Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Die SlideShare-Präsentation wird heruntergeladen. ×
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Nächste SlideShare
DM_MariaVasconcelos_2013.pdf
DM_MariaVasconcelos_2013.pdf
Wird geladen in …3
×

Hier ansehen

1 von 67 Anzeige
Anzeige

Weitere Verwandte Inhalte

Aktuellste (20)

Anzeige

25abril.pdf

  1. 1. A Revolução dos Cravos 25 de abril de 1974
  2. 2. O que é o Estado Novo? O Estado Novo é o nome do regime político autoritário e corporativista - fascista - que vigorou em Portugal durante 41 anos, sem interrupção, desde 1933 até 1974 e que tinha como líder António de Oliveira Salazar.
  3. 3. Salazar, o “Salvador da Pátria”
  4. 4. Salazar, o “Salvador da Pátria”
  5. 5. As características do Estado Novo * A União Nacional – política do partido único, oficial; * O Corporativismo - os sindicatos livres são proibidos e substituídos pelos sindicatos nacionais e pelas corporações;
  6. 6. As características do Estado Novo * Os Princípios - consagrados pela tradição e pela Igreja - Deus, Pátria, Família, Autoridade, Hierarquia, Moralidade, Paz Social e Austeridade; * A Censura - procurou sempre não deixar avançar qualquer tipo de oposição ao regime.
  7. 7. As características do Estado Novo * O Colonialismo - uma política colonialista e o “Ato colonial” afirmava Portugal como um “Estado pluricontinental e multirracial”, onde as colónias serviam de propaganda do regime e
  8. 8. As características do Estado Novo da grandeza do país, sendo frequente a comparação do tamanho de Portugal - com as colónias incluídas - com o resto da Europa.
  9. 9. As características do Estado Novo * O Nacionalismo - uma política nacionalista a vários níveis, marcada pelo máximo orgulho e exaltação da Pátria e pelo ser Português - o “Estamos orgulhosamente sós.”
  10. 10. As características do Estado Novo A Educação do Estado Novo
  11. 11. As características do Estado Novo Na província, os alunos tinham que pedir a bênção ao professor e “beijar a mão” uma vez que também eles eram seus educadores. Em Lisboa, tinham de dar os bons-dias em coro ao professor.
  12. 12. As características do Estado Novo Só os filhos das famílias com posses tinham oportunidade de estudar e muitos dos nossos idosos ou não chegou a aprender a ler na infância ou concluíram a instrução primária. Muitos só em adultos concluíram a quarta classe.
  13. 13. As características do Estado Novo Política do livro único em todas as escolas do país.
  14. 14. As Características do Estado Novo
  15. 15. As características do Estado Novo * A Educação - A Mocidade Portuguesa foi uma organização política paramilitar onde eram incutidos os valores do regime e do país e onde aprendiam a respeitar e obedecer ao chefe - Salazar. Saudação Romana
  16. 16. As características do Estado Novo * A Legião Portuguesa - a criação de milícias armadas e organizações paramilitares, como a Legião Portuguesa, tinha como objetivo defender o regime perseguindo os comunistas e combatendo o comunismo.
  17. 17. As características do Estado Novo * A Propaganda - utilizada para promover as ideias do Estado e, por vezes, para mostrar as suas “qualidades”.
  18. 18. As proibições do Estado Novo * Era proibido: • beber Coca-cola; • jogar às cartas no comboio; • dormir nos bancos do jardim; • usar isqueiros sem licença; • o fato de banho de duas peças - biquíni;
  19. 19. As proibições do Estado Novo * Segundo o artigo 48 da portaria n.º 69035 da Câmara Municipal de Lisboa, datada de 1953, aquele que fosse apanhado de “ mão na mão” era multado em 2$50 - cerca de 0,0125€ ;
  20. 20. As proibições do Estado Novo * "O beijo na boca era qualificado de ato exibicionista atentatório da moral”. O delinquente beijoqueiro era levado para a esquadra, ou para o posto da GNR, identificado,
  21. 21. As proibições do Estado Novo multado em, pelo menos, 57 escudos - cerca de 0,30€ - e passava, invariavelmente, pela cadeira do agente-barbeiro, de onde saía de cabeça rapada à máquina zero.
  22. 22. As proibições do Estado Novo * A mulher solteira, que vivesse sem família ou com família a seu cargo, era o tipo de pessoa a quem deveria ser facilitado o emprego e que tinha direito de voto, desde que fosse maior e emancipada, com curso secundário;
  23. 23. As proibições do Estado Novo * As enfermeiras e hospedeiras não podiam casar para se poderem dedicar totalmente à sua profissão; * As professoras tinham de pedir autorização para casar e o pretendente deveria: • ter bom comportamento moral e civil;
  24. 24. As proibições do Estado Novo • ter vencimentos ou rendimentos, documentalmente comprovados, em harmonia com os vencimentos da professora; * Era preciso autorização do marido para sair do país; * O homem podia matar a mulher, impunemente, se a apanhasse, em flagrante, a traí-lo.
  25. 25. As proibições do Estado Novo * Os partidos políticos foram proibidos, apenas era permitida a União Nacional;
  26. 26. As proibições do Estado Novo * Uma comissão de censura “lápis azul” cortava o que não deveria ser divulgado nos jornais, revistas,…
  27. 27. O que é a PIDE? A PIDE foi a polícia política portuguesa, entre 1946 e 1969. Era designada por Polícia Internacional e de Defesa do Estado.
  28. 28. O que é a PIDE? * A PIDE foi criada e implantada em Portugal em 22 de outubro de 1946 por António de Oliveira Salazar; * A sua principal função era a repressão de qualquer forma de oposição ao Estado Novo;
  29. 29. O que fazia a PIDE? * A PIDE escutava telefonemas e prendia os opositores ao Estado Novo; * De seguida, na cadeia, torturava-os; * A PIDE usava torturas horríveis baseadas nos métodos alemães; * A PIDE matou muitas pessoas conhecidas da época, entre as quais o General Humberto Delgado.
  30. 30. As torturas da PIDE * Queimava os presos com cigarros; * Interrogava os presos despidos, sobretudo quando se tratava de mulheres; * Privava-os do sono, às vezes durante duas semanas;
  31. 31. As torturas da PIDE * Espancava-os, insultava-os e humilhava-os; * Obrigava-os a ficar na posição de “estátua”; * Usava choques elétricos; * No campo de concentração do Tarrafal, em Cabo Verde, os presos políticos estavam sujeitos:
  32. 32. As torturas e as prisões da PIDE • à fome; • aos trabalhos forçados; • ao paludismo; • à falta de assistência médica; • à “frigideira” - a câmara das torturas.
  33. 33. As torturas e as prisões da PIDE
  34. 34. As torturas e as prisões da PIDE Campo de concentração do Tarrafal - numa zona desértica - a norte da ilha de Santiago. No lado direito do campo, a cela “frigideira”, para onde iam os presos castigados com o isolamento. O calor e a elevada temperatura, num espaço exíguo, levava-os à morte. Morreram 34 políticos, de 29 de outubro de 1936 - início de funcionamento - até 1954.
  35. 35. A Mulher do Estado Novo * O Estado tinha a obrigação de continuar a garantir a defesa de proteção da família e assegurar a continuação da raça, pois eram o alicerce da sociedade e, como Salazar dizia: “aí, - no berço da família - nasce o homem, aí se educam as gerações.”
  36. 36. A Mulher do Estado Novo * Por isso, Salazar atribuía papéis importantes à mulher: • mãe sacrificada e virtuosa; • dona de casa; • esposa carinhosa e submissa, • a sua utilidade era dar à luz, criar e educar os filhos;
  37. 37. A Mulher do Estado Novo • tinha um papel passivo durante o regime; • o trabalho fora do lar era visto como uma ameaça à estabilidade familiar; • o trabalho e/ou ocupação “permitido/a” era o realizado no campo, o doméstico e o operariado.
  38. 38. A Mulher do Estado Novo * Não tinha acesso ao voto; * Não podia trabalhar sem a ordem do marido; * Não tinha possibilidade de exercer qualquer cargo político; * Não podia mexer na sua propriedade;
  39. 39. A Mulher do Estado Novo * A mulher que casasse com um estrangeiro perdia automaticamente a nacionalidade e os bens iniciais; * O chefe de família funcionava como uma voz comum que falava por todos; * Os filhos deviam obedecer ao pai, a mãe apenas devia ser ouvida;
  40. 40. A Mulher do Estado Novo * A mulher devia acompanhar o marido a todo o lado exceto ao estrangeiro; * O direito de reunião das mulheres era proibido pelo governo; * A mulher não podia hipotecar e adquirir bens ou publicar artigos sem a ordem do marido;
  41. 41. A Mulher do Estado Novo * Se a mulher iniciasse uma nova relação, posterior ao casamento, os filhos desta eram considerados ilegítimos e, legalmente, ou eram registados com o apelido do marido inicial ou eram considerados filhos de “pai incógnito”;
  42. 42. A Mulher do Estado Novo * A mulher poderia separar-se no caso de: • adultério do marido - com escândalo público; • completo desamparo da mulher; • no caso da amante ir viver para a sua casa. * Os homens podiam solicitar a separação da mulher no caso desta cometer adultério.
  43. 43. Causas do 25 de abril * Falta de Liberdade; * Descontentamento com o governo: * Isolamento internacional do país devido aos conflitos coloniais; * População desgastada pelas guerras coloniais;
  44. 44. Causas do 25 de abril * A Censura; * Descontentamento dos militares; * A polícia política – PIDE; * Não existência do direito à reunião;
  45. 45. Causas do 25 de abril * Más condições de vida e de trabalho; * Trabalho infantil; * O direito à saúde e à educação não eram garantidos aos cidadãos; * A forma de vida da população era controlada; * Não havia eleições livres.
  46. 46. O que é a “Revolução dos Cravos”? A Revolução dos Cravos consistiu no derrube da ditadura do Estado Novo, na madrugada de 25 abril de 1974, pelas forças militares.
  47. 47. O que é a “Revolução dos Cravos”? No dia anterior, a rádio foi a “senha” para o arranque simultâneo dos militares que decidiram acabar de uma vez por todas com uma ditadura que matava o País com uma morte que não se via, mas matava.
  48. 48. O que é a “Revolução dos Cravos”? 5 minutos antes das 23h do dia 24 de Abril de 1974, nos estúdios da Rádio “Alfabeta” dos Emissores Associados de Lisboa, o locutor de serviço - João Paulo Dinis – “lançou” a música “E depois do adeus” de Paulo de Carvalho. Era o sinal para as tropas avançarem.
  49. 49. O que é a “Revolução dos Cravos”? A "senha", constituída pela canção “Grândola, Vila Morena”, de José Afonso, foi gravada por Leite de Vasconcelos e posta no ar por Manuel Tomás, no âmbito do programa “Limite” da Rádio Renascença, à meia-noite e vinte, antecedida da leitura da sua primeira quadra.
  50. 50. O que é a “Revolução dos Cravos”? “Grândola, vila morena Terra da fraternidade, O povo é quem mais ordena Dentro de ti, ó cidade”.
  51. 51. O que é a “Revolução dos Cravos”? Às primeiras horas da manhã, militares de vários ramos das Forças Armadas ocuparam pontos estratégicos na capital portuguesa com o objetivo de derrubar o regime do Estado Novo.
  52. 52. O que é a “Revolução dos cravos”? A zona dos ministérios, órgãos de comunicação e outros locais considerados sensíveis foram subjugados pelos militares sublevados. A reação do regime foi lenta e ineficaz.
  53. 53. O que é a “Revolução dos Cravos”? O presidente do Conselho de Ministros, Marcelo Caetano, refugiou-se no Quartel do Carmo, de onde saiu sob escolta militar do capitão Salgueiro Maia, em direção ao exílio - o Brasil. Nas horas seguintes, foi criada a Junta de Salvação Nacional.
  54. 54. O que é a “Revolução dos Cravos”? Esta segunda “senha” transmitida pela Rádio Renascença, estação de cobertura nacional, serviu para informar todos os quartéis e militares que aderiam ao golpe, de que tudo estava preparado e a correr conforme o previsto.
  55. 55. O que é a “Revolução dos Cravos”? Era o arranque sincronizado e irreversível das forças do MFA - Movimento das Forças Armadas. Quatro horas mais tarde, a rádio era já o eco da liberdade e augúrio de que tudo iria correr bem.
  56. 56. O que é a “Revolução dos Cravos”? A “Rádio Clube Português” é ocupada por militares e transformada no posto de comando do “Movimento das Forças Armadas”. Por este motivo, a estação de rádio fica conhecida como a “Emissora da Liberdade”. Às 04h26 o locutor Joaquim Furtado fazia a leitura do primeiro comunicado do MFA.
  57. 57. Porquê “Revolução dos Cravos”? A “Revolução do 25 de abril” ficou assim conhecida, porque quase não houve derramamento de sangue. Registaram-se 4 civis mortos e 45 feridos, em Lisboa, pelas balas da PIDE/DGS. Os militares colocaram cravos no cano das armas como símbolo dessa revolução pacífica e de alegria.
  58. 58. Porquê “Revolução dos Cravos”? Celeste Martins Caeiro foi a mulher que distribuiu cravos pelos militares que levavam a cabo o golpe de estado.
  59. 59. Consequências do 25 de abril * Fim da ditadura; * Fim da Guerra Colonial; * Libertação dos presos políticos; * Regresso dos opositores ao anterior regime a Portugal; * As colónias africanas tornaram-se independentes;
  60. 60. Consequências do 25 de abril * Formação da Junta de Salvação Nacional; * Abolição da censura; * Extinção da PIDE; * Criação da 1ª Constituição democrática.
  61. 61. Fontes online http://pt.slideshare.net/bandeirolas/a-revoluo-de-25- de-abril-de-1974 http://festivaistv.home.sapo.pt/acantigaeraumaarm a.htm http://image.slidesharecdn.com/historia-a-12-ano- resumo-120609114620-phpapp01/95/historia- a12anoresumo-17-728.jpg?cb=1339242415 http://opafuncio.blogspot.pt/2006/04/tourada- memrias-ainda-muito-presentes.html
  62. 62. Fontes online http://angies.blogs.sapo.pt/1719.html http://www.aminharadio.com/radio/radio_25-abril http://pt.slideshare.net/cabaptista/revoluo-dos- cravos http://www.dw.com/pt/sede-da-pide-dgs-mortos- na-revolu%C3%A7%C3%A3o-dos-cravos/a-17241098 http://www.junior.te.pt/servlets/Bairro?P=Portugal &ID=101
  63. 63. Fontes online http://www.infoescola.com/historia/revolucao-dos- cravos/ https://prezi.com/g4m82zg2rv7f/a-mulher-do-estado- novo/ http://9c25abril1974.blogspot.pt/2012/03/razoes-que- levaram-ao-25-de-abril.html http://pt.slideshare.net/jorgediapositivos/a-revoluo- de-25-de-abril-de-1974-1588456 http://pt.slideshare.net/joanacordeiro18/trabalho-25- de-abril-2?next_slideshow=3
  64. 64. Imagens online http://nucleopiratininga.org.br/25-de-abril-dez- filmes-sobre-a-revolucao-dos-cravos-no-youtube/ http://liberiosleisures.blogspot.pt/2014/04/25-de-abril- de-1974-revolucao-dos.html http://pretobrancoe.blogspot.pt/2015/04/esta-e- historia-do-cravo-vermelho-da.html http://www.postaisde.pt/gratis.asp?search=true&tag =25-abril
  65. 65. Imagens online http://www.historiadeportugal.info/pide/ http://image.slidesharecdn.com/oposiaoaditadura- 100511094531-phpapp02/95/oposiao-a-ditadura-5- 728.jpg?cb=1273571245 http://jugular.blogs.sapo.pt/1793383.html http://roinesxxi.blogs.sapo.pt/tarrafal-prisao-onde- morreram-32-915354
  66. 66. Imagens online http://portugaldospequeninos.blogspot.pt/2008/04/me mria-de-antnio-de-oliveira-salazar.html http://www.fnac.pt/Como-Se-Reergue-Um-Estado- Antonio-de-Oliveira-Salazar/a175640 http://guinevereuniversidade.blogspot.pt/2009/09/ant onio-de-oliveira-salazar-refugiados.html http://150anos.dn.pt/2014/08/25/como-viveu-portugal-a- morte-de-salazar/
  67. 67. Músicas online http://www.4shared.com/mp3/tSsfcLJjba/25_de_Abril _1974_E_Depois_Do_A.htm http://mp3fly.in/watch?v=AZW7XqZvvvg http://mp3fly.in/watch?v=53dqcGNltpA

×