crime, Ebooks, Fantasy, Fiction, Graphic Novels, Historical Fiction, History, Horror, Humor And Comedy, ......................................................................................................................... ......................................................................................................................... .....BEST SELLER FOR EBOOK RECOMMEND............................................................. ......................................................................................................................... Blowout: Corrupted Democracy, Rogue State Russia, and the Richest, Most Destructive Industry on Earth,-- The Ride of a Lifetime: Lessons Learned from 15 Years as CEO of the Walt Disney Company,-- Call Sign Chaos: Learning to Lead,-- StrengthsFinder 2.0,-- Stillness Is the Key,-- She Said: Breaking the Sexual Harassment Story That Helped Ignite a Movement,-- Atomic Habits: An Easy & Proven Way to Build Good Habits & Break Bad Ones,-- Everything Is Figureoutable,-- What It Takes: Lessons in the Pursuit of Excellence,-- Rich Dad Poor Dad: What the Rich Teach Their Kids About Money That the Poor and Middle Class Do Not!,-- The Total Money Makeover: Classic Edition: A Proven Plan for Financial Fitness,-- Shut Up and Listen!: Hard Business Truths that Will Help You Succeed, ......................................................................................................................... .........................................................................................................................
       Antworten 
    Sind Sie sicher, dass Sie …  Ja  Nein
    Ihre Nachricht erscheint hier
  • Gehören Sie zu den Ersten, denen das gefällt!

Apresentação para décimo ano de 2017 8, aula 23-24

  1. 1. [do título à l. 4] «O rei que refundou Portugal» inclui uma metáfora que aproveita o facto de D. Dinis a) ter reconquistado território aos mouros. b) ser trineto de D. Afonso Henriques. c) ter promovido o português. d) ter sido o fundador de Portugal.
  2. 2. O referente da anáfora «o outro» (l. 3) é a) «D. Afonso Henriques». b) «D. Dinis». c) «Pessoa». d) «o rei fundador Afonso Henriques».
  3. 3. […] D. Dinis foi sempre associado ao seu trisavô, o rei fundador D. Afonso Henriques. Um inventou Portugal como pais independente, o outro transformou- o no embrião […]
  4. 4. [ll. 5-10] «O plantador de naus a haver» (ll. 5-6) é expressão a) de Pessoa aplicada a Lord Byron. b) de D. Dinis aplicada a outro trovador. c) de um inspirado vate romântico, escrevendo noite fora, à luz das velas. d) que Fernando Pessoa aplica a D. Dinis.
  5. 5. [ll. 10-14] A plantação do pinhal de Leiria, para garantir que não faltaria madeira para os barcos aquando da expansão, é lembrada enquanto a) hipótese, muitas vezes aceite, que ilustraria as faculdades visionárias de D. Dinis. b) falsidade, que mostra a ligeireza de Pessoa ao tratar do tema. c) sonho visionário de D. Dinis. d) facto incontroverso, atribuído a D. Dinis.
  6. 6. [ll. 15-23] O que interessava a Pessoa era [o mito] a) a fama de que se revestiu a figura de D. Dinis. b) o efetivo papel de D. Dinis na divulgação da língua portuguesa. c) D. Dinis como conservador do pinhal de Leiria. d) a verdade histórica, D. Dinis como «O Lavrador» e como poeta.
  7. 7. O pronome (a anáfora) «Esse» (l. 18) tem como referente a) «o mito de D. Dinis». b) «O Lavrador». c) «o autor de Mensagem». d) «o D. Dinis da historiografia moderna ou dos estudos literários».
  8. 8. O que importava ao autor de Mensagem antecedente referente era, claro, o mito de D. Dinis, e não o D. Dinis da historiografia moderna ou dos estudos literários. Esse não foi decerto anáfora um poeta romântico, nem …
  9. 9. [ll. 24-30] Reconhece-se que a) a aventura dos descobrimentos começou com D. Dinis. b) Pessoa tinha o dom da grande poesia. c) D. Dinis tinha o dom da grande poesia. d) Pessoa escreveu direito por linhas tortas.
  10. 10. [ll. 31- 50] Vinca-se a) o facto de as obras de D. Dinis serem dignas de um primeiro rei de dinastia (e não de um sucessor). b) a bastardia de D. Pedro, de Barcelos. c) a circunstância de D. Dinis ser bisneto de Afonso Henriques. d) a aproximação, tantas vezes feita, entre Afonso Henriques e Dinis.
  11. 11. [ll. 51-56] A duração do reinado de D. Dinis é referida a) para se louvar o facto de ter aproveitado bem esse longo período. b) para se valorizar de novo Afonso Henriques, o fundador da nacionalidade. c) no sentido de mostrar que não foi muito menor do que a do reinado de Afonso Henriques. d) por ser fator de identificação entre os dois reis (e pretexto ainda para elogio da ação do «Lavrador»).
  12. 12. [ll. 57-71] Grande mérito de D. Dinis foi ter a) sido em muitos domínios continuador do seu pai. b) fundado a Universidade e obrigado a que a documentação oficial fosse escrita em português. c) criado a Universidade, em Coimbra, que viria a permitir formar funcionários competentes e instruídos. d) continuado a ação de Afonso Henriques, instituindo a Universidade e promulgando a adoção do português na documentação régia.
  13. 13. [ll. 72-84] D. Dinis foi um trovador a) respeitado, tendo levado para a corte a poesia galego-portuguesa, numa fase em que esta já decaía. b) importante, na fase também mais gloriosa da lírica galego-portuguesa, que ele levou para a sua corte. c) com capacidade poética idêntica à de cocós de cão malcheirosos e pleonásticos. d) dos mais importantes, o que contrasta com o facto de Afonso X nunca ter dado mostras de se interessar por poesia.
  14. 14. ll. 84-96 Segundo estas linhas, o medievalista a) Zé Carlos considera que a poesia de D. Dinis é sobretudo inovadora, prenhe de ruturas. b) José Carlos Miranda retrata D. Dinis como poeta receoso de criar, preso ao passado, que sentia como ameaça. c) D. Dinis vai produzir uma poesia de contenção, que recusa quaisquer ruturas com o passado. d) José Carlos Miranda associa o caráter conservador da poesia de D. Dinis ao tipo de sociedade que o rei defendia.
  15. 15. [ll. 97-106] A poesia de D. Dinis é a) profundamente original e reveladora de talento pessoal. b) por um lado, talentosa apesar de nem sempre original, por outro, seguidora de uma tradição. c) pouco meritória, uma vez que os seus melhores poemas são versões de cantigas de outros autores. d) controladora da cultura aristocrática.
  16. 16. [ll. 107-118] O achado de Harvey Sharrer foi extraordinário, já que a) tem algumas cantigas de amigo do galego Martim Codax. b) tem sete cantigas de amigo de D. Dinis. c) é um dos dois manuscritos conhecidos com música composta para poesia profana galego- portuguesa. d) se trata do único manuscrito conhecido com música para poesia profana galego-portuguesa.
  17. 17. [ll. 1-118] Este texto é expositivo porque a) trata de assunto, de modo instrucional. b) descreve o papel de D. Dinis de modo didático. c) expõe, de modo argumentativo, um assunto. d) expõe a narrativa da vida de D. Dinis.
  18. 18. Não falar para o lado. Chamar-me quando terminarem. Os mais demorados devem terminar quando disser que já foi suficiente.
  19. 19. Jeito poético? D.A.M.A. Não sabe criar frases bonitas. poetas provençais Têm muita mestria poética.
  20. 20. D. Dinis [Será menor do que o dos provençais.] Julien & Sophie Recusa-se a poesia, assume-se o risco, o jogo.
  21. 21. Amor verdadeiro? D.A.M.A. Envergonhado, perde o à-vontade quando está junto de quem, na verdade, ama. poetas provençais Só na primavera («no tempo da frol») costumam trovar, o que quer dizer que o seu amor será apenas retórico.
  22. 22. D. Dinis Sincero, pode até morrer de amor: o sofrimento («perdiçom») que sente matá- lo-á («m’á de matar») Julien & Sophie Um amor «sem fim», que demora a concretizar-se mas que vence os desafios mais estranhos.
  23. 23. a) = 3 b) = 4 c) = 1 d) = 5 e) = 2 f) = 6
  24. 24. 1.1 a) «e dizem eles» — oração coordenada copulativa; b) «mais [mas] os que trobam» — oração coordenada adversativa; c) «qual [tal como] m'eu por mia senhor vejo levar» — oração subordinada adverbial comparativa;
  25. 25. d) «Pero [Ainda] que trobam» — oração subordinada adverbial concessiva; e) «ca [porque] os que trobam» — subordinada adverbial causal; f) [em qual perdiçom] «pois que m'á de matar» — oração subordinada adverbial consecutiva.
  26. 26. TPC — Escreve frases introduzidas por «Lembro-me que» (ou «Lembro-me de»), que reportem um episódio, um simples incidente, bom ou mau, possivelmente insignificante, mas que ficou registado para sempre na tua memória. (Copiei parágrafos de de Luís Maio — de crónica na Fugas —, no estilo que pretendo.) Não são precisas tantas.

×