Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Como é a entrevista clínica de crianças de 0 a 1 ano em neurociências?

Apresentação de vídeo aula de Dr. Hewdy Lobo sobre como é a entrevista clínica de crianças de 0 a 1 ano em neurociências.

  • Als Erste(r) kommentieren

Como é a entrevista clínica de crianças de 0 a 1 ano em neurociências?

  1. 1. Como é a entrevista clínica de crianças de 0 a 1 ano em neurociências? Hewdy Lobo Ribeiro Médico Psiquiatra da Infância e Adolescência CREMESP 114681
  2. 2. Entrevista clínica na infância • Identificar fatores de risco e fatores de proteção associados ao neurodesenvolvimento e suas consequências • Criar hipóteses sobre como os sintomas se organizam em um diagnóstico • Principais fatores etiológicos associados a um neurodesenvolvimento atípico • Prognóstico provável do quadro e tratamentos recomendados
  3. 3. Entrevista clínica na infância • Problemas relacionados: • Desenvolvimento imaturo (neurológico, físico, social, cognitivo, linguagem/comunicação, relacionamentos/apego) • Alteração do desenvolvimento motor • Atrasos no desenvolvimento sensório-motor • Impulsividade • Problemas para sustentar a atenção/distraibilidade • Prejuízos da percepção • Problemas específicos da aprendizagem • Desregulação emocional/de humor • Alterações da linguagem/comunicação • Prejuízos de autorregulação (funções executivas)
  4. 4. Nascimento • Capacidade visual: piscar em resposta à luz. • Capacidade motora: reflexo de sucção; reflexo de preensão; reflexo de Moro; deglutição; • Funções sociais básicas: conforto com a voz humana; sorriso por reflexo; • Linguagem: os sons indicadores de fome e desconforto; tipos de choro diferentes no fim do primeiro mês; sons do “tipo fala” durante a amamentação.
  5. 5. 6 semanas • Capacidade visual: segue objetos; • Capacidade motora: estica e vira o pescoço quando de bruços; • Funções sociais básicas: contato visual com a mãe; sorriso espontâneo; responde à voz humana e ao ser segurado para se acalmar; sorri a brincadeiras; • Linguagem: emite arrulhos e sons prazerosos; chora para ser atendido.
  6. 6. De 2 a 4 meses • Capacidade visual: acompanha com os olhos objetos colocados em seu campo visual; pode responder ao som; • Capacidade motora: muda a preensão e a sucção voluntariamente; sustenta a cabeça acima da horizontal por mais tempo • Funções sociais básicas: diferencia algumas pessoas; reconhece a mãe; apresenta sorriso social seletivo; apresenta atenção seletiva direcionada a faces; prefere faces felizes em detrimento de faces com expressão de raiva; sorri para outros bebês; • Linguagem: orienta a cabeça pelo som de vozes; vocaliza em resposta à fala de outras pessoas; balbucia/produz sons espontaneamente; varia a tonalidade dos sons emitidos; imita tons.
  7. 7. 6 meses • Capacidade motora: segura os objetos com as duas mãos; coloca o peso nos antebraços ou mãos quando de bruços; rola para ficar de bruços; suporta quase todo peso nas pernas por períodos bem curtos; senta-se brevemente; • Funções sociais básicas: ri alto; transmite prazer e desprazer na prosódia; ri para seu reflexo no espelho; • Linguagem: apresenta ecolalia-imitação dos sons emitidos por outras pessoas; imita prosódia (muito antes de articular segmentos da fala).
  8. 8. 9 meses • Capacidade motora: senta-se bem e coloca-se na posição de sentar; pega com movimento de pinça; engatinha; • Funções sociais básicas: acena dando “tchau”; realiza gestos sociais • Linguagem: apresenta padrões de entonação diferentes.
  9. 9. 1 ano • Capacidade motora: consegue jogar objetos; anda com apenas uma mão apoiada; apresenta resposta flexora do reflexo plantar (ocorre em 50% das crianças); • Funções sociais básicas: pode beijar quando requisitado • Linguagem: sentenças – o progressivo e longo processo de aprendizagem do significado dos sons da fala permite o entendimento e a geração de palavras e frases com significado; apresenta vocabulário com 5 a 10 palavras, que deve dobrar nos seis meses seguintes.
  10. 10. Referência • PAULA JJ, COSTA DS. A entrevista clínica em neuropsicologia. MALLOY-DINIZ LF, MATTOS P, ABREU,N, FUENTES, D. Neuropsicologia: Aplicações Clínicas. ArtMed, 2016.
  11. 11. Pós-graduação • Profissionais que buscam níveis melhores de trabalho, reconhecimento e remuneração • Incomodado, inseguro e insatisfeito • Curso de investimento justo, professores do mercado e conhecimentos práticos • Matrícula na nossa pós-graduação • Neurociências na Infância e Adolescência
  12. 12. Contatos Hewdy Lobo lobo@vidamental.com.br (11) 9 9622-8835 Pós-Graduação Vida Mental cursos@vidamental.com.br (11) 99901-6189 Universidade Paulista-UNIP (11) 2166-1066 / 0800-010-9000
  13. 13. Muito obrigado! Hewdy Lobo Ribeiro lobo@vidamental.com.br 11 99622 8835

×