Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Drogas, fármacos e cultura

1.868 Aufrufe

Veröffentlicht am

Disciplina ‘Cultura, Saúde e Doença’;
Programa de Pós em Saúde da Família;
UFC-Sobral, CE

Veröffentlicht in: Gesundheit & Medizin
  • Loggen Sie sich ein, um Kommentare anzuzeigen.

Drogas, fármacos e cultura

  1. 1. Luís Fernando TófoliPrograma de Pós-Graduação em Saúde da Família UFC-Sobral
  2. 2. Além das propriedades farmacológicas... Atributos não farmacológicos da droga Características de quem usa Atributos de quem a fornece Circunstâncias pessoais e ambientais de uso (set e setting) 2
  3. 3.  Valores morais e culturais Situação socioeconômica Forças econômicas Grupos sociais 3
  4. 4.  ‘Efeito total da droga sem droga’ Literatua médica: ‘ruído’ A crença dos que o recebem é o que determina sua eficácia Nocebo (efeitos adversos placebo) Ligados ao contexto/à cultura 4
  5. 5.  Importante em todas as formas de cura Todas as formas de terapia (Adler e Hammet):  A participação de todos os integrantes em sistema cognitivo compartilhado  Relacionamento com figura parental culturalmente sancionada Há placebo mesmo nas drogas ‘ativas’ 5
  6. 6.  Cor  Verdes/azuis para tranquilizar  Amarelos/vermelhos para ativar Medicamentos de ‘grife’ x distribuição de medicamentos pelo governo Sabor Textura etc. 6
  7. 7.  Personalidade do ‘tipo placebo’ Uso dos símbolos de cura pelo prescritor O conjunto das características do prescritor Opinião do microcosmo – família e entorno 7
  8. 8.  Nos países em desenvolvimento o setor informal e paraprofissional assumem o papel de dispensar medicamentos Consultas de balconistas ‘Remédio barato/do governo não presta’ 8
  9. 9.  Apesar da origem do conceito de ‘dependência’ no conceito de doença, há influências sociais evidentes. Tendências  Redução na prescrição de sedativos  Aumento do consumo de antidepressivos 9
  10. 10.  Psicotrópicos e suas prescrições são símbolos rituais ‘multivocais’ Funções latentes  ‘Esta pessoa é doente’  ‘Seus fracassos são devidos à sua doença ou ao remédio’  ‘Ela merece compreensão’  ‘O médico está interessado na pessoa’  A Ciência pode cuidar dela’. 10
  11. 11.  Status social mais brando do que o das drogas não-sancionadas Adaptação química? (Pellegrino) O que os médicos transmitem quando prescrevem um psicotrópico? As indústrias farmacêuticas e a “estrada química para o sucesso” (Warburton) 11
  12. 12.  Dependência física x psicológica, existe essa diferença? Praticamente todas as drogas conhecidas já foram sancionadas ou vetadas na história da Humanidade Drogas sancionadas no Ocidente: as que permitem trabalhar 12
  13. 13.  Toda comunidade de uso tem suas regras, valores e autoimagem Sair de uma comunidade de uso aumenta a chance de cessar o uso e a dependência Os valores da comunidade de uso podem sobreviver a trocas de fármaco 13
  14. 14.  Aspectos econômicos, sociais e culturais sempre devem ser abordados Agentes de cura religiosos Reformulações das redes sociais 14
  15. 15.  Alimento  Pagamento Medicamento  Conservante Narcótico  Desinfetante Energizante Afrodisíaco  Sacramento 15
  16. 16.  Fatores econômicos Fatores étnicos Fatores culturais Fatores familiares Fatores individuais 16
  17. 17.  Morais Doença  Medicina  Psicologia  Alcoólicos Anônimos Político-Econômicos Socioculturais 17
  18. 18.  Normas para beber O’Connor:  Culturas abstinentes  Culturas ambivalentes  Culturas permissivas  Culturas superpermissivas 18
  19. 19.  Exposição das crianças ao uso caseiro Uso diluído Álcool como alimento Pais consomem com moderação Não atribuir valor moral Não associar a virilidade Aceitar socialmente a abstinência Não tolerar a embriaguez Concordância sobre as regras no grupo 19
  20. 20.  ‘Lubrificante social’ Consumo em ‘irmandade’ tende a proteger Consumo religioso Anormalidade controlada 20
  21. 21.  Fatores socioculturais  Homens x mulheres  Adultos x jovens  Etnicidade ou migração  Escolaridade  Perda no status socioeconômico  Uso ritual 21
  22. 22.  Alucinógenos x Enteógenos  Peyote, San Pedro  Cogumelos  Ayahuasca  Rapés com DMT  Iboga  Solanáceas Uso pelo xamã ou pela comunidade 22
  23. 23.  Estimulantes/Sedativos  Catha sp. (qat)  Cola sp. (noz-de-cola)  Cannabis sativa  Exythroxylum coca (coca)  Piper methysticum (kava-kava)  Duboisia hopwoodi (pituri) Uso descontextualizado 23
  24. 24. 24

×