Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Um cenário das políticas dos repositórios temáticos brasileiros

64 Aufrufe

Veröffentlicht am

Um cenário das políticas dos repositórios temáticos brasileiros

Veröffentlicht in: Bildung
  • Als Erste(r) kommentieren

  • Gehören Sie zu den Ersten, denen das gefällt!

Um cenário das políticas dos repositórios temáticos brasileiros

  1. 1. Um cenário das políticas dos repositórios temáticos brasileiros Autores Anderson Silva de Araujo – Bibliotecário e Bolsista de Pesquisa do Laboratório LICTS Arthur Philipe Cremonez da Silva Vianna – Graduando em Biblioteconomia e Bolsista de Pesquisa do Laboratório LICTS Bruna Beltrão Belinato – Bibliotecária e Bolsista de Pesquisa do Laboratório LICTS Clarissa Cezario da Cunha – Bibliotecária e Bolsista de Pesquisa do Laboratório LICTS Debora Vilar Melo – Bibliotecária e Bolsista de Pesquisa do Laboratório LICTS Diego Martins Aragão da Silva – Bibliotecário e Bolsista de Pesquisa do Laboratório LICTS Diogo Ramos Marinho – Bibliotecário e Bolsista de Pesquisa do Laboratório LICTS Luis Guilherme Gomes de Macena - Bibliotecário e Bolsista de Pesquisa do Laboratório 1 a 4 de Outubro de 2019 Manaus - Amazonas
  2. 2. Introdução • A criação dos Repositórios Digitais (RD) tem contribuído para a remodelagem das estruturas do conhecimento científico. • Com a Declaração de Budapeste em 2002, alcançou um novo cenário nas áreas de ensino e pesquisa na acessibilidade da produção científica, objetivando alcançar as publicações científicas, no uso do Repositório Institucional (RI). • Além do RI que tem por objetivo disseminar a produção intelectual de uma organização, há o Repositório Temático (RT) que reúne documentos de uma(s) área(s) temática(s).
  3. 3. Introdução • Kuramoto (2006, p. 83), afirma que os RTs “são um conjunto de serviços oferecidos por uma sociedade, associação ou organização, para gestão e disseminação da produção técnico-científica em meio digital, de uma área ou subárea específica do conhecimento • Sendo assim, a relevância temática, se bem tratada com uma curadoria especializada, é uma das principais vantagens do RT pela sua capacidade de reunir uma bibliografia de determinada disciplina, que centraliza publicações.
  4. 4. Proposta • O presente trabalho propõe-se a identificar os RTs brasileiros cadastrados no diretório Directory of Open Access Repositories (OpenDOAR), analisá-los quanto as características em consonância com a literatura da Ciência da Informação, avaliar se os repositórios cadastrados possuem políticas e qualifica-las quanto a sua tipologia. • Apresentar o panorama dos repositórios cadastrados no OpenDOAR e provocar uma reflexão sobre o cenário brasileiro das iniciativas de RT.
  5. 5. Metodologia • A princípio foi cogitado buscar a lista de Repositórios Brasileiros em Acesso Aberto, disponibilizada pelo portal do Instituto Brasileiro de Informação, Científica e Tecnológica - IBICT, entretanto a página estava fora do ar, por isso recorreu-se ao OpenDOAR, um diretório global de Acesso Aberto de Repositórios e suas políticas. • A busca foi realizada em janeiro de 2019.
  6. 6. Metodologia • Etapa 1: Busca e seleção de RDs registrados no diretório OpenDOAR com o seguinte critério: delimitação geográfica, Brasil; • Etapa 2: Elaboração de uma planilha com os dados dos repositórios, para observar as seguintes características: tipologia, financiamento, software, área de conhecimento, data do último depósito e existência de política norteadora; • Etapa 3: Análise dos repositórios para qualificar as características apontadas na etapa anterior; • Etapa 4: Observação dos tipos de políticas, quando disponível; • Etapa 5: Análise e discussão dos resultados.
  7. 7. Resultados parciais • Dentre os 99 repositórios cadastrados no OpenDOAR, que os classifica como institucional, governamental e temático, somente 11 deles (11%) são classificados como disciplinares/temáticos. • Pode-se considerar que apenas quatro deles (4 %) são realmente RT, de acordo com Kuramoto (2006). 2 11 7 79 Aggregating Disciplinary Governmental Institutional Tipologia 54% 46% Produção da instituição Outras Fonte: Própria pesquisa (2019).
  8. 8. Resultados parciais • Em relação a política dos repositórios dois (2%) RTs possuem políticas norteadoras e 98% (97 repositórios) não possuem políticas norteadoras ou relacionadas a sua missão. • Foi identificada uma questão importante, considerada ao longo da pesquisa: ausência de curadoria da informação cadastrada no OpenDOAR. 60 33 3 3 0 10 20 30 40 50 60 70 Não Sim Sem aceso Duplicado Posssui política do repositório? 55 25 3 3 Não Sim Duplicado Sem aceso Possui outras políticas? Fonte: Própria pesquisa (2019).
  9. 9. Resultados parciais • Políticas norteadoras: É imprescindível que a política estabeleça: objetivo; equipe, instâncias e atribuições; mandato e mecanismos de acompanhamento; arquitetura da informação; gestão de coleções; metadados; tipologias, formatos e tamanho de arquivos; direito autoral e embargo (formas de acesso); formas de povoamento, fluxo de trabalho; tratamento da informação; preservação digital e atualização. • Até o momento do fechamento deste trabalho, foram identificados que 3 repositórios pertencem a esfera pública e 5 da esfera particular. 71 15 7 4 2 Institucionais Outros Sem acesso Temáticos Duplicado Tipologia 69% 19% 3% 9% Pública Particular Duplicado Sem acesso Fonte: Própria pesquisa (2019).
  10. 10. Considerações finais • Apresentar o cenário de Repositórios classificados como temáticos, como ferramenta de organização e disseminação da produção científica, necessita de políticas norteadoras para o seu funcionamento. • Diante dos preliminares apresentados, torna-se necessário questionar iniciativas e repositórios que possuem políticas, e que não estão cadastrados na fonte de pesquisa.
  11. 11. Considerações finais • RTs têm seus vínculos conectados com a comunidade científica. Espera-se que este trabalho possa contribuir para futuros estudos sobre RTs. • Busca reforçar também a importância da divulgação da missão dos RTs, de suas políticas, e de diretrizes de funcionamento.
  12. 12. Referências • BUDAPEST OPEN ACCESS INITIATIVE. Read the Budapest Open Access Initiative [sede Web]. Budapest, Hu: Open Society Ins- titute; 2002. Disponível em: http://www. soros.org/openaccess/read. Acesso em: 20 jan. 2019. • GUIMARÃES, Maria Cristina Soares, SILVA, Cícera Henrique da; NORONHA, Ilma Horsth. Los repositorios temáticos en la estrategia de la iniciativa Open Access. Nutricion Hospitalaria, v. 27, supl. 2, nov. 2012. Disponível em: http://scielo.isciii.es/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0212-16112012000800005. Acesso em: 12 jan. 2019. • GUIMARÃES, Maria Cristina Soares et al. Repositório temático na área de saúde mental: A contribuição brasileira em acesso livre. In: Atas do VIII Encontro Ibérico EDICIC, 2017. p. 247-256. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=6598962. Acesso em: 12 jan. 2019. • KURAMOTO, Hélio. Informação científica: proposta de um novo modelo para o Brasil. Ciência da Informação, v. 35, n. 2, p. 91- 102, 2006. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1144/1305. Acesso em: 20 jan. 2019. • MUELLER, Suzana Pinheiro Machado (Org.). Métodos para pesquisa em Ciência da Informação. Brasília: Thesaurus, 2007.
  13. 13. • Laboratório de Informação Científica e Tecnológica em Saúde - LICTS • https://www.icict.fiocruz.br/ • https://repositorio.observatoriodocuidado.org/

×