Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.
ELETROCARDIOGRAMA  EM  PACIENTES COM  SIND.  DE  BRUGADA,  MARCAPASSO,    REPOLARIZAÇÃO PRECOCE  E VAGOTONIA<br />DR. PAUL...
SÍNDROME DE BRUGADA<br />Síndrome com padrão clínico e eletrocardiológico  característicos, que cursa com arritmias malign...
Endêmica alguns países da Ásia (Laos, Filipinas e Tailândia) e no Japão<br />Acomete >> sexo M em idade entre a 3ª e 4ª dé...
Responsável por 4 a 12% de todos os casos de morte súbita / 50% das mortes súbitas em jovens com coração normal/ 40 a 60% ...
ALTERAÇÕES ELETROCARDIOGRÁFICAS TÍPICAS NA SÍNDROME DE BRUGADA<br />www.brugada.org<br />
Prognóstico geralmente sombrio – 40% cursa com arritmias malignas e morte súbita em 2 a 3 anos após o diagnóstico / mortal...
<ul><li>Indicações de CDI:
Casos refratários que permanecem com clinica característica (síncopes) mesmo com o uso dos fármacos em dose adequadas, mar...
Recuperados de morte súbita secundária a FV ou TV que requereriam ressuscitação
Nos casos em que o primeiro evento foi uma paragem cardíaca. </li></li></ul><li>CDI<br />
www.brugada.org<br />
MACAPASSOS (MP)<br />
RÍTMO DE MARCAPASSO (MP)<br />Modos de Estimulação:<br />NASPE e BPEG - código composto de 5 letras:<br />Primeira letra -...
 FUNDAMENTOS DE ELETROCARDIOGRAFIA E PROGRAMAÇÃO DE MP:<br />A espícula é a característica peculiar do ECG dos MP<br /><ul...
Modo VVI - estimula o Ventrículo, sente Ventriculo e se Inibe na presença de uma onda “R” . <br />	Síndrome do MP<br />
Modo DDD - marcapasso bicameral, estimula Átrio e Ventrículo, deflagra em Ventrículo um determinado tempo após sentir o át...
Batimentos de fusão e pseudo-fusão:<br />Quando uma câmara é despolarizada em parte pelo estímulo natural, em parte pela e...
MP VVI<br />
MP DDD<br />
REPOLARIZAÇÃO  PRECOCE (SRP) E VAGOTONIA<br />SRP<br /><ul><li>Vacanti,1996
SRP definida por, no mínimo, dois dos seguintes critérios: 1) elevação do segmento ST >1mV; 2) morfologia do ST com a conc...
Diretrizes da SBC, 2003:
Supradesnivelamento do segmento ST, a partir do início da fase descendente da onda R, com concavidade superior, preferenci...
Nächste SlideShare
Wird geladen in …5
×

Brugada/marcapasso/repolarização precoce/vagotonia

3.117 Aufrufe

Veröffentlicht am

Veröffentlicht in: Gesundheit & Medizin
  • Als Erste(r) kommentieren

Brugada/marcapasso/repolarização precoce/vagotonia

  1. 1. ELETROCARDIOGRAMA EM PACIENTES COM SIND. DE BRUGADA, MARCAPASSO, REPOLARIZAÇÃO PRECOCE E VAGOTONIA<br />DR. PAULO SÉRGIO<br />ANESTESIOLOGISTA DA EQUIPE DE CIRURGIA CARDÍACA E PLANTONISTA DA UTI CARDÍACA DO HJM <br />
  2. 2. SÍNDROME DE BRUGADA<br />Síndrome com padrão clínico e eletrocardiológico característicos, que cursa com arritmias malignas (TV polimórfica e FV) e morte súbita.<br />Descrita em 1992 por dois irmãos médicos espanhóis: Joseph e Pedro Brugada.<br />
  3. 3. Endêmica alguns países da Ásia (Laos, Filipinas e Tailândia) e no Japão<br />Acomete >> sexo M em idade entre a 3ª e 4ª décadas de vida<br />Doença genética autossômica dominante com baixa penetração <br />Mal funcionamento dos canais de Na+ em regiões epicárdicas de VD potencial de ação diferente de outras celulasARRITMIAS<br />www.brugada.org<br />
  4. 4. Responsável por 4 a 12% de todos os casos de morte súbita / 50% das mortes súbitas em jovens com coração normal/ 40 a 60% de todas as FV idiopáticas<br />Diagnóstico:<br /> - História clínica de síncope (devido a taquiarritmias ventriculares), ou paragem cardíaca prévia<br /> - História familiar de morte súbita<br /> - Coração estruturalmente normal<br /> - Alterações eletrocardiográficas típicas com:<br /> BRD <br /> Supra desnivelamento de ST em V1, V2 e V3<br />
  5. 5. ALTERAÇÕES ELETROCARDIOGRÁFICAS TÍPICAS NA SÍNDROME DE BRUGADA<br />www.brugada.org<br />
  6. 6.
  7. 7. Prognóstico geralmente sombrio – 40% cursa com arritmias malignas e morte súbita em 2 a 3 anos após o diagnóstico / mortalidade anual de 16 a 38%<br />Tratamento:<br />Adaptado de Brugada e cols, 1998<br />
  8. 8. <ul><li>Indicações de CDI:
  9. 9. Casos refratários que permanecem com clinica característica (síncopes) mesmo com o uso dos fármacos em dose adequadas, marcapasso, simpatectomia e as outras medidas associadas
  10. 10. Recuperados de morte súbita secundária a FV ou TV que requereriam ressuscitação
  11. 11. Nos casos em que o primeiro evento foi uma paragem cardíaca. </li></li></ul><li>CDI<br />
  12. 12. www.brugada.org<br />
  13. 13. MACAPASSOS (MP)<br />
  14. 14. RÍTMO DE MARCAPASSO (MP)<br />Modos de Estimulação:<br />NASPE e BPEG - código composto de 5 letras:<br />Primeira letra - representa a câmara estimulada: A (átrio), V(ventrículo), D(átrio e ventrículo) e O (nenhuma);<br />Segunda letra - indica a câmara sentida: A, V, D ou O<br />Terceira letra - comportamento do aparelho frente a um sinal intrínseco do paciente: T (deflagra), I (inibe), D (deflagração e inibição) e O (nenhum);<br />Quarta letra - indica as capacidades de progamabilidade<br />Quinta letra - funções antitaquicardia<br />
  15. 15. FUNDAMENTOS DE ELETROCARDIOGRAFIA E PROGRAMAÇÃO DE MP:<br />A espícula é a característica peculiar do ECG dos MP<br /><ul><li>Ela pode estar ausente - inibido pelo ritmo próprio do paciente; grande e muito estreita - unipolares; muito discreta ou imperceptível - sistemas bipolares. </li></li></ul><li>Eletrocardiogramas básicos<br />Modo AAI - estimula o Átrio, sente o Átrio e se Inibe na presença de atividade atrial espontânea<br />
  16. 16. Modo VVI - estimula o Ventrículo, sente Ventriculo e se Inibe na presença de uma onda “R” . <br /> Síndrome do MP<br />
  17. 17. Modo DDD - marcapasso bicameral, estimula Átrio e Ventrículo, deflagra em Ventrículo um determinado tempo após sentir o átrio e inibe a liberação da espícula em ambas as câmaras .<br />
  18. 18. Batimentos de fusão e pseudo-fusão:<br />Quando uma câmara é despolarizada em parte pelo estímulo natural, em parte pela espícula do marcapasso<br />
  19. 19. MP VVI<br />
  20. 20. MP DDD<br />
  21. 21. REPOLARIZAÇÃO PRECOCE (SRP) E VAGOTONIA<br />SRP<br /><ul><li>Vacanti,1996
  22. 22. SRP definida por, no mínimo, dois dos seguintes critérios: 1) elevação do segmento ST >1mV; 2) morfologia do ST com a concavidade para cima; 3) nódulo ou entalhe no final do QRS; 4) onda T simétrica e apiculada; 5) onda U
  23. 23. Diretrizes da SBC, 2003:
  24. 24. Supradesnivelamento do segmento ST, a partir do início da fase descendente da onda R, com concavidade superior, preferencialmente nas derivações precordiais, acompanhadas de bradicardia sinusal (Pode ser...)</li></li></ul><li>VAGOTONIA<br /><ul><li>Shipley e Hallaran (1936) - supradesnível do segmento ST com concavidade superior e ondas T altas e pontiagudas, tendendo à simetria, principalmente nas derivações precordiais</li></li></ul><li> Entalhes na fase descendente do R estão marcados com setas, supradesnivelamento de ST e as ondas T amplas e pontiagudas<br />
  25. 25. Riera e cols, CardiologyJournal, 2008<br />
  26. 26. MUITO OBRIGADO<br />

×