Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Aula 6 Eisenstein

7.498 Aufrufe

Veröffentlicht am

Aula 6 Eisenstein

  1. 1. Edição Audiovisual
  2. 2. Cinema mudo Aula 4
  3. 3. Sergei Eisenstein: o teórico damontagemSerguei Mikhailovitch Eisenstein (1898 – 1948) O mais importante cineasta soviético edos maiores de todo o mundo. Ligado ao movimento de vanguarda russa, participouativamente da Revolução de 1917. É considerado o maior teórico da montagemcinematográfica.
  4. 4. A teoria da montagem de EisensteinSergei Eisenstein estudou engenharia e arquitetura, largando osestudos para militar no movimento revolucionário, servindo aoExército Vermelho. Interessou-se pela arte japonesa e oscaracteres Kanji. Transferido para Moscou iniciou carreira naprodução teatral e como designer.Juntando estes conhecimentos, Eisenstein iniciou-se no cinema,tentando reunir Griffith com Karl Marx, criando filmes querevolucionaram a montagem e a estética cinematográfica.Eisenstein experimentou teorizar sobre a montagem como umchoque de imagens e idéias. O cinema de Eisenstein é umcinema militante. Sua formação marxista fez com que tivesseuma grande preocupação com a teoria e a dialética.
  5. 5. A teoria da montagem de EisensteinA teoria de Eisenstein sobre montagem écomposta por cinco tipos: Métrica Rítmica Tonal Atonal Intelectual
  6. 6. A montagem métricaA montagem métrica refere-se à duração decada um dos planos.Encurtar os planos diminui o tempo que opúblico tem para absorver a informação de cadaum deles.Esse procedimento aumenta a tensão da cena.O uso de planos próximos cira uma sequenciamais intensa.
  7. 7. A montagem rítmicaRelaciona-se à continuidade visual entre osplanos.A continuidade baseada na ação e nas entradase saídas do quadro são exemplos da montagemrítmica.Esse procedimento tem potencial parademonstrar conflitos pelas diferentes direçõesdos elementos.
  8. 8. A montagem tonalNa montagem tonal, as decisões da montagembuscam estabelecer uma característicaemocional da cena.As emoções mudam, logo devem mudar tambémo tom da cena.Na sequencia da escadaria de Odessa, emEncouraçado Potemkim, a morte de uma jovemmãe, e a descida descontrolada do carrinhodestacam a profundidade da tragédia.
  9. 9. Seqüência da escadaria de Odessa emO Encouraçado Potemkim (1925)
  10. 10. A montagem atonalA montagem atonal conjuga as montagensmétrica, rítmica e tonal, manipulando o tempodo plano, idéias e emoções a fim de conquistar oefeito desejado na platéia.Os planos que enfatizam os excessos do uso deforça pelo exército e a exploração deenfraquecidos cidadãos pontuam a mensagem.
  11. 11. A montagem IntelectualA montagem intelectual trata da inserção deidéias em uma seqüência de grande cargaemocional.Exemplifica essa forma de montagem o filmeOutubro (1928). Kerensky, o líder mancheviqueda primeira revolução russa, sobe as escadas tãorapidamente quanto sobe na linha do poderapós a queda do Czar. Intercaladas com estaascensão, há planos de um pavão mecânicoajeitando suas penas.
  12. 12. Outubro (1928)
  13. 13. A teoria da montagem de EisensteinEisenstein era um cineasta profundamenteintelectualizado. Mesmo na União Soviética, eraconsiderado muito acadêmico.Aos olhos contemporâneos, Eisensteinpermanece excessivamente militante.No entanto, Eisenstein foi um cineasta quedescobriu a racionalidade possível em umamontagem, tornando-se o grande mestre destaarte.
  14. 14. FIM

×