Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.
AS PERSPECTIVAS 
PARA OS 
REFUGIADOS NO 
SÉCULO XXI 
Adriana Marcolini - Jornalista
À guisa de definição 
“Qualquer pessoa que, devido a um temor bem fundado 
de perseguição por razões de raça, religião, 
n...
Huguenotes e “refugiados” 
Em 1685, quando o Edito de Nantes provocou a 
fuga dos Huguenotes da França, o cenário que 
se ...
Século XX. Liga das Nações 
e Revolução Bolchevique. 
Grande fome que afetou a Russia em 1921 levara entre 
1,5 milhão a 2...
Episódios mais recentes. 
Kosovares (200 mil) de etnia servia foram deslocados. 
OTAN 1999. Conflito com kosovares de etni...
Transformações nos dias de 
hoje. 
Proteção internacional dos refugiados passou a ser camuflada 
na linguagem da 'seguranç...
Nächste SlideShare
Wird geladen in …5
×

Ri soc v presentacion refugiados 2013 00

1.324 Aufrufe

Veröffentlicht am

Refugiados

Veröffentlicht in: Bildung
  • Als Erste(r) kommentieren

  • Gehören Sie zu den Ersten, denen das gefällt!

Ri soc v presentacion refugiados 2013 00

  1. 1. AS PERSPECTIVAS PARA OS REFUGIADOS NO SÉCULO XXI Adriana Marcolini - Jornalista
  2. 2. À guisa de definição “Qualquer pessoa que, devido a um temor bem fundado de perseguição por razões de raça, religião, nacionalidade, participação em determinado grupo social ou opiniões políticas, está fora do país de sua nacionalidade, e não pode ou, devido a este temor, não quer valer-se da proteção daquele país.” Convenção da ONU sobre o Estatuto dos Refugiados, de 1951. Anos 90 – Refugiados e “deslocados internos”. Migração forçada não é fenômeno novo na história. Séculos XIII, XIV e XV testemunharam a expulsão dos judeus da Inglaterra, França, Espanha e Portugal e sua dispersão. A expulsão dos judeus que habitavam a Espanha, no final do século XV provocou o fluxo de cerca de 300 mil deles
  3. 3. Huguenotes e “refugiados” Em 1685, quando o Edito de Nantes provocou a fuga dos Huguenotes da França, o cenário que se estabeleceu era parecido com o do século XX: perseguição religiosa, ataques de piratas aos huguenotes em pleno mar, necessidade de oferecer-lhes proteção legal, reassentamento em outros países e repatriação. Segundo The Economist, o termo 'refugiado’ foi usado então pela primeira vez.
  4. 4. Século XX. Liga das Nações e Revolução Bolchevique. Grande fome que afetou a Russia em 1921 levara entre 1,5 milhão a 2 milhões de russos a abandonarem seu país. O êxodo mais significativo teve início a partir do inverno de 1919/1920. Diplomata norueguês Fritjof Nansen (1861-1930) organizou pela Liga das Nações e com a OIT a inserção profissional de perto de 60 mil refugiados nos países de adoção. No fundo, todos os refugiados (ou a grande maioria) desejam voltar para seu país natal. Tal a melhor solução mas nem sempre isto é possível.
  5. 5. Episódios mais recentes. Kosovares (200 mil) de etnia servia foram deslocados. OTAN 1999. Conflito com kosovares de etnia albanesa. O fim da guerra fria permitiu que as grandes potências passassem a usar o Conselho de Segurança (CS) da ONU para decidir eventuais intervenções em outros países. Quando encontram oposição neste órgão – caso EUA x Iraque, as grandes potências procuram levar adiante suas políticas por meio de organizações como a Otan, como foi o caso dos bombardeios na antiga Iugoslavia. CS e Otan passaram a ser os fóruns onde se discute e se busca soluções para os problemas relacionados aos refugiados.
  6. 6. Transformações nos dias de hoje. Proteção internacional dos refugiados passou a ser camuflada na linguagem da 'segurança’. E a linguagem da ‘divisão do peso e dos custos’(burden sharing), que inspirou, desde o início, a política dos Estados para o problema, transformou-se na linguagem da ‘ameaça para a segurança dos Estados’. O resultado final é a supressão de princípios fundamentais como o de non refoulement, uma vez que os Estados acreditam ter justificativas para fechar suas fonteiras ou mandar de volta refugiados para seus países de origem, mesmo se eles forem encontrar insegurança e perseguição ao retornar. Uso da linguagem da segurança para não conceder o status pleno de regugiados: solicitantes de asilo (asylum seekers), chegadas espontâneas (spontaneous arrivals), quotas de refugiados (quota refugees), pessoas em situação parecida com a de refugiados (people in refugee-like situations).

×