Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Gestão de dados para periódicos científicos

154 Aufrufe

Veröffentlicht am

Apresentação feita por Fabiano Couto Corrêa da Silva (FURG) no VI Ciclo de Debates Periódicos UFSC, realizado nos dias 3 e 4 de de maio de 2018 na Universidade Federal de Santa catarina.

Veröffentlicht in: Bildung
  • Als Erste(r) kommentieren

  • Gehören Sie zu den Ersten, denen das gefällt!

Gestão de dados para periódicos científicos

  1. 1. Gestão de dados para Periódicos Científicos Fabiano Couto Corrêa da Silva Universidade Federal do Rio Grande fabianocc@gmail.com
  2. 2. Sumário Dados científicos - O papel do editor - Planejamento da revista - Infraestruturas de armazenamento e intercâmbio - Repositorios de dados - Ciclo de vida dos dados - Planos de gestão dos dados - Reflexões
  3. 3. O que são e que importância tem os dados científicos?
  4. 4. A Gestão de Dados Científicos é um processo desenhado para gestionar e disseminar conjuntos de dados de alta qualidade, que cumpram com os requisitos acadêmicos, legais e éticos.
  5. 5. BIG SCIENCE GRANDES INSTRUMENTOS CUSTOS ALTOS LONGA DURAÇÃO MUITOS COLABORADORES PESQUISA DISTRIBUÍDA PEQUENOS INSTRUMENTOS CUSTOS BAIXOS CURTA DURAÇÃO EQUIPES PEQUENAS PESQUISA LOCAL SMALL SCIENCE
  6. 6. Quais Dados?
  7. 7. Norte Nordeste Sudeste Sur Universidade Federal do Pará (UFPA) Universidade Federal do Ceará (UFC) Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) Universidade Federal do Rio Grande (FURG) Universidade Federal da Bahia (UFBA) Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Universidade Federal do Estado do Rio Grande do Sul (UFRGS) Universidade Federal do Maranhão (UFMA) Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Universidade Federal do Pernambuco (UFPE) Universidade de So Paulo (USP) Universidade Federal do Rio Grande (FURG) - Pesquisas… - Entrevistas… 9
  8. 8. Tipos dados não estruturados Exemplos Imagens Satélite Dados de pesquisa Gráficos sísmicos e atmosféricos Fotografia e video Gravação nos oceanos Acústico Sonar e radar
  9. 9. Matriz de dados registrados por um especialista em AVC isquêmico Neste caso, um médico especialista avalia a gravidade de seus pacientes em uma escala de 0 a 6. As filas correspondem ao número de pacientes (41 observações) que foram avaliados e as colunas ao valor do curso de cada um dos pacientes em 6 articulações do corpo.
  10. 10. Imagem de um acidente vascular cerebral isquêmico
  11. 11. UM EXEMPLO DE PROCESSAMENTO DE DADOS BRUTOS:
  12. 12. AGÊNCIAS FINANCIADORAS DE PESQUISA PLANEJAMENTO PARA COMPARTILHAR DADOS Isso garante que os pesquisadores se comprometam a cuidar dos dados durante e após a investigação para otimizar a troca de dados. PERIÓDICOS CIENTÍFICOS Os periódicos exigem cada vez mais que os dados que sustentam a pesquisa sejam depositados em um banco de dados ou repositório acessível. INSTITUIÇÕES DE PESQUISA Financiam / desenvolvem infraestruturas para a gestão e os serviços de dados para facilitar o uso compartilhado dentro de dominios específicos. PESQUISADORES Iniciativas como o identificador persistente (DOI) ajudam os pesquisadores que seus dados sejam citáveis, rastreáveis e acessíveis para que os dados da pesquisa, bem como as publicações baseadas nesses dados Dados científicos se tornam parte da infraestrutura mundial de pesquisa
  13. 13. Para determinadas modalidades e chamadas, o documento “Plano de Gestão de Dados” faz parte dos anexos obrigatórios de uma proposta submetida à FAPESP.
  14. 14. Os Dados de pesquisa Nos últimos anos, várias organizações científicas nacionais e internacionais emitiram declarações e políticas que evidenciam a necessidade de um imediato arquivo dos dados.
  15. 15. Diversas instituições, associações e organizações começaram a oferecer diretrizes para a adequada gestão de dados de pesquisa. Research Data Management : Principles, Practices, and Prospects. [e-Book]. New York, CLIR, 2013. Texto completo Directions for Research Data Management in UKUniversities. London, JISC, 2015. Texto completo Research Data Management Roles for Libraries. New York, Ithaka S+R, 2015 Texto completo Research Data Management: Briefing for library directors, [e-Book] London: Sconul, 2015 Texto completo
  16. 16. Quem possui os dados? Quais requisitos são impostos por outras pessoas? Quais dados devem ser mantidos e por quanto tempo?Como os dados digitais devem ser preservados? Existem considerações éticas? Como os dados são acessados? Como os dados devem ser oferecidos? Como os custos serão tratados? O que deve ser levado em conta?
  17. 17. Estamos arquivando os dados em repositórios. Porém, estamos preocupados com sua recuperação ?
  18. 18. Como funciona?
  19. 19. Identificadores persistentes O quê é um identificador persistente? É um método de resolução de endereços (URL) que procura garantir o acesso a objetos na Internet, mesmo quando eles mudam de local (URL de acesso). Handle: hdl.handle.net/123456789/1234 DOI: dx.doi.org/10.4100/jhse.2010.52.15 PURL: purl.org/net/example/purlName
  20. 20. Identificadores persistentes Algumas alternativas disponíveis DOI
  21. 21. Os metadados que estamos utilizando não são universais. Os números são.
  22. 22. A única coisa que falta no "canivete suíço" dos identificadores persistentes é demonstrar o estado da arte dos dados que registram. http://search.crossref.org Vamos fazer um teste: Português Inglês Castelhano Tailandês Italiano Grego Francês Mandarim Alemão Japonês Holandês Norueguês Polaco Hebreu Romano Russo
  23. 23. Como organizar tudo isso?
  24. 24. Primeiro desenvolva um Plano de gestão de dados
  25. 25. Para que os dados sejam úteis, é necessário criar aplicativos, lançar novos produtos e serviços que melhorem a transparência e a abertura. Isso requer uma intervenção ao longo do ciclo de vida dos dados
  26. 26. Seleção da mostra Coleta dos dados Preparação dos dados Análise exploratória Definição dos indicadores Visualização gráfica Divulgação dos resultados
  27. 27. Quais competências são necessárias?
  28. 28. Setores profissionais…
  29. 29. 10 Aspectos a serem considerados pelos periódicos científicos antes de projetar uma política de dados • 1 - A revista deve ter uma política de dados? Existem experiências anteriores no tema? • 2 - A revista possui capacidade, em RH, para gerenciamento de dados? • 3 - Em relação aos conjuntos de dados, o depósito ocorrerá juntamente com a submissão do artigo ou como material suplementar? • 4 - Os conjuntos de dados devem ser incluídos nos processos de revisão? • 5 - A revista tem uma política de licenciamento clara sobre os direitos de explorar seu conteúdo? • 6 - Existem instruções claras para os autores respeitarem os aspectos éticos dos dados? • 7 - A revista deve incorporar instruções claras aos autores sobre como citar os dados? • 8 - Existe uma política de dados que dependa de agentes externos e políticas fora da própria revista (comitês, agências de financiamento, …) • 9 - Existem repositórios temáticos de artigos e conjuntos de dados (datasets) compatíveis com a disciplina? • 10 - A disponibilização de dados pode aumentar a visibilidade e o impacto da revista? Os conjuntos de dados podem ser um valor agregado da revista? Fonte: Adaptado de: López-Borrull et. al.
  30. 30. Gestão de dados para Periódicos Científicos Fabiano Couto Corrêa da Silva Universidade Federal do Rio Grande fabianocc@gmail.com

×