Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Metodos Pesquisa 1 Introdução aos métodos de pesquisa. 1, Métodos quaLitativos

Metodos Pesquisa 1 Introdução aos métodos de pesquisa. 1, Métodos quaLitativos

  1. 1. Quali<br />Introdução aos métodos de pesquisa. 1, Métodos quaLitativos<br />Letícia Strehl<br />Bibliotecária (Bib. Central-UFRGS)<br />Doutoranda (PPGCOM-UFRGS)<br />17 set. 2009<br />Bib 03021<br />
  2. 2. Métodos de pesquisa<br />
  3. 3. Técnicas qualitativas, quantitativas e de métodos mistos<br />CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007. p. 36<br />
  4. 4. Suposições filosóficas<br />Alegações de conhecimento significa que os pesquisadores começam um projeto com determinadas suposições sobre como vão aprender e o que vão aprender durante a investigação<br />Construtivismo:<br />*significados múltiplos do participante<br />*construção social e histórica<br />*geração de teoria<br />Pós-positivismo:<br />*determinação<br />*reducionismo<br />*observação empírica e mensuração<br />*verificação da teoria<br />Pragmatismo:<br />*consequência das ações<br />*centrado no problema<br />*pluralista<br />*orientada para prática no mundo real<br />CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007. p. 36<br />
  5. 5. Métodos QuaLItativos<br />
  6. 6. Propósitos<br />Analisar os significados que os indivíduos dão às suas ações no ambiente em que suas vidas e suas relações são construídas<br />Observar as ações particulares de cada indivíduo em relação ao contexto social em que ocorrem<br />Quali<br />Adaptado de: STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos<br />
  7. 7. Características (1)<br />O ambiente e as circunstâncias são fonte direta para coleta de dados<br />contexto, pessoas, situações, reações<br />O pesquisador pode manter contato direto e prolongado com o ambiente<br />Os dados coletados são descritivos e servem para a compreensão do problema<br />Quali<br />Ou seja, não são obtidos de forma previamente codificada<br />Adaptado de: STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos<br />
  8. 8. Características (2)<br />Ênfase no processo e não no produto <br />como se manifesta o problema?<br />Estudo da opinião dos pesquisados <br />o que pensam sobre o problema?<br />Quali<br />Adaptado de:<br />STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos<br />MAY, Tim. Pesquisa social : questões, métodos e processos. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.<br />
  9. 9. Características (3)<br />Análise indutiva dos dados<br />Questão inicial é elaborada, revista e reorientada a partir do contexto e sujeitos pesquisados<br />Quali<br />A pesquisa vem antes da teoria e relaciona-se com ela na fase de análise e interpretação dos dados<br />STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos<br />
  10. 10. Participantes ativos<br />Pesquisador:<br /> Observador ativo; participa da cultura local para compreender práticas e costumes, identificar necessidades e propor ações;<br />Pesquisados:<br />Sujeito ativo, participa através de seu depoimento; pode acrescentar novos dados.<br />Quali<br />STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos<br />
  11. 11. Coleta de Dados: etapas<br />Indutiva:<br /> A observação intensiva do ambiente pesquisado pode sugerir questões a serem incluídas no estudo. O pesquisador deve ter conhecimentos teóricos em Sociologia e Antropologia;<br />Deliberativa:<br />Escolha das questões mais importantes para a pesquisa. O pesquisador utiliza sua bagagem cultural e científica.<br />Quali<br />STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos<br />
  12. 12. Definição da amostragem<br />Pessoas, locais ou documentos PROPOSITADAMENTE selecionados para estudo<br />Critério: fontes que melhor auxiliarão o pesquisador a entender o problema de pesquisa<br />Os quatro aspectos a definir:<br />Cenário: onde a pesquisa vai ocorrer?<br />Atores: quem serão os observados ou entrevistados?<br />Eventos: o que os atores estarão fazendo enquanto forem observados ou como serão entrevistados?<br />Processo: a natureza evolutiva dos eventos vividos pelos atores dentro do cenário<br />Quali<br />CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007. p. 36<br />
  13. 13. Técnicas de coleta de dados<br />Quali<br />Adaptado de: CRESWELL, John W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Port Alegre: Artmed, 2007. <br />
  14. 14. Quali<br />Entrevistas<br />
  15. 15. Tipos de instrumentos para entrevistas (1)<br />Entrevista semi-estruturada<br />As perguntas são normalmente especificadas, mas o entrevistador está livre para ir além das respostas<br />O entrevistado responde às questões em seus próprios termos<br />Quali<br />MAY, Tim. Pesquisa social : questões, métodos e processos. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.<br />
  16. 16. Tipos de instrumentos para entrevistas (2)<br />Entrevista não estruturada<br />O processo busca revelar a base subjetiva dos assuntos tratados. Seu caráter aberto desafia as percepções do pesquisador quando o entrevistado responde às perguntas dentro de sua própria estrura de referência (exemplos: entrevistas biográficas, história oral, história de vida)<br />Quali<br />MAY, Tim. Pesquisa social : questões, métodos e processos. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.<br />
  17. 17. Tipos de instrumentos para entrevistas (3)<br />Entrevista em grupo<br />Entrevista em grupo focal<br />Quali<br />MAY, Tim. Pesquisa social : questões, métodos e processos. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.<br />
  18. 18. Lista de verificação para o planejamento e a condução das entrevistas (1)<br />Quali<br />BELL, J. Projeto de pesquisa : guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Porto Alegre: Artmed, 2008.<br />
  19. 19. Lista de verificação para o planejamento e a condução das entrevistas (2)<br />Quali<br />BELL, J. Projeto de pesquisa : guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Porto Alegre: Artmed, 2008.<br />
  20. 20. Lista de verificação para o planejamento e a condução das entrevistas (3)<br />Quali<br />BELL, J. Projeto de pesquisa : guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Porto Alegre: Artmed, 2008.<br />
  21. 21. Lista de verificação para o planejamento e a condução das entrevistas (4)<br />Quali<br />BELL, J. Projeto de pesquisa : guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Porto Alegre: Artmed, 2008.<br />
  22. 22. Alguns parâmetros práticos para planejamento<br />Um relato da minha experiência particular:<br />Quanto mais amplas as questões, mais tempo os entrevistados demoram para respondê-las.<br />As entrevistas que conduzi com um roteiro semi-estrutrado com 10 perguntas gerais durava, em média, 1 hora<br />Recomenda-se que as entrevistas não ultrapassem 1h e meia<br />1 hora de entrevista produz, em média, 13 páginas de transcrição<br />1 hora de entrevista é transcrita, em média, em 6 horas<br />Dica: programa para gravação de entrevistas: Audacity (disponível em: http://audacity.sourceforge.net/?lang=pt)<br />Quali<br />
  23. 23. Quali<br />Observações<br />
  24. 24. Lista de verificação para os estudos de observações (1)<br />Quali<br />BELL, J. Projeto de pesquisa : guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Porto Alegre: Artmed, 2008.<br />
  25. 25. Lista de verificação para os estudos de observações (2)<br />Quali<br />BELL, J. Projeto de pesquisa : guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Porto Alegre: Artmed, 2008.<br />
  26. 26. Lista de verificação para os estudos de observações (3)<br />Quali<br />BELL, J. Projeto de pesquisa : guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. Porto Alegre: Artmed, 2008.<br />
  27. 27. Registro e Análise dos Dados Qualitativos (1)<br />Anotar ou gravar as ações e/ou manifestações dos sujeitos<br />Organizar e preparar os dados para análise (transcrever as entrevistas, organizar as observações)<br />STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos<br />GIBBS, G. Análise de dados qualitativos. Porto Alegre: Artmed, 2009.<br />
  28. 28. Registro e Análise dos Dados Qualitativos (2)<br />Separar em grupos ou categorias;<br />Assinalar as manifestações que melhor exprimem cada categoria ou grupo;<br />Interpretar ou extrair significado dos dados (interpretação pessoal – vivência -, ou baseada na literatura – comparar com a teoria ou com estudos anteriores).<br />STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos<br />
  29. 29. Dados que podem ser codificados<br />GIBBS, G. Análise de dados qualitativos. Porto Alegre: Artmed, 2009.<br />
  30. 30. Tratamento dos dados : sugestões (1)<br />Mapas de associação de idéias (1)<br />Criação de uma tabela com tantas colunas quantas forem as categorias de análise<br />A fala é transposta em sua totalidade para as colunas, respeitando a ordem da fala original<br />SPINK, Mary Jane Paris; LIMA, Helena. Rigor e visibilidade: a explicitação dos passos da interpretação. SPINK, Mary Jane Paris (Org.). Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano : aproximações teóricas e metodológicas. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2000. p. 93-122.<br />
  31. 31. Tratamento dos dados : sugestões (2)<br />Mapas de associação de idéias (2)<br /> No princípio, as categorias definidas são gerais, de natureza temática, refletindo principalmente os objetivos da pesquisa e sua dimensão teórica.<br />À medida que o processo de análise avança as categorias são revistas, gerando uma aproximação paulatina com os sentidos percebidos como atividade fim.<br />SPINK, Mary Jane Paris; LIMA, Helena. Rigor e visibilidade: a explicitação dos passos da interpretação. SPINK, Mary Jane Paris (Org.). Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano : aproximações teóricas e metodológicas. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2000. p. 93-122.<br />
  32. 32. Tratamento dos dados : sugestões (3)<br />Codificação linha por linha<br />GIBBS, G. Análise de dados qualitativos. Porto Alegre: Artmed, 2009.<br />
  33. 33. Ética dos Estudos Qualitativos<br />Estabelecer clima de confiança entre pesquisador e pesquisados para validade e objetividade do estudo;<br />Apresentar-se como pesquisador e não fingir fazer parte do grupo;<br />Solicitar o consentimento dos informantes (verbal ou por escrito);<br />STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos<br />
  34. 34. Ética dos Estudos Qualitativos (cont.)<br />Garantir sigilo das informações;<br />Negociar informações que serão tornadas públicas;<br />Proteger interesses dos participantes, caso sua opinião acarrete riscos para os mesmos.<br />STUMPF, Ida R.C. Estudos de Usuários: aspectos metodológicos<br />

×