Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.
Lição 1: O Que Cremos Sobre a Bíblia
Prof: Pr Antonio Neto

Introdução
A Bíblia é o livro mais vendido
de todos os tempos....
Conhecendo a Bíblia
No nosso propósito de nos aprofundar na Bíblia, devemos começar pelas questões mais
básicas: quem escr...
*Os Livros Poéticos (Jó até Cantares)
*Os Profetas Maiores (Isaías até Cantares)
*Os Profetas Menores (Oséias até Malaquia...
Evidências Internas
A Bíblia não tem vergonha de se declarar a Palavra de Deus (I Timóteo 3:16, II Pedro
1:19-21). Os prof...
Lição 1 - O Que Cremos Sobre a Bíblia
Nächste SlideShare
Wird geladen in …5
×

Lição 1 - O Que Cremos Sobre a Bíblia

1.253 Aufrufe

Veröffentlicht am

  • Als Erste(r) kommentieren

  • Gehören Sie zu den Ersten, denen das gefällt!

Lição 1 - O Que Cremos Sobre a Bíblia

  1. 1. Lição 1: O Que Cremos Sobre a Bíblia Prof: Pr Antonio Neto Introdução A Bíblia é o livro mais vendido de todos os tempos. Muitos homens-dem onst rand o um a prepot ênci a espantadora--têm profetizado o fim da sua popularidade, mas ela continua m a i s p r o c u r a da d o q u e n u n c a . I nu meráveis inimigos de Deus, tentando desacreditar a mensagem das Sagradas Escrituras, se esforçaram para encontrar inconsistências ou erros dentro de suas páginas--e tudo em vão. Nossa Igreja tem a Bíblia como única regra de fé e prática. Por isso, iremos começar este curso com a bibliologia, ou seja, um estudo sobre a Bíblia. O motivo de começar assim é simples: a Bíblia é fonte de todo nosso conhecimento a cerca das coisas de Deus. Se não estivermos firmes em que cremos com respeito à palavra de Deus, dificilmente teremos firmeza em qualquer outro aspecto da fé cristã. A Necessidade da Bíblia O homem pecador, por si só, é incapaz de conhecer a Deus (I Coríntios 2:14). Mas Deus, na sua infinita misericórdia, se revelou ao homem de duas maneiras: Revelação Geral Através de sua criação, Deus se revela a todos os homens (Salmo 19:1). Esta revelação é suficiente para que o homem fique sem desculpa perante Deus (Romanos 1:18-20). Porem, esta revelação é insuficiente para levar o homem à salvação (Romanos 10:14-17). Revelação Especial É necessário, então, que Deus se revele especificamente aos homens para que sejam salvos. Nos tempos do Antigo Testamento Deus se revelou através dos profetas. Depois, enviou Cristo, que é o "resplendor da sua glória" e a "expressa imagem do Seu ser" (Hebreus 1:1-3). Jesus revelou o Pai completamente e perfeitamente (João 1:18). Hoje, temos a palavra completa de Deus na forma das escrituras (João 20:31). "A revelação geral é suficiente para levar o homem à condenação; a revelação especial é necessária para levar o homem à salvação"
  2. 2. Conhecendo a Bíblia No nosso propósito de nos aprofundar na Bíblia, devemos começar pelas questões mais básicas: quem escreveu, quando foi escrita, e como é composta. Os Autores A Bíblia é clara e específica quanto a sua origem divina. II Timóteo 3:16 nos afirma que as Escrituras foram inspiradas--ou seja, sopradas, por Deus. A palavra usada na língua original-theopneustos--não se encontra em nenhum outro texto grego do período, e traz à lembrança o ato de Deus "soprar vida" no primeiro homem (Gênesis 2:7). Mas Deus, na sua infinita sabedoria, usou autores humanos para comunicar a mensagem que Ele tem para a humanidade. II Pedro 1:21 demonstra tanto a autoria divina quanto a participação humana. Cremos que os autores humanos usaram de seus próprios estilos e personalidades para escreveram as palavras de Deus. Escreveram em três línguas principais: hebraico, aramaico (no Antigo Testamento) e grego (no Novo Testamento). O Tempo Esses quarenta autores levaram mais de 2.000 anos para escrever todos os livros da Bíblia. O primeiro livro a ser escrito provavelmente foi Jó, cerca de 2.000 anos antes de Cristo, e o último foi Apocalipse, escrito pelo apóstolo João por volta de 95 d.C. Suas Divisões A Bíblia é composta de 66 livros, divididos em duas seções maiores: o Antigo e o Novo Testamento. O Antigo Testamento consiste em 39 livros. Estes livros podem ser divididos da seguinte forma: *A Lei, também chamado de pentateuco (Gênesis até Deuteronomio) *Os Livros Históricos (Josué até Ester)
  3. 3. *Os Livros Poéticos (Jó até Cantares) *Os Profetas Maiores (Isaías até Cantares) *Os Profetas Menores (Oséias até Malaquias) O Antigo Testamento trata especificamente com a nação de Israel, preparando o caminho para a vinda de Cristo. Assim, ele forma o alicerce da nossa fé. O estudo do Antigo Testamento é essencial para nosso entendimento da fé cristã (João 5:34) O Novo Testamento é composto de 27 livros, divididos da seguinte forma: *Os Evangelhos (Mateus até João) *O Livro Histórico (Atos) *As Epístolas (Romanos até Judas) *O Livro Profético (Apocalipse) O Novo Testamento apresenta Cristo, sua encarnação, ministério na terra, morte ressurreição, a formação da Igreja, e ensinos sobre a vida cristã. Os 66 livros da Bíblia foram reconhecidos como sendo canônicos (autênticos) num concílio eclesiástico na cidade de Cartago no ano 397 d.C. A Bíblia usada pela Igreja Católica Romana contem 14 livros a mais, chamados apócrifos (escondidos), os quais foram acrescentados oficialmente por essa igreja em 1546, no concílio de Trento. Esses livros nunca fizeram parte das escrituras hebraicas ou gregas e nenhum ramo da Igreja os aceitou antes de 1546. Importante: Mesmo com tanta diversidade, a Bíblia é unida, do início ao fim, no seu propósito e mensagem. A personagem principal da Bíblia é Jesus, e a sua mensagem, a salvação. Porque dar ouvidos à Bíblia? Muitas pessoas concordam que a Bíblia seja um livro singular, porem não acreditam que ela tenha algo a dizer sobre como devem conduzir suas vidas. O que é que nos faz basear nossa fé--nosso destino eterno--neste livro tão antigo? Para responder esta pergunta, iremos examinar as evidências internas e externas que afirmam que a Bíblia representa a comunicação divina à humanidade.
  4. 4. Evidências Internas A Bíblia não tem vergonha de se declarar a Palavra de Deus (I Timóteo 3:16, II Pedro 1:19-21). Os profetas proclamaram "assim diz o Senhor" (ex. Isaías 44:6), e o próprio Jesus Cristo afirmou as suas palavras (Mateus 5:17-18). Então existem apenas duas alternativas: ou a Bíblia é o que diz que é, ou é uma fraude. Evidências Externas Há muitas evidências externas (ou seja, fora das páginas da Bíblia) para que a Bíblia seja aceita como verdadeira. Entre elas são evidências arqueológicas e históricas. Quanto mais entendemos sobre a história, quanto mais vemos que o que a Bíblia fala bate com que os arqueólogos desenterram. Existem mais de 1.400 cópias do Antigo Testamento, e 5.000 cópias do Novo Testamento. Nos escritos dos pais da igreja primitiva, faltam apenas 11 versículos para que termos toda a Bíblia. E todos esses manuscritos e citações batem com a Bíblia que temos em nossas mãos hoje. O próprio conteúdo da Bíblia aponta também à sua origem divina. Como diz o teólogo Lewis Sperry Chafer, a Bíblia não é tal livro que o homem queria escrever se pudesse, nem poderia escrever se quisesse. Quando chegamos, então, à conclusão que a Bíblia é inspirada por Deus, de autoria divina, é lógico que ela, na sua forma original, seja completamente sem erros (João 17:17), confiável (João 10:35), e tem autoridade sobre nossas vidas (Salmo 119:17). Cabe a nós, então, nos dedicar ao estudo e aplicação desta comunicação divina, "para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus" (Romanos 12:2). Perguntas 1. Porque é importante para o crente saber o que crê a cerca da Bíblia? 2. Porque foi necessária a revelação especial? 3. Qual a mensagem principal da Bíblia? 4. Dê três exemplos de onde o Antigo Testamento fala de Cristo. 5. Que quer dizer a palavra "inspirada"?

×