Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Omnifuncional, o profissional que toda empresa quer

117 Aufrufe

Veröffentlicht am

Tendências profissionais frente a trasnformação digital

Veröffentlicht in: Leadership & Management
  • Als Erste(r) kommentieren

  • Gehören Sie zu den Ersten, denen das gefällt!

Omnifuncional, o profissional que toda empresa quer

  1. 1. OMNIFUNCIONAL, O PROFISSIONAL QUE TODA EMPRESA QUER! Mas ainda não sabe reconhecer seu valor estratégico Por Carlos Alberto Orvate Há pouco estive envolvido em um debate sobre como definir Gestor ou Administra- dor, e durante as discussões muitos deram seus pareceres e desejos por um reconhecimen- to, criou-se cenários de dúvidas sobre as competências ou qualidades esperadas para as funções e se elas eram coincidentes ou complementares. O sonho de qualquer aluno universitário, até bem pouco tempo atrás, era concluir os estudos, e por diretrizes acadêmicas era conduzido a especializar-se em determinado nicho na área de formação. A competitividade e a instabilidade nas organizações obrigam o profissional deste novo milênio a atuar multifuncionalmente (Diz-se multifuncional quando algo ou alguém tem varias funções). Segundo as novas tendências de estudo na gestão de pessoas os profissionais es- perados são do tipo polivalente e na busca desses deve-se analisar o perfil pessoal, se ele possui algumas características como: ter disposição para treinamento contínuo, bom relaci- onamento Interpessoal, possuir iniciativa, ser responsável e questionador. Polivalente, pessoa que faz várias atividades ou tarefas, diz-se de indivíduos que têm a possibilidade de desempenhar muitas funções diferentes (dicionário informal). Ainda nessa seara, observo que a grande maioria das empresas adota ferramentas de busca de colaboradores, empregados, trabalhadores e de forma automatizada define uma função específica, mas na hora das definições de cargos e salários, elenca um rol enorme de atividades e responsabilidades desejando profissionais polivalentes com compe- tências multidisciplinares para atender as necessidades, fazendo exigências para funções como se o candidato devesse ser omnidirecional. Omnidirecional refere-se à noção de ter as mesmas propriedades em todas as direções, dispositi- vos omnidirecionais incluem: os que têm influência igualmente em todas as direções, que se projetam para todos os lados, que emitem em todas as direções (definição do autor). Quando as empresas decidem recrutar pessoa para exercer várias funções com responsabilidades holísticas esperam um profissional multifuncional, com treinamento e uma qualificação profissional multidisciplinar, que deve atuar de forma interdisciplinar com in- fluência em vários setores ou áreas que se relacionam entre si dentro da empresa e no mer- cado consumidor. Multidisciplinar é um sistema de saberes que, englobando experiências em várias disciplinas, busca a atingir metas dentro de um programa específico. Equipe multidisciplinar é um conjunto de especialis- tas, em diversas áreas, trabalhando em equipe, em busca de um objetivo comum. Interdisciplinar é um adjetivo que qualifica o que é comum a dois ou mais saberes ou outros ramos do conhecimento. É o processo de ligação entre as disciplinas. Um planejamento interdisciplinar é formatado quando dois ou mais objetivos re- lacionam suas etapas para utilizar o conhecimento e levar dinâmica ao atingimento das me-
  2. 2. Autor: Militar da reserva tecnólogo em segurança pública, docente de ensino superior, consultor para gestão do conhecimento, de segurança, da qualidade, de tecnologias de precisão; Especialista (Latu Sensu) em Tecnologias na Educação, com extensão universitária em Profissão Docente e Didática na Educação, pós graduando (MBA) em segurança da informação, com capacitações na área de empreendedorismo, planejamento de sistemas de segurança e inovação. Autor de vários papers sobre tecnologia e segurança inteligente. Contato: carlos.orvate@gmail.com +55 14 99701--9029 tas. A relação entre os conteúdos do saber é a base para um trabalho mais interessante, onde uma expertise auxilia a outra. A principal diferença entre a interdisciplinaridade e a multidisciplinaridade está na li- nearidade de ambas. Enquanto que a ação interdisciplinar visa o agrupamento de diversos ramos do conhecimento, seguindo um objetivo em comum, como um assunto ou tema espe- cífico, por exemplo, o método multidisciplinar não visa a linearidade dos assuntos. O multi- disciplinar pode ser um conjunto de saberes de são aplicados de maneira simultânea, mas sem a necessidade de estarem relacionadas entre si. Ao contrário do método interdisciplinar, que proporciona um conhecimento mais es- pecializado, a multidisciplinaridade resulta em conhecimentos mais ecléticos. É aqui que ocorrem as discrepâncias entre os requisitos organizacionais e os parâmetros de definições de cargos e salários. Esse operador multifuncional com a troca de posto de trabalho estará sempre inse- rido dentro de um principio de melhoria continua, no qual poderá enxergar “vícios” no pro- cesso, o qual um operador mono funcional já não consegue enxergar. A polivalência quando comparada ao sistema tradicional de trabalho mono funcional possui as seguintes vantagens: para o colaborador uma redução da fadiga; conhecimento em várias áreas; aplicação de oportunidades de melhoria; está apto a verificar as não con- formidades; percebe redução das perdas; aumento da qualidade do produto/processo. A sociedade requer profissionais “cidadãos” omnifuncionais, envolvidos com o todo e preocupados com resultados satisfatórios à comunidade global. O perfil do profissional do século 21 mudou e irá mudar muito mais, é um processo muito dinâmico. Portanto, as opor- tunidades são diferentes e certamente direcionarão os rumos das novas formas de trabalho, especialmente na nova economia colaborativa. Além dos requisitos de polivalência e da multifuncionalidade, o indivíduo necessita ter flexibilidade, saber trabalhar em equipe, ser criativo e estar predisposto a aceitar mudan- ças e desafios constantes que o impelem a construir um novo conhecimento a cada novo desafio. Esse é o novo profissional que as empresas buscam, um profissional de mente aberta, um camaleão, alguém disposto a mudar conforme o mercado muda sem medo de arriscar, mas esquecem de que essa competência leva a uma remuneração maior do que qualquer outro mono funcional. Pompéia-SP, 25 de outubro de 2016.
  3. 3. Comparativo entre o Gestor e o Administrador (produção do autor)

×