O TEATRO COMO FERRAMENTA DE
EDUCAÇÃO EMSAÚDE NA
DISCUSSÃO DO PARTO HUMANIZADO
AUTORES: RAIANNY QUEIROZ,
EDUARDO LUZ, ANDRÉ...
Introdução
Educação
Popular
Teatro
Do Oprimido
PNH
O parto: fisiologicamente
patológico
 “Coisa de mulher” até o século
XVII
 Obstetrícia – ciência sob a ótica
masculina
...
Violência obstétrica
Violência obstétrica
Violência obstétrica
Princípios da Política Nacional de
Atenção Obstétrica e Neonatal
• Atendimento digno no decorrer da
gestação, parto e puer...
Peça: Parto Humanizado
Objetivos: 
A peça “Parto Humanizado”
visa debater as questões
referentes ao parto:
preocupações da...
Peça: Parto Humanizado
Relato de Experiência:
 
A peça é apresentada com uma
linguagem acessível com duração
de aproximada...
Fragmentos da peça
Che g ada ao Ho spital
Público
•De scaso po r parte da
re ce pção
•Pacie nte de sco nhe ce
hie rarq uia...
Fragmentos da peça
“Me se s de po is. .. Ele s
vo ltam !”
•Trabalho de parto
•Pré -natalde spre z ado
Mé dico e m dúvida q...
Fragmentos da peça
Te ntativa m alsuce dida de
co nse ntim e nto ao parto
ce sáre o se transfo rm a e m
vio lê ncia o bsté...
Resultados
As apresentações foram realizadas no período de
Maio a Novembro de 2011 com um público total de
400 pessoas ent...
Conclusão
O esclarecimento das dúvidas e o
empoderamento conferido às gestantes
nos debates realizados após a peça
reforça...
Conclusão
A experiência da educação popular
através do lúdico tem permitido o
diálogo com a comunidade,
possibilitando per...
Nós apoiamos!
Contato: acordesuft@gmail.com
Obrigada!
Parto humanizado
Nächste SlideShare
Wird geladen in …5
×

Parto humanizado

945 Aufrufe

Veröffentlicht am

  • Als Erste(r) kommentieren

Parto humanizado

  1. 1. O TEATRO COMO FERRAMENTA DE EDUCAÇÃO EMSAÚDE NA DISCUSSÃO DO PARTO HUMANIZADO AUTORES: RAIANNY QUEIROZ, EDUARDO LUZ, ANDRÉA RIVELO, DANIELLE UMBELINA, JULIANE FERREIRA, PROF. FLÁVIO DIAS (MEDICINA) Relato de Experiência2013
  2. 2. Introdução Educação Popular Teatro Do Oprimido PNH
  3. 3. O parto: fisiologicamente patológico  “Coisa de mulher” até o século XVII  Obstetrícia – ciência sob a ótica masculina  Exclusão da mulher  Transformação uma atividade inerentemente feminina, natural e fisiológica em um procedimento médico, androcêntrico e tecnocrático  Agressão obstétrica
  4. 4. Violência obstétrica
  5. 5. Violência obstétrica
  6. 6. Violência obstétrica
  7. 7. Princípios da Política Nacional de Atenção Obstétrica e Neonatal • Atendimento digno no decorrer da gestação, parto e puerpério • Assistência ao parto e ao puerpério de forma humanizada e segura • Acompanhante durante o trabalho de parto
  8. 8. Peça: Parto Humanizado Objetivos:  A peça “Parto Humanizado” visa debater as questões referentes ao parto: preocupações da gestante, temores do profissional e a dificuldade de se estabelecer uma boa relação médico- paciente em situações de conflito de opiniões.
  9. 9. Peça: Parto Humanizado Relato de Experiência:   A peça é apresentada com uma linguagem acessível com duração de aproximadamente 10 minutos e se encerra questionando ao público o que fazer perante o dilema do médico quanto ao direito de escolha da paciente, iniciando o debate mediado por um profissional convidado e especialista na área de Obstetrícia.
  10. 10. Fragmentos da peça Che g ada ao Ho spital Público •De scaso po r parte da re ce pção •Pacie nte de sco nhe ce hie rarq uia do siste m a Falta de diálo g o e ntre ate nde nte e aco m panhante pio ra a situação
  11. 11. Fragmentos da peça “Me se s de po is. .. Ele s vo ltam !” •Trabalho de parto •Pré -natalde spre z ado Mé dico e m dúvida q uanto a co m o pro ce de r po r falta de info rm açõ e s so bre o e stado de saúde da pacie nte e
  12. 12. Fragmentos da peça Te ntativa m alsuce dida de co nse ntim e nto ao parto ce sáre o se transfo rm a e m vio lê ncia o bsté trica – aco m panhante e xcluído do pro ce sso “E e ntão o q ue é q ue vam o s faz e r? Ce sáre o o u no rm al: é pre ciso e sco lhe r! E a q ue stão da e ntrada do aco m panhante Se se rá pe rm itido isso é
  13. 13. Resultados As apresentações foram realizadas no período de Maio a Novembro de 2011 com um público total de 400 pessoas entre gestantes, médicos, estudantes e público em geral. Todas as apresentações foram bem recebidas e as discussões foram bastante enriquecedoras. Nos grupos de apoio à gestante os debates mobilizavam a maioria das presentes a relatarem experiências pessoais quanto ao momento do parto bem como as dificuldades mais frequentes. O aprofundamento do conhecimento sobre o assunto tornava mais sólido o vínculo das gestantes com o serviço de saúde, pré-natal e
  14. 14. Conclusão O esclarecimento das dúvidas e o empoderamento conferido às gestantes nos debates realizados após a peça reforçaram o valor da interação universidade-comunidade, reafirmando o entendimento de que as ações em saúde tornam-se eficazes à medida que o conhecimento científico adequa-se às reais necessidades da população...
  15. 15. Conclusão A experiência da educação popular através do lúdico tem permitido o diálogo com a comunidade, possibilitando percebermos uma visão holística do ser humano e desenvolver a promoção da saúde da população de maneira inovadora e eficaz.
  16. 16. Nós apoiamos!
  17. 17. Contato: acordesuft@gmail.com Obrigada!

×