Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.
SSÍÍNNDDRROOMMEESS 
MMEEDDUULLAARREESS 
MMaarrccuuss PPeettiinnddáá 
EEssttaaggiiáárriioo 
NNeeuurroollooggiiaa iinnffaann...
Medula espinhal 
Níveis medulares 
≠ 
Níveis vertebrais
SÍNDROMES MEDULARES 
 QUADRO CLÍNICO 
 Manifestação clínica  local da lesão 
 Instalação e 
evolução clínica  etiolog...
Secção transversa completa 
•Interrupção dos 
tratos motores, 
sensitivos e 
autonômicos 
•Lesão das raízes 
nervosas no 
...
Secção transversa completa 
 FASE AGUDA CHOQUE MEDULAR 
 Paralisia flácida 
 Arreflexia 
 Perda total da sensibilidade...
Secção transversa completa 
 FASE CRÔNICA 
 Paralisia espástica (i.e. com hipertonia) 
 Hiperreflexia 
 Perda total da...
Lembrete - Espasticidade 
 Hipertonia elástica: 
 Espasticidade; 
 Aumento do tônus é velocidade e comprimento 
depende...
Lembrete 
 Síndrome de liberação piramidal: 
 Hipertonia elástica (espasticidade); 
 Hiperreflexia; 
 Clônus; 
 Sinal...
Secção transversa completa 
 ETIOLOGIAS 
 TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR 
 Estável com possibilidade de melhora 
 MIELITE TR...
Síndrome do cone medular 
 Incontinência anal 
 Paralisia flácida da 
bexiga 
 Impotência sexual 
 Anestesia em sela 
...
Síndrome do cone medular 
Etiologias 
Tumores; metástases 
Progressiva 
Vascular 
Estável com possibilidade de 
melho...
Hemissecção medular
Hemissecção medular 
 SÍNDROME DE BROWN-SÉQUARD 
 Paresia espástica 
ipsilateral 
 Hiperreflexia ipsilateral 
 Perda d...
Hemissecção da medula 
 ETIOLOGIAS 
 TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR 
Estável com possibilidade de melhora
Hemissecção da medula 
 COMPRESSÃO EXTRÍNSECA LATERAL 
 Neoplasia – progressiva 
 Lipoma – lentamente progressiva ou es...
Compressão medular Traumatismo 
raquimedular
Síndrome da artéria espinal 
anterior 
 Paralisia flácida bilateral no 
segmento da lesão 
 Paralisia espástica bilatera...
Síndrome da artéria espinal 
anterior 
 ETIOLOGIAS 
 VASCULAR 
Tromboembolismo 
Vasculite 
Estável com possibilidade ...
Síndrome siringomiélica 
 SÍNDROME DO CANAL CENTRAL DA 
MEDULA ESPINHAL
Síndrome siringomiélica 
 Perda da sensibilidade 
superficial bilateral e 
simétrica no nível da 
lesão, (dissociação 
si...
Síndrome siringomiélica 
 ETIOLOGIAS 
 SIRINGOMIELIA 
 Lentamente progressiva ou estável 
 HEMATOMIELIA 
 Lentamente ...
Síndrome das colunas brancas 
posteriores 
 SÍNDROME DOS FUNÍCULOS POSTERIORES 
 TABES DORSALIS = COMPLICAÇÃO TARDIA DA ...
Síndrome das colunas brancas 
posteriores 
 Perda da sensibilidade profunda 
(cinestesia e vibração) bilateral com ataxia...
Síndrome das colunas brancas 
posteriores 
 Dificuldade ou impedimento da 
marcha devido à ataxia sensitiva 
 Dificuldad...
Síndrome das colunas brancas 
posteriores 
Etiologia Evolução 
 SÍFILIS Lentamente progressiva 
 TRAUMA Estável com poss...
Síndromes combinadas 
 DEGENERAÇÃO SUBAGUDA COMBINADA DA 
MEDULA
Degeneração subaguda combinada 
Síndrome de liberação piramidal 
bilateral (paresia espástica) 
Perda da sensibilidade p...
Degeneração subaguda combinada 
 ETIOLOGIA 
 CARENCIAL(deficiência de vitamina 
B12) 
 EVOLUÇÃO 
Progressiva com possi...
QUANDO SUSPEITAR 
 Disfunções neurológicas que não incluam: 
 Face 
 Funções cognitivas 
 Sentidos especiais 
 Disfun...
DDiiaaggnnóóssttiiccoo 
 EExxaammee nneeuurroollóóggiiccoo -- llooccaalliizzaaççããoo 
 EExxaammeess ccoommpplleemmeenntt...
Síndromes medulares
Nächste SlideShare
Wird geladen in …5
×

Síndromes medulares

11.711 Aufrufe

Veröffentlicht am

ESTUDOS EM NEUROLOGIA

Veröffentlicht in: Gesundheit & Medizin
  • Als Erste(r) kommentieren

Síndromes medulares

  1. 1. SSÍÍNNDDRROOMMEESS MMEEDDUULLAARREESS MMaarrccuuss PPeettiinnddáá EEssttaaggiiáárriioo NNeeuurroollooggiiaa iinnffaannttiill HHBBDDFF
  2. 2. Medula espinhal Níveis medulares ≠ Níveis vertebrais
  3. 3. SÍNDROMES MEDULARES  QUADRO CLÍNICO  Manifestação clínica  local da lesão  Instalação e evolução clínica  etiologia (causa)
  4. 4. Secção transversa completa •Interrupção dos tratos motores, sensitivos e autonômicos •Lesão das raízes nervosas no segmento da secção
  5. 5. Secção transversa completa  FASE AGUDA CHOQUE MEDULAR  Paralisia flácida  Arreflexia  Perda total da sensibilidade  Ausência de função autonômica  Bexiga atônica  Relaxamento dos esfíncteres
  6. 6. Secção transversa completa  FASE CRÔNICA  Paralisia espástica (i.e. com hipertonia)  Hiperreflexia  Perda total da sensibilidade  Alterações autonômicas  Sudorese exagerada  Piloereção exacerbada  Alterações vasculares cutâneas  Hipertonia vesical e dos esfíncteres
  7. 7. Lembrete - Espasticidade  Hipertonia elástica:  Espasticidade;  Aumento do tônus é velocidade e comprimento dependente (sinal do canivete);  Indica disfunção da motricidade voluntária no sistema nervoso central (córtex motor primário e/ou trato corticoespinal = trato piramidal);  Hipertonia plástica:  Sinal da roda denteada, que está associada a lesão do sistema extrapiramidal (núcleos da base).
  8. 8. Lembrete  Síndrome de liberação piramidal:  Hipertonia elástica (espasticidade);  Hiperreflexia;  Clônus;  Sinal de Babinski;  Reflexos cutâneoabdominais abolidos (conforme topografia da lesão).
  9. 9. Secção transversa completa  ETIOLOGIAS  TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR  Estável com possibilidade de melhora  MIELITE TRANSVERSA  INFECCIOSA  AUTOIMUNE  Estável com possibilidade de melhora ou em surtos
  10. 10. Síndrome do cone medular  Incontinência anal  Paralisia flácida da bexiga  Impotência sexual  Anestesia em sela  Abolição dos reflexos anais  Preservação dos reflexos profundos dos membros inferiores
  11. 11. Síndrome do cone medular Etiologias Tumores; metástases Progressiva Vascular Estável com possibilidade de melhora ou progressiva
  12. 12. Hemissecção medular
  13. 13. Hemissecção medular  SÍNDROME DE BROWN-SÉQUARD  Paresia espástica ipsilateral  Hiperreflexia ipsilateral  Perda das sensibilidades proprioceptiva e vibratória ipsilateral  Perda tato discriminativo ipsilateral  Perda das sensibilidades termoalgésica contralateral  Lesão das raízes nervosas no nível e ipsilateral à lesão Sensibilidade profunda e motricidade Sensibilidade superficial
  14. 14. Hemissecção da medula  ETIOLOGIAS  TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR Estável com possibilidade de melhora
  15. 15. Hemissecção da medula  COMPRESSÃO EXTRÍNSECA LATERAL  Neoplasia – progressiva  Lipoma – lentamente progressiva ou estável  Abscesso – possibilidade de melhora com tratamento  Sintomas se iniciam nas camadas mais externas dos tratos medulares longos;  Lesão cervical: sintomas sensitivos contralaterais (espino-talâmico) e motores ipsilaterais (corticoespinal) com características “ascendentes”.
  16. 16. Compressão medular Traumatismo raquimedular
  17. 17. Síndrome da artéria espinal anterior  Paralisia flácida bilateral no segmento da lesão  Paralisia espástica bilateral abaixo da lesão  Perda da sensibilidade termoalgésica bilateral abaixo do nível da lesão  Preservação da sensibilidade profunda  Alterações autonômicas  Sudorese exagerada  Piloereção exacerbada  Alterações vasculares cutâneas  Hipertonia vesical e dos esfíncteres
  18. 18. Síndrome da artéria espinal anterior  ETIOLOGIAS  VASCULAR Tromboembolismo Vasculite Estável com possibilidade de melhora ou em surtos
  19. 19. Síndrome siringomiélica  SÍNDROME DO CANAL CENTRAL DA MEDULA ESPINHAL
  20. 20. Síndrome siringomiélica  Perda da sensibilidade superficial bilateral e simétrica no nível da lesão, (dissociação siringomiélica = alteração da sensibilidade superficial e preservação da profunda)  Demais sintomas dependem da abrangência da lesão Sensibilidade superficial
  21. 21. Síndrome siringomiélica  ETIOLOGIAS  SIRINGOMIELIA  Lentamente progressiva ou estável  HEMATOMIELIA  Lentamente progressiva ou estável  TUMORES INTRAMEDULARES  Progressiva
  22. 22. Síndrome das colunas brancas posteriores  SÍNDROME DOS FUNÍCULOS POSTERIORES  TABES DORSALIS = COMPLICAÇÃO TARDIA DA SÍFILIS
  23. 23. Síndrome das colunas brancas posteriores  Perda da sensibilidade profunda (cinestesia e vibração) bilateral com ataxia decorrente da perda sensorial (dissociação tabética = alteração da sensibilidade profunda e preservação da superficial)  Disfunção intestinal, da bexiga urinária e sexual
  24. 24. Síndrome das colunas brancas posteriores  Dificuldade ou impedimento da marcha devido à ataxia sensitiva  Dificuldades motoras para atividades dos membros superiores pela ataxia  Piora das funções motoras no escuro
  25. 25. Síndrome das colunas brancas posteriores Etiologia Evolução  SÍFILIS Lentamente progressiva  TRAUMA Estável com possibilidade de melhora  TUMORES Progressiva  GENÉTICA (ATAXIA Progressiva DE FRIEDREICH)
  26. 26. Síndromes combinadas  DEGENERAÇÃO SUBAGUDA COMBINADA DA MEDULA
  27. 27. Degeneração subaguda combinada Síndrome de liberação piramidal bilateral (paresia espástica) Perda da sensibilidade profunda com ataxia sensitiva
  28. 28. Degeneração subaguda combinada  ETIOLOGIA  CARENCIAL(deficiência de vitamina B12)  EVOLUÇÃO Progressiva com possibilidade de melhora com o tratamento
  29. 29. QUANDO SUSPEITAR  Disfunções neurológicas que não incluam:  Face  Funções cognitivas  Sentidos especiais  Disfunções neurológicas que apresentem:  Nível sensitivo ou motor;  Predominantemente com características centrais;  Ocasionalmente periférica.  Acometimento alternado sensibilidade superficial e motricidade  Envolvimento bilateral  Disfunção esfincteriana (vesical e anal)
  30. 30. DDiiaaggnnóóssttiiccoo  EExxaammee nneeuurroollóóggiiccoo -- llooccaalliizzaaççããoo  EExxaammeess ccoommpplleemmeennttaarreess  HHeemmooggrraammaa,, VVHHSS,, uurrééiiaa,, ccrreeaattiinniinnaa,, TTGGOO,, TTGGPP,, pprroovvaass ddee aattiivviiddaaddee rreeuummááttiiccaa,, SSTTOORRCCHH,, PPPPDD,, aannttii-- HHIIVV,, EEPPFF((eessqquuiissttoossssoommoossee))  LLííqquuoorr  RRxx ddee ttóórraaxx  RRMM  MMiieellooggrraaffiiaa ccoomm CCTT oouu CCTT  PPootteenncciiaall eevvooccaaddoo((eesscclleerroossee mmúúllttiippllaa))

×