Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

SKOS: Interoperabilidade de linguagens documentais

1.848 Aufrufe

Veröffentlicht am

Interoperabilidade de linguagens documentais: Simple Knowledge Organization System (SKOS).
Linguagens Documentais Alfabéticas - Prof. Walter Moreira
Biblioteconomia – UNESP, Campus de Marília, 2015

Veröffentlicht in: Internet
  • Als Erste(r) kommentieren

SKOS: Interoperabilidade de linguagens documentais

  1. 1. Fabrício Silva Assumpção Linguagens Documentais Alfabéticas - Prof. Walter Moreira Biblioteconomia – UNESP, Campus de Marília, 2015 Interoperabilidade de linguagens documentais: Simple Knowledge Organization System (SKOS)
  2. 2. Interoperabilidade  Interoperabilidade: capacidade de dois ou mais sistemas [diferentes] trocarem dados.  Por que precisamos de interoperabilidade entre LDs?  Sistemas de descoberta (busca integrada), junção de diferentes bases de dados e/ou diferentes LDs, múltiplos idiomas, etc. (ANSI/NISO Z39.19-2005, 2010, p. 83)
  3. 3. Formato MARC 21 para Dados de Autoridade  Descende do primeiro formato MARC, criado no final da década de 1960.  Tem como foco as listas de cabeçalhos de assunto, embora possibilite também a inclusão das relações utilizadas nos tesauros.  Utilizado nos principais sistemas de gerenciamento de bibliotecas.
  4. 4. Simple Knowledge Organization System (SKOS)  Sistemas de Organização do Conhecimento  “Sistema simples de organização do conhecimento”  Recomendação do World Wide Web Consortium (W3C) em 2009.  SKOS Primer e SKOS Reference
  5. 5. Simple Knowledge Organization System (SKOS)  “O Simple Knowledge Organization System (SKOS) é um vocabulário RDF para representação de sistemas de organização do conhecimento semi-formais, tais como tesauros, taxonomias, sistemas de classificação e listas de cabeçalhos de assunto.  Uma vez que o SKOS é baseado no Resource Description Framework (RDF) essas representações são legíveis por máquina e podem ser intercambiadas entre aplicações de software e publicadas na World Wide Web.” (SKOS Primer, 2009, 1, tradução nossa)
  6. 6. Modelo de dados RDF é um é um é um é da cor Um cachorro mamífero Snoopy cachorro Um mamífero animal Snoopy branca Recurso Propriedade Valor Snoopy Cachorro Cachorro Mamífero Mamífero Animal Snoopy branca
  7. 7. Modelo de dados RDF é um é um Cachorrohttp://exemplo.com/cachorro Animalhttp://exemplo.com/animal Mamíferohttp://exemplo.com/mamifero http://www.w3.org/1999/02/22-rdf-syntax-ns#type http://www.w3.org/1999/02/22-rdf-syntax-ns#type skos:Concept skos:prefLabel skos:altLabel skos:hiddenLabel skos:broader skos:narrower skos:related skos:ConceptScheme skos:inScheme skos:exactMatch skos:closeMatch skos:broadMatch skos:narrowMatch skos:relatedMatch
  8. 8. Simple Knowledge Organization System (SKOS)  “O Simple Knowledge Organization System (SKOS) é um vocabulário RDF para representação de sistemas de organização do conhecimento semi-formais, tais como tesauros, taxonomias, sistemas de classificação e listas de cabeçalhos de assunto.  Uma vez que o SKOS é baseado no Resource Description Framework (RDF) essas representações são legíveis por máquina e podem ser intercambiadas entre aplicações de software e publicadas na World Wide Web.” (SKOS Primer, 2009, 1, tradução nossa)
  9. 9. Conceitos e termos <http://www.tesauro.com/01> rdf:type skos:Concept. @prefix te: <http://www.tesauro.com/> . te:01 rdf:type skos:Concept. te:01 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “cachorro”@pt; skos:prefLabel “dog”@en. (SKOS Primer, 2009)
  10. 10. Relações de equivalência te:01 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “cachorro”@pt; skos:prefLabel “dog”@en; skos:altLabel “cão”@pt; skos:altLabel “Canis lupus familiaris”@pt. te:02 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “meteorologista”@pt; skos:hiddenLabel “metereologista”@pt. UP (SKOS Primer, 2009)
  11. 11. Relações hierárquicas te:01 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “cachorro”@pt; skos:prefLabel “dog”@en; skos:altLabel “cão”@pt; skos:altLabel “Canis lupus familiaris”@pt; skos:broader te:03. te:03 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “canídeos”@pt; skos:narrower te:01. TG TE (SKOS Primer, 2009)
  12. 12. Relações associativas te:04 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “dengue”@pt; skos:related te:05. te:05 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “Aedes aegypti”@pt; skos:related te:04. TR TR (SKOS Primer, 2009)
  13. 13. Notas  skos:scopeNote (Nota de escopo)  skos:definition (Nota de definição)  skos:example (Nota de exemplo)  skos:historyNote (Nota histórica) te:06 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “metais alcalinos”@pt; skos:scopeNote “Utilize para os metais: lítio (Li), sódio (Na), potássio (K) , rubídio (Rb), césio (Cs) e frâncio (Fr).”@pt. (SKOS Primer, 2009)
  14. 14. Esquemas de conceitos  São utilizados para agrupar os conceitos que pertencem a um mesmo sistema de organização do conhecimento. @prefix dct: <http://purl.org/dc/terms/> . te:tesauroAnimais rdf:type skos:ConceptScheme; dct:title “Tesauro de animais”@pt; dct:creator “Fabrício Silva Assumpção”. (SKOS Primer, 2009)
  15. 15. Esquemas de conceitos te:01 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “cachorro”@pt; skos:broader te:03; skos:inScheme te:tesauroAnimais. te:03 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “canídeos”@pt; skos:narrower te:01; skos:inScheme te:tesauroAnimais. (SKOS Primer, 2009)
  16. 16. Relações entre linguagens  “Na Web Semântica, o verdadeiro potencial dos dados é notado quando eles estão interligados. Quando conceitos de diferentes esquemas são conectados começam a formar um esquema de conceitos global, distribuído e heterogêneo.” skos:exactMatch skos:closeMatch skos:broadMatch skos:narrowMatch skos:relatedMatch (SKOS Primer, 2009, tradução nossa)
  17. 17. Correspondência exata <http://id.loc.gov/authorities/subjects/sh85038796> rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “Dogs”@en. te:01 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “cachorro”@pt; skos:inScheme te:tesauroAnimais; skos:exactMatch lcsh:sh85038796. @prefix lcsh: <http://id.loc.gov/authorities/subjects/> . lcsh:sh85038796 rdf:type skos:Concept; skos:prefLabel “Dogs”@en. (SKOS Primer, 2009)
  18. 18. Relações entre linguagens  Fatores que devem ser considerados:  A similaridade de conceitos entre diferentes domínios.  O uso de diferentes LDs para a indexação de documentos em um mesmo domínio.  O grau de especificidade ou granularidade das LDs.  As diferenças no modo com que sinônimos e quase- sinônimos são tratados nas LDs.  O uso da pré e da pós-coordenação.  As garantias literária, organizacional e de uso utilizadas na criação das LDs.  O propósito dos sistemas. (ANSI/NISO Z39.19-2005 (R2010), 2010, p. 84)
  19. 19. Recursos avançados  skos:Collection  Permite o agrupamento de conceitos com a inclusão de um rótulo de nó.  skos:OrderedCollection e skos:memberList  Permite o agrupamento de conceitos em uma ordem específica.  skosxl:Label e skosxl:labelRelation  Permite o relacionamento entre rótulos.  skos:notation  Permite a inclusão de notações. (SKOS Primer, 2009)
  20. 20. Exemplos  VTArq  http://profwalter.com.br/vtarq/vocab/index.php?tema=17 6  Biblioteca Nacional da Espanha  http://datos.bne.es/tema/XX525300.html  LCSH  http://id.loc.gov/authorities/subjects/sh85113862  AGROVOC Multilingual agricultural thesaurus  http://aims.fao.org/skosmos/agrovoc/en/page/c_6599
  21. 21. Resumindo...  Benefícios da utilização do SKOS:  Possibilidade de compartilhamento das LDs.  Possibilidade de expressar relações entre LDs.  Possibilidade de tornar as LDs legíveis (processáveis) por softwares.  Possibilidade de publicar LDs na Web.
  22. 22. Referências  AMERICAN NATIONAL STANDARDS INSTITUTE. ANSI/NISO Z39.19-2005 (R2010): Guidelines for the construction, format and management of monolingual controlled vocabularies. Baltimore, 2010.  CATARINO, M. E. Simple Knowledge Organization System: construindo sistemas de organização do conhecimento no contexto da Web Semântica. Informação & Tecnologia, João Pessoa, v. 1., n. 1. p. 17-28, jan./jun. 2014. Disponível em: <http://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/itec/article/view/19307>. Acesso em: 01 set. 2015.  FERREIRA, J. A.; SANTOS, P. L. V. A. da C. O modelo de dados Resource Description Framework (RDF) e o seu papel na descrição de recursos. Informação & Sociedade: estudos, v. 23, n. 2, p. 13-23, 2013. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.6084/m9.figshare.1116375 >. Acesso em: 01 set. 2015.
  23. 23. Referências  PASTOR SANCHEZ, J. A.; MARTÍNEZ MENDEZ, F. J.; RODRIGUÉZ MUÑOZ, J. V. Advantages of thesaurus representation using the Simple Knowledge Organization System (SKOS) compared with proposed alternatives. Information Research, v. 14, n. 4, paper 422, 2009. Disponível em: <http://www.informationr.net/ir/14-4/paper422.html>. Acesso em: 01 set. 2015.  W3C. RDF 1.1 Primer. Cambridge, 2014. Disponível em: <http://www.w3.org/TR/2014/NOTE-rdf11-primer-20140624/>. Acesso em: 01 set. 2015.  W3C. SKOS Simple Knowledge Organization System: Primer. Cambridge, 2009. Disponível em: <http://www.w3.org/TR/skos-primer/>. Acesso em: 01 set. 2015.  W3C. SKOS Simple Knowledge Organization System: Reference. Cambridge, 2009. Disponível em: <http://www.w3.org/TR/skos- reference/>. Acesso em: 01 set. 2015.
  24. 24. Fabrício Silva Assumpção Linguagens Documentais Alfabéticas - Prof. Walter Moreira Biblioteconomia – UNESP, Campus de Marília, 2015 Obrigado!

×