Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Die SlideShare-Präsentation wird heruntergeladen. ×
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
UNIVERSIDADE DE UBERABA
      MARIA DA CONCEIÇÃO ALVES VERSIANI CUNHA




RELATÓRIO GERAL ESTÁGIO SUPERVISIONADO: GESTÃO
 ...
UNIVERSIDADE DE UBERABA
      MARIA DA CONCEIÇÃO ALVES VERSIANI CUNHA


                               Preceptora xxxxxxxx...
“Nenhuma escola pode ser melhor

    do que as pessoas que nela atuam e do que

a competência que põem a serviço da educaç...
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Wird geladen in …3
×

Hier ansehen

1 von 23 Anzeige
Anzeige

Weitere Verwandte Inhalte

Diashows für Sie (20)

Anzeige

Ähnlich wie Relatório estágio (20)

Aktuellste (20)

Anzeige

Relatório estágio

  1. 1. UNIVERSIDADE DE UBERABA MARIA DA CONCEIÇÃO ALVES VERSIANI CUNHA RELATÓRIO GERAL ESTÁGIO SUPERVISIONADO: GESTÃO ESCOLAR BELO HORIZONTE 2012
  2. 2. UNIVERSIDADE DE UBERABA MARIA DA CONCEIÇÃO ALVES VERSIANI CUNHA Preceptora xxxxxxxxxxxx Turma 607. Etapa VII. Polo Belo Horizonte RELATÓRIO GERAL ESTÁGIO SUPERVISIONADO: GESTÃO ESCOLAR Relatório do Estágio em Gestão Escolar trabalho elaborado como pré-requisito para aprovação no curso de licenciatura em Pedagogia - Uniube, 2012, Belo Horizonte. BELO HORIZONTE 2012
  3. 3. “Nenhuma escola pode ser melhor do que as pessoas que nela atuam e do que a competência que põem a serviço da educação”. (Heloísa Luck. 2009)
  4. 4. SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO --------------------------------------------------------------------------------------04 2 DESENVOLVIMENTO ----------------------------------------------------------------------------05 2.1 Investigação e análise das diversas modalidades de gestão -------------05 2.2Identificação do espaço, atuação do gestor e suas respectivas atribuições na escola campo de estágio, por meio da observação ---------------------------07 2.3Observação e análises institucionais do PPP da escola campo; metodologias de trabalho; avaliação institucional ---------------------------------09 2.4 Análise da aplicabilidade do trabalho do gestor segundo o enfoque da Lei 9394/96 e das novas DCN.n°1/2006 --------------------------------------------------13 2.5Participação do estagiário em eventos -------------------------------------------16 3 CONCLUSÃO----------------------------------------------------------------------------------------19 4 REFERÊNCIAS -------------------------------------------------------------------------------------20 5 ANEXO ------------------------------------------------------------------------------------------------21
  5. 5. 4 1. INTRODUÇÃO Este relatório corresponde a mais um momento vivenciado durante o estágio. Agora, voltado às atividades de observação na gestão. De volta à escola campo, para realizar o estágio em gestão, Escola Municipal “Claudio Pinheiro de Lima”, localizada na Av. Prateado n° 02, Moeda - MG, mesma instituição de ensino onde iniciei todas as atividades propostas durante o estágio obrigatório, na Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental. Esta escola, conta com pessoas realmente envolvidas no processo de ensino: alunos, professores, supervisores, coordenadores e funcionários em geral, todos não têm medido esforços para que de fato a aprendizagem aconteça. Durante o estágio orientado, cujo objetivo é contribuir para o aperfeiçoamento acadêmico no curso de Pedagogia, ficou evidente para esta aluna o quanto é importante o contato direto com situações diárias da rotina escolar, para a área em que pretendo atuar. O estágio foi realizado seguindo um cronograma do curso: leitura minuciosa do manual do estagiário fornecido pela Universidade, fundamentação teórica, conhecimento da escola campo e os projetos desenvolvidos pela mesma; observação dos trabalhos da gestão, entrevista e, por fim a elaboração final deste relatório.
  6. 6. 5 2. Desenvolvimento 2.1 Investigação e análise das diversas modalidades de gestão De acordo com os estudos, através das apostilas do curso (Pedagogia) e segundo alguns estudiosos citados na mesma, gestão tem sido um assunto muito discutido atualmente. Existem diversos tipos de gestão ao longo da história das organizações. No entanto, não é objetivo deste relatório ser esclarecedor das diversas modalidades de gestão, nem mesmo aprofundar no assunto, e sim, enfatizar sobre a gestão exercida na escola campo, foco e objeto deste estudo. Para dar inicio a este relato, vamos considerar o que nos diz LUCK, (2009, p 22): Os gestores escolares, constituídos em uma equipe de gestão, são os profissionais responsáveis pela organização e orientação administrativa e pedagógica da escola, da qual resulta a formação da cultura e ambiente escolar, que devem ser mobilizadores e estimuladores do desenvolvimento, da construção do conhecimento e da aprendizagem orientada para a cidadania competente. Entendo as considerações da autora em relação à responsabilidade dos gestores escolares, enquanto equipe, deve proporcionar uma gestão de qualidade na escola. Para isso, necessita, além de outros fatores, uma pedagogia que mobilize e estimule a ampliação da aprendizagem, do conhecimento e do desenvolvimento da mesma. É no ambiente escolar que se da forma a cultura e o conhecimento, necessários não só para a escola como também para a vida cidadã. O modo como o aluno vê e sente a escola é a imagem que a mesma reflete na comunidade. Se a escola é boa ou ruim isso é percebido no interior da mesma pelos alunos e passado aos pais através de seus filhos. Uma escola vista só por dentro, é incapaz de perceber a relação entre o que faz e os resultados que alcança. Neste sentido, para garantir que o resultado da escola campo seja satisfatório, a gestão sempre procura mobilizar e fazer com que todos da comunidade escolar estejam envolvidos numa nova proposta, participando e visando
  7. 7. 6 medidas pedagógicas eficazes, tendo em vista a melhoria na qualidade da educação. Desta forma a escola expressa sua cultura através das relações estabelecidas, do compromisso e da capacitação de seus profissionais responsáveis pelo administrativo e o pedagógico. De seu ambiente ser favorável à aprendizagem, da qualidade dos seus espaços físicos e do seu mobiliário adequado, dos recursos financeiros, dos materiais mais importantes aos mais simples, disponíveis, para o uso do dia a dia escolar. No desenvolvimento de um bom trabalho com qualidade, também na busca de teorias adequadas às propostas educacionais como forma de inovação e abordagem dos seus trabalhos pedagógicos. Acredito que ao contrário da busca por diversas teorias e na tentativa de inovação, é de suma importância que primeiramente a escola não se desvie do seu contexto histórico, cultural e social e não se desvincule do seu referencial (leis educacionais). Foi possível perceber, estagiando na escola campo, que a gestão tem fortalecido a identidade da instituição através de um trabalho sério, dedicado e exercido com dinamismo e transparência. A supervisora/coordenadora “A” e a coordenadora escolar “C” (identificadas aqui pelas iniciais do nome), passa a segurança de que sabem o que fazem e são capacitadas para a função que exercem, trabalham na promoção de uma escola mais cidadã que cumpre seu real papel e função enquanto instituição e espaço do saber. Posso dizer ter visto na escola muito compromisso da equipe pedagógica, representada por duas profissionais responsáveis pela instituição: a coordenadora escolar “A” trabalha no período matutino também é supervisora da escola e de toda rede municipal de ensino; a coordenadora escolar “C” é responsável pelo turno vespertino e designada pela secretaria de educação como responsável nas atribuições especifica do diretor, mas o cargo atual é a coordenação escolar. Importante destacar que a escola campo prima pela parceria com as famílias, pois acredita que escola/ família deva caminhar junta.
  8. 8. 7 Uma escola que não conta com a participação de todos os envolvidos na educação, direta ou indiretamente, através de reuniões de pais, conselho de classe, reuniões pedagógicas e em tantos outros momentos oportunos como: dia de festa, de confraternização, dificilmente consegue aproximar a escola da família e da comunidade, pois uma escola não caminha sozinha, a participação de todos é essencial para garantir o bom desenvolvimento do processo de ensino- aprendizagem e do sucesso escolar na construção da escola que se quer. O bom relacionamento é um fator que interfere no desempenho de qualquer equipe e influencia nos resultados estabelecidos por ela. Por isso, é fundamental ter uma equipe coesa e bem liderada. Acredito ser a coesão da equipe, um dos grandes segredos dos gestores da escola campo para o alcance dos objetivos, onde os mesmos são traçados com qualidade e transparência. Para tanto, os gestores trabalham incansavelmente sempre na busca do desempenho satisfatório. É uma gestão aberta a opiniões e sugestões da comunidade. Há reconhecimento de que todos fazem parte deste processo. Portanto, a certeza, de que o sucesso de um é também de todos. 2.2 Identificação do espaço de atuação do gestor e suas respectivas atribuições na escola campo de estágio, por meio da observação Entende-se por um “bom gestor” aquele que não fica apenas sentado em seu gabinete, mas o que circula, aproveita todos os momentos educativos, como no recreio, nos corredores, na quadra, na sala de aula, nos passeios, acolhimento, saída, fila, entre outros. É fundamental para a organização da escola a presença do gestor circulando e atuando em todos os espaços da instituição. A grosso modo, “um bom gestor gasta muito a sola do sapato”. Na escola, os espaços de atuação do gestor são muitos e todos têm seu grau de importância. O bom gestor, no exercício de suas atribuições, precisa aproveitar e fazer com que cada espaço, momento, se transforme em oportunidade para educar. Observar de forma criteriosa, mediar, intervir no sentido da busca por manter a harmonia dentro da organização, estabelecendo o bem estar de todos, resguardando a integridade física da clientela.
  9. 9. 8 Sabemos que a cada situação que surge exige uma postura diferenciada na atuação do gestor para promoção da melhoria e qualidade do trabalho educativo dentro da escola. É a atitude desse gestor, através do dialogo, que muitas vezes contorna situações inesperadas, resolve conflitos e outros. Assim, o dirigente da escola aumenta a confiança e a satisfação de todos. Percebo na atuação da gestão da escola campo que há uma predominância do diálogo, amizade, compromisso com a educação e com o trabalho coletivo, envolvendo toda a equipe escolar. Ainda pensando nos espaços, todos os ambientes da escola merecem uma atenção especial do gestor e podem ser usados pelas turmas. O pátio e o refeitório, por exemplo, são espaços coletivos e devem ser levados em conta. Nenhum espaço pode ficar ocioso, as crianças podem estar usando-o o tempo todo, mas sempre com responsabilidade, mantendo esses espaços organizados e limpos para que outros colegas possam estar utilizando posteriormente. E isso, deve ser sempre informado de forma clara e transparente. Uma organização que aprende deve ser pautada nas ações coletivas. A escola é como toda e qualquer organização. Para ter sucesso e alcançar seus objetivos é de fundamental importância levar em consideração, que somos pessoas vindas de histórias e de áreas diferentes, portanto, somos pessoas que pensamos de maneiras diferentes e isso, resulta em conflitos e incertezas, mas tudo isso acontece porque todos possuem modelos mentais diferentes. É na participação e contribuição de cada um, na geração de ideias, que é estruturada a construção do todo. O sucesso da escola depende, não exclusivamente, dos fatores pedagógicos, administrativos e financeiros isolados, mas das relações humanas responsáveis pelo seu bom funcionamento. Os líderes da instituição, portanto, assumem papeis de fundamental importância na articulação e aprimoramento das relações, valorizando o conhecimento das pessoas, ganho através da experiência que cada um adquiriu ao longo de sua vida. Acredito ser por meio de ações transformadoras que muitas vezes acabamos nos transformando também e, que o conjunto e a parceria são muito importantes, pois, são do convívio que surgem novas ideias que são de extrema
  10. 10. 9 importância nas soluções para inovações e, consequentemente para o melhoramento da prática pedagógica na escola. 2.3 Observação e análises institucionais do PPP da escola campo; metodologias de trabalho; avaliação institucional. Escola Municipal “Cláudio Pinheiro de Lima”, instituição que atende a Educação Infantil, os anos iniciais do Ensino Fundamental I e o EJA (Educação de Jovens e Adultos). Atualmente atende a 330 alunos, tem 27 funcionários e todos os professores possuem formação superior. Nessa escola, a gestão trabalha com clareza de objetivos e metas a serem alcançadas, conhece a sua real função como espaço do saber, faz bom uso de estratégias administrativas e pedagógicas respeitando as leis educacionais vigentes. As reuniões com os professores seguem um cronograma para avaliação dos avanços, para refletir e repensar as práticas e como momento oportuno de estudos, de trocas e experiências entre as professoras, para o bom andamento do processo educativo. Nessa perspectiva, a escola conta com o esforço e a participação de todos os profissionais na superação das dificuldades e dos obstáculos do processo administrativo, do pedagógico e das relações cotidianas dentro da instituição, quando estas interferem no processo educacional e na harmonia da organização escolar. A proposta pedagógica apresentada pela escola campo tem como principal objetivo nortear o trabalho pedagógico a ser desenvolvido na escola. Tratando-se de uma sugestão flexível com possibilidade de ser modificada sempre que necessário. A organização desse trabalho possibilita que a Equipe Escolar tenha uma visão estratégica. Assim, percebe no passado e no presente qual deverá ser o funcionamento para o futuro.
  11. 11. 10 É analisando e refletindo sobre o trabalho pedagógico, que torna possível perceber os êxitos, os fracassos, as limitações, as certezas e quais caminhos devem percorrer. Uma escola precisa saber o que fazer e como fazer para fornecer uma educação de qualidade, para atender as necessidades e expectativas dos alunos e demais partes interessadas, conhecer as melhores práticas pedagógicas existentes e tudo, enfim, que seja determinante para ter sucesso. Neste sentido, a escola precisa conhecer também seus problemas, as causas que os geram e tomar medidas, no sentido de combatê-los, visando melhor atender as partes interessadas. Ter visão estratégica dá unidade aos esforços que a escola realiza quando se busca melhorar a qualidade dos serviços educacionais que oferece. Para tanto, é importante ter visão de futuro, que deve ser compartilhada com a comunidade escolar e com a equipe, pois, uma visão compartilhada une as pessoas impulsionando-as a buscar seus objetivos, mesmo diante as dificuldades que surgirem. Uma escola sem visão de futuro é uma escola sem rumo! Sabemos que uma escola só avança quando conta com o esforço e a participação de todos, com coragem no enfrentamento dos obstáculos internos e externos, fazendo o que for imprescindível para atingir os resultados que precisam ser alcançados. Neste aspecto a escola campo trabalha coletivamente, contando com o envolvimento e participação de todos de sua equipe. O trabalho pedagógico da escola é estruturado conforme o Regimento Escolar, respeitando a realidade na qual a escola está inserida, bem como à sua clientela e as leis educacionais municipais, estaduais e federais. Em relação à avaliação que a escola propõe, visa especialmente, acompanhar o desenvolvimento do aluno e o aperfeiçoamento do processo ensino/ aprendizagem. A avaliação é contínua e cumulativa, observando a preponderância dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos.
  12. 12. 11 Nessa escola as relações entre os docentes e a coordenação são pautadas pelo respeito às diferenças e na troca de experiências. As decisões em relação ao currículo acadêmico são tomadas coletivamente. Os contratempos (brigas, conflitos, entre outros) são inevitáveis, mas quando surgem, são resolvidos com base na conversa. A equipe pedagógica procura identificar as falhas e buscar soluções, sempre procurando ouvir e orientar os docentes em suas dúvidas e em seus sucessos. Na distribuição de tarefas entre o grupo, esta ocorre de acordo com as habilidades de cada um e a equipe pedagógica, também procura orientar os professores quanto à formação continuada, observando no cotidiano, em quais aspectos os docentes necessitam de aperfeiçoamento. Vale ressaltar, que as reuniões pedagógicas são elaboradas na tentativa de atender tais necessidades. Para isso, utiliza-se como recursos pedagógicos (metodologia): mensagem para reflexão, dinâmicas, grupos de estudos, oficinas, CD, DVD, debates, entre outros. Entendendo a importância das atribuições da gestão escolar, acredito ser importante descrever um pouco do que foi observado na rotina das profissionais “A” e “C”, responsáveis pela coordenação administrativa e pedagógica na escola. A responsável “A” começa sua rotina às 7 horas e a “C” às 12h45min com acolhida aos alunos e professores, organização das filas por turma e oração. A supervisora faz acompanhamento pedagógico individualizado de acordo com a escala da semana. O trabalho é pautado na escuta das leituras orais com interpretação e ditado, na arguição dos fatos da multiplicação e divisão (4 ° e 5 ° anos), na análise das produções escritas e na observação dos avanços e retrocessos dos educandos. A partir dessa observação, é que ocorre o contato com as famílias, para orientá-las quanto à busca de uma avaliação por parte dos profissionais da saúde, descartando ou comprovando algumas hipóteses.
  13. 13. 12 A equipe pedagógica sempre apresenta sugestões aos professores de atividades e intervenção pedagógica para sanar as dificuldades apresentadas, ou a fim de minimizá-las; acompanham os recreios e saídas dos turnos; analisa as atividades avaliativas elaboradas pelos professores, observando-se: coerência entre o que está sendo avaliado. A distribuição dos pontos equânime entre questões fáceis, medianas e complexas, dentre outras situações. Essa equipe está sempre à disposição para o atendimento às famílias em diversas situações, buscando operacionalizar a parceria FAMÍLIA/ESCOLA; analisa pedidos de transferências escolares (expedidas e recebidas), no sentido de adequação das notas; visita às salas de aula, quando necessário e a convite do professor, com o objetivo de motivar os educandos, elogiando-os quanto aos resultados de seus trabalhos; olham seus cadernos e adverti-os oralmente em situações de indisciplinas; fazem registro de situações relacionadas às agressões físicas e verbais entre alunos, encaminhando aos órgãos competentes, para que as atitudes cabíveis sejam tomadas à luz da legislação em vigor (ECA) e procura atender em tempo hábil as demandas da Secretaria Municipal de Educação. Sempre que necessário conversa informalmente com os alunos de acordo com as necessidades apresentadas (tarefas de casa sem fazer, falta de interesse pelos estudos, atitudes de agressividade ou apatia, dentre outros). É a equipe pedagógica que cuida da organização de matérias para uso dos professores, de acordo com o conteúdo a ser trabalhado (atividades lúdicas, filmes, músicas, jogos pedagógicos...), que providencia a reunião pedagógica- Modulo II; que trabalha na elaboração do planejamento bimestral (conteúdo), por turma, reunindo-se os professores dessas turmas para avaliar e descrever quais serão os conteúdos a serem trabalhados no decorrer do bimestre e na elaboração do cronograma de provas, comunicando aos professores, por escrito; verificam os diários (registro de frequência, notas e conteúdos lecionados); confecciona bilhetes diversos para comunicar-se com as famílias (reuniões, excursões, trabalho de campo, disciplina, etc.); fazem acompanhamento do PROERD; articulando sempre com as áreas da saúde e da Assistência Social do município para atender a demanda.
  14. 14. 13 Toda escola tem algum projeto pedagógico, seja ele formalizado em um texto ou vivido no dia a dia da sala de aula. Pois quando sentamos juntos, profissionalmente para buscar respostas para as questões cotidianas, estamos colocando o projeto da escola em prática. A escola campo vivencia uma gestão administrativa e pedagógica que tenta viabilizar o que for necessário para que os demais pontos funcionem dentro da construção da “escola que se quer”. O que pode ser observado, no empenho e na organização que possui, nos projetos cujo desafio é transformar o papel da mesma na comunidade. Em vez de só atender às demandas da população, aos preceitos e às metas de aprendizagem colocadas pelo governo, ela passa a sugerir aos alunos uma maneira de “ler” o mundo de diferentes formas. Durante os dias estagiando nesta escola, foi possível perceber que o trabalho é sempre feito, embasado, numa perspectiva de formação integral do educando como cidadão crítico e participativo. Enfim, essa escola desenvolve uma linha de trabalho em parceria com as famílias dos alunos, Secretaria Municipal, equipe pedagógica e os professores que se reúnem com frequência em Conselhos de Classe, sempre se organizando para cumprir as necessidades originadas pelas intenções educativas. 2.4 Análise da aplicabilidade do trabalho do gestor segundo o enfoque da Lei 9394/96 e das novas Diretrizes Curriculares Nacionais n°1/2006 Através do momento de estágio foi possível obter uma visão global da organização do trabalho escolar. A proposta apresentada pela escola campo fundamenta-se em princípios éticos, procura ampliar o universo da criança, através da garantia dos aspectos: cognitivos, sociais e emocionais. Os alunos são respeitados como crianças, sendo valorizado o conhecimento de mundo. Essa escola também desenvolve diferentes projetos interdisciplinares voltados para a saúde, cultura e aquisição de conhecimentos. É possível ver uma equipe que procura ter um olhar atento às necessidades do dia a dia, criando
  15. 15. 14 Projetos Pedagógicos que viabilize o trabalho interdisciplinar. Abordam temas emergentes, tais como: Meio Ambiente (explorado desde a Educação Infantil até a Educação de Jovens e Adultos) e Sexualidade (conteúdo do 5º ano do Ensino Fundamental). Outros assuntos também são trabalhados na forma de projetos, dentre eles: “Roda de Leitura”, Festa Junina e projetos como “Poesia na escola”, entre outros. Nesta perspectiva, o texto de Glaura Morais Paroneto da apostila de estudo, no curso de Pedagogia, a autora afirma que: Do projeto pedagógico se origina o planejamento de todos os outros segmentos da escola e a concretização da ação gestora escolar. Daí, podemos entender que é o projeto-curricular da escola que dá vida a todo processo ensino-aprendizagem. (PARONETO, 2010,p.13). Neste sentido, a proposta curricular da escola campo estabelece o que e como se ensina, as formas de avaliação da aprendizagem, a organização do tempo e o uso do espaço na escola, entre outros pontos, com base nos currículos nacionais e nas necessidades locais inerentes ao desenvolvimento do educando, “os currículos terão uma base nacional comum, obrigatório em âmbito nacional, e uma parte diversificada para atender, conforme as necessidades, possibilidades e peculiaridades locais ao plano do estabelecimento e as diferenças individuais.” (Art: Regimento Escolar- Capítulo II, Secessão I). A gestão escolar sempre procura desenvolver um trabalho transparente, em harmonia com todos os funcionários, é democrática, pois acredita que o trabalho, deva ser desenvolvido em parceria entre todos os evolvidos no processo. Percebe-se nas relações existentes na escola (alunos, professores, funcionários, coordenadores e direção) acontecem de forma bastante dialogada e democrática. É uma instituição bem organizada, apesar dos problemas corriqueiros que existem. Não concebo na escola uma gestão autoritária, tal postura, prejudicaria as relações entre as pessoas que nela transitam. Foi possível perceber que há união na equipe e que a mesma está cada vez mais contribuindo para a qualidade da escola.
  16. 16. 15 Os problemas dentro da escola campo são resolvidos da forma que necessitam ser, ha uma preocupação da equipe escolar em não expor ninguém. Os problemas são resolvidos levando sempre em consideração o respeito com o ser humano. Tendo em vista que cada situação deva ser tratada separadamente e as ações ser pertinentes aos problemas. A equipe escolar procura atenuar e resolver os problemas, dentro de suas limitações. A equipe escolar administra a verba do PDDE (Dinheiro Direto na Escola) e são feitas reuniões com todos os funcionários da escola para a melhor escolha dos produtos a serem comprados. A prestação de contas sempre acontece e é feito junto com a Secretaria Municipal de Educação, seguindo uma via para o MEC e outra para Brasília. Divulgando em reuniões de pais, quais produtos que foram comprados com a verba. A equipe pedagógica procura relacionar-se bem com todos, ouvindo o outro e respeitando às diferenças. No que diz respeito às situações mais delicadas que acontecem na escola, à gestão citou a questão da disciplina de alguns alunos. Pois percebem que algumas crianças não tem limite, boa educação, que não escutam quando são corrigidas. São situações que necessitam de mudanças de hábitos da família e aí o problema continua. Segundo a equipe pedagógica, em alguns casos, percebem que a família é desprovida de afeto, valores e bons hábitos. Portanto, o desafio está exatamente nesta questão, à família não tem condições de apoiar e ajudar a criança. Neste momento, é necessário que a equipe escolar oriente a família em suas necessidades (afeto, limite, hábitos de higiene, organização dos cadernos...). Ainda segundo as informações passadas à estagiária, pela equipe pedagógica, algumas famílias aceitam e até agradecem o apoio, enquanto outras não entendem o que querem fazer. Segundo a coordenadora “C” convencer a família que ela precisa de ajuda para ter condições de ajudar a criança, é um dos grandes desafios da escola. Em alguns momentos, a equipe escolar também encontra resistência por parte dos professores no que diz respeito à postura inadequada em sala, ter sabedoria para
  17. 17. 16 ouvir a família e no cumprimento das regras da escola. Por fim, a equipe pedagógica acredita que os conflitos surgem através das diversidades culturais. Enfim, nessa escola, a união e firmeza no propósito da equipe gestora estão sempre em sintonia. Trabalham visando uma maior organização escolar considerando os aspectos de observação, análise, registro e avaliação, buscando obter um consenso em relação o quê fazer, o como fazer e quando fazer. 2.5 Participação do estagiário em eventos pedagógicos, científicos e culturais É uma escola aberta para receber grupos de teatros de outras entidades ou escolas; entre tantas outras atividades que ofereça apoio a aprendizagem. O espaço físico da escola é um ambiente educativo e adequado à promoção das aprendizagens, pois é amplo, arejado, limpo e bem decorado. Só lamento pela quadra e o pátio não serem cobertos, portanto, não podem ser utilizados em dias de chuvas e, lamento também pelo mobiliário para a Educação Infantil serem os mesmo utilizados pelos alunos maiores. É algo que a escola precisa estar repensando e solucionando, no quesito moveis adequados, como mesas, cadeiras e banheiro, para uso dos pequeninos. As verbas que a escola recebe e as festas que promove em especial à festa junina geram recursos financeiros possibilitando aquisição de equipamentos necessários ao bom andamento da atividade escolar. As festas aproximam mais a família, envolve os professores num trabalho coletivo e promovendo a alegria e socialização de todos os envolvidos. Os recursos financeiros são investidos em materiais administrativos e pedagógicos, brinquedos, e outros. A sala de vídeo, por exemplo, recentemente ganhou uma nova TV, com tela plana e de grande porte, caixas de som dando a sensação de estar assistindo filme numa sala de cinema e, a aquisição de um novo e mais moderno computador para na sala da administração. Vale ressaltar que a escola tem que ter a marca da criança, pois isso cria uma identidade e para isso, é importante que todas as atividades que as crianças produzam não fiquem guardadas em pastas fechadas, mas expostas para
  18. 18. 17 apreciação dos colegas, possibilitando a troca de informações, onde as crianças observam as atividades dos amigos e procuram pelas de sua autoria ou grupo. Expor as atividades dos alunos para apreciação é também uma forma de incentivar a presença da família na escola e da cultura, tendo em vista, que a comunidade em si e os pais também incentivam muito para que esse seja sempre um espaço onde o aluno possa expor seu trabalho, a sua forma de expressão, ter reconhecido o esforço, a criatividade e, como forma da escola avaliar os avanços das turmas. Na escola campo, os trabalhos construídos pelos educandos são expostos para apreciação das famílias e colegas. Esta instituição de ensino, conta com a maior participação das famílias em vários eventos, como festas juninas, dia das mães, formatura do PROERD- programa antidrogas que acontece na escola com as turmas de 5º ano ministrado pelo amigo das crianças, Sargento Loschi. Programa Educacional Escola, Família e Policia Militar. Ainda pensando sobre a importância da exposição das produções dos alunos na escola para apreciação dos colegas e das famílias, vale ressaltar, que é fundamental, antes de tudo, que primeiramente o professor tenha boa vontade, atitude e muita criatividade ao incentivar seus alunos. Compreendo que as muitas atribuições educativas exigem desse profissional tempo e disposição, mas é fundamental dedicar-se para que os alunos tenham a oportunidade de produzir e de expor suas produções em diversos ambientes da escola. Tendo em vista, que tal atitude só enriquece o trabalho do professor e o processo ensino-aprendizagem. O gestor é alguém que deve estar sempre presente na escola toda, mas ele não está sozinho, e deve contar com a ajuda de sua equipe. É a equipe que caminha junto, e a criança está nessa caminhada com os responsáveis, os professores, os funcionários, todos os envolvidos no processo ensino-aprendizagem. O gestor não pode em nenhum momento enxergar-se sozinho, é importante enxergar-se coletivamente nesses espaços e em todas as situações vividas na escola. Foi possível participar de uma das reuniões de pais, na Educação Infantil. A primeira reunião do ano é seguramente o primeiro contato que se configura entre
  19. 19. 18 os docentes e este novo grupo de pais. É uma porta que se abre para construir o vínculo que manterá unido em um mesmo caminho e a um único objetivo: o desenvolvimento da criança. A coordenadora “C” preparou a pauta e com tranquilidade foi conduzindo a reunião através de objetivos claros e transparentes. Levou ao conhecimento da família a proposta da escola, bem como os problemas que a mesma enfrenta. Nessa reunião falou-se sobre o trabalho das professoras e como ocorre o processo de aprendizagem dos pequenos. Ressaltou-se ainda o quanto é importante à participação e o apoio da família na educação dos filhos e que o processo de aprendizagem nessa etapa da educação é lento, mas aos poucos os alunos vão progredindo. Citou como exemplo, que de início a criança vai colar a atividade de cabeça para baixo no caderno, é natural e deve-se respeitar o tempo da criança, que não deve ser apressada. As professoras das turminhas participaram da reunião dando algumas explicações de como é o trabalho em sala e os avanços conquistados pelos alunos desde os primeiros dias juntos. A reunião terminou, acredito, com a família satisfeita e confiante no trabalho exercido pela escola. Quanto à participação da aluna estagiária nos eventos culturais promovidos pela escola, poderá ser conferido e apreciado nas imagens (fotos de autoria da mesma) em anexo. Enfim, foi um curto espaço de tempo estagiando dentro dessa escola, mas foram fundamentais para reforçar a certeza da escolha, quanto à formação almejada, de estar caminhando, adquirindo conhecimentos úteis para ser uma futura educadora. Vivenciar o dia a dia da gestão escolar me fez compreender que o pensar coletivo é que constrói e reconstrói, com a certeza, de que agirmos individualmente, é fragilizar-se. Compartilhar, é reconhecer que somos diferentes, é acreditar nas diferenças e que na coletividade existem riquezas de pessoas que não serão superadas por um pensar individual. Portanto, é importante buscar a influência de opiniões, ideias e trocas de conhecimentos diversificados, pois uma visão compartilhada amplia horizontes.
  20. 20. 19 CONCLUSÃO Foi possível ver, durante o pouco tempo em que passei na escola campo, uma rotina escolar expressa através das suas dificuldades e atividades realizadas com êxito, contribuições necessárias e essenciais para minha formação, pois é a partir desse contato com a instituição e com todos que dela fazem parte, que pude constatar as teorias estudadas e ver acontecer teoria e prática. A visão da escola num todo durante o estágio serviu para fortalecer e enriquecer ainda mais a aprendizagem. Os momentos de observação durante um pequeno período nesta escola foram suficientes para constatar o trabalho sério e dedicado do corpo de funcionários. A experiência que vivenciei no desenvolver dessa atividade dentro da escola campo, levou-me a refletir sobre a importância que cada um como membro de uma instituição, tem ao contribuir com suas habilidades, conhecimentos e talentos para que uma organização alcance o sucesso. Escola é como toda e qualquer organização e precisa de bons líderes escolares, hierarquicamente estabelecidos como gestores, pois são os responsáveis em orientar, conduzir, estimular e direcionar a equipe no caminho da excelência organizacional. Chegando- se a conclusão de que a escola campo, objeto deste estudo, tem uma identidade fortalecida de princípios e normas que vem de fato iluminar toda sua ação pedagógica. Por fim, não poderia de deixar de ressaltar a admiração, desta aluna, em relação ao trabalho exercido nessa escola com serenidade, competência, dedicação, profissionalismo e muito compromisso com a educação das profissionais “A” e “C”, responsáveis pela gestão da escola campo. São exemplos a serem seguidos.
  21. 21. 20 REFERÊNCIAS LUCK, Heloísa. Dimensões de gestão escolar e suas competências. Curitiba: Editora Positivo, ed. 2. 2009.p. 22 PARONETO, Glaura Morais. A especificidade do trabalho do educador-gestor: aspectos qualiquantitativos da gestão educacional. Série Pedagogia; etapa VII, v 1, ed.1,Uberaba: Publi Editora e Gráfica , 2010, p. 11-17 _____Projeto Político Pedagógico. Escola Municipal Cláudio Pinheiro de Lima. Moeda. ______ Regimento Escolar. Escola Municipal Cláudio Pinheiro de Lima. Moeda, 2000. SALOMÃO, Luciana Faleiros Chauí. Aspectos qualiquantitativos da gestão educacional: função do gestor. Série Pedagogia; etapa VII, v 1, ed.1,Uberaba: Publi Editora e Gráfica , 2010, p. 19-27.
  22. 22. 21 ANEXO Formatura: PROERD foto 1 e 2( acervo da estagiária, Maria da Conceição Alves Versiani ) Foto 2 PROERD.
  23. 23. 22 Festa junina foto 2( acervo da estagiária, Maria da Conceição Alves Versiani ) Festa junina foto 3( acervo da estagiária, Maria da Conceição Alves Versiani )

×