Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Urbanização

1.373 Aufrufe

Veröffentlicht am

Segue alguns slides muito bem editados, com um conteúdo muito sucinto e claro!
URBANIZAÇÃO...

Veröffentlicht in: Design

Urbanização

  1. 1. QUESTÕES SOCIAIS URBANIZAÇÃO O QUE É URBANIZAÇÃO? URBANIZAÇÃO DE RISCO AS CIDADES E AS ENCHENTES LEGISLAÇÃOPOLÊMICA SOBRE NOVO CÓDIGO FLORESTAL
  2. 2. URBANIZAÇÃO O QUE É: URBANIZAÇÃO É O CRESCIMENTO DA PARCELA DA POPULAÇÃO QUE VIVE NAS CIDADES EM COMPARAÇÃO COM AS QUE HABITAM AS ZONAS RURAIS. CRITÉRIO PARA AVALIAÇÃO: A MAIORIA DOS PAÍSES DESENVOLVIDOS CONSIDERA ZONA URBANA A AGLOMERAÇÃO NA QUAL 85% DA POPULAÇÃO VIVE EM ÁREA COM DENSIDADE POPULACIONAL SUPERIOR A 150 PESSOAS POR QUILÔMETRO QUADRADO. PARA O IBGE, ZONA URBANA É TODA SEDE DE MUNICÍPIO E DESTRITO, NÃO IMPORTANDO A CONCENTAÇÃO DE PESSOAS.
  3. 3. URBANIZAÇÃO DE RISCOO QUE É?É O PROCESSO QUE LEVA A CIDADE A CRESCER EM CONDIÇÕES DE INSEGURANÇA, COMO A OCUPAÇÃO DE ÁREAS SUSCETÍVEIS A ENCHETES OU DESLIZAMENTOS, OU A CONSTRUÇÃO DE EDIFICAÇÕES POUCO ESTÁVEIS, EM TERRENOS SEM INFRAESTRUTURA.
  4. 4. URBANIZAÇÃO DE RISCOEXEMPLO:PODEMOS CITAR OS DESLIZAMENTOS NA REGIÃO SERRANA DO RIO DE JANEIRO, O QUE MOSTRA O DESPREPARO DO BRASIL PARA EVITAR TRAGÉGIAS CAUSADAS POR DESASTRES NATURAIS.
  5. 5. PRINCIPAIS DESASTES NATURAIS EM 2010NO MAIS  INUNDAÇÃO É O DESASTRE COMUM MUNDO  SEGUNDO A ONU, O CRESCIMENTO DA POPULAÇÃO EM ÁREAS INUNDÁVEIS E O AGRAVAMENTO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS AUMENTAM A CADA ANO A FREQUÊNCIA E A SEVERIDADE DAS ENCHENTES  CERCA DE 150 MILHÕES DE PESSOAS, SOBRETUDO POBRES QUE MORAM EM ÁREAS DE RISCO, SÃO AFETADAS PELAS ENCHENTES TODOS OS ANOS. MAIS DE 90% DAS PESSOAS QUE MORRERAM EM DESASTRES NATURAIS NO MUNDO, ENTRE 1975 E 2000, TINHAM RENDA
  6. 6. AS CIDADES E AS ENCHENTES OS TEMPORAIS SÃO FENÔMENOS NATURAIS QUE ATINGEM AS CIDADES DE TEMPOS EM TEMPOS. A DIMENSÃO DOS DANOS QUE CAUSAM, PORÉM, PODE SER MENOR SE AS ZONAS URBANAS FOREM CONSTRUÍDAS RESPEITANDO A NATUREZA. AS CHEIAS DOS RIOS, POR EXEMPLO, SÃO NATURAIS E CÍCLICAS. ENTÃO, UM BOM PLANEJAMENTO DEVERIA PRESERVAR SEUS LEITOS LIVRES. A COBERTURA DAS ENCOSTAS DE PEDRA, COMO AS DA SERRA FLUMINENSE, É FRÁGIL E PODE VIR ABAIXO. DEIXÁ- LAS COBERTAS DE VEGETAÇÃO E LIVRES DE MORADIAS REDUZ O RISCO DE CATÁSTROFES.
  7. 7. LEGISLAÇÃOA LEI LEHMAN, DE 1979, ESTABELECE EXIGÊNCIAS MÍNIMAS ÀS AUTORIDADES LOCAIS PARA A APROVAÇÃO DE IMPLANTAÇÃO DE LOTEAMENTOS URBANOS. OS TERRENOS DEVEM SER DOTADOS DE DRENAGEM DE ÁGUAS PLUVIAIS, REDES DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA POTÁVEL E ESGOTAMENTO SANITÁRIO, POR EXEMPLO.
  8. 8. CÓDIGO FLORESTALO QUE É?LEGISLAÇÃO QUE TRATA DAS FLORESTAS E DEMAIS ECOSSISTEMAS, DEFINE OS LIMITES DA AMAZÔNIA LEGAL, OS DIREITOS DAS PROPRIEDADES E RESTRIÇÕES DE USO E O DESMATAMENTO EM CADA REGIÃO DO PAÍS. O CÓDIGO ATUAL É DE 1965.
  9. 9. PRINCIPAIS MUDANÇAS NO CÓDIGOREPRESENTANTES DOS PRODUTORES RURAIS NO CONGRESSO NACIONAL PROPUSERAM MUDANÇAS NA LEI PARA ATENDER À MAIOR PARTE DAS PROPRIEDADES QUE NÃO CUMPREM A LEGISLAÇÃO ATUAL. O TEXTO DA NOVA LEI FOI APROVADO NA CÂMARA DOS DEPUTADOS. EM JULHO DE 2011, AINDA PRECISAVA SER APROVADO NO SENADO, ANTES DE IR PARA A SANÇÃO DA PRESIDENTE DA REPÚBLICA.
  10. 10. PONTOS CONFLITANTESO TEXTO APROVADO ANISTIA PRODUTORES QUE NÃO MANTIVERAM ÁREAS PROTEGIDAS COM COBERTURA DE VEGETAÇÃO NATIVA, COMO A LEI PREVÊ, E DESMATARAM ALÉM DO PERMITIDO. TAMBÉM AUTORIZA LAVOURA EM ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE, PRÓXIMA DE MARGENS DE RIOS, NOS TOPOS E ENCOSTAS DE MORROS E PASSA PARA OS ESTADOS A DECISÃO SOBRE O QUE SE PODE DESMATAR.
  11. 11. SUSTENTABILIDADE E POLÍTICA “Temos de ter cuidado com aqueles que só querem explorar a terra sem cuidar dela, aumentando demasiadamente lucratividade e retorno, mas também temos de ter cuidado com aqueles que vivem às custas da ecologia, que só costumam divulgar dados que apoiam suas causas. Seu interesse não é necessariamente fornecer a visão global do problema. Muitos deles são ligados a causas externas, contrárias aos nossos interesses."
  12. 12. ALUNOS: ANA MARIA Nº 04 GUILHERME FERRARI Nº 15 THAYNÁ PAZZETTI Nº 32 GEOGRAFIAPROFESSORA ELIANA BRANDÃO 3° A

×