Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Dialética...

  • Als Erste(r) kommentieren

  • Gehören Sie zu den Ersten, denen das gefällt!

Dialética...

  1. 1. INSTITUTO SALESIANO DE FILOSOFIADISCIPLINA:DialéticaPROFESSOR:Aluísio CarvalhoALUNO:Faustino dos SantosPERÍODO:4º 2011.2QUESTÕES: 1. Quais são as diferenças entre as dialéticas de Platão e Heráclito? 2. Quais são as diferenças entre o pensamento de Parmênides e a dialética de Heráclito?POSSÍVEIS RESPOSTAS: 1. Nos escritos platônicos percebemos a predominância de diálogos que de certo modo faz jus ao significado da palavra DIALÉTICA que quer dizer troca de ideias ou arte de dialogar. Influenciado pelo meio onde vivia, a dialética platônica terá uma conotação política muito marcante, ou seja, a discussão é um ponto forte e determinante para a influência na polis, por isso também uma marca da dialética conhecida como antiga, e da qual Platão herda na sua é a fidelidade ao principio de não contradição, ou seja, se em uma discussão tal principio for desmerecido aquele que profere a contradição dentro do seu discurso é considerado perdedor. Mas talvez esse não seja o ponto alto da dialética platônica, uma vez que o diálogo acima descrito é reflexo da herança do mestre Sócrates, a quem Platão atribuiu o papel principal nas suas obras, mas, sobretudo a inovação da dialética no que se refere a sua teoria dos dois mundos, onde por meio da dialética a alma é elevada do mundo das aparências para o mundo das ideias puras. Ou seja, é a dialética que é responsável por esse movimento de mutação, e a única capaz de elevar ao conhecimento verdadeiro por meio da investigação dos conceitos, tão bem representada na as alegoria da caverna, na mudança das amarras da caverna para a livre claridade exterior a caverna. A negação da afirmação é a moventeda dialética. Fazendo um paralelo, portanto, a polis grega só seria justa se fosse governada por aquele que passado pelo processo dialético atingiu o mundo das ideias, uma vez que somente esse contemplou a verdade.
  2. 2. Embora, portanto, Heráclito tenha vivido historicamente antes de Platão, sua dialética é precursora da nova dialética iniciada por Hegel. E, partindo de um princípio diferente da dialética antiga, essa valoriza a síntese dos opostos. Com a sua teoria do vir-a-ser Heráclito afirma que tudo se modifica, “tudo flui e nada permanece”, em outros termos para uma coisa ser é preciso que ela deixe de ser. Para Heráclito é nessa mudança, ou nesse devir que está a verdade, nem numa coisa nem em outra, mas na transformação de uma para o outra. Na dialética heraclítica a verdade das coisas está no movimento. Não na contradição, mas na negação e afirmação. Por isso Heráclito é considerado o precursor da nova dialética, Hegel aprimorará essa teoria e criará a relação de Tese, Antítese em vista de uma Síntese.2. Enquanto Parmênides em sua filosofia diz que ou uma coisa é ou não é, Heráclito diz que uma coisa é e não é ao mesmo tempo, existe, portanto esse duelo de imutabilidade e mutabilidade das coisas, muito embora ambos estejam preocupados com a descoberta da razão última das coisas como os vários pensadores do seu tempo. Em aprofundamento, Parmênides descarta a possibilidade de um vir-a-ser, pois não se pode conceber uma mistura de ser e não ser. Ele coloca o princípio de mutabilidade como sendo engano dos sentidos, ou no campo da dóxa (opinião), e o verdadeiro filósofo não pode deixar se enganar pela ilusão, mas deve ter compromisso com a verdade que é Una e Imutável, uma vez que o ser é único e imutável. Já Heráclito, como descrito na questão anterior, afirma que o princípio da verdade é a mutabilidade, o ser é e não é ao mesmo tempo, não como princípio de contradição, mas de força dos contrários. Pois o ser não existe, segundo Heráclito, existe a possibilidade de vir-a-ser. O argumento dos sentidos é utilizado por Heráclito com razões semelhantes às de Parmênides no sentido de não enganar. Afirma ele que o homem deve ter cuidado com o engano dos sentidos na perspectiva de que se deve olhar o âmago das coisas e não a superficialidade delas, pois os sentidos nos mostram as coisas como elas não são de verdade é preciso que a inteligência seja aguçada a ponto de saber o que o ser é e o que não ser não é. Pois tudo é devir. Esse duelo de movimento e repouso do ser iniciado por Heráclito e Parmênides levantou ao longo da filosofia uma discussão muito forte e que até hoje é discutido de muitas maneiras e diferentes aspectos que não vem ao caso elencar.

    Als Erste(r) kommentieren

    Loggen Sie sich ein, um Kommentare anzuzeigen.

Aufrufe

Aufrufe insgesamt

1.855

Auf Slideshare

0

Aus Einbettungen

0

Anzahl der Einbettungen

1

Befehle

Downloads

11

Geteilt

0

Kommentare

0

Likes

0

×