SlideShare ist ein Scribd-Unternehmen logo
1 von 39
Bacias hidrográficas
brasileiras
Características da hidrografia
brasileira
• Riqueza em rios e pobreza em formações lacustres.
• Todos rios direta ou indiretamente são tributários do
Oceano Atlântico.
• Predomínio de foz em estuário.
• Domínio de rios de planalto.
• Regime pluvial tropical austral
• Rios de drenagem exorréica e perenes.
Destaque para três divisores de água: Cordilheira dos Andes,
planalto das Guianas e formações planálticas no Brasil
Pequeno dicionário do aluno
perdido
• Divisores de água: são elementos geográficos que
distinguem duas ou mais bacias hidrográficas.
• Bacia hidrográfica: é o conjunto de terras (área) drenadas
por um rio principal e seus afluentes.
• Regime: equivale às variações verificadas entre as cheias e
vazantes. Diversos elementos influem sobre essas variações:
clima, relevo, natureza do solo.
• Rede hidrográfica: é o padrão inter-relacionado de
drenagem formado por um conjunto de rios.
• Foz: é a desembocadura ou “final” do rio, que pode ser no
oceano, outro rio ou em um lago. A foz pode ser do tipo
delta e estuário.
Bacias hidrográficas
• O Brasil apresenta grande
quantidade de rios, reunidos
em conjuntos conhecidos
como bacias hidrográficas.
• As bacias são divididas em
dois tipos: as principais e as
secundárias.
• Entre as principais bacias
destacamos: Amazônica,
Tocantins-Araguaia, São
Francisco e Platina.
Bacia amazônica
• Maior bacia hidrográfica do
mundo.
• Drena algo em torno da
metade do território do
Brasil.
• Maior potencial
hidráulico/hidroelétrico.
• Principal rio é o Amazonas.
Inúmeros problemas e desastres para a construção de
usinas hidroelétricas na área.Destaque: Balbina.
Curiosidades
• O rio Amazonas é considerado o maior rio do planeta tanto
em extensão como em volume de água.Em sua porção mais
estreita (Óbidos), apresenta 1.800 metros.
• Tipicamente de planície.
• Apresenta um regime complexo com águas provenientes
dos dois hemisférios e uma pequena parcela do degelo dos
Andes.
• Apresenta foz mista.
O rio Amazonas apresenta fenômenos notáveis como
terras caídas ( desmoronamento das margens devido a
pequena resistência das margens) e pororoca (ocorre na
foz, quando a maré alta se encontra com a água do rio.
Bacia do Tocantins-Araguaia
• Maior bacia totalmente
brasileira.
• Presença da maior usina
totalmente brasileira:
Tucuruí, no rio Tocantins.
• Possibilidade de navegação
ampliada com algumas
obras de engenharia.
A usina de Tucuruí, foi construída com o objetivo de
fornecer energia para os grande projetos de exploração da
região norte. Sofre com o processo de apodrecimento da
floresta no fundo do lago.
Bacia do São Francisco
• Principal rio: São Francisco.
• Bacia tipicamente de
planalto.
• Trata-se de uma bacia
totalmente brasileira.
• Navegável de Pirapora até
Juazeiro.
• Apresenta afluentes
intermitentes.
Principais hidrelétricas: Três Marias, Sobradinho e Paulo
Afonso.
Apelidos do São Francisco
• Nilo brasileiro: comparação exagerada com o Nilo
africano. Os dois apresentam curso sul-norte, cabeceiras em
áreas úmidas e atravessam áreas de déficit hídrico.
• Rio dos currais: em virtude do transporte e criação de
gado nas margens desde o período colonial.
• Rio da Unidade Nacional: em função de unir a região
Sudeste e Nordeste.
A questão da transposição
• Não é uma idéia nova: a primeira vez que tal proposta foi
levantada foi durante o governo de D. Pedro II.
• Trata-se do bombeamento de água do rio em duas áreas de
captação. Com o objetivo de tornar perene alguns rios
temporários e aumentar a oferta de água em alguns
reservatórios para atender áreas críticas.
• Grande discussão em relação ao real benefício da obra.
• Existência de propostas alternativas.
Bacia Platina
• Trata-se da Bacia mais
importante do ponto de
vista da atividade
econômica.
• Formada por três bacias
menores: Uruguai,
Paraguai e Paraná.
• O rio Paraná apresenta
4200 km de extensão.
Bacia do Paraná
• Bacia tipicamente de
planalto.
• Maior bacia em potencial
hidroelétrico instalado.
• Sem espaço para grandes
intervenções.
• Questão da usina de Itaipu.
Grande potencial perdido em relação ao transporte
hidroviário, em função da construção de usinas sem
eclusas.
Bacia do Paraguai
• Tipicamente de planície.
• Corta a área do pantanal.
• Utilizada para a navegação:
destaque para o escoamento
da produção de grãos de
parte do Centro-Oeste.
• Problema grave de
assoreamento.
Grande problema ambiental para o pantanal, ligado ao
projeto de aprofundamento da calha do rio Paraguai.
Bacia do Uruguai
• Apresenta como rio
principal o rio Uruguai.
• Rio Uruguai formado da
junção do rio Pelotas e
Canoas.
• Potencial limitado tanto
para a geração de energia
como para a navegação.
• O rio Uruguai apresenta
1400 Km de extensão.
Principais formações lacustres
• As principais formações
lacustres são encontradas
no Rio Grande do Sul.
• Destaque para a Lagoa dos
Patos, Lagoa Mirim e
Lagoa Mangueira.
• Formações ligadas as
restingas.
Restingas são extensos cordões de sedimentos arenosos,
depositados paralelamente a linha da costa por ação das
correntes marinhas.
bacias-hidrograficas-brasileiras.ppt

Weitere ähnliche Inhalte

Ähnlich wie bacias-hidrograficas-brasileiras.ppt

2 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 2013
2 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 20132 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 2013
2 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 2013Priscila Martins
 
Recursos hídricos2
Recursos hídricos2Recursos hídricos2
Recursos hídricos2manjosp
 
Bacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileirasBacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileirasCarlão Otavio
 
3 bacias hidrograficas-brasileiras
3 bacias hidrograficas-brasileiras3 bacias hidrograficas-brasileiras
3 bacias hidrograficas-brasileirasLucas Cechinel
 
Hidrografia geral e do Brasileira
Hidrografia geral e do Brasileira Hidrografia geral e do Brasileira
Hidrografia geral e do Brasileira Artur Lara
 
Hidografia geral e do brasil
Hidografia geral e do brasilHidografia geral e do brasil
Hidografia geral e do brasilgeochp
 
Disponibilidades Hídricas
Disponibilidades HídricasDisponibilidades Hídricas
Disponibilidades Hídricasacbaptista
 
Dinamica hidrografica
Dinamica hidrograficaDinamica hidrografica
Dinamica hidrograficaDébora Sales
 
recursosmaritimos_2.doc
recursosmaritimos_2.docrecursosmaritimos_2.doc
recursosmaritimos_2.docAida Cunha
 
BACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remoto
BACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remotoBACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remoto
BACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remotosw4kfysgx7
 
Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]
Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]
Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]Marco Aurélio Gondim
 

Ähnlich wie bacias-hidrograficas-brasileiras.ppt (20)

2 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 2013
2 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 20132 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 2013
2 ano medio 2 bimestre modulo 38 a 40 2013
 
Hidrografia.ppt
Hidrografia.pptHidrografia.ppt
Hidrografia.ppt
 
Hidrografia no brasil
Hidrografia no brasilHidrografia no brasil
Hidrografia no brasil
 
Bacias Hidrográficas
Bacias HidrográficasBacias Hidrográficas
Bacias Hidrográficas
 
Recursos hídricos2
Recursos hídricos2Recursos hídricos2
Recursos hídricos2
 
Bacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileirasBacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileiras
 
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
3 bacias hidrograficas-brasileiras
3 bacias hidrograficas-brasileiras3 bacias hidrograficas-brasileiras
3 bacias hidrograficas-brasileiras
 
Hidrografia geral e do Brasileira
Hidrografia geral e do Brasileira Hidrografia geral e do Brasileira
Hidrografia geral e do Brasileira
 
Hidografia geral e do brasil
Hidografia geral e do brasilHidografia geral e do brasil
Hidografia geral e do brasil
 
Disponibilidades Hídricas
Disponibilidades HídricasDisponibilidades Hídricas
Disponibilidades Hídricas
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
Cpm geo - bacias hidrográficas 00
Cpm   geo - bacias hidrográficas 00Cpm   geo - bacias hidrográficas 00
Cpm geo - bacias hidrográficas 00
 
A rede hidrográfica
A rede hidrográficaA rede hidrográfica
A rede hidrográfica
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
Dinamica hidrografica
Dinamica hidrograficaDinamica hidrografica
Dinamica hidrografica
 
recursosmaritimos_2.doc
recursosmaritimos_2.docrecursosmaritimos_2.doc
recursosmaritimos_2.doc
 
BACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remoto
BACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remotoBACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remoto
BACIAS HIDROGRÁFICAS - Geografia 2 - Ensino remoto
 
Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]
Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]
Geografia do Brasil - Hidrografia - [www.gondim.net]
 

Kürzlich hochgeladen

Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBAline Santana
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.keislayyovera123
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 

Kürzlich hochgeladen (20)

Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 

bacias-hidrograficas-brasileiras.ppt

  • 2. Características da hidrografia brasileira • Riqueza em rios e pobreza em formações lacustres. • Todos rios direta ou indiretamente são tributários do Oceano Atlântico. • Predomínio de foz em estuário. • Domínio de rios de planalto. • Regime pluvial tropical austral • Rios de drenagem exorréica e perenes. Destaque para três divisores de água: Cordilheira dos Andes, planalto das Guianas e formações planálticas no Brasil
  • 3. Pequeno dicionário do aluno perdido • Divisores de água: são elementos geográficos que distinguem duas ou mais bacias hidrográficas. • Bacia hidrográfica: é o conjunto de terras (área) drenadas por um rio principal e seus afluentes. • Regime: equivale às variações verificadas entre as cheias e vazantes. Diversos elementos influem sobre essas variações: clima, relevo, natureza do solo. • Rede hidrográfica: é o padrão inter-relacionado de drenagem formado por um conjunto de rios. • Foz: é a desembocadura ou “final” do rio, que pode ser no oceano, outro rio ou em um lago. A foz pode ser do tipo delta e estuário.
  • 4.
  • 5.
  • 6. Bacias hidrográficas • O Brasil apresenta grande quantidade de rios, reunidos em conjuntos conhecidos como bacias hidrográficas. • As bacias são divididas em dois tipos: as principais e as secundárias. • Entre as principais bacias destacamos: Amazônica, Tocantins-Araguaia, São Francisco e Platina.
  • 7. Bacia amazônica • Maior bacia hidrográfica do mundo. • Drena algo em torno da metade do território do Brasil. • Maior potencial hidráulico/hidroelétrico. • Principal rio é o Amazonas. Inúmeros problemas e desastres para a construção de usinas hidroelétricas na área.Destaque: Balbina.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11. Curiosidades • O rio Amazonas é considerado o maior rio do planeta tanto em extensão como em volume de água.Em sua porção mais estreita (Óbidos), apresenta 1.800 metros. • Tipicamente de planície. • Apresenta um regime complexo com águas provenientes dos dois hemisférios e uma pequena parcela do degelo dos Andes. • Apresenta foz mista. O rio Amazonas apresenta fenômenos notáveis como terras caídas ( desmoronamento das margens devido a pequena resistência das margens) e pororoca (ocorre na foz, quando a maré alta se encontra com a água do rio.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15. Bacia do Tocantins-Araguaia • Maior bacia totalmente brasileira. • Presença da maior usina totalmente brasileira: Tucuruí, no rio Tocantins. • Possibilidade de navegação ampliada com algumas obras de engenharia. A usina de Tucuruí, foi construída com o objetivo de fornecer energia para os grande projetos de exploração da região norte. Sofre com o processo de apodrecimento da floresta no fundo do lago.
  • 16.
  • 17.
  • 18. Bacia do São Francisco • Principal rio: São Francisco. • Bacia tipicamente de planalto. • Trata-se de uma bacia totalmente brasileira. • Navegável de Pirapora até Juazeiro. • Apresenta afluentes intermitentes. Principais hidrelétricas: Três Marias, Sobradinho e Paulo Afonso.
  • 19. Apelidos do São Francisco • Nilo brasileiro: comparação exagerada com o Nilo africano. Os dois apresentam curso sul-norte, cabeceiras em áreas úmidas e atravessam áreas de déficit hídrico. • Rio dos currais: em virtude do transporte e criação de gado nas margens desde o período colonial. • Rio da Unidade Nacional: em função de unir a região Sudeste e Nordeste.
  • 20.
  • 21.
  • 22. A questão da transposição • Não é uma idéia nova: a primeira vez que tal proposta foi levantada foi durante o governo de D. Pedro II. • Trata-se do bombeamento de água do rio em duas áreas de captação. Com o objetivo de tornar perene alguns rios temporários e aumentar a oferta de água em alguns reservatórios para atender áreas críticas. • Grande discussão em relação ao real benefício da obra. • Existência de propostas alternativas.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27. Bacia Platina • Trata-se da Bacia mais importante do ponto de vista da atividade econômica. • Formada por três bacias menores: Uruguai, Paraguai e Paraná. • O rio Paraná apresenta 4200 km de extensão.
  • 28. Bacia do Paraná • Bacia tipicamente de planalto. • Maior bacia em potencial hidroelétrico instalado. • Sem espaço para grandes intervenções. • Questão da usina de Itaipu. Grande potencial perdido em relação ao transporte hidroviário, em função da construção de usinas sem eclusas.
  • 29.
  • 30.
  • 31. Bacia do Paraguai • Tipicamente de planície. • Corta a área do pantanal. • Utilizada para a navegação: destaque para o escoamento da produção de grãos de parte do Centro-Oeste. • Problema grave de assoreamento. Grande problema ambiental para o pantanal, ligado ao projeto de aprofundamento da calha do rio Paraguai.
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 35.
  • 36.
  • 37. Bacia do Uruguai • Apresenta como rio principal o rio Uruguai. • Rio Uruguai formado da junção do rio Pelotas e Canoas. • Potencial limitado tanto para a geração de energia como para a navegação. • O rio Uruguai apresenta 1400 Km de extensão.
  • 38. Principais formações lacustres • As principais formações lacustres são encontradas no Rio Grande do Sul. • Destaque para a Lagoa dos Patos, Lagoa Mirim e Lagoa Mangueira. • Formações ligadas as restingas. Restingas são extensos cordões de sedimentos arenosos, depositados paralelamente a linha da costa por ação das correntes marinhas.