Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

TCC - Idosos

82.425 Aufrufe

Veröffentlicht am

TCC

Veröffentlicht in: Gesundheit & Medizin

TCC - Idosos

  1. 1. UniSantos-Curso de Serviço Social<br />Alunas:<br />Poliane Ferreira Da Silva<br />Priscila Brito dos Santos<br />Orientadora:<br />Profª.Ms. Clélia Maria da Silva Perazza <br />2009<br />15° Seminário de Sistematização do Agir Profissional<br />
  2. 2. Objeto de Estudo<br />Conhecer as formas de violência contra o Idoso no Município de Santos e Guarujá e as respectivas políticas sociais e o trabalho do Assistente Social frente a esta demanda.<br />
  3. 3. Agradecimentos:<br />Agradecemos primeiramente a Deus por nos ter dado forças, sabedoria e entendimento <br />para estar aqui concluindo este trabalho.<br />Aos nossos Familiares que nos apoiaram nestes quatro anos de graduação.<br />Aos nossos queridos Professores que com suas competênciascontribuíram para nossa formação.<br />E aos profissionais Assistentes Sociais que encontramos nos estágios supervisionados<br />que nos ajudaram a trilhar essa etapa das nossas vidas.<br />Aos profissionais Assistentes Sociais e Idosos sujeitos da nossa Pesquisa.<br />A nossa orientadora Professora Clélia Perazza.<br />Muito obrigado a todos.<br />
  4. 4. Objetivo Geral<br />Focalizar as causas e tipologias da violência contra o idoso no município de Santos e Guarujá e o processo de trabalho do profissional de Serviço Social com essa demanda.<br />Objetivo Específico<br /> a) Conhecer as causas e tipologias mais freqüentes da violência contra o idoso nos respectivos municípios e suas formas de enfrentamento.<br />b) Estudar e analisar os desafios do profissional de Serviço Social com essa demanda.<br />
  5. 5. Metodologia<br />O trabalho apresenta uma pesquisa de caráter qualitativo exploratório visando conhecer e esclarecer as particularidades deste processo em específico.<br />A pesquisa foi realizada através de entrevista com profissionais do setor de Assistência Social do município de Santos e Guarujá, duas Assistentes Sociais que responderam um questionário de perguntas abertas e uma Psicóloga que forneceu dados qualitativos, além de uma análise de prontuários em uma determinada organização.<br />
  6. 6. Hipótese<br /><ul><li>Éno meio familiar que o idoso deveriam estar sendo protegidos, tratados e acolhidos, no entanto é no espaço familiar, que se apresentam os índices mais acentuados de maus- tratos, abandono e negligência.
  7. 7. A intervenção do Profissional Assistente Social e equipe técnica podem favorecer a diminuição da prática abusiva da violência a pessoa idosa.
  8. 8. Existe falta de informações refletidas, que se tornam conhecimentos introjetados sobre o conjunto de leis, programas e normas, enfim, políticas públicas, que garantem os direitos dos idosos.</li></li></ul><li>ESTRUTURA DO TRABALHO<br />CAPITULO I: O IDOSO, A FAMÍIA e ASPOLÍTICAS PÚBLICAS<br /><ul><li>Procuramos compreender teoricamente as concepções de família, bem como estudar as Políticas Públicas,especialmente a de Assistência Social e as principais legislações, que garantem os direitos da pessoa Idosa como a Política Nacional do Idoso, o Estatuto do Idoso.
  9. 9. Ressaltamos a interface necessária com as outras Políticas como: Saúde, Previdência , Habitação, Esporte, Lazer e Cultura.
  10. 10. Abordamos o significado do envelhecimento e fizemos um breve histórico sobre como foi formulado e conquistado os direitos da pessoa idosa.
  11. 11. Constituição Federal (1988 - art. 230)
  12. 12. Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS - 7/12/1993)
  13. 13. Política Nacional do Idoso (PNI - 04/01/1994)
  14. 14. Estatuto do Idoso (Lei 10.741de 01/10/2003)
  15. 15. Política Nacional de Assistência Social (PNAS / nov. 2004)
  16. 16. Norma Operacional Básica (NOB - SUAS / julho 2005)</li></li></ul><li>ESTRUTURA DO TRABALHO<br /><ul><li>CAPITULO II: A VIOLÊNCIA E OS DESAFIOS PARA O SERVIÇO SOCIAL
  17. 17. Pontuamos as várias formas de violência praticadas contra o idoso, bem como a violência dentro da família e como romper com o silêncio denunciando tais abusos, além de compreender a atuação do Assistente Social junto a esta demanda.</li></li></ul><li>O que é Violência?<br />Ato ou Efeito de violentar, empregar força física contra alguém ou algo, pode ser <br />demonstrado através de palavras ou ações, obrigando uma pessoa a submeter-se a <br />vontade de outra.<br />Formas de Violência:<br />Abuso Financeiro e Econômico: Consiste na exploração imprópria ou ilegal dos idosos ou ao uso não<br />consentido por eles de seus recursos financeiros e patrimoniais.<br />Violência Física: Relação de poder que consiste em agressões, lesões, golpes, cárcere privado, <br />privações, uso inadequado da força, deixar de dar comida, roupa e higiene.<br />Violência Psicológica: Impedir de falar, esconder informações, provocar raiva ou choro, deixar longo<br />tempo sozinho amedrontar, negar os direitos e desrespeitos.<br />Negligência ou Abandono: Traduz em desresponsabilidade e descompromisso do cuidado e do afeto<br />medicação e vestimenta descuidada, assistência a saúde incompleta, recusa ou inefiicáciaem satisfazer<br />qualquer das obrigações ou deveres para com o idoso.<br />Auto-Negligência: Diz respeito á conduta da pessoa idosa que ameaça sua própria saúde ou <br />Segurança, pela recusa de prover cuidados necessários a si mesmo.<br />
  18. 18. ESTRUTURA DO TRABALHO<br />CAPITULO III - A PESQUISA <br />Realizamos entrevistas com a Assistente Social que é Presidente do Conselho Municipal do Idoso do Guarujá e representante do Abrigo aonde à pesquisa foi realizada; uma Assistente Social de Santos, que é responsável pela coordenação da assistência social do idoso, e uma Psicóloga na qual obtivemos dados estatístico sobre o índice de violência no município de Santos. <br />Contatamos com a Gestora de uma organização no município de Guarujá,onde estão abrigados idosos do sexo masculino.Após o consentimento procedemos a coleta de dados nos prontuários objetivando entender as causas do abrigamento e conhecer os antecedentes de vida e de violência.<br />
  19. 19. Sistematização e Análise dos Dados<br /><ul><li>Caracterização do Serviço de Santos de 2005 á Julho de 2009</li></li></ul><li>Sistematização e Análise dos Dados<br />CAUSAS E TIPOLOGIA DA VIOLÊNCIA EM SANTOS<br />
  20. 20. Organização<br />Indicadores<br />Freqüência<br />Percentual<br />Naturalidade<br />Paraná<br />1<br />4,35%<br /> <br />Rio de Janeiro<br />1<br />4,35%<br />Ceara<br />1<br />4,35%<br />Pernambuco<br />1<br />4,35%<br />Minas Gerais<br />2<br />8,69%<br />Alagoas<br />2<br />8,69%<br />Bahia<br />3<br />13,05%<br />Sergipe<br />4<br />17,39%<br />São Paulo<br />8<br />34,78%<br />Total<br />23<br />100%<br /> <br /> <br /> <br /> <br />Sexo<br />masculino<br />23<br />100%<br /> <br /> <br /> <br /> <br />Idade<br />45 anos<br />1<br />4,35 %<br /> <br />60 a 65<br />6<br />26,08 %<br />66 a 70<br />5<br />21,74 %<br />71 a 75<br />6<br />26,08 %<br />76 a 80<br />3<br />13,05 %<br />81 a 89<br />2<br />8,69 %<br />Total<br />23<br />100% <br />Anos de Abrigamento<br /> <br />0 a 2 anos<br /> <br />11<br /> <br />47,82 %<br /> <br />3 á 5 anos<br />6<br />26,08 %<br />6 á 8anos<br />5<br />21,74 %<br />9 anos<br />1<br />4,35 %<br />Total<br />23<br />100% <br /> <br /> <br /> <br /> <br />Estado Civil<br />Divorciado<br />2<br />8,69%<br />Viúvo<br />3<br />13,05%<br />Separado<br />5<br />21,74%<br />Solteiro<br />13<br />56,52<br />Total<br />23<br />100%<br />Caracterização dos Idosos do “Lar Residencial Eno Gregori Antunes” em Guarujá.<br />
  21. 21. Causas e Tipologias do Abrigamento<br />Constatamosque a maioriados usuários tem comocausa de abrigamentoa falta de vínculo familiar, sendo que muitos deles sairãmcedo de casa, forammorar em outracidadeouestado e acabaram não retornandoparasuacidade de origem, perdendocontato e vínculoafetivo com seusentesqueridos. Hátambém um númerosignificativos de idososadvindo do alberguetotalizandoseis deles, essessão os que moravamnarua e que não tinhamvínculos de parentesnacidade. E,os usuários que tinhamvínculos não foramacolhidospelosfamiliares.<br />Os idososabrigados por solicitação familiar sãoaqueles que a famíliatrabalha e não tem condições de dar os cuidadosnecessários. Estesencontram- se debilitadospor algumproblema de saúde, vindoentãoa seremabrigados. E háidosos, que moravamsozinhos e não tinhamcondições de se cuidarem ,por motivo de doença, vieramparao abrigo.<br />
  22. 22. Conteúdo das respostas das Assistentes Sociais:<br />Qual o tipo de violência com maior freqüência nos atendimentos?<br />
  23. 23. Quais as necessidades do município em relação aos cuidados com o idoso?<br />
  24. 24. - De acordo com dados estatísticos o número de idosos que vem sendo vitimas de violência vem crescendo, o que leva alguém agredir um idoso?<br />
  25. 25. - O município está preparado para atender esta demanda?<br />
  26. 26. CONSIDERAÇÕES FINAIS<br />Em Santos,os cuidados com o Idosocomocoloca a Assistente Social é: “Ampliar os serviços de auto cuidado – vigilânciajuntoaosidosos; Ampliar os serviços de apoiopsicológico do idoso e familiares.<br />Em Guarujá,os serviçossãotodoslimitados e a responsabilidade em atender as denúnciassãotransferidas as Organizações não Governamentaishavendoumainversão de papéis, pois a obrigatoriedade, o dever é do Município (Estado) .<br />Em Santos,há um sistemaimplantadoparalidar com a denúnciase fazeros atendimentos.<br />Em Guarujá o acesso é através de serviços públicos e privados, não tendoumaestruturapara a redede serviços.<br />As duasassistentessociaisconcordam que as intervenções dos profissionaissãoessenciaisparadiminuira práticadaviolência, atendendo não só o idoso, mastodasuafamília.<br />
  27. 27. Diante do expostopropomos:<br /> <br />Garantira intencionalidade no processo de trabalhoqueimplicaemcontemplar a integralidade do idosoemsuasdimensões: física, moral, psicológica, cognitivaafetiva e espiritual, observando-se a necessidade de atendimentosócio – psíquico -pedagógicoterapêutico e interdisciplinar. <br />Para estáreestruturaçãopressupõem-se sensibilizar e mobilizar o poderpúblicoparaquesejamasseguradosproteção social efetiva, quepossibilitem a redução das desigualdadessociais e a inclusão do idoso, com direitosviolados. Dispondoinvestimentoparapossibilitar a reconstrução de vínculossociais e conquistarmaiorgrau de independência individual e social. <br />Deve-se ainda, defender a dignidade e osdireitoshumanos e monitorar a ocorrência dos riscos e de agravamento e, também, a viabilização de espaços de lazer e entretenimentosadiosaosmesmos, afastando-os de ocorrências de vitimização e agressões; possibilitando o resgate de suadignidade e cidadania e pressupondosuaefetivainclusão social, a partirdainterrupção do sofrimento com osváriostipos de violência e o desenvolvimentosaudável, seguro e dignonasuacaminhada, semrestrições.<br />PORTANTO, CONSIDERAMOS QUE A INTERRUPÇÃO DO SOFRIMENTO DOS ATOS DE VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO IMPLICA ASSEGURAR DIREITOS, QUE É UM DEVER DO ESTADO.<br />

×