Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Die SlideShare-Präsentation wird heruntergeladen. ×
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Nächste SlideShare
Anatomia Do Pé
Anatomia Do Pé
Wird geladen in …3
×

Hier ansehen

1 von 58 Anzeige
Anzeige

Weitere Verwandte Inhalte

Diashows für Sie (20)

Andere mochten auch (20)

Anzeige

Ähnlich wie Pé (20)

Aktuellste (20)

Anzeige

  1. 1. Pé Mark Sgarbi, Paulo de Bortolli, Rafael Amorim, Rodrigo Fritz, Thiago Iwon, Thiago Mineli
  2. 2. O pé é a região do membro inferior distal à articulação talocrural.Subdivide-se em tarso, metatarso e falanges. (Grays, 2010)
  3. 3. Tarso, metatarso, falanges Tarsos: Tálus= recebe o peso do corpo da tíbia. Calcâneo= recebe a maior parte do peso do tálus para o solo. É o mais forte e maior osso do pé. Navicular= Osso achatado em forma de barco situado entre o tálus e os ossos cuneiformes. Cuboide= Formato cúbico, osso mais lateral da fileira distal do tarso. Cuneiformes= medial(1°) intermédio(2°) lateral(3°)
  4. 4. Metatarsos: São 5, numeração de medial para lateral. Falanges: São 14 no total. Numeração de medial para lateral. O Hálux(1°Dedo)- apenas duas falanges(proximal e distal). Os outros 4 têm 3 falanges cada: proximal, média e distal.
  5. 5. ARTICULAÇÕES
  6. 6. ARTICULAÇÃO TALOCRURAL
  7. 7. ARTICULAÇÃO TALOCRURAL
  8. 8. LIGAMENTOS QUE ESTABILIZAM A ARTICULAÇÃO TALOCRURAL  Colateral Medial ou deltóideo
  9. 9. LIGAMENTOS QUE ESTABILIZAM A ARTICULAÇÃO TALOCRURAL  COLATERAL LATERAL
  10. 10. ARTICULAÇÕES INTERTARSAIS  Numerosas articulações sinoviais entre os ossos tarsais individuais  TALOCALCÂNEA  TALOCALCÂNEONAVICULAR  CALCANEOCUBÓIDEA  TARSOMETATARSAIS  METATARSOFALÂNGEICAS
  11. 11. Articulação Talocalcânea
  12. 12. Articulação Talocalcânea .
  13. 13. ARTICULAÇÃO TALOCALCANEONAVICULAR
  14. 14. ARTICULAÇÃO TALOCALCANEONAVICULAR
  15. 15. ARTICULAÇÃO CALCANEOCUBOIDEA  .
  16. 16. ARTICULAÇÃO CALCANEOCUBOIDEA  .
  17. 17. ARTICULAÇÕES TARSOMETATARSAIS Articulações planas e permitem movimentos limitados de deslizamento. Articulação entre o metatarsal do hálux e o cuneiforme medial é a de maior amplitude.Permite flexão, extensão e rotação.
  18. 18. ARTICULAÇÕES METATARSOFALÂNGICAS  Articulações sinoviais elipsóideas entre as cabeças esféricas dos metatarsais e as bases correspondentes das falanges proximais dos dedos.  Permitem extensão e flexão.Uma limitada abdução, adução, rotação e circundação.
  19. 19. LIGAMENTO METATARSAIS TRANSVERSOS PROFUNDOS  Une as cabeças dos metatarsais permitindo um movimento unificado.
  20. 20. Articulação Interfalângica  Sinoviais gínglimo  Permite flexão e extensão
  21. 21. Sistema Vascular Sistema Arterial Sistema venoso
  22. 22. Sistema venoso do pé
  23. 23. Drenagem venosa do pé O pé tem veias superficiais e musculares. Musculares Pares de veias que acompanham todas as artérias Superficiais Subcutâneas e não acompanham artérias A maior parte do sangue é drenada através das veias superficiais
  24. 24. Drenagem venosa do pé
  25. 25. Veias Profundas
  26. 26. Veias Profundas
  27. 27. Drenagem Venosa Veias perfurantes Essas veias fazem o desvio unidirecional de sangue das veias superficiais para as veias profundas para a operação da bomba musculovenosa.
  28. 28. Veias Superficiais Veia safena magna origina-se na rede de vênulas da região dorsal do pé, veia marginal medial Veia safena parva origina-se na região de vênulas na margem lateral da região dorsal do pé, veia marginal lateral
  29. 29. Veias Superficiais
  30. 30. Veias Superficiais
  31. 31. Nervos do pé O nervo tibial divide-se atrás do maléolo medial em: nervo plantar medial e nervo plantar lateral. Estes por sua vez suprem os músculos intrínsecos do pé (exceto pelo extensor curto dos dedos). Estes nervos também suprem a pele do pé.
  32. 32. Nervo plantar medial O nervo plantar medial, é o maior dos dois ramos terminais do nervo tibial, passa profundo ao músculo abdutor do hálux e segue anteriormente entre este músculo e o flexor curto dos dedos, na face lateral da artéria plantar medial.
  33. 33. Nervo plantar medial O n. plantar medial termina próximo as bases dos ossos metatársicos, através da divisão em 3 ramos sensitivos e ramos motores para os músculos abdutor do hálux, flexor curto dos dedos, flexor curto do hálux e o músculo lumbrical mais medial
  34. 34. Nervo plantar lateral O nervo plantar lateral é o menos dos ramos terminais do n. tibial. Origina-se profundamente ao retináculo dos músculos flexores e ao músculo adutor do hálux e segue em sentido anterolateral, medialmente a artéria plantar lateral e entre a primeira e a segunda camada de músculos plantares. O nervo plantar lateral termina dividindo em ramos superficial e profundo.
  35. 35. Nervo plantar lateral O ramo superficial se divide em dois nervos digitais que enviam ramos cutâneos para o quinto dedo e metade do quarto. Os ramos superficiais e profundos do nervo plantar lateral, enviam ramos motores para os músculos da região plantar, que não são inervados pelo n. plantar medial
  36. 36. Nervo sural Geralmente forma-se na fossa poplítea e desce entre as duas cabeças do músculo gastrocnêmio. Perfura a fáscia profunda, ao redor da porção média da face posterior da perna, onde se une ao ramo comunicante fibular do nervo fibular comum. O nervo sural supre a pele da porção lateral e posterior do terço inferior da perna. Entra no pé atrás do maléolo lateral e supre a pele ao longo da borda lateral do pé e na face lateral do 5° dedo.
  37. 37. Nervo safeno Maior ramo cutâneo do nervo femoral. Além de suprir a pele e a fáscia das faces anterior e medial da perna, o nervo safeno segue para o dorso do pé, anteriormente ao maléolo medial. Ele supre a pele ao longo da face medial do pé até a cabeça do primeiro metatársico.
  38. 38. Inervação Nervo Músculos que inerva Nervo plantar medial Abdutor do hálux, flexor curto dos dedos e flexor curo do hálux, Nervo plantar lateral Abdutor do dedo mínimo, quadrado plantar, interósseos plantares e interósseos dorsais. Ramo profundo do nervo plantar lateral Adutor do hálux Ramo superficial do nervo plantar lateral Flexor curto do dedo mínimo
  39. 39. Músculos Compartimento anterior Compartimento Posterior Compartimento Profundo Compartimento Lateral Músculos Intrínsecos do Pé
  40. 40. Compartimento Anterior Mm. pré-tibiais: m. tibial anterior, m. extensor longo do hálux e o m. extensor longo dos dedos A ação primaria destes músculos é realizar a extensão do tornozelo e controla a redução da flexão plantar do tornozelo excentricamente.
  41. 41. Compartimento Posterior Tríceps Sural: mm. gastrocnêmios medial e lateral e o m. Sóleo e m. plantar longo Ação: flexores plantares
  42. 42. Compartimento Profundo M. flexor longo do hálux e o m. flexor longo dos dedos e o m. tibial posterior. Cada músculo cruza a articulação do tornozelo e estão localizados posteriormente. Sinergistas da flexão plantar do tornozelo. Principal ação do m. flexor longo do hálux e do flexor longo dos dedos é realizar a m. flexão do hálux e dos e dos quatro dedos laterais, respectivamente.
  43. 43. Compartimento lateral Mm. fibulares longo, curto e terceiro. Açao: eversão do tornozelo. Flexão dorsal (fibular 3) Uma lesão no nervo fíbular gera uma condição chamada pé em gota (ou pé caído).
  44. 44. Mm. Intrinsecos do pé São 4 camadas musculares. São localizados na superfície plantar do pé. Os músculos intrínsecos localizados no dorso do pé são os mm. extensores curto dos dedos e do hálux, sendo responsável pela extensão do primeiro ao quinto dedo. A primeira camada: o m. abdutor do hálux, o m. flexor curto dos dedos e o m. abdutor do dedo mínimo. A segunda camada inclui o flexor acessório e os lumbricais. A terceira camada é constituída pelo flexor do de do mínimo. A quarta camada inclui os músculos interósseos dorsal e plantar. Ação: Realizam os movimento dos dedos e também atuam como sinrrgistas para a estabilidade dos arcos nos pés.
  45. 45. Teste de Thompson
  46. 46. Sinal de Homan
  47. 47. Qual o melhor calçado do mundo???
  48. 48. FIM!!!!

×