Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Die SlideShare-Präsentation wird heruntergeladen. ×
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Nächste SlideShare
Resumo Malária
Resumo Malária
Wird geladen in …3
×

Hier ansehen

1 von 38 Anzeige

Weitere Verwandte Inhalte

Andere mochten auch (20)

Anzeige

Ähnlich wie Malária (20)

Malária

  1. 1. Plasmodium sp. Malária
  2. 2. Malária ou Paludismo: Doença tropical e parasitária que mais causa problemas sociais e econômicos no mundo. É causada por parasitas do gênero Plasmodium, transmitida pela picada do mosquito do gênero Anopheles infectado. Relatos datados de 1700 a.C. na China e 1570 a.C. no Egito  “febre do Nilo” Descoberta em 1890 por Charles Louis Laveram
  3. 3. Epidemiologia Figura 1. Distribuição geográfica da Malária pelo mundo de acordo com o CDC
  4. 4. Epidemiologia • No Brasil, ocorrem anualmente 300 a 500 mil casos por ano • P. vivax é a espécie prevalente no Brasil (aproximadamente 80% dos casos) • A grande maioria dos casos ocorre na Amazônia (>99%) • Estados com maior número de casos de malária: Pará e Amazonas.
  5. 5. Epidemiologia da malária no Brasil Com relação aos elos humanos: - Não são todos os pacientes da Malária que apresentam gametócitos circulantes e nem toda fase da doença, -Numa população com imunidade natural ou imunidade adquirida ativa ou passivamente – variações anuais irregulares, porém endêmicas, -Numa população sem qualquer tipo de imunidade, quando introduzido um gametóforo e existindo o Anopheles poderá haver uma epidemia, -Transmissão doméstica – pode ocorrer fora da habitação – repouso noturno – maioria das infecções.
  6. 6. Com relação ao mosquito: -Não são todas as espécies de Anopheles que são boas transmissoras, - distribuição geográfica do plasmódio está ligada a presença do vetor, depende da geografia do ambiente, tipo de terreno, vegetação, temperatura, umidade do ar. -Com relação ao homem suscetível: -Raças negras – mais R – sem grupos determinantes do grupo sanguíneo Duffy – R a penetração do merozoito. -Malformações hemoglobínicas – mais R – Anemia falciforme e Talassemia :
  7. 7. Agentes etiológicos: Reino: Protista Filo: Apicomplexa Gênero: Plasmodium Plasmodium vivax (1890) –terçã benigna Plasmodium falciparum (1897) -terçã maligna Plasmodium malariae (1881) –quartã benigna Plasmodium ovale (1922) –terçã benigna
  8. 8. Malária  Plasmodium vivax  agente da febre terçã benigna com ciclo febril que retorna a cada 48 horas.  Plasmodium falciparum  agente da febre terçã maligna com acessos febris que se repetem clinicamente com intervalos de 36 a 48 horas.  Plasmodium malariae  causa da febre quartã, que se caracteriza pela ocorrência de acessos febris a cada 72 horas.
  9. 9. Vetor Mosquitos fêmea do gênero Anopheles conhecidos também como mosquito prego ou carapanã Reservatório Humanos portadores de gametócitos Fêmea de Anopheles darlingi
  10. 10. Biologia do parasita No hospedeiro vertebrado: • Esporozoíta • Trofozoíta • Esquizonte • Merozoíta • Gametócitos – Microgametócito – Macrogametócito No hospedeiro invertebrado: • Microgameta/ macrogameta • Zigoto * • Oocineto * • Oocisto * • Esporozoíta • Formas evolutivas * Estágios diplóides
  11. 11. Plasmodium falciparum Plasmodium Trofozoita jovem Trofozoita maduro Esquizonte Rosácea Gametócitos Morfologia
  12. 12. Formas sangüíneas dentro das hemácias
  13. 13. Plasmodium vivax • Parasita principalmente os reticulócitos  hemácias jovens • O número de merozoítos por esquizonte varia de 14- 24. • Formas encontradas no sangue: – Merozoítas – Trofozoítas – Pré esquizontes – Esquizontes – Gametócitos
  14. 14. Plasmodium falciparum • Parasita hemácias jovens e maduras • Cada ciclo esquizogônico pode ser originados até 36 merozoítas • Formas aderidas nos vasos sanguíneos: – Esquizontes – Merozoítas – Gametócitos • Formas encontradas no sangue: – Trofozoítas – Esquizontes (formas graves)
  15. 15. Plasmodium falciparum • Na malária causada pelo P. falciparum é que ocorrem os casos mais graves, muitos deles requerendo internação e com evolução, às vezes fatal. – hipoglicemia, – convulsões, – náuseas, – vômitos repetidos, – febre muito alta, – Icterícia – e distúrbios passageiros da conciência.
  16. 16. Plasmodium malariae • Os merozoítas parasita hemácias maduras • Os esquizontes originam de seis a 12 merozoítas cada ciclo • Formas encontradas no sangue: – Merozoítas – Trofozoítas – Pré esquizontes – Esquizontes – Gametócitos
  17. 17. Plasmodium ovale • Os merozoítas parasita hemácias jovens • Os esquizontes originam de seis a 12 merozoítas cada ciclo • Formas encontradas no sangue: – Merozoítas – Trofozoítas – Pré esquizontes – Esquizontes – Gametócitos
  18. 18. Ciclo da malária • São parasitas obrigatoriamente intracelular • Capacidade e invadir e reproduzir –se assexuadamente em células humanas, como hepatócitos e eritrócitos • E sexuadamente no vetor
  19. 19. Ciclo da malária
  20. 20. Transmissão • Vetorial - Picada pelo mosquito Anopheles  pernilongo, mosquito prego • Congênita • Transfusional • Transplante de órgãos
  21. 21. Período de Incubação • P. falciparum – 12 dias • P. vivax – 14 dias • P. ovale – 14 dias • P. malariae – 30 dias
  22. 22. FATORES ADQUIRIDOS DO HOSPEDEIRO • Idade • Até 1 ano de idade - em geral são Resistentes (Ac maternos, dieta láctea, Hemoglobina fetal, menor exposição) – Crianças 1 a 3 anos – mais susceptíveis ( SI não suficientemente desenvolvido) > parasitemia e sintomatologia > mortalidade – A partir de 5 a 8 anos – R + eficiente – sintomas + discretos – Adultos não imunes: + idade, + risco • Gravidez – imunossupressão – 2º grupo de risco
  23. 23. Sintomatologia • Período de incubação -7 a 21 dias • Carga parasitária x espécie de parasita • Esquizogonias sanguíneas – destruição das hemácias e liberação do pigmento malárico Hemozoína (depósito baço, fígado, cérebro, medula óssea) • Acesso malárico (paroxismo) 1) calafrios e tremores, temperatura em elevação 2) febre alta, sensação de calor e cefaléia intensa 3) queda da temperatura, sudorese
  24. 24. Patogenia e Sintomatologia • Os acessos maláricos se repetem com intervalos diferentes, de acordo com a espécie do plasmódio: – P. falciparum - com intervalos de 36 a 48 horas (terçã maligna) – P. vivax - acessos em dias alternados, 48 em 48 horas (terçã benigna); – P. malariae - os acessos se repetem a cada 72 horas (febre quartã);
  25. 25. Patogenia e Sintomatologia • Malária grave por P. falciparum ocorre em adultos não imunes, crianças e gestantes • Sequestro dos eritrócitos parasitados: adesão ao endotélio vascular (citoaderência) • Formação de rosetas: eritrócitos infectados c/ eritrócitos não infectados • Hiper-parasitemia: (>2-5% das hemácias parasitadas, + ++ ou presença de esquizontes) • Malária cerebral, insuficiência renal, edema pulmonar agudo, anemia grave, icterícia acentuada, hipertermia, vômitos
  26. 26. Patogenia e Sintomatologia Recaídas – alguns anos depois Ocorre nas infecções por P. vivax e P. ovale  formas hipnozoítas no fígado (permanecem em estado de latência por períodos que variam de 1 mês a 1-2 anos) Recrudescências- (cura clínica aparente) - 1 a 2 meses Parasitemia reaparece (acompanhada de sintomatologia), após um período de “cura aparente”  resposta inadequada ao tratamento (sobrevivência de formas eritrocíticas em nível muito baixo), P. falciparum
  27. 27. Patogenia • Dependente da carga parasitária e espécie de parasita • Anemia – destruição das hemácias parasitadas, após a esquizogonia, destruição de hemácias parsitadas no Baço, destruição de hemácias sadias no Baço – auto- Ac) • Alteração da permeabilidade vascular • Marginação eritrocitária • Imunocomplexos- deposição nos capilares do cérebro, pulmão, rins...processos inflamatórios letais • Lesão renal – Sindrome Nefrótica - Ag do parasito – membrana dos glomérulos • Coma
  28. 28. CRITÉRIOS DE DOENÇA GRAVE - Alteração do nível de consciência - Insuficiência renal - Anemia grave - Disfunção hepática - Distúrbios da coagulação - Dificuldade respiratória - Alterações metabólicas ou desequilíbrio Hidro- eletrolítico - Choque ou colapso circulatório - Hiperparasitemia
  29. 29. • Diagnóstico Clínico – Anamnese – Sinais e sintomas (presuntivo) • Diagnóstico Laboratorial – Esfregaço delgado e gota espessa
  30. 30. Diagnóstico Laboratorial Gametócitos Trofozoítas e Esquizontes
  31. 31. Plasmodium falciparum Trofozoíto jovem Trofozoíto e Esquizonte (raro)
  32. 32. Plasmodium falciparum Esquizonte com merozoítos Gametócitos
  33. 33. Plasmodium vivax Gametócito Esquizonte com merozoítos
  34. 34. Plasmodium sp.
  35. 35. Profilaxia e Controle • Detecção e tratamento precoce dos infectados • Medidas de proteção individual e coletiva • Telagem de janelas e portas • Inseticidas de ação residual • Impregnação de mosquiteiros com inseticida • Desenvolvimento de novos fármacos • Treinamento de Recursos Humanos • Estruturação do sistema de saúde • Desenvolvimento de Vacina
  36. 36. Tratamento Fármacos antimaláricos utilizados na clínica: • Quinina  Age sobre os trofozoítos, esquizontes e merozoítos • Cloroquina  Age sobre as formas sanguíneas exceto gametócitos de P. falciparum • Quinidina  Age sobre os esquizontes hepáticos e sobre os gametócitos • Primaquina  Age sobre formas hepáticas e sanguíneas • Mefloquina  Usado na profilaxia • Artemesinina

×