Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Die SlideShare-Präsentation wird heruntergeladen. ×

Relatório de estágio de joão areias

Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Lusoinfo – Sistemas de Informação, Lda.




Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho do Curso de
   Esp...
Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho
Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistema...
Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho
Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistema...
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Wird geladen in …3
×

Hier ansehen

1 von 86 Anzeige

Weitere Verwandte Inhalte

Diashows für Sie (20)

Andere mochten auch (20)

Anzeige

Ähnlich wie Relatório de estágio de joão areias (20)

Aktuellste (20)

Anzeige

Relatório de estágio de joão areias

  1. 1. Lusoinfo – Sistemas de Informação, Lda. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho do Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” João Paulo Martins Areias Lusoinfo II – Multimédia, Lda. Manual Digital® Fevereiro de 2011 Formador Orientador da Lusoinfo: Dr. Hélder Mota Orientador da Entidade de Acolhimento: Dr.ª Maria João
  2. 2. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Agradecimentos Ao longo de praticamente 11 meses de formação em que estive envolvido no curso CET de “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” e cerca de 3 meses de estágio, tive a oportunidade de contar com o apoio de diversas pessoas, que directa ou indirectamente, contribuíram para a conclusão do curso e às quais eu estou muito agradecido. Os meus sinceros agradecimentos repartem-se por: A todos os formadores do curso, que me transmitiram novos conhecimentos e reavivaram outros já esquecidos, são eles: Carla Soares; Sara Ferreira; Idalina Santos; Sandra Amaro; Pedro Sousa; Hélder Mota; Carlos Sousa; Luís Morais; Hugo Rosas; Filipe Silva; Pedro Braga; Marco Martins; Nuno Fernandes; Daniel Azevedo. Aos meus colegas e minhas colegas de curso, com os e as quais criei laços de amizade e também com eles foi possível aprender e adquirir alguns conhecimentos. Ao pessoal administrativo da Lusoinfo – Sistemas de Informação, na pessoa da Dr.ª Maria do Céu e Dr.ª Vera, não só pela excelente colaboração que nos prestaram como também pelo laço de amizade que se foi cultivando durante o curso e estágio. Aos meus irmãos Escuteiros da Fraternidade Nuno Álvares do Núcleo de Ermesinde, do qual eu faço parte, pela compreensão e força que me souberam dar durante a minha ausência, principalmente ao Presidente Edmundo Queirós e ao Secretário João Martins, para eles uma FORTE CANHOTA. Ao meu amigo Pimenta, pelo apoio e voto de confiança que me deu. À empresa Tintas CIN SA, onde eu me encontro a trabalhar, pela facilidade que me deu na frequência do curso, bem como aos meus colegas do Turno Nocturno pelo apoio que me souberam prestar. Formando: João Areias i
  3. 3. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” À empresa Lusoinfo II – Multimédia, na pessoa do Dr. Carlos Moreira, por me ter acolhido para a realização do estágio. Aos meus orientadores do estágio, Dr. Hélder Mota e Dr.ª Maria João, ao Eng.º Roberto e Hugo Vaz pelo apoio e integração na equipe da Lusoinfo II – Multimédia, Lda., assim como os restantes colaboradores. Aos meus colegas de estágio, Ricardo Neves do CET “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” e ao Jorge Santos do curso CET “Aplicações Informáticas de Gestão”, com os quais fiz equipa no apoio ao MD®, foram muitas visitas às diversas escolas, muitos kms que percorremos e muitos “Magalhães” que nos passaram pelas mãos. Agradeço também a todas as pessoas que de algum modo contribuíram para que a concretização deste curso fosse possível. Por fim, gostaria de agradecer à minha família a qual me soube apoiar e motivar para que eu conseguisse chegar ao fim do curso, foram muitos dias de sacrifícios para todos e como tal gostaria de expressar aqui o meus sinceros agradecimentos aos meus avós maternos, o meu avô com 92 anos e a minha avó com 88 são para mim uma fonte inspiradora e lutadora, aos meus pais os quais sempre me apoiaram e me ajudaram no dia-a-dia, do meu pai herdei os valores e princípios da vida, da minha mãe herdei o espírito batalhador, ao meu irmão, cunhada e sobrinhos, aos meus sogros, cunhado e cunhada, todos eles me souberam apoiar e dar força. À minha família mais directa eu gostaria de agradecer e dedicar-lhes este meu curso, pois só graças à dedicação e força que eles me souberam transmitir foi possível eu voltar a estudar ao fim de 20 anos, como tal para a minha esposa Cristina, para o meu filho Paulo e para a minha filha Helena, o meu muito Obrigado. Todo o sacrifício serviu não só para a valorização profissional, como também para a pessoal, é uma experiência de vida muito confortante e agradável, que o meu exemplo sirva para outros e sirva também de incentivo para os meus filhos. Formando: João Areias ii
  4. 4. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Resumo O presente documento tem como finalidade apresentar o relatório necessário para a obtenção do certificado de Técnico Especialista Nível IV, integrado na Formação em Contexto de Trabalho e da qual faz parte o estágio realizado na Lusoinfo II – Multimédia, Lda., enquadrado no projecto Manual Digital®. O objectivo deste estágio foi o de integrar uma equipa de apoio ao MD® e com ela prestar apoio nas instituições que adquiriram o mesmo, elaborar tutoriais para a melhor compreensão dos passos a realizar aquando de determinadas operações a efectuar e divulgação do MD® perante os docentes para melhor uso dos conteúdos. O Manual Digital® é essencialmente uma ferramenta didáctica para ser usada no primeiro ciclo tirando proveito das novas tecnologias, não só nas instituições como também em casa, serve de auxiliar no ensino já que proporciona uma experiência mais didáctica e divertida na forma de leccionar determinados conteúdos. É com esse espírito que a equipa de desenvolvimento tenta desenvolver conteúdos apelativos para a continuação dos estudos mesmo fora das salas de aulas, incentivando os nossos jovens para o uso das novas tecnologias, bem como demonstrando que podemos aprender divertindo-nos. Ao longo do presente relatório irei abordar a experiência adquirida na instituição acolhedora bem como nas instituições pelas quais fui passando, irão ser descritos alguns trabalhos realizados assim como a evolução da equipa técnica. Formando: João Areias iii
  5. 5. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Índice Agradecimentos ............................................................................................................... i Resumo ........................................................................................................................... iii Índice .............................................................................................................................. iv Índice de Ilustrações ...................................................................................................... vi Índice de Documentos ................................................................................................... vi Abreviaturas ................................................................................................................. vii 1. Introdução ................................................................................................................ 9 1.1 Enquadramento ....................................................................................... 9 1.2 Apresentação do estágio ....................................................................... 10 1.3 Apresentação da empresa acolhedora ................................................... 10 1.4 Contributos do MD® ............................................................................ 11 Ilustração 2 - Aula de Matemática .............................................................................. 11 Ilustração 3 - Aula de Língua Portuguesa .................................................................. 11 1.5 Organização do relatório ....................................................................... 12 2. Contexto ................................................................................................................. 13 2.1 Ambiente Interno .................................................................................. 13 2.2 Manual Digital® e o projecto e-escolinhas .......................................... 14 2.3 Contexto de desenvolvimento ............................................................... 14 2.3.1 Manual Digital® (aplicação) ........................................................... 14 2.3.2 Cadernos de actividades da AEC de Inglês ..................................... 16 2.3.3 Backoffice ........................................................................................ 16 2.3.4 Segurança do MD® ......................................................................... 17 2.4 Parcerias ................................................................................................ 17 3. Descrição do Trabalho Desenvolvido .................................................................. 19 Formando: João Areias iv
  6. 6. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 3.1 Integração e aprendizagem ................................................................... 19 3.2. Contratempos ........................................................................................ 28 4. Conclusões .............................................................................................................. 29 Bibliografia .................................................................................................................... 31 Anexos .......................................................................................................................... - 1 - Anexo A ....................................................................................................................... - 2 - Instalação do Manual Digital® ................................................................................. - 3 - Instalação do Manual Digital® através do DVD .......................................... - 3 - Instalação do Manual Digital® através da PEN (Magalhães) .................... - 14 - Anexo B...................................................................................................................... - 18 - Licenciamento do Manual Digital nos Magalhães ................................................. - 19 - Anexo C ..................................................................................................................... - 23 - Criar uma rede Ad-Hoc ........................................................................................... - 24 - Configurar o computador principal ............................................................. - 24 - Ligar os computadores Magalhães .............................................................. - 29 - Anexo D ..................................................................................................................... - 31 - Instalação dos Projectos de Saúde da C.M.Maia nos MD® ................................ - 32 - Instalação dos projectos de saúde no MD® ................................................ - 33 - Anexo E...................................................................................................................... - 38 - Nota para os docentes sobre os projectos de Saúde............................................... - 39 - Anexo F ...................................................................................................................... - 44 - Actualização das aulas de Inglês no MD® 3ºAno .................................................. - 45 - Criar um ficheiro executável com o “Inno Setup Compiler” ...................... - 45 - Anexo G ..................................................................................................................... - 52 - Formando: João Areias v
  7. 7. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Índice de Ilustrações Ilustração 1 - Logo Lusoinfo II .................................................................................................................. 10 Ilustração 2 - Aula de Matemática ............................................................................................................. 11 Ilustração 3 - Aula de Língua Portuguesa ................................................................................................. 11 Ilustração 4 - Logo e-escolinha .................................................................................................................. 14 Ilustração 5 - Logo Manual Digital® ........................................................................................................ 14 Ilustração 6 - Caderno Apoio Inglês 3º Ano............................................................................................... 16 Ilustração 7 - Caderno Apoio Inglês 4º Ano............................................................................................... 16 Ilustração 8 - Interligação do MD® nas várias vertentes .......................................................................... 18 Ilustração 9 - Disco cheio .......................................................................................................................... 20 Ilustração 10 - Estruturação de uma LAN na escola ................................................................................ 21 Ilustração 11 – Rede ad hoc ....................................................................................................................... 21 Ilustração 12 - Planeamento das Escolas do Concelho da Maia ............................................................... 23 Ilustração 13 - Planeamento das Escolas do Concelho de Famalicão ...................................................... 25 Ilustração 14 - Condições de instalação do MD® ..................................................................................... 26 Ilustração 15 - Gabinete de apoio para instalar MD® .............................................................................. 26 Ilustração 16 - Suportes de instalação (DVD e PEN) ................................................................................ 27 Ilustração 17 - Suporte de instalação (rede ad hoc) .................................................................................. 27 Ilustração 18 - Instalação do MD® numa sala de aulas............................................................................ 27 Ilustração 19 - Instalação do MD® numa sala dos professores ................................................................ 27 Ilustração 20 - Verificando funcionamento ................................................................................................ 28 Ilustração 21 - "Magalhães" ...................................................................................................................... 28 Ilustração 22 - MD® a funcionar............................................................................................................... 28 Ilustração 23 - Carteiras salas de aulas com pc ........................................................................................ 29 Ilustração 24 - Exemplo sala de aulas novas ............................................................................................. 29 Ilustração 25 – Escola Básica 1º Ciclo ...................................................................................................... 29 Índice de Documentos Documento 1 - Cartão de colaborador ................................................................................................. - 53 - Documento 2 - Registo de presenças semanal ...................................................................................... - 53 - Documento 3 - Relatório de actividades semanal ................................................................................. - 53 - Formando: João Areias vi
  8. 8. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Abreviaturas MD® Manual Digital® TIC Tecnologias de Informação e Comunicação USB Universal Serial Bus (porta de entrada de comunicação com o PC) HDD Hard Drive Disk (Disco Duro) CD Compact Disc DVD Digital Video Disc PEN Pen drive (suporte amovível) CET Curso de Especialização Tecnológica PC Personal Computer (Computador pessoal) LAN Local Area Network (rede local) GSRI Gestão de Redes e Sistemas Informáticos I&D Investigação e Desenvolvimento AEC Actividade Extra Curricular PALOP Países de Língua Oficial Portuguesa QREN Quadro de Referência Estratégico Nacional ON.2 O Novo Norte – Programa Operacional Regional do Norte Formando: João Areias vii
  9. 9. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” IEC Instituto de Estudos da Criança UM Universidade do Minho ISEP Instituto Superior de Engenharia do Porto GILT Graphics, Interaction and Learning Technologies Formando: João Areias viii
  10. 10. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 1. Introdução Este relatório foi elaborado para conclusão do CET de “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” para assim concluir o processo de certificação de Técnico Especialista Nível IV. No primeiro capítulo será explicado o funcionamento do estágio, a apresentação da empresa acolhedora, as ferramentas e tecnologias utilizadas, bem como, os contributos do relatório. 1.1 Enquadramento O estágio apresentado no relatório insere-se na Formação Prática em Contexto de Trabalho, sendo uma das disciplinas do CET de GRSI, foi realizado na empresa Lusoinfo II – Multimédia, Lda. e decorreu entre os dias 22 de Novembro de 2010 e 15 de Fevereiro de 2011, numa totalidade de 400 Horas. Inicialmente comecei o estágio sozinho porém após dois dias juntou-se o meu colega de Curso, Ricardo Neves e já em Janeiro de 2011 juntou-se a nós o Jorge Santos, do outro CET de “Aplicações Informáticas de Gestão”. Na próxima secção irá ser apresentada uma breve descrição do estágio. Durante o estágio foram colocados em prática alguns conhecimentos adquiridos no decorrer do curso, assim como foram obtidos novos conhecimentos e tecnologias no local de trabalho. Formando: João Areias 9
  11. 11. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 1.2 Apresentação do estágio O principal objectivo do estágio é o de dar apoio ao MD® na sua instalação e funcionamento, tanto nas instituições como nos PCs portáteis. O MD® é uma ferramenta que permite alargar o tempo de aprendizagem para fora da sala de aulas e conceber diferentes percursos de aprendizagem, é constituído por conteúdos pedagógicos, integrados num ambiente inovador de aprendizagem, propondo-se a reforçar e consolidar aprendizagens de várias áreas, nomeadamente: Língua Portuguesa, TIC, Estudo do Meio, Matemática, Apoio ao Estudo e Inglês. 1.3 Apresentação da empresa acolhedora A Lusoinfo II – Multimédia, Lda. é uma empresa dedicada às Novas Tecnologias de Informação e Comunicação, tendo abraçado um projecto aliciante e inovador na concepção Ilustração 1 - Logo Lusoinfo II conteúdos para apoio às aulas do 1º Ciclo. É uma empresa que está no mercado, há quase três anos, estando o MD® a ser comercializado e distribuído a nível nacional pelas Câmaras Municipais, que adquiriram e distribuíram o MD® às escolas através dos docentes de AECs, como também por algumas entidades particulares, exemplo do Colégio de Ermesinde e também fora do território nacional por entidades como a Escola Portuguesa de Macau. Actualmente a empresa associou-se ao Instituto de Educação (IE) da Universidade do Minho (UM), ao Grupo de Investigação Graphics, Interaction and Learning Technologies (GILT) do Instituto Superior de Engenharia do Porto, para o lançamento do MD® II o qual visa introduzir uma nova metodologia de produção de conteúdos, esperando que venha a resultar numa melhor utilização dos recursos educativos, não só no ambiente escolar como também no ambiente doméstico. Por esse motivo estão a ser desenvolvidos conteúdos passíveis de serem usados nos diferentes tipos de equipamentos informáticos disponibilizados aos alunos do 1º Ciclo. Com o financiamento do QREN e a assinatura dos protocolos de I&D com as entidades referenciadas, a Lusoinfo II – Multimédia, Lda. espera dar um salto Formando: João Areias 10
  12. 12. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” qualitativo apostando na divulgação do MD® numa escala alargada, não só a nível nacional como também na sua internacionalização, sendo também uma das apostas fazer chegar o MD® aos PALOP. Este projecto do MD® teve início em Outubro de 2010 e prevê-se que tenha uma duração de 3 anos, sendo integrado no programa de financiamento de projectos co- financiados pelo QREN através do Programa Operacional Norte (ON.2), foi contemplado com 70 por cento do orçamento de 598,3 mil euros, porém o investimento global previsto para os três anos ronda um milhão de euros, é de salientar que é a primeira vez que o projecto recebe algum tipo de financiamento, já que até aqui têm sobrevivido “exclusivamente do mercado”. 1.4 Contributos do MD® O MD® como já foi referenciado várias vezes até aqui, têm um carácter bastante inovador na área do 1º Ciclo, é um concorrente de marcas bem conceituadas no mercado e já com boa aceitação pelos docentes e alunos, trata-se de uma ferramenta que visa conciliar a vertente educativa da aprendizagem com a vertente lúdica do divertimento, é bastante apelativa ao seu uso consolidando o conhecimento que o aluno vai adquirindo durante o período lectivo. Ilustração 2 - Aula de Matemática Ilustração 3 - Aula de Língua Portuguesa É também uma boa ferramenta para os encarregados de educação acompanharem os seus educandos, não só no processo evolutivo com também no processo educativo, fazendo uso das tecnologias que hoje em dia lhes são facultadas, é o caso da atribuição dos “Magalhães” aos alunos. Outro grande contributo do MD® é o de se incentivar também as Autarquias a participarem no processo educativo dos seus alunos, fornecendo-lhes ferramentas para a Formando: João Areias 11
  13. 13. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” sua formação como futuros cidadãos dando-lhes também o princípio da igualdade para todos. Já no que diz respeito aos docentes, o MD® acaba por ser um auxiliar didáctico o qual além de dinamizar as suas aulas, vai também motivar os alunos no interesse pelos conteúdos pedagógicos. Como conclusão, o MD® ostenta várias vantagens para os utilizadores, sendo uma aplicação que em conjunto com o programa e-escolinhas1, apresenta um vasto potencial a diversos níveis, porém e para melhor rentabilizar a aplicação, seria ideal que as salas de aulas tivessem quadros interactivos e internet, já que iria proporcionar uma maior cumplicidade entre a turma. 1.5 Organização do relatório O relatório apresentado reparte-se por 4 capítulos, sendo: introdução, contexto, descrição do trabalho realizado e conclusões, por sua vez os capítulos irão ser dividos em subcapítulos e rubricas recorrendo à divisão decimal. Breve descrição de cada capítulo.  Capítulo 1 – Introdução – Aqui será efectuado o enquadramento do MD® no estágio, a apresentação da empresa acolhedora e os contributos do MD®. No presente subcapítulo é abordada a estrutura do relatório  Capitulo 2 – Contexto – Será efectuada uma descrição do ambiente interno da empresa e a descrição do trabalho a ser realizado.  Capitulo 3 – Descrição do trabalho realizado – Irá ser feita uma análise ao trabalho realizado ao longo do estágio mais detalhada.  Capitulo 4 – Conclusões – Serão incluídos os objectivos do trabalho realizado e as limitações que se verificaram durante o mesmo. No final serão apresentados os anexos efectuados durante o estágio. 1 “Com o programa e.escolinha, pretende-se generalizar o uso das tecnologias de informação e comunicação nas primeiras fases da aprendizagem e contribuir para a igualdade de acesso ao computador e à Internet de todos os alunos do 1.º ciclo do ensino básico.” – in, https://www.portaldasescolas.pt/portal/server.pt/community/eescolinha-01initiativa/271 Formando: João Areias 12
  14. 14. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 2. Contexto 2.1 Ambiente Interno A Lusoinfo II – Multimédia, Lda. é uma empresa que se dedica à concepção de conteúdos digitais para o 1º Ciclo, com o nome de Manual Digital®, a sua primeira versão foi lançada no ano lectivo de 2008/2009, a qual foi adoptada pela Câmara da Maia que por sua vez a disponibilizou a todos os estabelecimentos de ensino do 1º Ciclo, sendo um grande sucesso. Após a aceitação do MD® a empresa resolveu apostar na divulgação a nível nacional, sendo que neste momento já é uma referência em diversos estabelecimentos de ensino. Actualmente o MD® está a ser reestruturado, prevê-se uma segunda versão, que corresponda às expectativas dos utilizadores. Os conteúdos serão reorganizados, o interface gráfico será melhorado e serão implementadas novas funcionalidades. Para levar acabo esta reestruturação a Lusoinfo II – Multimédia, Lda., assinou um protocolo com o IEC da UM, a qual através dos seus estudos vais permitir generalizar a matéria a leccionar de maneira a que não se perca a qualidade do conteúdo adaptada aos diferentes métodos de ensino dos docentes. Por sua vez foi também assinado um protocolo com o GILT do ISEP, no qual está previsto a colaboração em projectos de investigação e desenvolvimento, que se espera que resulte numa melhoria significativa da utilização dos recursos educativos tanto no ambiente escolar como no doméstico, recorrendo para esse efeito ao uso dos sistemas informáticos disponibilizados em massa aos alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico. Associado a todas estas tarefas existe também a parte de apoio técnico, a que é fundamental para o bom funcionamento do MD®. Foi a executar este tipo de tarefas que se desenrolou o meu estágio, o ambiente vivido neste sector é de extrema importância pois acaba por ser ele que “dá a cara” pela Formando: João Areias 13
  15. 15. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” aplicação, sendo ele que faz o elo de ligação entre os utilizadores e a equipa de desenvolvimento, detectando anomalias de operacionalidade e comunicando-as à parte de desenvolvimento. 2.2 Manual Digital® e o projecto e-escolinhas O MD® surgiu então como uma ferramenta de apoio ao uso dos quadros interactivos nas salas de aulas, o qual tinha sido já largamente implementado nas escolas do Concelho da Maia. Com o aparecimento do projecto e-escolinhas e o lema de “cada aluno um computador”, a Lusoinfo II – Multimédia, Lda. resolveu adaptar o programa para que ele fosse possível ser aplicado nos Ilustração 4 - Logo “Magalhães”, combinando assim as duas tecnologias, com e-escolinha algumas alterações no interface, isso foi possível e assim a aplicação passou a ser usada não só nas salas de aulas como também no ambiente doméstico, cativando os docentes e os alunos, passou a existir uma maior interactividade entre os alunos. 2.3 Contexto de desenvolvimento O MD® divide-se em três partes: a aplicação, os cadernos de actividades para AEC de Inglês para o 3º e 4º Ano e o backoffice. 2.3.1 Manual Digital® (aplicação) A aplicação é composta por: Ilustração 5 - Logo Manual Digital® Noticias; Actividades;  Língua Portuguesa;  Matemática; Formando: João Areias 14
  16. 16. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos”  Estudo do Meio;  Inglês;  Aulas com actividades para utilizar as TIC; Documentos; Trabalhos;  Distribuir trabalhos;  Trabalho dos meus alunos; Links; Actualizar. Na secção das Noticias pode-se ter acesso a informação disponibilizada pela entidade que adquiriu a aplicação. Nas actividades estão os conteúdos pedagógicas multimédia, com actividades pertencentes às áreas curriculares e de enriquecimento curricular, é também aqui que se encontram os jogos que visam auxiliar a aprendizagem Nos Trabalhos é onde os alunos podem guardar os seus trabalhos realizados nas aulas, na versão de aluno. Na versão do docente, pode pode distribuir actividades para os alunos e aceder aos trabalhos que os mesmos enviam. Na secção dos Links serão disponibilizados vários sites recomendados para o ano curricular. A secção Actualizar só está disponível depois de o docente ou aluno se registarem, permite actualizar a aplicação com os conteúdos recentes, também têm que existir uma ligação à internet. Formando: João Areias 15
  17. 17. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 2.3.2 Cadernos de actividades da AEC de Inglês O “My English Corner” é um caderno de actividades para a Língua Inglesa do MD®, que associado aos conteúdos multimédia ajuda na aprendizagem da Língua Inglesa nos percursos distintos do 3º e 4º Ano. Ilustração 6 - Caderno Apoio Este caderno além das propostas educativas Inglês 3º Ano essências como: ouvir, ler, escrever e falar, faz-se acompanhar de um jogo de tabuleiro, uma unidade especial dedicada às festividades e de cartões ilustrados (Flashcards) que permitem o enriquecimento do vocabulário. Ilustração 7 - Caderno Apoio Inglês 4º Ano 2.3.3 Backoffice Pelo backoffice entende-se a área onde são geridas as várias funcionalidades do MD®. É através desta aplicação que se suporta a manutenção do MD®, permitindo realizar actualizações nas aulas e jogos bem como divulgar noticias e disponibilizar documentos e sites do interesse dos alunos/docentes. No backoffice existem três tipos de utilizadores com acesso a diferentes conteúdos, assim sendo:  Administrador geral – é o principal responsável pela manutenção e gestão do backoffice, só ele pode criar novos utilizadores, colocar as actualizações no MD® e ter acesso a todas as outras funcionalidades;  Entidade – responsável por criar noticias, colocar sites e documentos relevantes para a comunidade educativa;  Docentes – só lhes é permitido colocar sites, documentos e gerir os trabalhos das suas turmas. Formando: João Areias 16
  18. 18. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 2.3.4 Segurança do MD® No que diz respeito à segurança do MD® e pelo facto de este ser desenvolvido essencialmente em Flash houve necessidade de se recorrer a uma aplicação secundária a qual comprime e protege o conteúdo, já que o Flash no que diz respeito à segurança “anti-cópia” fica muito aquém. Atendendo a que a distribuição da aplicação no “Magalhães” só poderia ser efectuada através de uma Pen, surgiram outras preocupações, a propagação de vírus, como tal os programadores tiveram a necessidade de criar um script de protecção de escrita para que assim se possa proteger a Pen de alguns vírus e de outro tipo de software malicioso. O licenciamento do MD® é feito através de um código alfanumérico o qual serve para dar acesso ao utilizador do backoffice, evitar o uso indevido da aplicação e é através deste código que se distingue a versão do docente e do aluno, bem como a que entidade pertence. XXXX – YYYY – ZZZZ - WW (os dois primeiros quartetos corresponde a um nº de série, o terceiro quarteto distingue a versão, H2U2 é usado para a versão professor, os últimos dois dígitos correspondem à entidade). 2.4 Parcerias O MD® conta com algumas Entidades e Instituições como parceiros são: Galp Energia Lipor Águas Douro e Paiva Fundação Vitor Baía Escola Superior de Educação Paula Frassineti A participação destes parceiros aparece em alguns conteúdos, com exemplo: Estudo do Meio “Jogo do Ecoponto” parceiro GALP Energia “Labirinto do Topas” parceiro Águas do Douro e Paiva Formando: João Areias 17
  19. 19. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” A Lusoinfo II – Multimédia, Lda. e o parceiro “Fundação Vitor Baía” lançaram uma edição do MD® especial – Edição Gold em DVD. Esta edição tem como principal objectivo ajudar na causa 2que a Fundação Vitor Baía apoia contribuindo com um valor de 5€ Ilustração 8 - Interligação do MD® nas várias vertentes 2 “Fundação Vitor Baía” – Apoiar causas Sociais com Crianças Formando: João Areias 18
  20. 20. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 3. Descrição do Trabalho Desenvolvido Neste capítulo vai ser apresentado o trabalho realizado durante o estágio, nele estarão contidas as fases passadas, as tarefas realizadas e as desenvolvidas, as dificuldades sentidas e os contratempos. 3.1 Integração e aprendizagem Inicialmente foi necessário conhecer a aplicação e algumas das suas potencialidades, para tal foram-me fornecidos alguns elementos pelo Eng.º Roberto e pelo Hugo Vaz, seguidamente passei à fase de instalação3 e exploração dos conteúdos existentes no MD®, após algumas dúvidas esclarecidas, fui então colocado à prova. O Hugo Vaz pediu-me para o acompanhar na visita às escolas do Concelho de Esposende, onde recentemente o MD® tinha sido adquirido pela Câmara e distribuído aos alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico, esta entidade adquiriu todos os anos do MD®. O objectivo das nossas visitas foi o de se solucionar alguns problemas de instalação da aplicação nos computadores das salas de aulas e pontualmente alguns “Magalhães”, visto que a tarefa de instalação nos “Magalhães” tinha ficado a cargo dos docentes de AECs. Durante as visitas fomos sempre acompanhado por responsáveis da Câmara, as quais serviam de elo entre nós e as escolas, no primeiro dia de visita acompanhei o Hugo Vaz para ver o que era necessário fazer, colaborando também em instalações, já no segundo dia o Hugo foi para um estabelecimento e eu fiquei noutro, surgem as primeiras complicações, computadores com vírus os quais não nos deixavam aceder a determinados conteúdos, era necessário recorrer à linha de comando do DOS e executar um comando para se puder ter acesso às pastas ocultas, claro que os meus comandos de DOS estavam esquecidos e como tal foi necessária a intervenção do Hugo Vaz. O primeiro contacto com a realidade dos computadores dos alunos, o famoso “Magalhães”, foi um pouco desolador ver que alguns alunos já não o possuíam, assim 3 Anexo A – Processo de Instalação do Manual Digital Formando: João Areias 19
  21. 21. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” como outros os tinham com algumas falhas, mas não havia que desanimar pois esta seria a realidade e a nossa missão era a de instalar a aplicação do MD® para que os alunos se apercebem-se que poderiam aprender brincando e tirando mais proveito do “Magalhães” que lhes foram distribuídos. Algumas dificuldades que encontramos para se puder instalar o MD® foram: disco cheio, vírus, problemas de arranque, falta de teclas, bateria viciadas, etc.; tivemos que tentar dar solução a alguns casos efectuando alguns procedimentos que aprendemos no decorrer do CET, principalmente na disciplina de “Detecção de Avarias”, o problema do disco cheio dava-se pelo facto de muitos alunos instalarem jogos no “Magalhães”, do estilo de “Gran Turismo 4” Ilustração 9 - Disco cheio e “Counter Strike”, jogos estes que por vezes eram-lhes facultados por familiares ou amigos através de uma PEN, outra situação que levava a que o disco se encontra-se cheio era o de o “Magalhães” servir de PC de casa para os familiares e com ele efectuarem descargas de conteúdos por vezes não aconselhável para os alunos, o método de resolução podia ter duas vertentes, uma a de se efectuar uma limpeza ao disco, para assim se libertar espaço comprimindo ficheiros, esta operação era bastante demorosa, a outra era de se eliminar conteúdos duvidosos. Por vezes a instalação do MD® era efectuado no disco “D:”, para se colmatar a de morosidade do processo de limpeza do disco. Após algumas instalações em PCs das escolas e “Magalhães” começaram por surgir os primeiros problemas com o licenciamento, havia que se estudar o problema e arranjar uma solução. Um dos problemas com que nos debatemos foi o de sempre que a aplicação detectava uma ligação à rede, a licença desaparecia, pois a aplicação para funcionar correctamente quando detectava uma ligação à rede tentava efectuar o contacto com a base de dados da Lusoinfo II – Multimédia, Lda. para assim proceder ao respectivo licenciamento, como não o conseguia fazer limpava a licença. Após alguma pesquisa com o “Magalhães” da minha filha chegamos à conclusão de que um dos problemas tinha a ver com o “Controlo Parental”, o qual vêm com o acesso à internet bloqueado.Para se resolver esta situação foi necessário elaborar um Formando: João Areias 20
  22. 22. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” tutorial com o procedimento para alterar o mesmo4, nos PCs das salas de aula houve necessidade de se proceder ao licenciamento novamente. Outro dos problemas que surgiu durante estas visitas foi o de na realidade as salas de aulas não possuírem uma distribuição de sinal de rede, não sendo assim possível efectuar comunicação entre os PCs dos docentes e os alunos, criando um desagrado pelos docentes por não poderem interagir com os alunos, mais uma vez recorrendo ao “Magalhães” da minha filha, foram Ilustração 10 - Estruturação de uma LAN na escola feitos vários testes de simulação e pesquisa, chegando à conclusão de que uma das maneiras para ultrapassar a falta de condições das salas de aulas, no que diz respeito à distribuição do sinal de rede, aproveitando os “Magalhães” já virem equipados com uma placa de wi-fi, criar-se uma rede ad-hoc5 na sala de aulas recorrendo para isso aos PCs portáteis dos docentes, este procedimento iria ser possível colocar os PCs da sala de aula todos a comunicar, bem como também seria possível partilhar o acesso à internet para todos, Ilustração 11 – Rede ad hoc claro está que não estamos a falar de uma matéria fácil de se explicar aos docentes e por isso foi elaborado um tutorial com os passos a seguir6. No seguimento das pesquisas efectuadas deparei-me com um software que vem instalado nos “Magalhães” e o qual têm bastantes potencialidades para os docentes e para os encarregados de educação que o queiram usar, “Mythware e-Learning Class V6.0”, consiste numa aplicação que permite ao docente ter acesso aos PCs dos alunos visualizando o que estão a fazer, distribuir trabalhos, entre outras mais funcionalidades, mais uma vez é de salientar que para que seja possível esta ferramenta ser usada, têm que existir rede na sala de aula e todos os PCs ligados à mesma rede. 4 Anexo B – “Licenciamento do Manual Digital® nos Magalhães” 5 Ad-Hoc – é um tipo de rede que não possui um nó ou terminal especial, mas sim em que todos os pcs funcionam como routers, encaminhando de forma comunitária as comunicações advindas dos terminais vizinhos.(Wikipédia) 6 Anexo C – “Criar uma rede ad hoc” Formando: João Areias 21
  23. 23. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” No que diz respeito ao MD® seria ideal existir ligação à rede nas salas de aulas, pois como um dos propósitos da aplicação é o de haver interacção entre o docente e o aluno, seria possível ao docente usar a função de enviar documentos para os alunos proporcionando-lhes outra forma de estudo. Outro factor importante na interacção seria o de todas as salas estarem equipadas com quadros interactivos, pois é uma ferramenta muito importante na apresentação das aulas, nota-se que os alunos sentem-se mais motivados a participarem nas aulas. Após a conclusão da visita às escolas do Concelho de Esposende, chegou a vez de efectuarmos uma visita a todas as escolas do Concelho da Maia, na totalidade cerca de 40 estabelecimentos de ensino do 1º Ciclo, o objectivo destas visitas era o de se instalar nos PCs das salas de aulas os projectos de saúde7 que a Câmara tinha e aos quais as escolas tinham aderido, bem como instalar nas salas de TIC (ou salas de informática) e bibliotecas o 1º e 2º Ano do MD®, já que foram estes os anos adquiridos pela entidade e distribuídos aos alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico. Antes de nos lançarmos para o terreno foi necessário obter as moradas das escolas e organizar as visitas, para o efeito tive que efectuar consultas na internet, consultando a página da maiadigital8 a qual contêm os agrupamentos e as moradas, seguidamente foi necessário recorrer a um software para localização das escolas no mapa e assim proceder à organização das visitas, o software usado foi o “Google Earth”9 , com este programa é possível localizar as moradas e depois criar um apontador, no final podemos ter uma noção da distribuição das escolas, para o efeito foi criada uma cor diferente para cada agrupamento e uma pasta na qual foram inseridas todas as escolas pertencentes ao 7 Projectos de saúde da Câmara da Maia: “De Pequenino se Troce o Pepino!”; “A Minha Lancheira!”; “O Pequeno Grande Almoço!” e “Com o Sol no Coração, vamos ter Precaução!” 8 Maiadigital - http://www.basico.maiadigital.pt/NR/exeres/E2B0136D-8DAC-4E2B-B4CE- 99D5A1B78F31,frameless.htm 9 “Google Earth” – Programa usado para explorar o Mundo, acedendo a moradas e percursos Formando: João Areias 22
  24. 24. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” mesmo. Ilustração 12 - Planeamento das Escolas do Concelho da Maia Depois do levantamento exaustivo das moradas e localizações, foi hora de passar para o terreno, desta vez passei a ser acompanhado pelo meu colega de curso, Ricardo Neves. Antes de partirmos foi-nos explicado o que tinhamos que fazer e como fazê-lo, para esse efeito foi-nos distribuida uma PEN10 com os projectos e mais uma pequena aplicação a qual se tinha que executar para se poder instalar o projecto, esta aplicação o que faz é: detectar em que unidade se encontra a PEN inserida e copiar o conteúdo correspondente ao projecto para o MD®, ocultando a pastas do projecto, ficando só visível o excutável, este processo era efectuado na versão professor dentro da aplicação “trabalhos”, “trabalhos dos meus alunos”, seguidamente era dada uma breve explicação aos docentes do funcionamento do MD® e do projecto, quando não era possível explicar aos docentes era deixado um tutorial11 no ambiente de trabalho, elaborado com o processo de acesso ao projecto instalado. 10 Anexo D – Procedimentos de instalação dos projectos de saúde da Câmara da Maia 11 Anexo E – “Manual Digital® - Nota para a (o) docente sobre projecto de saúde” Formando: João Areias 23
  25. 25. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Também aqui foram rectificados algumas anomalias detectadas nas instalações, foram efectuados novos licenciamentos dos MD® para que no arranque não fosse necessário o DVD, bem como foi testado um novo “Licenciar” para ver se solucionava o problema detectado anteriormente. A realidade nestas escolas já era bem diferente das do Concelho de Esposende, um parque escolar em renovação, com escolas reabilitadas e escolas construidas de raíz, é de louvar a entidade da Maia, a qual aposta na educação, dotando todas as salas de aulas com quadros interactivos (só falta a rede wireless dentro das salas), até os contentores possuem quadros interactivos, encontrei aqui também pelo menos três tipos de escolas diferentes, em termos de tipologia12, os centros escolares, que são as escolas novas e do futuro, estão muito bem apetrechadas, a tarefa que nos foi solicitada para levar acabo terminou no principio de Janeiro. Durante o recorrer do mês de Janeiro e até ao término do meu estágio passámos a dar apoio às escolas do 1º Ciclo do Ensino Básico do Concelho de Famalicão, mais uma vez foi necessário organizar as visitas às escolas, desta vez passei a fazer equipa com o Jorge Santos, estagiário do CET de Aplicações, novamente foi necessário pesquisar pelas moradas, acedendo à página13 da autarquia sobre o 1º Ciclo do Ensino 12 Tipologias das Escolas Primárias- Modelo Plano dos Centenários, Modelo P3 e recentemente os Centros Escolares. 13 Página da autarquia - http://www.cm-vnfamalicao.pt/_escolas_1o_ciclo_2 Formando: João Areias 24
  26. 26. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Básico e efectuar o planeamento com ajuda do nosso programa, “Google Earth”. Ilustração 13 - Planeamento das Escolas do Concelho de Famalicão O trabalho a realizar nas Escolas do 1º Ciclo do Ensino Básico de Famalicão foi o de se instalar o 3º e 4º Ano do MD® nas salas de aulas e bibliotecas adquirido pela Autarquia, assim como em complemento o 1º e 2º Ano oferecido pela empresa Lusoinfo – Multimédia, Lda.aos estabelecimentos e docentes. No primeiro agrupamento que visitámos começamos logo por sentir algumas dificuldade e preocupações não só por parte dos alunos como também pelos docentes. No que diz respeito aos alunos notámos que alguns “Magalhães” já se encontravam com problemas, e o MD® também não tinha sido instalado pelos docentes de AECs, logo aqui tivemos que efectuar intervenções técnicas a nível de instalação do MD® e aplicação de procedimentos adquiridos na formação. No que diz respeito aos docentes a maior preocupação foi perceber a razão da não instalção do MD® nos alunos do 2º Ano, pois eram estes alunos que tinham os “Magalhães” mais recentes e eram estes que estavam a trabalhar mais com eles, sentindo-se os alunos descriminados, a nossa intervenção perante esta situação passou um pouco por Relações Públicas pois tivemos que explicar o motivo da não instalação Formando: João Areias 25
  27. 27. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” do MD® do 2º Ano assim como aconselhámos os docentes a falarem com os Coordenadores das Escolas para estes exporem o problema às Entidades Superiores. O nosso primeiro agrupamento de escolas foi o de Ribeirão e fomos sempre acompanhados pela Srª Coordenadora do Agrupamento a Srª Professora Rosário á qual desde já agardeço pela amabilidade com que nos recebeu. O parque escolar deste Concelho é também antigo, logo encontrámos salas de aulas sem quadros interactivos e PCs de salas de aulas, alguns ainda com o Sistema Operativo Windows 98©, no qual não era possível instalar o MD®, como havia necessidade de instalar o MD® nos “Magalhães” optámos por solicitar uma sala vazia onde pudéssemos estar a instalar sem interromper o decorrer das aulas, claro está que encontrámos algumas limitações de espaço em alguns estabelecimentos, pois Ilustração 15 - Gabinete de apoio para instalar MD® era também necessário ser um espaço que tivesse tomadas de corrente, já que alguns não funcionavam sem estarem ligados à corrente, outros tinham problemas de software, outros problemas de hardware, no Ilustração 14 - Condições de instalação do MD® processo de instalação usámos a PEN, já que o “Magalhães” não aceita o DVD (só se for externo), usámos a rede ad hoc criada através do meu PC e em alguns PCs de salas e portáteis usámos o DVD. Formando: João Areias 26
  28. 28. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Ilustração 16 - Suportes de instalação (DVD e PEN) Ilustração 17 - Suporte de instalação (rede ad hoc) Ilustração 18 - Instalação do MD® numa sala de aulas Ilustração 19 - Instalação do MD® numa sala dos professores Outra função que foi necessário testar e desenvolver teve a ver com as actualizações de alguns conteúdos da aula de Inglês do 3º Ano, como a actualização é efectuada através do backoffice e tratando-se de bastantes ficheiros não se sabia se a plataforma iria aguentar e qual seria o tempo médio de descarga, como tal teve que se pensar em algo simples de se executar e leve de se descarregar. Durante a investigação surgiram dois métodos que satisfaziam as necessidades, tanto um como o outro apresentavam o resultado final idêntico, ou seja iriamos ter um ficheiro executável e leve, para tal as soluções passavam pelo uso de um dos dois programas: o compactador (“WinZip” ou “WinRar”) ou o “InnoSetup Compiler”. O principio de funcionamento é análogo, é necessário fornecer os caminhos dos ficheiros que queremos carregar, efectuar um texto como nota introdutória, associar-lhe Formando: João Areias 27
  29. 29. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” um ícone, dar-lhe o caminho para onde vais ser executado e está feito. Depois é só descarregar através do site e executá-lo em qualquer PC que tenha o 3º Ano instalado. 3.2. Contratempos Durante este tempo de estágio alguns contratempos foram surgindo, uns de cariz humano, outros de ordem temporal, espaço e equipamentos. No que diz respeito aos contratempos humanos prende-se com o facto de por vezes nos termos deslocado a alguns estabelecimentos e não estarem a contar com a nossa visita, ou porque não foram avisados ou porque se esqueceram de avisar os alunos para trazerem os “Magalhães”. Já no que diz respeito à ordem temporal têm um pouco a ver com as marcações efectuadas com os estabelecimentos e as quais por vezes era difícil efectuar todo o serviço programado, em relação ao espaço e aos equipamentos, já foi falado atrás em Ilustração 20 - Verificando pormenores de falta de espaço para trabalhar, falta de tomadas funcionamento para ligar os “Magalhães” e alguns deles já com problemas que nós não podíamos solucionar, tanto a nível de hardware como de software, tentou-se sempre efectuar um bom serviço em prol das crianças, para que assim pudessem disfrutar da aplicação. “O melhor meio para alcançar a felicidade é contribuir para a felicidade dos outros.” (Baden-Powell)14 Ilustração 21 - "Magalhães" Ilustração 22 - MD® a funcionar 14 Robert Stephenson Smyth Baden-Powell – (Londres, 22 de Fevereiro de 1857 – Nairobi, 8 de Janeiro de 1941) – Fundador e Chefe Mundial do Escutismo Formando: João Areias 28
  30. 30. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 4. Conclusões A realização de um estágio no final do curso, assim como a apresentação de um relatório, pode aparentar-se como uma tarefa imponente e manifestar-se como uma barreira a ultrapassar entre o curso e o mercado de trabalho. Porém e vencidas as apreensões iniciais lá nos acostumamos com a realidade do trabalho. As pessoas com quem lidei durante o estágio tiveram um papel importante para que o mesmo se concretiza-se, elucidando-me e retirando-me dúvidas. Na vertente prática, este estágio foi de uma experiência agradável, deu para aplicar alguns conhecimentos adquiridos durante o Curso assim como também serviu para nos confrontarmos com a realidade actual. O parque escolar15 que temos em Portugal necessita de remodelação séria, o acesso à Internet nas salas de aulas têm que ser uma realidade e não uma miragem, como o é neste momento.Para mim a distribuição de computadores “Magalhães” pelos Ilustração 25 – Escola Básica 1º alunos não é a melhor aposta, seria Ciclo preferível optar por equipar a salas de aulas com secretárias com os computadores já Ilustração 23 - Carteiras integrados, pois neste momento o que se vê a nível de salas de aulas com pc computadores distribuidos pelos alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico é o de um aproveitamento de se adquirir um computador portátil para uso doméstico por um preço acessível, outra realidade que também se assistiu foi a de obtenção de computadores Ilustração 24 - Exemplo sala de aulas novas “Magalhães” a custo zero (escalão A do SASE) que depois eram vendidos. 15 Em Portugal existem várias tipologias de escolas, algumas delas são do modelo “Plano dos Centenários”, outras são do modelo “P3” e recentemente temos os Centros Escolares. Formando: João Areias 29
  31. 31. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Como nota final do relatório acho que o estágio foi importante para a conclusão do Curso bem como para me aprefeiçoar em alguns conhecimentos, também serviu para estar mais a par da realidade da educação em Portugal, do que já se fez e do que se está a fazer. O Computador A menina Leonor só quer o computador. O boneco e a boneca eram uma grande seca! Deitou fora a bicicleta, cansa muito ser atleta. Não sai para qualquer lado, nem para comprar gelado. Anda da mesa para a cama, só se veste de pijama. Vê-se ao espelho de manhã a olhar para o ecrã. Já se esqueceu de falar. Só sabe comunicar com os dedos no teclado. Tem agora um namorado a menina Leonor chamado computador. É fiel, inteligente não refila, nunca mente e quando ela se fartar, pimba, basta desligar. Luísa Dulca Soares (Civilização) Formando: João Areias 30
  32. 32. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Bibliografia Baden-Powell. (s.d.). Pensamentos de Baden-Powell. Carvalho, C. V. (07 de 12 de 2010). GILT e Lusoinfo iniciam projecto Manual Digital II. Obtido em 21 de 02 de 2011, de Facebook - Manual Digital: http://www.facebook.com/pages/Manual-Digital/231129833372 Costa, M. (21 de Julho de 2010). Manual Digital sem barreiras e personalizado. Obtido em 21 de 02 de 2011, de Primeira Mão - Um jornal para a Região: http://www.primeiramao.pt/2010/07/21/manual-digital-sem-barreiras-e- personalizado/ Fundação Vitor Baía. (s.d.). Obtido em 25 de 02 de 2011, de Fundação Vitor Baía: http://www.fundacaovitorbaia.com Google. (s.d.). Google Earth. Obtido em 22 de 02 de 2011, de http://www.google.com.br/intl/pt-BR/earth/index.html Lusoinfo. (s.d.). Obtido em 15 de 02 de 2011, de Lusoinfo - Sistemas de Informação: http://www.lusoinfo.com Maia, E. B. (s.d.). Escolas Básicas da Maia. Obtido em 22 de 02 de 2011, de http://www.basico.maiadigital.pt/NR/exeres/E2B0136D-8DAC-4E2B-B4CE- 99D5A1B78F31,frameless.htm Manual Digital. (s.d.). Obtido em 15 de 02 de 2011, de Manual Digital: http://www.manualdigital.pt Portal das Escolas. (s.d.). e-escolinha. Obtido em 21 de 02 de 2011, de Portal das Escolas: https://www.portaldasescolas.pt/portal/server.pt/community/eescolinha- 01initiativa/271 Redes ad hoc. (s.d.). Obtido em 22 de 02 de 2011, de Wikipédia - Redes ad hoc: http://www.pt.wikipedia.org/wiki/Redes_ad_hoc Formando: João Areias 31
  33. 33. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Vila Nova de Famalicão. (s.d.). Escolas do 1º Ciclo. Obtido em 22 de 02 de 2011, de http://www.cm-vnfamalicao.pt/_escolas_1o_ciclo_2 Wikipédia. (s.d.). Plano dos Centenários. Obtido em 25 de 02 de 2011, de Wikipédia - A enciclopédia livre: http://pt.wikipedia.org/wiki/Plano_dos_Centen%C3%A1rios Wikipédia. (s.d.). Robert Baden-Powell. Obtido em 25 de 02 de 2011, de Wikipédia - A enciclopédia livre: http://pt.wikipedia.org/wiki/Robert_Baden-Powell Formando: João Areias 32
  34. 34. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Anexos Manual Digital® Anexos sobre o Manual Digital® João Paulo Martins Areias Fevereiro de 2011 Formando: João Areias -1-
  35. 35. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Anexo A Formando: João Areias -2-
  36. 36. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Instalação do Manual Digital® O processo de instalação do MD® pode ser efectuado de duas maneiras, dependendo onde vai ser instalado, os suportes podem ser os seguintes:  DVD – geralmente usado para efectuar a instalação em PCs dos docentes ou em casa, PCs que tenham um leitor de DVD  PEN – geralmente usado para efectuar a instalação nos “Magalhães”. Instalação do Manual Digital® através do DVD 1. Introduzir o DVD no leitor do PC; 2.1 Entrar no “Meu Computador” e seleccionar o DVD “ManualD”; 2.2 Seleccionar o ano que se quer instalar e abrir a pasta; Formando: João Areias -3-
  37. 37. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 2.3 Executar o ficheiro “MDInstalar”. 2. Seguidamente vão ser apresentados os menus do Assistente de Instalação. 2.1 Clicar em “Seguinte”; Formando: João Areias -4-
  38. 38. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 2.2 Ler e aceitar o “Contrato” depois clicar em seguinte; Formando: João Areias -5-
  39. 39. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 2.3 Clicar em seguinte no quadro da “Informação"; Formando: João Areias -6-
  40. 40. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 2.4 Seleccionar o destino onde queremos instalar o MD®, por defeito é instalado em “c:ManualDigital1Ano” e clicar em “Seguinte”; Formando: João Areias -7-
  41. 41. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 2.5 Se não quisermos que seja instalado um icone na pasta do “Menu Iniciar” devemos colocar um visto e depois clicar em “Seguinte”; Formando: João Areias -8-
  42. 42. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 2.6 Escolher se queremos criar o ícone no ambiente de trabalho e/ou na barra de Iniciação Rápida; Formando: João Areias -9-
  43. 43. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 2.7 Écran de inicio de instalação para ver se está tudo bem, clicar em “Instalar”; Formando: João Areias - 10 -
  44. 44. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 2.8 Aguardar até ao final da instalação; Formando: João Areias - 11 -
  45. 45. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Quando surgir o écran de “Concluir”, retirar o DVD e só depois clicar no “”Concluir; Formando: João Areias - 12 -
  46. 46. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 2.9 Esperar pelo écran de “Licenciamento” e clicar em “Criar Licença”; 2.10 Inserir o código que foi fornecido, o qual se encontra na capa do DVD; Formando: João Areias - 13 -
  47. 47. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” O MD® irá arrancar normalmente. Instalação do Manual Digital® através da PEN (Magalhães) Para se proceder a este tipo de instalação a diferença está em que temos que copiar as pastas do DVD para a Pen e depois seguir os passos descritos na parte de instalação através de DVD. I. Colocar o DVD num PC com leitor de DVDs e abrir o “Meu Computador”; Formando: João Areias - 14 -
  48. 48. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” II. Abrir a unidade de DVD “ManualD” e aceder às pastas com os anos; III. Seleccionar os anos todos e depois fazer “Copiar”; Seleccionar tudo Copiar IV. Introduzir uma PEN (Formatada) no PC; Formando: João Areias - 15 -
  49. 49. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” PEN Formatada V. “Colar” lá os conteúdos copiados anteriormente; VI. Seguidamente é só retirar a PEN do PC e começar a instalação no “Magalhães”, introduzindo a mesma no “Magalhães”; i) Abrir a PEN no “Magalhães”; Formando: João Areias - 16 -
  50. 50. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” ii) Seleccionar o ano pretendido e seguir os passos descritos anteriormente. Formando: João Areias - 17 -
  51. 51. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Anexo B Formando: João Areias - 18 -
  52. 52. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Licenciamento do Manual Digital nos Magalhães Depois de efectuada a instalação do Manual Digital e ter sido feito o licenciamento, é necessário efectuar uma alteração no Controlo Parental para assim que seja efectuada uma ligação à Internet o Manual Digital fique registado. 1. Abrir o Controlo Parental No Windows 7 clicar na seta do lado direito, que se encontra na barra de tarefas, para aceder a uns ícones ocultos. 2. Clicar no ícone do Controlo Parental para aceder ao programa 3. Aceder às configurações de directriz; Formando: João Areias - 19 -
  53. 53. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 4. Introduzir a palavra passe Por definição a palavra passe é: escolinha2010 Formando: João Areias - 20 -
  54. 54. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 5. Clicar uma vez em “lista branca”, para ter acesso às opções; 4.1. Clicar em “Editar” 6. Clicar em lista de sites permitidos e adicionar *manualdigital.pt Formando: João Areias - 21 -
  55. 55. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 7. Clicar em “Adicionar”, depois em “Aplicar” e “OK”. 8. Fechar a aplicação Quando se efectuar uma ligação à Internet o licenciamento irá ser efectuado automaticamente. Formando: João Areias - 22 -
  56. 56. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Anexo C CRIAR UMA REDE AD HOC Formando: João Areias - 23 -
  57. 57. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Criar uma rede Ad-Hoc Configurar o computador principal 1. Abrir o “Centro de Rede e Partilha”, que se encontra na barra de tarefas; 2. Aceder ao Centro de Rede e Partilha; 3. Clicar em “Gerir redes sem fios”; 4. Seleccionar “Criar rede sem fios”; Formando: João Areias - 24 -
  58. 58. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Formando: João Areias - 25 -
  59. 59. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 4.1. Atribuir um nome à rede (p.exº “sala01”); 4.2. Atribuir o tipo de segurança (opcional); 4.3. Caso se tenha atribuído o tipo de segurança, escrever uma chave de segurança; 4.4. Colocar um visto em “Guardar esta rede” . 5. Depois destes passos está terminada a configuração da rede, caso se queira também partilhar o acesso à Internet, então é necessário proceder à partilha através do computador principal efectuando os seguintes passos; 5.1. Aceder ao “Centro de Rede e Partilha” (pode ser através do Painel de Controlo), Formando: João Areias - 26 -
  60. 60. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 5.2. Clicar em “Rede e Internet”; 5.3. Para se puder alterar as permissões de partilha da Internet é necessário aceder a “Alterar definições da placa” 5.4. Seleccionar a placa de rede “Ligação de Área Local” e clicar com o lado direito do rato para aceder às “Propriedades”; Formando: João Areias - 27 -
  61. 61. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 5.5. Depois de estar nas Propriedades da placa têm que se aceder à aba da “Partilha” e colocar o visto nas duas opções; 5.6. Clicar no “OK” e está pronto a efectuar a partilha da Internet. 6. Clicar no ícone da rede e depois escolher a rede que se criou para a ligar; Formando: João Areias - 28 -
  62. 62. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Ligar os computadores Magalhães 1. Na barra de tarefas clicar no ícone da rede para abrir; 2. Seleccionar a rede que se criou e clicar no “ligar”; Formando: João Areias - 29 -
  63. 63. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 3. Depois é só aguardar e fica estabelecida a ligação com acesso à Internet. Formando: João Areias - 30 -
  64. 64. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Anexo D Projectos de Saúde da Câmara Municipal da Maia Formando: João Areias - 31 -
  65. 65. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Instalação dos Projectos de Saúde da C.M.Maia nos MD® Os projectos de Saúde que a Câmara Municipal da Maia disponibilizou para serem instalados no Manual Digital®, versão docente, são: A Minha Lancheira! O Pequeno Grande Almoço! Pepino Formando: João Areias - 32 -
  66. 66. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Com o Sol no Coração vamos ter Precaução! Instalação dos projectos de saúde no MD® 3. Introduzir PEN no PC; Formando: João Areias - 33 -
  67. 67. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 4. Abrir o “Meu Computador” e aceder à pasta do ano16 em que se vai instalar o projecto; 2.1 Geralmente o MD® está instalado em “C:ManualDigital*” 5. Abrir a pasta de “trabalhos”; 16 Nem todas as escolas e docentes aderiram ao mesmo projecto. Formando: João Areias - 34 -
  68. 68. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 6. Copiar o ficheiro “*.bat” da PEN para a pasta de “trabalhos”; 7. Executar o ficheiro “*.bat” no PC; 8. Apagar o ficheiro “*.bat” 9. Fechar as pastas abertas e abrir o MD® a) Aceder a “Trabalhos”; Formando: João Areias - 35 -
  69. 69. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” b) “Trabalhos dos meus alunos”; c) Executar o projecto. Formando: João Areias - 36 -
  70. 70. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Formando: João Areias - 37 -
  71. 71. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Anexo E Nota aos docentes sobre projectos de saúde Formando: João Areias - 38 -
  72. 72. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Nota para os docentes sobre os projectos de Saúde Sr. Professor(a) O Manual Digital® para arrancar já não necessita do DVD, está a arrancar automaticamente, foi também adicionado um projecto de saúde da Câmara Municipal da Maia e o qual se encontra no Manual Digital®, para aceder tem que seguir os seguintes passos: 1. Abrir o Manual Digital; 2. Seleccionar “Trabalhos”; Formando: João Areias - 39 -
  73. 73. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 3. Seleccionar “Trabalho dos meus alunos”; 4. Abrir o projecto, clicando duas vezes no ícone; Formando: João Areias - 40 -
  74. 74. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 5. Clicar no ícone do projecto; 6. Página inicial com uma breve mensagem do Sr. Vereador e acesso às pastas do projecto; Formando: João Areias - 41 -
  75. 75. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 7. Pastas relativas ao projecto; 8. Temas dos projecto. Formando: João Areias - 42 -
  76. 76. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” NOTA FINAL: Para ter acesso aos temas do projecto é necessário ter instalado no computador o software: Adobe Reader Formando: João Areias - 43 -
  77. 77. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Anexo F Criar um Setup para actualização das aulas de Inglês do 3º Ano Formando: João Areias - 44 -
  78. 78. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Actualização das aulas de Inglês no MD® 3ºAno Com a necessidade de actualizar os conteúdos das aulas da Língua de Inglês no 3º Ano, foi necessário efectuar um método simples e rápido que não sobrecarregasse o servidor, o método mais simples é o de se criar um ficheiro executável (Setup) que efectuasse o pretendido com pouca intervenção do utilizador. Este método pode ser realizado recorrendo a um programa compactador (WinZip ou WinRar) ou então através do “Inno Setup Compiler”. Criar um ficheiro executável com o “Inno Setup Compiler” 1. Criar uma pasta com os conteúdos que queremos actualizar; Conteúdos Pasta criada 2. Abrir o programa “Inno Setup Compiler” e seleccionar “create a new script file using the Script Wizard”; Formando: João Areias - 45 -
  79. 79. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 3. Clicar em “Next”; 4. Preencher os campos e depois fazer “Next”; Formando: João Areias - 46 -
  80. 80. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 5. Retirar o visto “Allow user to change the application folder” e clicar “Next”; 6. Colocar um visto em “The application doesn’t have a main executable file” e clicar no “Add folder …”, para adicionar os ficheiros da pasta que temos, depois clicar em “Next”; Formando: João Areias - 47 -
  81. 81. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 7. Retirar o visto de “Allow user to change the Start Menu folder name” e clicar em “Next”; 8. Clicar 2 vezes em “Next” e no menu da Língua escolher “Portuguese”, clicar em “Next”; Formando: João Areias - 48 -
  82. 82. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 9. Colocar o “Compiler output base file name:” e o “Custom Setup icon file:”, clicar em “Next”; 10. Fazer “Finish”; Formando: João Areias - 49 -
  83. 83. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 11. Esperar que o programa efectue a compilação e depois alterar a linha ”DefaultDirName={pf}ManualDigital3Ano” para: a. “DefaultDirName=ManualDigital3Ano” Formando: João Areias - 50 -
  84. 84. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” 12. No final é ir à página “Output” e temos o nosso ficheiro executável criado e pronto a ser usado. Formando: João Areias - 51 -
  85. 85. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Anexo G Formando: João Areias - 52 -
  86. 86. Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho Curso de Especialização Tecnológica “Gestão de Redes e Sistemas Informáticos” Documento 1 - Cartão de colaborador Documento 2 - Registo de presenças semanal Documento 3 - Relatório de actividades semanal Formando: João Areias - 53 -

×