Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Auto-Avaliação BE

477 Aufrufe

Veröffentlicht am

Veröffentlicht in: Bildung
  • Als Erste(r) kommentieren

Auto-Avaliação BE

  1. 1. AUTO-AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR PROCESSOS ENVOLVIDOS Maria Mário Murteira
  2. 2. <ul><li>A ideia de criar um modelo de avaliação das bibliotecas escolares permite perspectivar a organização estrutural no seu todo. </li></ul><ul><li>Apresenta-se assim, como um instrumento de melhoria, uma vez que através da recolha sistemática de evidências permitirá a possibilidade de transformar/inovar na busca da qualidade. </li></ul><ul><li>A sua pertinência alia-se à missão de transformar em resultados objectivos o que se vai definindo e desenvolvendo na BE. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>A BE corresponde às expectativas esperadas? </li></ul><ul><li>Até que ponto a BE tem implicações na aprendizagem? De que forma é que a BE é “transportada” para a sala de aula? </li></ul><ul><li>Quais os benefícios que alunos e professores podem tirar da BE? </li></ul><ul><li>Os recursos estão actualizados? A acessibilidade ao fundo documental é funcional? As novas tecnologias estão reorientadas às necessidades dos utilizadores? </li></ul><ul><li>Que tipo de literatura é “devorada” e que tipo de literatura é “esquecida” nas estantes? </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Necessidade de apresentar o trabalho que a BE desenvolve e de que forma é que contribui para o sucesso educativo dos alunos. </li></ul><ul><li>Necessidade de saber a integração plena da BE no processo ensino/aprendizagem. </li></ul><ul><li>Necessidade de saber se as práticas utilizadas revelam as prioridades educativas enunciadas. </li></ul><ul><li>Necessidade de provar o impacto que as práticas da BE exercem no contexto de escola. </li></ul><ul><li>Necessidade de aferir a eficácia dos serviços prestados e a satisfação dos utilizadores da BE. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Identificar os pontos fortes e fracos. </li></ul><ul><li>Conhecer a ligação entre a BE, a escola e o sucesso educativo. </li></ul><ul><li>Interagir com os diferentes órgãos da escola (Conselho Executivo, Departamentos…) </li></ul><ul><li>Analisar o impacto das práticas da BE no contexto escolar. </li></ul><ul><li>Aferir sobre a qualidade da gestão e eficácia da BE ao serviço dos utilizadores. </li></ul><ul><li>Envolver toda a comunidade educativa no processo de avaliação. </li></ul><ul><li>Compatibilizar diferentes instrumentos de trabalho. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>O modelo apresenta-se organizado em quatro domínios: </li></ul><ul><li>A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular; </li></ul><ul><li>B. Leitura e Literacias; </li></ul><ul><li>C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade; </li></ul><ul><li>D. Gestão da Biblioteca Escolar (e num conjunto de indicadores temáticos sobre os quais assenta o trabalho da BE). </li></ul><ul><li>O documento está faseado para ser aplicado durante 4 anos de forma a fornecer uma visão holística da BE. </li></ul><ul><li>A escolha do domínio prioritário a avaliar deve resultar de uma decisão fundamentada da equipa junto do órgão de gestão. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Recolha de evidências. Lançamento de inquéritos e registos inerentes ao processo de avaliação. </li></ul><ul><li>Interpretação da informação recolhida. Estabelecer ligações entre os dados obtidos. </li></ul><ul><li>Divulgação dos resultados à escola. </li></ul><ul><li>Apresentação do Relatório final, discussão e aprovação em Conselho Pedagógico. </li></ul><ul><li>Elaboração de uma síntese para constar no relatório da escola. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>O Coordenador da BE terá de exercer a função de “catalisador” junto da comunidade educativa ( deverá elaborar um plano devidamente estruturado para conseguir “chegar” a todos). </li></ul><ul><li>A relevância da contribuição de todos (professores, órgãos pedagógicos, alunos, funcionários e pais/e. educação) através da execução das tarefas pedidas (recolha de evidências). </li></ul><ul><li>Aplicação de questionários e registos significativos para obter um diagnóstico fundamentado. </li></ul><ul><li>Os esforços devem convergir no sentido de construir uma cultura baseada na verdade e na confiança de todos os envolvidos. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Valorização da BE no processo de ensino/aprendizagem </li></ul><ul><li>Ajudar a desenvolver novas estratégias de actuação </li></ul><ul><li>Reorientar práticas e processos </li></ul><ul><li>Melhoria nos seus serviços </li></ul><ul><li>Reconhecimento da importância da BE no contexto escolar(ligação ao currículo e ao sucesso educativo dos alunos) </li></ul><ul><li>Responsabilidade colectiva </li></ul><ul><li>Saber gerir a mudança </li></ul>
  10. 10. No desenvolvimento de actividades culturais e de integração Na transversalidade dos conteúdos curriculares Na aquisição de diferentes aprendizagens/diferentes literacias Na melhoria da aprendizagem e no sucesso educativo No apoio a projectos curriculares Na integração das diferentes áreas curriculares No desenvolvimento pedagógico de toda a escola Na aquisição do conhecimento através da informação orientada (TIC e internet - prioridades educativas)
  11. 11. <ul><li>Após a aprovação do Relatório em Conselho Pedagógico e da realização da síntese para constar no relatório da escola, a sua divulgação será feita nos departamentos e através da página web da escola e da página web da BE. </li></ul><ul><li>Posteriormente dever-se-á construir um plano de acção baseado nas evidências recolhidas, com o objectivo de divulgar o valor da BE e redefinir as novas práticas a implementar, com a finalidade de corrigir os pontos fracos detectados. </li></ul><ul><li>O relatório ficará disponibilizado na BE. Desta forma, a sua presença evidenciará a sua importância na melhoria contínua das aprendizagens e consequentemente no sucesso educativo dos alunos. </li></ul>

×