Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.
5035169-637667Salgueiro Maia<br />Narrador: Escola Prática de Cavalaria de Santarém, primeiras horas do dia 25 de Abril de...
Salgueiro maia
Salgueiro maia
Nächste SlideShare
Wird geladen in …5
×

Salgueiro maia

1.178 Aufrufe

Veröffentlicht am

  • Als Erste(r) kommentieren

  • Gehören Sie zu den Ersten, denen das gefällt!

Salgueiro maia

  1. 1. 5035169-637667Salgueiro Maia<br />Narrador: Escola Prática de Cavalaria de Santarém, primeiras horas do dia 25 de Abril de 1974. Na rádio Renascença a senha “Grândola, Vila Morena”, já tinha sido transmitida.<br />Capitão: A pé pessoal!<br /> Toca a acordar! <br />Soldado 1: Mas… é uma e meia da manhã … é mais uma noite de instrução?<br />Soldado 2: São ordens, pá! A música já passou na rádio há um bom bocado…<br />Soldado 1: É pá… isso ate parece uma coisa a serio.<br />Soldado 2: Vamos já saber!<br />Comandante: O nosso objectivo é libertar o país deste governo. Vamos mostra - lhes que já não tem o apoio militar.<br />Capitão Maia: Há os estados sociais, os estados capitalistas e ainda… o estado a que chegamos! Eu proponho-me acabar com o estado a que chegamos! Vamos cercar e prender os governantes, em Lisboa! Quem quiser ver, vai formar na parada.<br />Todos: Sim, meu capitão (e dirigem – se todos para a parada) <br />Soldado 1: Vamos a eles!<br />Soldado 2: Esperem por mim!<br />Narrador: A operação militar preparada sobretudo por capitães, planeava um golpe militar para derrubar o governo para Lisboa.<br />(iniciam os preparativos para a partida)<br />Soldado 3: Mas, só temos 5 munições para cada blindado!<br />Soldado 4: E estes carros! Já são do tempo da 2ª guerra! <br />Capitão Maia (dirigindo ao publico): São tão inexperientes que se tiverem de disparar ainda se matam uns aos outros. <br />(Seguindo o jipe de Salgueiro Maia; põem – se em marcha) (2 horas depois entram em Lisboa)<br />Locutor de rádio: Aqui posto de comando do MFA… A revolução está na rua! Os revoltosos ocupam já as principais emissoras de rádio e televisão!<br />(Junto a praça do comercio …) <br />Capitão: Isolem toda a zona! <br />Soldado 1: Cortem essas ruas! <br />Soldado 2: Cerquem o banco de Portugal!<br />Soldado3: A rádio Marconi também!<br />Capitão Maia: E agora… ao terreiro do paço, torres dos ministérios.<br />(Chegando ao terreiro do paço)<br />Policia – Capitão estamos convosco!<br /> Capitão Maia (na rádio) - Aqui Maior de Charlie oito! Ocupamos praça do Comércio e controlamos Bruxelas e Viena…<br />Soldado 4: Meu capitão! A GNR está a avançar ali no lado do campo das cebolas.<br />(saem os dois ao encontro do capitão da GNR)<br />Capitão Maia: ó pá! Agora estas na GNR? (Abraça o capitão da GNR)<br />Capitão GNR (surpreendido) – Meu capitão há quanto tempo!<br />Capitão Maia: Estas do lado errado! Isto não é com vocês, vai - te embora!<br />Locutor de rádio: Não percebo! O comandante das forças revoltosas abraça o comandante da guarda republicana! <br />Soldado 3: Meu capitão! Aquele navio de guerra no Tejo está ali parado há muito tempo!<br />Capitão Maia: Isto pode ser um problema!<br />Soldado 4: Meu capitão já conseguimos informações! A marinha esta neutra? Não vão disparar contra nós! <br />(ouvem-se tiros)<br />Capitão Maia: - tiros! E do lado do cais do Sodré …. Seja quem for, é preciso para-los! (avança alguns passos) – tantos carros de combate! É melhor parar aqui! (grita) - Quem está a comandar? Venha cá falar comigo!<br />Brigadeiro: Não! Venha cá você! <br />Alferes: (acompanha o brigadeiro)<br />Cabo: ( acompanha o Brigadeiro) <br />Capitão Maia - (não se mexe) Brigadeiro - (dirigindo-se ao Alferes) - Dispare sobre aquele homem!<br />Capitão Maia - (Em voz baixa) - O que devo fazer? Fugir? Esperar? Usar esta granada?<br /> Alferes - (não se mexe)<br />Brigadeiro - (Dirigindo-se ao Alferes) - Mas…não dispara! Está preso! (dirigindo-se ao cabo) -Tu , cabo, dispara! Cabo - (Não se mexe)<br />Capitão Maia (falando baixo e virando as costas aos inimigos, começa a afastar-se)-Se ele disparar serei um mártir, mas se ele não disparar sou um herói! (continua a andar)<br /> Alferes e cabo - (correm em direcção a salgueiro ) – Queremos passar para o vosso lado!<br />Capitão Maia – O 25 de Abril está ganho!<br />Locutor da rádio – O MFA informa que de Norte a Sul domina a situação… Em breve chegará a hora da libertação!<br />Senhora – (com cravo na mão) – Tome, soldado, é para si!<br />Narrador: Os governantes tinham fugido do terreiro do paço, pelas traseiras dos ministérios e procurando refúgio, no quartel da GNR, no quartel do Carmo. Os militares de Santarém dirigem-se para lá para obrigar à redenção.<br />Capitão Maia – Toda a população está ao nosso lado! Vamos até ao Largo do Carmo.<br />Senhora – Sigam-me! Eu conheço bem este local, posso mostras-vos todas as saídas.<br />Capitão Maia – (com altifalante) – Onde está o chefe de governo? Deve render-se.<br />Soldado GNR – (vindo do interior do quartel) – Estão enganados! O chefe de governo não está aqui.<br />Capitão Maia – (dirigindo-se ao capitão) – Vamos aguardar uma rendição pacifica.<br />Capitão – Se tal não acontecer, teremos de usar a força.<br />Capitão Maia – Só espero dez minutos. Rendem-se… se não<br />(dez minutos depois)<br />Capitão Maia – Apontem as metralhadoras. Disparem contra a fachada! (ouvem-se tiros) – Rendam-se! Só vou contar até três. Um… Dois…<br />Homem – Alto! O chefe de Governo irá render-se, mas… a um general.<br />Senhora – Prenda-os já!<br />Capitão Maia – vou arriscar-me e entrar no quartel. (já lá dentro)<br /> - Sou o capitão das forças armadas e venho exigir a sua rendição.<br />Chefe de governo – Estou disposto a entregar-me. Mas…o que vão fazer de mim.<br />Capitão Maia – Prometo entregá-lo são e salvo ao MFA.(dirige-se á janela com megafone) – Estamos aqui em nome da liberdade. Não faremos justiça pelas próprias mãos!<br />Senhora – Vitória! Viva Portugal! Viva a liberdade.<br />Locutor de rádio – O MFA informa que o governo caiu! Agradeço á população civil o carinho e apoio que tem prestado aos seus soldados. Viva Portugal!<br />Capitão Maia – Dever cumprido! Já podemos regressar a Santarém!<br />TODOS – LIDERDADE!!!!!!!!!<br />Narrador: O povo de Lisboa comemora por toda a cidade a queda do regime, na mão um cravo, na boca a palavra: LIBERDADE!<br />

×