Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Daniel 11

1.846 Aufrufe

Veröffentlicht am

Daniel 11

Veröffentlicht in: Seele & Geist
  • Als Erste(r) kommentieren

  • Gehören Sie zu den Ersten, denen das gefällt!

Daniel 11

  1. 1. Uma abordagem didático-teológicaPr Jônatas LealSALT,BA
  2. 2. A grande guerra
  3. 3. Uma nova resposta à oração (Dn 10)Dias de oração e jejumO sacerdote vestido de linhoO poderoso guerreiro Miguel (v.13)
  4. 4. A guerra em detalhe A visão parte do início das setenta semana Pérsia (v.2) O quarto rei: Artarxerxes Grécia v.3 Roma pagã (militar) v.4
  5. 5. O norte contra o sul (v.5-39) O reino do norte e o chifre pequeno Desafia a Deus e procura usurpá-lo (v.36,37) Profana o santuário e retira o sacrifício contínuo(v.31) Se estabelece na terra gloriosa (v.16,41,45) e ataca opovo santo (v.28,29) Ele sai do norte (v.9) Ambos morrem da mesma forma (v.45)
  6. 6. Assim...Capítulo 8 Capítulo 11Pérsia (v.3,4) Pérsia (v.2)Grécia (v.5-8) Grécia (v.3,4)Roma (v.8,9) Roma (v.4)Chifre pequeno (v.9-12) Chifre pequeno (v.5-39)Tempo do fim(v.13,14,17,25)Tempo do fim (v.40-45)
  7. 7. O simbolismo norte-sul A simetria e estrutura dessas passagens nosadvertem contra uma interpretaçãoestritamente literal e histórica. As referências tornam-se abstratas emetafóricas.
  8. 8.  A unidade norte-sul como totalidade eespaço terreno Norte O norte é o representante bíblico do mal,que usurpa a Deus (Ez 21:3,4; Is 14:31; Jr1:14) Babilônia e o norte
  9. 9.  O Sul Na tradição bíblica representa o poderhumano sem Deus O sul e o Egito (11:43 cf.5:2) Na tradição profética confiar no Egito éconfiar no “braço” humano (Is 31:1,3)
  10. 10. Entre o Egito e Babilônia, Israelchegou a entender e a imaginar seudestino estritamente em relaçãocom essas duas forças dominantes.
  11. 11. O significado histórico A princípio é impossível e até certo pontodesnecessário determinar os detalheshistóricos da batalha entre o Sul e o Norte. Mas é possível discernir três temasprincipais.
  12. 12. O conflito entre o norte e o sul Norte: o poder eclesiástico religioso quedesempenha o papel de Deus na terra, atua como oúnico intercessor entre a humanidade e Deus. Sul: os movimentos filosóficos e políticos quelutam contra a religião com a arma da razão. Elesse evidenciam nas ideologias atuais e formas degoverno seculares e materialistas.
  13. 13. A aliança entre o norte e sulA aliança (v.6,17,22,23)As intenções de acordo entre a Igreja eo Estado
  14. 14. O conflito entre o norte e o povode DeusO conflito (v.16,28,30,31,35)A perseguição e a intolerância temmarcado a história da igreja ao longo dahistória
  15. 15. A última batalha: duas ofensivasA derrota do sul (v.40-42)Historicamente, significa que o poderpolítico-religioso triunfará sobre osmovimentos ateus e políticos.
  16. 16.  A última aliança entre o sul e o norte (v.43,44) O ataque contra o monte santo Monte santo como morada de Deus (Sl48:1,2;Is 14:13) Aqui encontramos os mesmos elementosencontrados na batalha do Armagedom emAp 16
  17. 17. Um batalha espiritual A batalha do Armagedom é o auge e o desfechofinal de uma guerra que está acontecendo hoje. O campo de batalha é a nossa mente.
  18. 18. Quando os homens estão contentes de vivermeramente para este mundo, a inclinação naturalune-se às sugestões do inimigo, e fazem-lhe avontade. Quando, porém, procuram deixar abandeira negra do poder das trevas, e se enfileiramsob o ensangüentado estandarte do PríncipeEmanuel, começa a luta, e a guerra é levada avanteaos olhos do Universo celeste.Todo aquele que combate ao lado do direito, devecombater corpo a corpo com o inimigo. Precisa pôrtoda a armadura de Deus, a fim de poder enfrentaros ardis do diabo.
  19. 19. O livro da guerra Capítulo 1: Babilônia x Jerusalém Capítulo 2: os metais x a rocha Capítulo 3: os jovens hebreus x a estátua Capítulo 4: Nabucodonosor x Deus Capítulo 5: Medo-Pérsia x Babilônia Capítulo 6: os magos x Daniel Capítulo 7: os animais x o Filho do Homem Capítulo 8: carneiro x bode x chifre pequeno
  20. 20.  Capítulo 10: príncipe Miguel x príncipe da Pérsia Capítulo 11: reino do sul x reino do norte Capítulo 12: Miguel (Jerusalém) x sul-norte(Babilônia/Egito)
  21. 21. O desfecho da guerra Daniel 12: 1-2 Historicamente, aponta para a volta de Cristo. O momento em que Miguel se levantará(‘amad) de uma vez por todas.
  22. 22. As hostes de Satanás e homens ímpios os rodearão, eexultarão sobre eles, pois parecerá não haver escape paraeles. Em meio, porém, de sua orgia e triunfo, ouve-seribombo após ribombo dos mais estrondosos trovões. Oscéus se enegreceram, sendo iluminados apenas pelabrilhante luz e a terrível glória do céu ao fazer Deus soarSua voz desde Sua santa habitação.Abalam-se os fundamentos da Terra; os edifícios vacilam ecaem com terrível fragor. O mar ferve como uma caldeira, ea Terra toda se acha em horrível comoção. Vira-se ocativeiro dos justos e, em suaves e solenes murmúrios,dizem uns aos outros: "Somos libertados. É a voz de Deus."
  23. 23. Quando a proteção das leis humanas for retirada dos quehonram a lei de Deus, haverá, nos diferentes países, ummovimento simultâneo com o fim de destruí-los.Aproximando-se o tempo indicado no decreto, o povoconspirará para desarraigar a odiada seita. Resolver-se-á dar emuma noite um golpe decisivo, que faça silenciar por completo avoz de dissentimento e reprovação.O povo de Deus - alguns nas celas das prisões, outrosescondidos nos retiros solitários das florestas e montanhas -pleiteia ainda a proteção divina, enquanto por toda partegrupos de homens armados, instigados pelas hostes de anjosmaus, se estão preparando para a obra de morte. ... Com bradosde triunfo, zombaria e imprecação, multidões de homens mausestão prestes a cair sobre a presa, quando, eis, um denso negror,mais intenso do que as trevas da noite, cai sobre a Terra. ...
  24. 24. É à meia-noite que Deus manifesta o Seu poder para olivramento de Seu povo. ... Em meio dos céus agitados,acha-se um espaço claro de glória indescritível, donde vema voz de Deus como o som de muitas águas, dizendo: "Estáfeito." Apoc. 16:17. Essa voz abala os céus e a Terra. ...As mais orgulhosas cidades da Terra são derribadas. Ossuntuosos palácios em que os grandes homens do mundodissiparam suas riquezas com a glorificação própria,desmoronam-se diante de seus olhos. As paredes dasprisões fendem-se, e o povo de Deus, que estivera retidoem cativeiro por causa de sua fé, é libertado. (EF, 269,270)
  25. 25. O seu envolvimento nesta guerra A realidade da guerra O preparo adequado A tomada de posição

×