Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Vidro vs. plastico

49 Aufrufe

Veröffentlicht am

trabalho do 12 ano avaliado em 17
fala do vidro e plástico em comparação bem como dos métodos de criação

Veröffentlicht in: Automobil
  • Als Erste(r) kommentieren

  • Gehören Sie zu den Ersten, denen das gefällt!

Vidro vs. plastico

  1. 1. PARA COMEÇAR... Indústria Vidreira Mundo Portugal Cristais Química 12º
  2. 2. INDÚSTRIA VIDREIRA Química 12º Uns mercadores Fenícios que viajavam pelo Mar Mediterrâneo, aportaram numa praia e ao cair da noite, acenderam uma fogueira. Nessa fogueira apoiaram os potes, para cozimento dos alimentos, sobre blocos de natrão, a fonte natural de carbonato de sódio (Na2CO3) e uma das matérias- primas para o fabrico do vidro. O historiador e naturalista latino Plínio (23-79 a.C.) registou muito antes dos Fenícios terem descrito a lenda, que o vidro era confecionado para decorar as casas dos nobres. Apesar da justificação científica da lenda dos fenícios e dos escritos de Plínio (falado anteriormente), há investigadores que defendem que o vidro começou a ser produzido no Egito, por volta de 3 mil a.C. Estes vidros eram opacos, tinham um formato relativamente irregular e uma coloração escura.
  3. 3. COMO É FEITO O VIDRO? • A mistura de matérias-primas e de casco de vidro é continuamente fundida em fornos, a uma temperatura de cerca de 1.500º C • O vidro em fusão é em seguida transportado por canais de distribuição, denominados alimentadores, até as máquinas de moldagem. Na extremidade do alimentador, o fluxo de vidro em fusão é cortado em gotas. O peso, a forma e a temperatura da gota são controlados com enorme precisão.
  4. 4. • A moldagem consiste em dar forma a um objeto de vidro oco, com a ajuda de um punção metálico ou de ar comprimido. • Esse vidro oco é transformado por soprarem ou prensagem numa bola oca de forma intermédia, na qual se aplica desde logo a boquilha final. • O esboço, ou forma inicial, é em seguida transferido por um braço para o molde final que, por soprarem, dá o formato definitivo à garrafa ao boião. • Para garantir a solidez das embalagens de vidro estas devem ser reaquecidas e em seguida arrefecidas progressivamente num forno-túnel denominado Arca de Recozimento. COMO É FEITO O VIDRO?
  5. 5. INDÚSTRIA VIDREIRA  PORTUGAL Química 12º Vidros de embalagem Vidro plano Vidros domésticosO vidro de embalagem, o vidro plano e o vidro doméstico constituem o essencial da produção nacional; enquanto que, as fibras de vidro, vidros especiais e produtos de alta tecnologia (utilizados na ótica, eletrónica e química) constituem uma produção muito menos significativa.
  6. 6. COMPOSIÇÃO DO VIDRO  Janelas de aviões  alumino silicato  Utensílios de lab.  boros silicato  Cristal  chumbo • (...)  Óxido de ferro ou de cobre  verde  Óxido de urânio  amarelo  Óxido de cobalto e de cobre  azul  Ouro + cobre  vermelho
  7. 7. ESTRUTURA DO VIDRO Química 12º Vidro com sílica + quartzo Mineral de quartzo
  8. 8. Poderão ver nas imagens comparações do retículo estrutural do quartzo e de um vidro constituído por quartzo. • Respetivamente da esquerda para a direita observa-se o retículo de um vidro com sílica e quartzo e um retículo do mineral de quartzo. • Salientamos novamente a organização estrutural da rede cristalina em comparação com a estrutura vítrea. ESTRUTURA DO VIDRO
  9. 9. TIPOS DE VIDROS Tipos Aplicações Vidro para embalagens Garrafas, potes, frascos e outros vasilhames fabricados em vidro comum nas cores branca, âmbar e verde; Vidro plano Vidros de janelas, de automóveis, fogões, geladeiras, micro-ondas, espelhos, etc.. Vidros domésticos Tigelas, travessas, copos, pratos, panelas e produtos domésticos fabricados em diversos tipos de vidro; Fibras de vidro Mantas, tecidos, fios e outros produtos para aplicações de reforço ou de isolamento; Vidros técnicos Lâmpadas incandescentes ou fluorescentes, tubos de TV, vidros para laboratório, para ampolas, para garrafas térmicas, vidros oftálmicos e isoladores elétricos.
  10. 10. VIDROS COMERCIALIZADOS Vidro sódico-cálcico; Vidro de boros silicato; Vidro de chumbo; Vidro Quadrato; Vidro laminado; Vidro temperado; Vidros especiais; (...)
  11. 11. HISTORIA DOS PLÁSTICOS O primeiro plástico sintético foi desenvolvido no início do século XX, e registrou um desenvolvimento acelerado a partir de 1920. Este material, relativamente novo se comparado a outros como o vidro e o papel, passou a estar presente em grande parte dos nossos utensílios. O primeiro plástico sintético apareceu num concurso nos estados unidos. O objetivo do concurso era descobrir um material melhor para a usar na criação de bolas de bilhar para substituir as que antigamente eram em marfim.
  12. 12. FORMAÇÃO DO PLÁSTICO • Os plásticos são polímeros produzidos a partir de processos petroquímicos.. Por ser um material inerte, leve, resistente e transparente, passou a ser utilizado na fabricação de embalagens de bebidas e alimentos no início da década de 1980. • Todos os plásticos são polímeros, porem nem todos os polímeros são considerados plásticos. Em geral, os químicos dividem os materiais poliémicos em três principais categorias: plásticos, fibras e elastómeros.
  13. 13. TIPOS DE PLÁSTICOS • Existem muitos tipos de plásticos. Os mais rígidos, os fininhos e fáceis de amassar, os transparentes, etc… • Eles são divididos em dois grupos de acordo com as suas características de fusão ou derretimento: termoplásticos e Termo Termoendureciveis. • Os termoplásticos são aqueles que amolecem ao serem aquecidos, podendo ser moldados, e quando resfriados ficam sólidos e tomam uma nova forma. Esse processo pode ser repetido várias vezes. Correspondem a 80% dos plásticos consumidos. Os Termoendureciveis são aqueles que não derretem quando aquecidos, o que impossibilita a sua reutilização através dos processos convencionais de reciclagem.
  14. 14. PLÁSTICOS TERMOPLÁSTICOS • PET – (polietileno tereftalado) Frascos de refrigerantes, produtos farmacêuticos, produtos de limpeza, mantas de impermeabilização e fibras têxteis, etc; • PEAD – (polietileno de alta densidade) Embalagens para cosméticos, frascos de produtos químicos e de limpeza, tubos para líquidos e gás, tanques de combustível para veículos automotivos, etc.; • V ou PVC – (policloreto de vinil) Frascos de água mineral, tubos e conexões de encanamento, calçados, escapamentos de cabos elétricos, equipamentos médico- cirúrgicos, esquadrias e revestimentos, etc.
  15. 15. • PEBD – (polietileno de baixa densidade) Embalagens de alimentos, sacos industriais, sacos para lixo, lonas agrícolas, filmes flexíveis para embalagens e rótulos de brinquedos, etc.; • PP – (polipropileno) Embalagens de massas e biscoitos, potes de margarina, seringas descartáveis, equipamentos médico-cirúrgicos, fibras e fios têxteis, utilidades domésticas, autopeças (para-choques de carro); • PS – (poliestireno) Copos descartáveis, placas isolantes, aparelhos de som e tv, embalagens de alimentos, revestimento de geladeiras, material escolar; • OUTROS - Plásticos especiais e de engenharia, CDs, eletrodomésticos, corpos de computadores; PLÁSTICOS TERMOPLÁSTICOS
  16. 16. PLÁSTICOS TERMOENDURECIVEIS • PU – Poliuretanos – Sola dos de calçados, interruptores, peças industriais elétricas, peças para banheiro, pratos, travessas, cinzeiros, telefones e etc. • EVA – Poliacetato de Etileno Vinil - Solados de calçados, interruptores, peças industriais elétricas, peças para banheiro, pratos, travessas, cinzeiros, telefones e etc.
  17. 17. PROPRIEDADES DO VIDRO Química 12º  Não são porosos  Não são absorventes  São bons isoladores  São transparentes  Têm baixo índice de dilatação  Têm baixa condutividade térmica  Suportam altas pressões  São densos  São quebráveis  São impermeáveis  São duros  Recursos abundantes  São recicláveis  São esterilizáveis  São duráveis
  18. 18. PROPRIEDADES DO PLÁSTICO Química 12º  São resistentes  São amorfos  São transparentes  São recicláveis  São inquebráveis  São moldáveis  São pouco densos  São combustíveis  São esterilizáveis
  19. 19. PROPRIEDADES Química 12º Plásticos Vidros Materiais orgânicos; Materiais inorgânicos; Transparentes ou opacos; Transparentes ou translúcidos; Moldáveis; Moldáveis; Inquebráveis; Quebráveis; A maior parte é reciclável; A maior parte é reciclável; Resistentes à fricção; Tornam-se baços com a fricção; Pouco densos; Muito densos; Esterilizáveis; Esterilizáveis; Podem deformar-se com a elevada temperatura; Fundem a temperaturas muito elevadas. Combustíveis
  20. 20. CONCLUSÕES • Pela análise do trabalho concluímos que o plástico foi o primeiro dos dois materiais a ser usado e comercializado em grande escala. • A verdade é que cada vez mais se tem substituído o vidro por plástico devido as características evidenciadas antes mas apesar disso vai sempre haver necessidade de usar ambos já que existem determinadas situações em que só um dele se adequa corretamente ao trabalho desejado.
  21. 21. • Prof Sérgio Fialho Francisco Malheiro João Ferreira Luís Cardoso Pedro Alexandre 12º A

×