Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Idade moderna 2 site

4.865 Aufrufe

Veröffentlicht am

Veröffentlicht in: Technologie, Business
  • Loggen Sie sich ein, um Kommentare anzuzeigen.

Idade moderna 2 site

  1. 1. Idade Moderna By Carlos
  2. 2. Durante a Idade Moderna conviveram: <ul><li>Sobrevivências feudais; </li></ul><ul><li>Intolerância irracional; </li></ul><ul><li>Fanatismo – tirania sanguinária da Inquisição; </li></ul><ul><li>Enfim, podemos encontrar elementos feudais na Idade Moderna. </li></ul><ul><li>Individualismo; </li></ul><ul><li>Nascente K; </li></ul><ul><li>Burguesia dinâmica; </li></ul><ul><li>Conhecimento científico; </li></ul><ul><li>Humanismo </li></ul><ul><li>Racionalismo. </li></ul>Ou seja, toda a Modernidade pode ser encarada como uma fase de transição entre o Feudalismo e o Capitalismo, possuindo características de ambas!!
  3. 3. Modificações da Idade Moderna <ul><li>Cultural – Renascimento cultural </li></ul><ul><li>Política – Absolutismo </li></ul><ul><li>Econômica – Expansão marítima </li></ul><ul><li>Religiosa – Reforma religiosa </li></ul>
  4. 4. Absolutismo <ul><li>Razões para a implantação do Absolutismo: </li></ul><ul><li>Apoio dado pela burguesia ao rei, fato que lhe permitiu progressivamente destruir o poder da nobreza; </li></ul><ul><li>Desenvolvimento do espírito nacionalista que provocou inclusive o choque entre os chefe de estado e o papado; </li></ul><ul><li>Teorias defendidas por teóricos como Bossuet e Bodin que os reis possuíam o Poder Divino, recebiam de Deus o poder para governar. </li></ul>
  5. 5. Caracterização do Absolutismo <ul><li>Caracterização do Absolutismo: </li></ul><ul><li>Vontade do rei tem força de lei; </li></ul><ul><li>Reis recebem o poder de Deus e somente a ele devem dar conta de seus atos; </li></ul><ul><li>“ O Estado sou eu” (frase atribuída a Luis XIV). </li></ul><ul><li>Mercantilismo – política econômica da Rev. Comercial e do Absolutismo. </li></ul>
  6. 6. Teóricos <ul><li>Maquiavel: “O Príncipe” </li></ul><ul><li>Hobbes: “Leviatã” </li></ul><ul><li>Bossuet: “Teoria do Direito Divino” </li></ul><ul><li>Bodin: “Seis Livros da República” </li></ul><ul><li>Grotius: “Pai do direito internacional” </li></ul>
  7. 7. Casos especiais <ul><li>França </li></ul><ul><li>Iniciou com a dinastia capetíngia. </li></ul><ul><li>Salto com Luis IX, com uma moeda única, facilitando o comércio. </li></ul><ul><li>Consolidação com a Guerra dos Cem Anos (1337 – 1453) </li></ul><ul><li>Auge com Luis XIV </li></ul><ul><li>Inglaterra </li></ul><ul><li>Henrique II (1154-1189) enfraqueceu a nobreza feudal e criou uma justiça unificada. </li></ul><ul><li>Ricardo Coração de Leão – cruzado </li></ul><ul><li>João Sem-terra (1199 – 1216) assinou a Magna Carta em 1215. </li></ul><ul><li>Guerra dos Cem Anos </li></ul><ul><li>Guerra das Duas Rosas (1455 – 1485) </li></ul><ul><li>Henrique VIII e Elisabeth I </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Península Ibérica </li></ul><ul><li>Portugal – 1° estado de tipo moderno a surgir </li></ul><ul><li>Revolução de Avis (1385) – D. João I aliado da burguesia inaugura uma monarquia centralizada </li></ul><ul><li>Espanha – a partir da união entre Fernando e Isabel </li></ul><ul><li>Ambos – Guerra de Reconquista </li></ul>
  9. 9. Práticas econômicas do Estado Absolutista – O Mercantilismo <ul><li>Metalismo </li></ul><ul><li>Balança de Comércio Favorável </li></ul><ul><li>Protecionismo </li></ul><ul><li>Intervencionismo Estatal </li></ul><ul><li>Colonialismo </li></ul><ul><li>Pacto Colonial </li></ul><ul><li>Tipos de Mercantilismos </li></ul><ul><li>Bulionismo </li></ul><ul><li>Colbertismo </li></ul><ul><li>Comercialismo </li></ul><ul><li>Cameralismo </li></ul><ul><li>Colonialismo </li></ul>
  10. 10. Renascimento Cultural <ul><li>Movimento cultural que se estendeu do século XIV ao XVI </li></ul><ul><li>Inspirado nos valores clássicos </li></ul><ul><li>Rejeitava os valores medievais </li></ul><ul><li>Iniciou na Itália: berço da cultura romana, renascimento comercial, chegada de sábios bizantinos principalmente após a queda de Constantinopla (1453) </li></ul><ul><li>Mecenas </li></ul>
  11. 11. Características do Renascimento <ul><li>Classicismo – inspiração nos valores clássicos, não era um retorno ao passado </li></ul><ul><li>Individualismo – ascensão da individualidade, exemplo nas pinturas, cemitérios </li></ul><ul><li>Hedonismo – busca pelo prazer </li></ul><ul><li>Naturalismo – valorização da natureza </li></ul><ul><li>Antropocentrismo – o homem é a medida de todas as coisas </li></ul><ul><li>Espírito crítico e racionalismo – busca por respostas, experimentação </li></ul>
  12. 12. Artistas Italianos <ul><li>Boccaccio – Decameron </li></ul><ul><li>Botticelli – Nascimento da Vênus </li></ul><ul><li>Da Vinci – Última Ceia, Gioconda </li></ul><ul><li>Rafael Sanzio – Madonas, Escola de Atenas </li></ul><ul><li>Michelangelo – Pietá, Davi, Capela Sistina </li></ul>
  13. 16. Expansão do Renascimento <ul><li>França – Rabelais (Gargantua e Pantagruel) </li></ul><ul><li>Espanha – Cervantes (Don Quixote de la Mancha) </li></ul><ul><li>Inglaterra – Shakespeare (Romeu e Julieta, Hamlet, A Megera Domada) </li></ul><ul><li>Portugal – Camões (Os Lusíadas) </li></ul><ul><li>Holanda - van eyck (Casal Arnolfini) </li></ul>
  14. 17. Renascimento Científico <ul><li>Copérnico – Heliocentrismo </li></ul><ul><li>Bacon – método indutivo, a observação leva a formação de leis universais </li></ul><ul><li>Harvey – circulação do sangue </li></ul><ul><li>Galileu – astronomia </li></ul><ul><li>Kepler – órbitas elípticas </li></ul>
  15. 18. Reforma Religiosa <ul><li>Fortalecimento dos Estados absolutos </li></ul><ul><li>Nobres e o desejo de possuir os bens da Igreja </li></ul><ul><li>Burguesia que desejava lucro </li></ul><ul><li>Renascimento cultural preconizava a razão </li></ul><ul><li>Corrupção do clero </li></ul><ul><li>Não cumprimento do celibato </li></ul>
  16. 19. Luteranismo <ul><li>1517 Lutero lança as suas “95 teses” criticando alguns pontos da Igreja católica </li></ul><ul><li>Salvação pela fé </li></ul><ul><li>Livre interpretação da bíblia </li></ul><ul><li>Fim da hierarquia da Igreja </li></ul><ul><li>Culto simples </li></ul><ul><li>1520 – papa Leão X excomungou Lutero </li></ul><ul><li>1521 0 Dieta de Worms – Lutero reafirma suas idéias </li></ul><ul><li>1529 – Dieta de Spira – tolerância da nova religião nos Estados que já tinham-na adotado </li></ul><ul><li>1530 – Filipe Melanchton – Confissão de Augsburgo – princípios do luteranismo </li></ul><ul><li>1555 – Paz de Augsburgo – o príncipe define a religião – tal príncipe, tal religião </li></ul>
  17. 20. Calvinismo <ul><li>Salvação não depende da fé ou das obras, mas o homem já nasce predestinado </li></ul><ul><li>Bíblia como única fonte da verdade </li></ul><ul><li>Exclusão do culto aos santos e às imagens </li></ul><ul><li>Combate ao celibato e à autoridade papal </li></ul><ul><li>Manutenção dos sacramentos do batismo e eucaristia </li></ul><ul><li>Justificação da usura </li></ul><ul><li>Teve grande aceitação na burguesia pois se preocupava com a valorização do trabalho e da riqueza. </li></ul><ul><li>Caracterizavam-se por severas normas de vida e proibições: era vedado os jogos, danças, festas, comemorações católicas, uso de adornos, adoção de nomes que não fossem bíblicos, reuniões familiares com mais de vinte membros, críticas ao governo. </li></ul>
  18. 21. Anglicanismo <ul><li>Ato de supremacia – 1534 – onde o rei foi reconhecido como o único chefe da Igreja nos territórios ingleses </li></ul><ul><li>Desejo de rompimento do casamento entre Henrique VIII e Catarina de Aragão </li></ul><ul><li>O Anglicanismo se consolidou definitivamente durante o reinado de Elizabeth I quando foi aprovado a Lei dos 39 Artigos (1562), que transformou o anglicanismo numa combinação dos rituais católicos e da doutrina calvinista. </li></ul>
  19. 22. Contra-Reforma <ul><li>Reação da Igreja contra o protestantismo; </li></ul><ul><li>A contra-reforma determinou seus rumos no Concílio de Trento (1545); </li></ul><ul><li>Reativar o tribunal do santo ofício; </li></ul><ul><li>Editar o Index; </li></ul><ul><li>Surgimento da Cia. De Jesus. </li></ul>
  20. 23. Expansão Marítima Européia <ul><li>Séculos XV, XVI e XVII; </li></ul><ul><li>Renascimento comercial com as cidades italianas e desenvolvimento do comercio no norte da Europa; </li></ul><ul><li>Acúmulo de riquezas – utilizadas e, novas empreitadas; </li></ul><ul><li>Quebra do monopólio das cidades italianas; </li></ul><ul><li>Escassez de metais na Europa; </li></ul><ul><li>Apoio dos reis – fonte de renda para as Coroas; </li></ul><ul><li>Interesse em descobrir outro caminho para as Índias; </li></ul><ul><li>Progresso técnico científico. </li></ul>
  21. 24. <ul><li>Pioneirismo Português </li></ul><ul><li>Progresso técnico-científico </li></ul><ul><li>Estado Moderno </li></ul><ul><li>Mercantilismo </li></ul><ul><li>Paz interna </li></ul><ul><li>Posição geográfica </li></ul><ul><li>Espírito cruzadistico </li></ul>
  22. 25. <ul><li>Conseqüências da Expansão: </li></ul><ul><li>Mudança do Eixo econômico para o Atlântico; </li></ul><ul><li>Decadência do comércio italiano – novas potências; </li></ul><ul><li>XG fluxo de metais para a Europa – Espanha; </li></ul><ul><li>Desenvolvimento do sistema bancário e de crédito – Fuggers; </li></ul><ul><li>Estabelecimento dos fundamentos do K moderno; </li></ul><ul><li>Enriquecimento da burguesia; </li></ul><ul><li>Difusão da cultura européia – pcp na América; </li></ul><ul><li>Fortalecimento do poder real – Absolutismo; </li></ul><ul><li>Preparação do desenvolvimento industrial; </li></ul><ul><li>Acordos e tratados – Bula intercoetera(1493) e Tordesilhas(1494). </li></ul>
  23. 26. Antigo Sistema Colonial na América <ul><li>Povos pre-colombianos </li></ul><ul><li>América espanhola </li></ul><ul><li>America inglesa </li></ul>
  24. 27. Maias
  25. 28. Política <ul><li>Cidades-estados independentes </li></ul><ul><li>Governados por um chefe que dirigia a política e recebia impostos, assessorado por um conselho de nobres e sacerdotes </li></ul><ul><li>Cidades: Tikal, Palenque, Chihen Itza, Copán </li></ul>
  26. 29. Economia <ul><li>Agricultura – atividade fundamental sendo o milho o principal produto </li></ul><ul><li>Terra pertencia ao Estado e era cultivada coletivamente </li></ul><ul><li>Caça e pesca eram atividades complementares </li></ul><ul><li>Artesanato bem desenvolvido – tecido, cerâmica, lapidação </li></ul><ul><li>Desenvolveram um importante comércio com os povos vizinhos. </li></ul>
  27. 30. Sociedade <ul><li>Nobres: chefes guerreiros. </li></ul><ul><li>Sacerdotes: controle da religião. </li></ul><ul><li>Povo: maioria da população (trabalhadores da agricultura, construções e artesanato). </li></ul><ul><li>Escravos: em pequeno número, prisioneiros de guerra ou condenados. </li></ul>
  28. 31. Religião <ul><li>Politeístas – divindades relacionadas aos fenômenos da natureza. </li></ul><ul><li>Construção de templos em homenagem aos deuses </li></ul>
  29. 32. Produção cultural <ul><li>Artes: destaque para a arquitetura, pintura e escultura (baixos-relevos que retratavam divindades, sacerdotes ou chefes políticos. </li></ul><ul><li>Ciências: desenvolveram a matemática e a astronomia. Fizeram cálculos complexos como a duração da rotação de Vênus, fases da Lua, eclipses solares. </li></ul>
  30. 33. ASTECAS
  31. 34. Política <ul><li>Monarquia Semi-teocrática </li></ul><ul><li>Chefe Político-militar - Tlatoani </li></ul><ul><li>Grande Império </li></ul><ul><li>Capital-Tenochtitlán </li></ul><ul><li>Alianças (Texcoco e Tlácopan) </li></ul><ul><li>Força Militar- Imposição Asteca as províncias conquistadas </li></ul>
  32. 35. Economia <ul><li>“ Povo anfíbio” </li></ul><ul><li>Chinampas </li></ul><ul><li>Principal cultivo- Milho </li></ul><ul><li>Comércio (Moeda cacau) </li></ul><ul><li>Praticavam a caça e pesca </li></ul>
  33. 36. Sociedade <ul><li>Soberano (família), Sacerdotes e Militares </li></ul><ul><li>Comerciantes “Pochtecas” </li></ul><ul><li>Pequenos comerciantes, artesões e agricultores </li></ul><ul><li>Meceuali ou Calpulli (comunidades) </li></ul><ul><li>Escravos ( Dívida ou espólio de guerra) </li></ul>
  34. 37. Religião e Cultura <ul><li>“ Arquitetura matemática” </li></ul><ul><li>Cultura medicinal </li></ul><ul><li>Calendário solar com 365 dias </li></ul><ul><li>Politeístas </li></ul><ul><li>Deus maior- Quetzal-coált </li></ul><ul><li>Sacrifício voluntário </li></ul><ul><li>Agradar aos Deuses e garantir o ciclo da vida </li></ul>
  35. 38. Conquista espanhola <ul><li>Último Imperador Asteca- Montezuma II </li></ul><ul><li>“ Retorno dos Deuses” </li></ul><ul><li>Tenochtitlán derrubada </li></ul><ul><li>Doenças </li></ul><ul><li>Hernan Cortez(1519-21) </li></ul><ul><li>Encomienda e Mita </li></ul>
  36. 39. Incas
  37. 40. Política <ul><li>Monarquia teocrática. </li></ul><ul><li>Imperados ao mesmo tempo era o chefe político, religioso e militar. </li></ul><ul><li>Poder sustentado no culto ao Sol, ele era considerado a sua encarnação na terra. </li></ul><ul><li>Sucessão ao trono era hereditária. </li></ul><ul><li>Lutas internas enfraqueceram o império e facilitou a conquista. </li></ul>
  38. 41. Economia <ul><li>Agricultura bem desenvolvida inclusive com adubos e irrigação. </li></ul><ul><li>Domesticaram a lhama, vicunha e a alpaca – transporte, lã e couro. </li></ul><ul><li>Comércio feito em grandes mercados locais, mas desconheciam a moeda. </li></ul><ul><li>Trabalhavam com metais preciosos. </li></ul>
  39. 42. Economia
  40. 43. Sociedade <ul><li>Nobres e sacerdotes – o Inca (imperador) era a figura mais importante. Essa grupo estava isento de impostos e do trabalho gratuito. </li></ul><ul><li>Povo – camada social não-privilegiada formada basicamente por camponeses. Trabalhavam nas terras do Estado e pagavam impostos sob a forma de serviços. </li></ul><ul><li>Ayllus – comunidades formadas por laços de parentesco ou aliança. </li></ul>
  41. 44. Religião <ul><li>Adoravam as forças da natureza. INTI (Sol) e QUILLA (Lua). </li></ul><ul><li>Havia também o deus do trovão, do arco-íris, dos planetas, etc. sobre todos eles estava WIRACOCHA (deus criador). </li></ul><ul><li>Contavam com um bem organizado corpo de sacerdotes. </li></ul>
  42. 45. Produção cultural <ul><li>Grande destaque para a arquitetura, exemplo Machu Picchu. </li></ul><ul><li>Criaram um sistema de numeração decimal, denominado Quipu. Registravam as informações em diferentes cordões, com nós. </li></ul><ul><li>Usavam ervas medicinais e a sangria. Realizavam também a trepanação. </li></ul>
  43. 46. Conquista do Império Inca <ul><li>Francisco Pizarro. </li></ul><ul><li>Império Inca vivia momentos difíceis devido as lutas entre Atahualpa e Huascar (vencida pelo primeiro). </li></ul><ul><li>1533 espanhóis tomaram as cidades de Cuzco e Quito. Dois anos depois fundaram a cidade de Lima, a nova capital. </li></ul>
  44. 47. A SOCIEDADE COLONIAL ESPANHOLA: (aproximadamente 20 milhões de pessoas). CHAPETONES e CLERO : Espanhóis, altos cargos, privilégios. CRIOLLOS: Descendentes de espanhóis nascidos na América. Elite colonial, grandes proprietários e comerciantes. Integrantes dos Cabildos (Câmaras Municipais) MESTIÇOS : capatazes e artesãos que serviam aos criollos. ÍNDIOS e NEGROS: explorados como escravos ou “semi-escravos” ( Mita ou Repartimiento, E ncomienda. 58% 27,5% 13,5% 1%
  45. 48. Estrutura colonial espanhola <ul><li>Casa de Contratación </li></ul><ul><li>Conselho das índias </li></ul><ul><li>Adelantados </li></ul><ul><li>Vice-reinos </li></ul><ul><li>Captanias Gerais </li></ul><ul><li>Cabildos (Poderes locais- Criollos) </li></ul><ul><li>Reduções e Missões </li></ul><ul><li>Regime dos portos únicos (Sevilha) </li></ul>
  46. 49. <ul><li>Movimento cultural responsável por criticar o Estado Absolutista ou Antigo Regime, também conhecido como “Filosofia das Luzes” ou “Ilustração”. </li></ul><ul><li>Movimento que arquitetou as idéias que derrubaram o Antigo Regime. </li></ul>Iluminismo
  47. 50. Fim da Idade Média Séculos XIII e XIV Rei + Burguesia Unificação Política Aspirava o comércio Desenvolvimento comercial Aumento de Lucros Ascensão econômica da burguesia Séculos XV e XVI Grandes navegações Representam a ascensão econômica
  48. 51. Séculos XVII e XVIII Burguesia Passa a aspirar o Poder político Crítica ao Antigo Regime <ul><li>Antigo Regime ou Absolutismo Monárquico  </li></ul><ul><li>Política: Poder absoluto dos reis. </li></ul><ul><li>   Social: Sociedade dividida em estamentos (clero, nobreza e povo). </li></ul><ul><li> Economia: Mercantilismo. Intervenção do Estado na economia. </li></ul><ul><li>   Cultural: intolerância religiosa e filosófica. </li></ul>Ao criticar o antigo regime a burguesia criou a sua própria ideologia . “ O Estado só é poderoso se for rico. Para enriquecer deve haver capitalismo. Para haver capitalismo a burguesia deve estar no poder”. Surge então o ILUMINISMO
  49. 52. <ul><li>Características do Iluminismo:   </li></ul><ul><li>Igualdade: Perante a lei, economicamente desigual. </li></ul><ul><li>Tolerância religiosa ou filosófica: Não interessava ou era, mas sim o que tinha. </li></ul><ul><li>Liberdade: Pessoas livres = a Mercado consumidor. </li></ul><ul><li>Propriedade Privada: Não a estatização e sim a privatização. </li></ul>Lema Iluminista: LIBERDADE, IGUALDADE E PROPRIEDADE . <ul><li>Combatia: </li></ul><ul><li>Absolutismo: Impedia a participação política da burguesia, impedindo a realização dos seus ideais. </li></ul><ul><li>Mercantilismo: Prejudicial a Livre iniciativa (o mercantilismo controla a economia) </li></ul><ul><li>Poder da Igreja: Não permitia a liberdade de pensamento. </li></ul>
  50. 53. <ul><li>Teóricos: </li></ul><ul><li>Montesquieu: Separação dos poderes (legislativo, Executivo e Judiciário). </li></ul><ul><li>Voltaire: Campeão da liberdade individual. </li></ul><ul><li>Diderot e D’Alembert: A Enciclopédia. </li></ul><ul><li>Rousseau: Contrato Social (O povo elege para o bem comum) e o Bom selvagem (a pessoa é boa por natureza, à sociedade a corrompe). </li></ul><ul><li>Quesnay: A terra é a maior fonte de riqueza. Fisiocracia. </li></ul><ul><li>Adam Smith: Liberalismo econômico. Livre jogo da oferta e da procura. Laissez – Faire . Deixe fazer deixe passar. </li></ul>
  51. 54. Revolução Francesa (1789 – 1799)
  52. 55. <ul><li>Movimentos que antecedem a Revolução: </li></ul><ul><li>A revolta aristocrática: o agravamento do quadro econômico leva a convocação da Assembléia dos Notáveis (1787). </li></ul><ul><li>O problema da votação na reunião dos Estados Gerais foi o estopim do movimento (voto por cabeça X voto de classe). </li></ul>
  53. 56. Assembléia Nacional Constituinte (1789 – 1791) <ul><li>Tomada da Bastilha (14/07/1789) </li></ul><ul><li>Supressão dos privilégios feudais </li></ul><ul><li>Declaração dos Direitos dos Homens e dos Cidadãos = Liberdade, Igualdade e Fraternidade </li></ul><ul><li>Os bens do clero passaram a ser administrados pelo Estado </li></ul><ul><li>Promulgação da constituição de 1791 </li></ul>
  54. 57. Assembléia Legislativa (1791 – 1792) <ul><li>Fase curta e transitória. </li></ul><ul><li>Assembléia Legislativa composta na sua maioria por membros da Alta burguesia. </li></ul><ul><li>Parlamentares obrigam o rei a declarar guerra à Áustria. </li></ul><ul><li>Povo invade o palácio das Tulherias e aprisiona a família real. </li></ul><ul><li>Prússia invade a França. </li></ul><ul><li>Forças francesas vencem os prussianos. </li></ul>
  55. 58. Convenção Nacional (1792 – 1795) <ul><li>Fase popular da Revolução. </li></ul><ul><li>Jacobinos (PP burguesia – radicais) no poder – Período do Terror. </li></ul><ul><li>Principais líderes: Danton, Marat e Robespierre. </li></ul><ul><li>Luis XVI é guilhotinado. </li></ul><ul><li>Proclamada a República e instaurado o sufrágio universal. </li></ul><ul><li>Poder concentrado em Juntas: de Salvação Pública, Comissão de Segurança Nacional e Tribunal Revolucionário. </li></ul><ul><li>Adoção do sistema métrico decimal. </li></ul><ul><li>Construção do Louvre. </li></ul><ul><li>Novo calendário. </li></ul><ul><li>Abolição da escravidão nas colônias. </li></ul><ul><li>Reforma agrária. </li></ul><ul><li>Golpe de 09 de Termidor – queda da PP burguesia e volta dos Girondinos no poder. </li></ul>
  56. 59. Diretório (1795 – 1799) <ul><li>Convenção vota nova constituição: do ano III (1795) – restabelece o voto censitário, implanta o Diretório. </li></ul><ul><li>Fase corrupta, alta inflação e instabilidade política. </li></ul><ul><li>Campanha na Itália com Napoleão Bonaparte. </li></ul><ul><li>Conjura dos Iguais: comandada por Graco Babeuf. </li></ul><ul><li>Golpe do 18 Brumário: Napoleão apoiado pelo exército e alta burguesia derruba o Diretório e chega ao poder. </li></ul>
  57. 60. O Período Napoleônico 1799 - 1815 <ul><li>Consulado (1799 – 1804) </li></ul><ul><ul><li>Saneamento financeiro; </li></ul></ul><ul><ul><li>Fundação do Banco da França; </li></ul></ul><ul><ul><li>Reorganização do ensino </li></ul></ul><ul><ul><li>Concordata com a Igreja; </li></ul></ul><ul><ul><li>Código Napoleônico. </li></ul></ul>
  58. 61. <ul><li>O Império Napoleônico (1804 – 1814) </li></ul><ul><ul><li>1806 – Bloqueio Continental; </li></ul></ul><ul><ul><li>1812 – Campanha da Rússia; </li></ul></ul><ul><ul><li>1813 – Derrota na Batalha das Nações (Leipzig); </li></ul></ul><ul><ul><li>1814 – Exílio na ilha de Elba e o retorno dos Bourbons na França com Luis XVIII; </li></ul></ul><ul><ul><li>1815 – Fuga de Elba inaugurando na França o chamado Governo dos Cem dias. Derrota final na Batalha de Waterloo e morte na ilha de Santa Helena (1821). </li></ul></ul>
  59. 62. Congresso de Viena (1814 – 1815) <ul><li>Formado pelos países que derrotaram Napoleão: </li></ul><ul><ul><li>Áustria, Inglaterra, França, Rússia e Prússia. </li></ul></ul><ul><ul><li>Refazer o mapa europeu </li></ul></ul><ul><ul><li>Defendia a restauração, a legitimidade e a solidariedade. </li></ul></ul>
  60. 63. Santa Aliança <ul><li>Organização internacional que se comprometia a se defender mutuamente e a combater movimentos liberais revolucionários. </li></ul><ul><li>Áustria, Prússia e Rússia. </li></ul><ul><li>Foi assumido o compromisso de intervir militarmente em qualquer país que despontassem movimentos inspirados no liberalismo democrático. </li></ul><ul><li>Em 1825 a Santa Aliança e o sistema conservador europeu começaram a enfraquecer. </li></ul>

×