Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

AnáLise De Risco Parada 2011

1.971 Aufrufe

Veröffentlicht am

Esse é o meu trabalho mais recente.

  • Als Erste(r) kommentieren

AnáLise De Risco Parada 2011

  1. 1. <ul><li>SEGURANÇA PATRIMONIAL </li></ul><ul><li>ANÁLISE DE RISCO </li></ul><ul><li>EMPRESA Y </li></ul><ul><li>PARADA DE MANUTENÇÃO </li></ul>
  2. 2. OBJETIVO <ul><li>Analisar o cenário atual e prospectivo da empresa Y, identificando os riscos que poderão se concretizar durante a Parada de Manutenção, com início em Março. Identificação do Grau de Probabilidade, Nível de Impacto, Tratamento e Plano de Ação, apresentando meios para eliminar, diminuir ou transferi-los, da maneira mais economicamente viável. </li></ul>
  3. 3. ETAPAS DA ANÁLISE <ul><li>1 - Construção dos Cenários; </li></ul><ul><li>2 - Identificação dos Riscos; </li></ul><ul><li>3 - Identificação dos Fatores de Risco; </li></ul><ul><li>4 – Identificação do Grau de Probabilidade; </li></ul>
  4. 4. <ul><li>5 – Nível do Impacto no Negócio; </li></ul><ul><li>6 - Matriz de Vulnerabilidade; </li></ul><ul><li>7 - Plano de Ação; </li></ul><ul><li>8 - Conclusão. </li></ul>ETAPAS DA ANÁLISE
  5. 5. FASE 2 - IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS <ul><li>1 - Consumo de Drogas e Bebidas Alcoólicas; </li></ul><ul><li>2 - Furtos; </li></ul><ul><li>3 - Acidentes de Trânsito; </li></ul><ul><li>4 - Sabotagem; </li></ul><ul><li>5 - Acesso Indevido/Invasão; </li></ul><ul><li>6 - Movimento Sindical; </li></ul><ul><li>7 - Desinteligências. </li></ul>
  6. 6. FASE 3 – IDENTIFICAÇÃO DOS FATORES DE RISCO <ul><li>Metodologia aplicada: Diagrama de Ishikawa. </li></ul><ul><li>O Diagrama de Ishikawa é a ferramenta que possibilita analisar e representar a relação entre os fatores que determinam a Causa e Efeito. </li></ul><ul><li>È possível a determinação da relação de causa e efeito múltipla, observando o processo sistematicamente. </li></ul>
  7. 14. FASE 4 – GRAU DE PROBABILIDADE
  8. 15. FASE 5 – NÍVEL DE IMPACTO
  9. 16. FASE 6 – MATRIZ DE VULNERABILIDADE
  10. 17. FASE 7 – PLANO DE AÇÃO
  11. 18. FASE 7 – PLANO DE AÇÃO
  12. 19. FASE 7 – PLANO DE AÇÃO
  13. 20. FASE 7 – PLANO DE AÇÃO
  14. 21. FASE 7 – PLANO DE AÇÃO
  15. 22. FASE 7 – PLANO DE AÇÃO
  16. 23. FASE 7 – PLANO DE AÇÃO
  17. 24. GRAU DE PROBABILIDADE APÓS IMPLANTAÇÃO DO PA
  18. 25. MATRIZ DE VULNERABILIDADE APÓS EXECUÇÃO DO PA
  19. 26. CONCLUSÃO <ul><li>Finalizada a Análise de Risco, apresentamos as ações que devem ser implantadas no ambiente interno da empresa Y visando os objetivos iniciais do projeto. Algumas devem ser corrigidas de imediato e outras a curto prazo, todas inseridas num Plano de Ação detalhado e específico. A medida que forem sendo eliminados os fatores de risco será diminuído também o grau de probabilidade de concretização dos riscos analisados. </li></ul>

×