Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.
ij  Õ~IÍ. .IAÍr“Ei.  Í.  El.  FT PLAZA

_Lbr THE MANAGEMENT CERTIFICATION COMPANY

-I':1 151m5] a

v*

Versão 01.02.br - a...
¡Vllciuunl at:  hzuannuzinu 'um Iilkn cl¡ 'a 12W' i “nmmrzmon i'

 

   

Sumário

LISTA DE FIGURAS . ... ... ... ... ... ...
¡Vlkluvnl : t: hzuannuzruh 'um Iilkn cl¡ i 12W” í “aillnorzliaon íÍ

Lista de Figuras

 

Figura 1 - Os Cinco Princípios d...
¡Vilcuilrzl si:  êniimiiiiunii- 'Hit inn-nula *- Hlií' G 'toiiiniuiziíi-i¡ t»

Manual de Treinamento Pré-Curso do COBlT5' ...
ilírzluinizl si:  Bullltiliilcllltu 'M2',  inuinwatn i 11V' 5 "oiliniurziiinu

Direitos de Distribuição [Copyright]

Com e...
oi

»Vitzinirrzi n: : fiiziiiiciiiiuiii- "tal Irineu-cio» l ln! " u' 'toinimiziítnu

1 .  Introdução

A quinta versão do C...
micininai at:  'iuiiiiciiiasiiil- "-23 lIlI-"| ~0lo›< z lzlll' u' “oiuiiioiziít-in

função de negociar e decidir entre os ...
»Vitzinirrzi n: : iiziiiiciiiiuiir- "ici trinta-ein r ln! " u' 'toiniii-iziiinu 2

- Abordagem de Governança,  proposta pe...
Wrlclnlnrsl Il: 

RACI Chart

›
o

: P99

(rim. ..
l
r
l
l
l

P

l
t
A l

 

ãmnirciuasull- "ul ! lino-aih z 1:1!" u' “ouu...
Nächste SlideShare
Wird geladen in …5
×

Free - Manual pre-curso COBIT 5

460 Aufrufe

Veröffentlicht am

Free - Manual pre-curso COBIT 5

Veröffentlicht in: Bildung
  • Als Erste(r) kommentieren

Free - Manual pre-curso COBIT 5

  1. 1. ij Õ~IÍ. .IAÍr“Ei. Í. El. FT PLAZA _Lbr THE MANAGEMENT CERTIFICATION COMPANY -I':1 151m5] a v* Versão 01.02.br - ativo Para feedback e comentários: contato@mpplaza. com. br Cobertura Parcial do Syllabus do COBlT5 Foundation Use esse livro para se preparar para aula presencial Material adicional para auxiliar seu aprendizado A A Visit us on ' Í Facebook Management Plaza Brasil *mm : Illiâlll mkmiunx 'uvllcrâi- ? cult-alicia llk-izilr: e ? vw . miaizigzzniizui 'itzuz llllileitilÍ-Lec', á m¡ : Illltlrsrêizllhíwííiglkilvilit: ol» RM 7*- m. : ãdrtllllé: Mun-ln: :rniilllh: milan:
  2. 2. ¡Vllciuunl at: hzuannuzinu 'um Iilkn cl¡ 'a 12W' i “nmmrzmon i' Sumário LISTA DE FIGURAS . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . .III MANUAL DE TREINAMENTO PRÉ-CURSO DO COBIT” 5 FOUNDATION . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . .IV 1. INTRODUÇÃO . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . .6 2. NOVIDADES DO COBIT 5 . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ..6 3. PRINCÍPIOS . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . .6 3.1 Atender as necessidades das partes interessadas . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . .6 3.2 Abranger a empresa de ponta-a-ponta . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . .8 3.3 Aplicar um framework único e integrado . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . .9 3.4 Facilitar uma abordagem holística . ... .. 3.4.1 Dimensões de Facilitadores . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... _.10 3.5 Separar a Governança da Gestão . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . .11 4. NOVO MODELO DE REFERÊNCIA DE PROCESSOS . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . .11 4.1 Processos de Governança . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ..12 4.2 Processos de Gerenciamento . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . .12 5. ESTRUTURA DE PROCESSOS . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . .13 6. CICLO DE VIDA DA IMPLEMENTAÇÃO . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . .14 7. MODELO DE CAPACIDADE DE PROCESSOS . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . .14 8. RESUMO DAS DIFERENÇAS COBIT 4.1 E COBIT 5 . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . .15 8.1 Princípios do Novo GEIT . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ..16 8.2 Foco Crescente nos Facilitadores . ... ... ... . . . .16 8.3 Novo Modelo de Referência de Processos . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . .16 8.4 Processos novos e modificados separando Governança de Gestão . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . .17 8.5 Práticas e Atividades . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ..17 8.6 Metas e Métricas Melhoradas . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . .17 8.7 Entradas e Saídas revisadas e melhoradas . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . .17 8.8 Gráficos RACI expandidos . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ..17 8.9 Novo Modelo de Maturidade de Capacidade de Processo . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . .18 9. REFERÊNCIAS . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . .18 APÊNDICE A - OBJETIVOS EM CASCATA . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . .20 APÊNDICE B - DOMÍNIOS E PROCESSOS DO COBIT 5 . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . .22 APÊNDICE C - DESCRIÇÃO DO PROCESSO BAIOG: GERENCIAR MUDANÇAS . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ..27 'AIH' . ',i: li›: ¡gi: .ii: :i¡ '= :.vr. - illüllsuliÍvjnrzl . tif-, nmuzzwarz ll-illlclllliiliB-"Víi ima-ur» I 1:4¡ ã»"-iaiu. ›l: ¡r. viv ma. Ima-i : rima
  3. 3. ¡Vlkluvnl : t: hzuannuzruh 'um Iilkn cl¡ i 12W” í “aillnorzliaon íÍ Lista de Figuras Figura 1 - Os Cinco Princípios do COBIT 5 . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . .6 Figura 2 - Criação de Valor . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . .7 Figura 3 - Visão Geral dos Objetivos em Cascata . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . .8 Figura 4 - Abordagem de Governança . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . .9 Figura 5 - Os Sete Facilitadores do COBIT 5 . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . .10 Figura 6 - O Modelo Geral dos Facilitadores . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ..11 Figura 7 - Áreas Chaves da Governança e da Gestão . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . .12 Figura 8 - Modelo de Referência de Processos (PRM) do Dominio Governança e os 37 processos . ... ... ... ..13 Figura 9 - As sete fases de implementação do ciclo de vida . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . . . . Figura 10 - Modelo de Capacidade de Processos Genérico . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ..15 Figura 11 - COBIT 5: Integração de Frameworks do ISACA . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. . .16 Figura 12 - Gráficos RACI COBIT 4.1 e COBIT 5 . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . .18 Figura 13 - Metas Empresariais . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... . . .20 Figura 14 - Metas de Tl Relacionadas . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ..21 'AIH' . ',i: li›: ¡gi: .ii: :i¡ '= :.vr. lntnniuiiionci . ';= :¡¡, uzv. '«r; Hl-. ÍÍIPllIIÍ: íÍ¡3'~'93' ; sua-uh I Jill Ã~"IlhluIl: Il¡. vlH um. lyÃñll : lime
  4. 4. ¡Vilcuilrzl si: êniimiiiiunii- 'Hit inn-nula *- Hlií' G 'toiiiniuiziíi-i¡ t» Manual de Treinamento Pré-Curso do COBlT5' 5 Foundation Obrigado por adquirir nosso Treinamento do COBITP 5. O “KN ~ @l objetivo principal deste guia é fornecer um conteúdo fácil de i' i l - _ ler e fácil de entender. As ideias para este guia vieram das tgãw¡ A N IS A C A F R A M E W 0 H K perguntas que recebemos das pessoas tentando aprender COBITP 5 e o fato de que o Manual Oñcial do COBIT® 5 é uma excelente referência, mas não é um Manual de Treinamento. O Manual Oficial do COBIT® 5 pode ser um pouco difícil de usar e ler se você é novo em Governança de TI. Você aproveitará mais o Manual Oñcial, se primeiro entender as informações contidas neste Manual de Treinamento. Doravante, este guia pretende ser (e, é) uma preparação (antecipada) para seu curso COBITP 5 Foundation, de forma que você poderá chegar ao treinamento de fato mais preparado, e se baseia no syllabus do Exame Foundation. Feedback: Agradecemos por seu retorno (correções ou sugestões de melhoria) E-mail para contato@mpplaza. com. br COBIT® is a trademark of ISA CA® registered in the United States and other countries. O objetivo do pré-curso e alavancar a aprendizagem do aluno_ Só a Management Plaza tem esse conceito fantástico dc aprendizagem (COBIT®5, PRINCE2®, MSP® c demais treinamentos). Cursos COBIT® 5 - Presencial l e-Learning M! Esse Material de Treinamento é Aprovado pela APMG-lnternational M! Este Manual de Treinamento fará pane de nosso treinamento COBIT®5 Foundation M! Conceito único (pré-curso) e revolucionário da Management Plaza para Alavancar a aprendizagem M! A única organização no Brasil com esse conceito pra melhorar seu aprendizado Agradecimentos: Tradução . ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... .. : Ernani Marques Revisão Final da Tradução/ Diagramação . ... ... ... ... ... ... ... . . .: Ronielton Oliveira "Aim . Vikiiwigpsizziii "um. ÍMIVÃ-siülialit: .'›l: iiii= i~ u. : Iizilnmiiitniis-W_ ÍUIQHH nl¡ à : :ll a* ñuiniulçiitsu alii, W. II : :ímt
  5. 5. ilírzluinizl si: Bullltiliilcllltu 'M2', inuinwatn i 11V' 5 "oiliniurziiinu Direitos de Distribuição [Copyright] Com exceção a pequenas passagens e situações, nenhuma parte dessa publicação pode ser reproduzida ou transmitida de qualquer maneira, ou por qualquer meio, sem o prévio consentimento. Claro, agradecemos sugestões. Este manual foi fornecido a você com a condição de que ele não seja copiado, moditicado, publicado, vendido, rebranded, alugado, ou distribuído para tins comerciais. Sobre Management Plaza Brasil A Management Plaza Brasil é especializada em Governança de TI e Melhores Práticas em Gerenciamento de Projetos. A visão do ATO é tonar-se um provedor acreditado global de todas os produtos oferecidos pelo Grupo APMG ao ser uma empresa referência em treinamentos de metodologias e melhores práticas. Nossa missão é prover Capacitação de Qualidade, contribuindo para o diferencial competitivo das organizações e dos profissionais. E o Melhor conteúdo da Europa disponivel por um preço justo e disponivel a VOCE! E-mail: contato@mpplaza. com. br Website: www. managementpIaza. com. br "um iViÍÍÍIlfÍTmFFZÍII 'meu Ir'l. ;4$': li; UFlL ¡liziiii-. iwg Ílnilríltflnílo "i. » luiza» m : :: ll J ñuiiii›uiçiijsi› ai» W. II aim»
  6. 6. oi »Vitzinirrzi n: : fiiziiiiciiiiuiii- "tal Irineu-cio» l ln! " u' 'toinimiziítnu 1 . Introdução A quinta versão do COBIT foi lançada em abril de 2012, e sua ênfase está em alinhar à realidade da TI e das organizações. Essa versão traz mudanças na estrutura de processos e introduz novos conceitos. Alguns assuntos não contemplados pelo COBIT 4.1 e que são discutidos em Govemança agora estão inseridos no contexto do COBIT 5. O COBIT_5 é a integração de conceitos e princípios do COBIT 4.1 com outros frameworks do L _ - ›- i 7 Iv. .i FV l 'F ' 1'? ” '§. |'Ri . r A_ - “É, ' ' '. » f: n n' _tis É¡ i [i : r| Í A - p. , A *t* : ,295: tfmnqil n, l' ~ V"? iiliWi Win? !- O É . ['› [i'm . ;ln '~'. _ _ p¡ _I . en¡ l r r _ . g c ' I r q. . ' _q . . . . y '_ , . u» ÍÀÍ “Í , txt? ¡Ãi y i l . nas l 1:17», »v c; n lniuraxmchi: J. 32min¡ "t-Intima 2 humanamente: el; lui-iram el; Crush¡ _lI| lllE*'. ›-_Il| ll¡n 'ÍDEJFF-í 1. wylii-ti Ilu -. Malha¡ ! um . ,"¡"m, ¡,¡, ¡¡, ,líiiltluFtyi-lll çlúyüs. __ ti-illnílm Illlâlgnicl¡ Figura 1 - Os Cinco Principios do COBIT 5 3.1 Atender as necessidades das partes interessadas As organizações existem para criar valor para as partes interessadas. Para cada parte interessada, a criação de valor pode representar interesses diferentes e algumas vezes contlitantes. A governança tem a num ¡V¡l; ¡¡›; i!¡, ;i; ;¡¡¡ --: .,, ¡-_ ¡. ¡¡_›, ¡i; i›; u¡i: .'li: iiiy-, i~ u: : lizilpçiiitrnis-tw_ iiimu ai¡ í 1:lI à* _WIHIUTÍZIÍÍBH ullu. W. u: :: ima
  7. 7. micininai at: 'iuiiiiciiiasiiil- "-23 lIlI-"| ~0lo›< z lzlll' u' “oiuiiioiziít-in função de negociar e decidir entre os diferentes interesses destas partes interessadas. O sistema de governança deve considerar a opinião de todos os envolvidos quando são tomadas as decisões sobre os beneficios, recursos e avaliação dos riscos. A Figura 2, ilustra os objetivos das partes interessadas. Sempre, para cada decisão de governança, as seguintes perguntas devem ser feitas: ' Quem recebe os beneficios? - Quem suporta os riscos? H›A, AI ln . ii Fin' : l , o 'IEWNQPGÍ' Í* i'll. ? Í I' Ífu” 555;: : '_ M 'gnjhjíi Í g “'“ v ” ¡l r^ ; Ir I j? .ç Governance objective: alue Creatio 1K 'THIHIÍÍR flu: t: i.'i: .i: I*: i: imita-milan í 'igiiiiii'i: .+: iii: ii igiiiiiiLwiiris Figura 2 - Criação de Valor Fonte: (ISACA, 2012a, p. 17) As necessidades das partes interessadas precisam ser transformadas em estratégias corporativas. Para isso, há o mecanismo Objetivos em Cascata, que tem por tinalidade, desdobrar: - As necessidades das partes interessadas em Metas Empresariais; - As Metas Empresariais em Metas de TI; - As Metas de TI em Metas de Facilitadores. A Figura 3, ilustra o funcionamento do mecanismo Objetivos em Cascata. Note que elas derivam de cima para baixo. E, para que haja um bom alinhamento, o ideal é que você consiga efetuar a leitura e ligação das metas de cima para baixo (top-down) e de baixo para cima (bottom-up). Figura 3 - Visão Geral dos Objetivos em Cascata Fonte: (ISACA, 2012a, p. 18) 3.2 Abranger a empresa de ponta-a-ponta O COBIT 5 trata a governança e gerenciamento de TI cobrindo a organização de ponta a ponta. Isso significa: - Integra a governança de TI empresarial dentro da governança; - Cobre todas as funções e processos requeridos dentro da organização; - Não foca apenas nas funções de TI, mas abrange a informação e tecnologia relacionadas como ativos que precisam ser tratados como qualquer outro ativo por todos na organização. num . ',t›, i¡i; ig: _=i': i¡| “um, Irmã-isentar: : ¡ilziur-i s. : Ílí-iilrzlilÉiíílsv m» min» el» i 1:lI à* Íqlliliflhlllsl¡ alii, av'. II : :lino
  8. 8. »Vitzinirrzi n: : iiziiiiciiiiuiir- "ici trinta-ein r ln! " u' 'toiniii-iziiinu 2 - Abordagem de Governança, proposta pelo COBIT 5 pode ser visualizada na Erro! Fonte de referência não encontrada. . Processes tor Governance of Enterprise IT . l 7 Evaluate, Direct and Monitor i um r / l l l K N EDMtn Eiisire F Mia Elson “Baiano Erbuáãn mmlgãrãm ¡mngjâg! ¡mafkenmàg "e "m7 's ÍmmM Optimisaticn Transparent# L), _ _/ › _ _/ x, / 1 : ÍÍÍWLA 'IVlIl"Í, I'É"'«IÍÍ'*' ' _' _ r' m lI. lI. «: . “m” “i'm” mm Vnmge “m” “m” »ou Manage Anos Manage umas Manage mm Manage l me mx? ” Strategy ¡Egigffe lnriovaticn Portfolio Budget and (mts Himon Resources r t___í_, x "um "anna “v, .m l f i ^ 'l l *samira* l Amos Manage geral? ” mim Manage Aron Manage APD! ? Marape D013 Monge i mmmm, l Relalmships Mmenênu Siippliérs Guam Risk Security - l K. _1 ' x. , illii- . :'. ›Il, I“r: -: iJllii IlÍ: iiillil 'Í A ' nnoanannga › ' 'A IAIoSMnmgn ' x lAltnMamga y Pwglnmfgned SOÍIJÍWIS Wxrmwge Organisalimal ! Alm Marine Change m v mms mma" ldentiiicstiori nm mam Change Changes met-lance and ¡ “gm Mgmt” i _ and Bula ' _ , Ernbleriren _ Tronsmonlnç i Evajuglg ; im M555 i amam. ” ~ , mesistgurmúlmm* l ~ l J , mmgf , , , ,, Elliott Manage ! Alm Manage Milo Malaga Kiwwiedue l ASSGB (bllftourãtion IIL'ÍTi; ¡.: 'Lll'n›; l:llIrl. "I›ur, i]q ' ~ ' ' ' ' l " ' ~ i' Mem Monitor. i g osso¡ mamae §%§*§Qfeg§ ossos Manage nssmmaiage i E'¡%“, ','; "?, a“, 'g'$r§$,55 i ' °“°””°“5 andlnotleiits "NNW °°"°“““V services Process conimis Exlerrlarñewrremenls : displasia: tnrlihiiirieuiiiiaiiiilíaiitaigiitçzali' Figura 4 - Modelo de Referência de Processos (PRM) do Dominio Governança e os 37 processos Fonte: (ISACA, 2012a, p. 33) 4. Estrutura de Processos Para cada processo, as seguintes informações são incluidas, de acordo com o modelo de processo: . u, lrlnntifírarãn rln nmnneen' _ - , ›- : Y ¡Ka j¡ , AI 'n . ,ln pa. , M . . . › q Y Qu¡ : l Fin' , to É i' “rui”. t a S r¡ uva". " ' vv. ” ' ' '~" (wap: ' n 'v *l W? __, _,_, _ i( ~_, _,_¡_g ~li . . r l l _, «. O - Matriz RACI - uma sugestão de atribuição de nivel de responsabilidade por práticas de processos para diferentes funções e estruturas. - Descrição detalhada de práticas de processo para cada prática: - Título da Prática e descrição; - Entradas e saídas da prática, com indicação de origem e destino; e, - As atividades de processo, detalhando ainda mais as práticas. - Guias relacionados - associa cada processo do COBIT a outros frameworks que podem ser usados para implementar o processo. O Apêndice C contém a descrição do processo BAlO6: Gerenciar Mudanças. mu' , v,t; ¡.›; i3¡; ;i; ;¡. ¡ --: .,u-_ ¡, ¡¡_›w; i›; u¡i: .'li: iiiy-, i~ u: : li; iln. çiiit: ~¡¡is-›'^i_ llllkiu ai¡ í 1:lI à* Fuiiiizckiitsii ullr. W. u: :: ima
  9. 9. Wrlclnlnrsl Il: RACI Chart › o : P99 (rim. .. l r l l l P l t A l ãmnirciuasull- "ul ! lino-aih z 1:1!" u' “ouui-lzlít-u 5 Functions V§ 35°* _ - v p- L V_ 'a ! j a: .E , V ln ll'. É_ __¡ ' › r r is_ r a r f. Í* i rs v* Í* * ~ rf. É _ . vv. ' vv. " ' ~'›v~, ,.~n¡' 'l ~Ê i: ¡!¡; ;_ , ,«f_¡¡g'%l . l s! › - l_ "llp . [ . ñ'. °a› . ¡lnn vrg, 'n *Va . n_ l ' 1 _JHC 0. ' '” I ~ E" ' . mm . .v ' A a ; v t; › ~'- ~ 4.1 Novo Modelo de Maturidade de Capacidade de Processo O COBIT 5 interrompe a abordagem do Modelo de Maturidade de Capacidade baseado em CMM do COBIT4.1, Val IT e Risk IT. O COBIT 5 é apoiado por uma nova abordagem de avaliação de capacidade de processo baseada na ISO/ lEC 15504, e o Programa de Avaliação do COBlT tem sido estabelecido para o COBlT 4.1 como uma altemativa à abordagem CMM. As abordagens com base em CMM do COBIT 4.1, Val IT e Risk IT, não são consideradas compativeis com a abordagem ISO/ EIC 15504 porque os métodos usam atributos e escalas de mensuração diferentes. Então, a abordagem do Programa de Avaliação do COBIT é considerada pelo ISACA como mais robusta, confiável e repetitiva enquanto um método de avaliação de capacidade de processo. O Programa de Avaliação do COBIT apoia: aum . E l: Avaliações formais por assessores acreditados. Auto avaliações menos rigorosas para análise de insuficiências internas e planejamento de melhoria de processo. No futuro, o Programa de Avaliação do COBIT, também capacitará potencialmente uma empresa para obter valores certiñcados e independentes alinhados ao padrão ISO/ IEC. Usuários do COBIT 4.1, Val IT e Risk IT que desejem passar para a abordagem do novo Programa de Avaliação do COBIT precisarão realinhar suas avaliações anteriores, adotar e aprender o novo método, e iniciar um novo conjunto de valores de modo a ganhar os beneficios da nova abordagem. Embora algumas informações reunidas a partir das avaliações anteriores possam ser reutilizáveis, será necessário o cuidado na migração das mesmas, pois há diferenças significativas nos requisitos. imlgz-slzzlil “mu, Illlvlñswlllwit: .'›l: lx4i: i~ u: : ÍAí-¡llñillíiílll-r-'lw mui» m i 1:lI s* ñulirralnitsr¡ alii, W. II : :fun

×