Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

3

Teilen

ENCOAD 2017 - O Desenvolvimento Sustentável e o Administrador do Futuro

Carlo Pereira

Químico e mestre em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP), MBA em Sustentabilidade pela Universidade de Lüneburg (Alemanha) e especialização em International Leadership Training pela Deutsche Gesellschaft Fur Internationale Zusammenarbeit (GIZ);
Tem mais de 15 anos de experiência em temas relacionados à sustentabilidade corporativa, tais como mudanças do clima, energia renovável e investimento social privado, com passagem por inúmeros setores de empresas brasileiras;
Nos últimos anos, foi gerente corporativo de Sustentabilidade da CPFL Energia e coordenou o Grupo Temático de Energia e Clima da Rede Brasil do Pacto Global entre 2015 e 2017.


Sonia Karin Chapman

Graduada em Administração de Empresas pela FAAP, com especialização em Finanças e em Sustentabilidade pela University of Cambridge;
Iniciou sua carreira como Auditora Externa na PriceWaterhouse. A partir de 1995 assumiu desafios locais e globais de Controlling, M&A, Integração e Marketing da Crop Protection da BASF na Alemanha e Espanha;
Presidente da Fundação Espaço ECO de 2007 a 2012, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, instituída pela BASF e pela GIZ, para a promoção do Desenvolvimento Sustentável na América Latina, através da prestação de serviços.
De 2013 a 2016 estruturou e geriu a área de Relacionamento com Entidades em Sustentabilidade da Braskem.
Integrante do Grupo do Pacto Global - GPG do CRASP;
É professora no MBA Internacional de Agronegócio da ESPM e Audencia School de Nantes, França.

Objetivo:
Discutir a relevância da agenda 2030 dos "Objetivos de Desenvolvimento Sustentável" nos negócios, as tendências globais e o papel do Administrador nesse futuro.

Temas:
O papel do Administrador na integração da agenda de desenvolvimento sustentável 2030 - ODS na estratégia dos negócios.
Da teoria à prática: as competências necessárias para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Ähnliche Bücher

Kostenlos mit einer 30-tägigen Testversion von Scribd

Alle anzeigen

Ähnliche Hörbücher

Kostenlos mit einer 30-tägigen Testversion von Scribd

Alle anzeigen

ENCOAD 2017 - O Desenvolvimento Sustentável e o Administrador do Futuro

  1. 1. O papel das empresas e dos administradores no alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU Mariana Martinato Assessora de Meio Ambiente – Rede Brasil do Pacto Global 28 de setembro de 2017
  2. 2. • Lançado em 2000 por Kofi Annan; • Mais de 12 mil signatários, sendo 9 mil empresas; • Mais de 85 Redes Locais em 100 países; • Maior iniciativa voluntária de cidadania corporativa do mundo. Pacto Global das Nações Unidas
  3. 3. Pacto Global das Nações Unidas Os Dez Princípios do Pacto Global
  4. 4. Pacto Global das Nações Unidas A Rede Brasil do Pacto Global • Criada em 2003, é a 4ª maior com mais de 700 signatários (250 PMEs); • Parceria com o PNUD desde 2011; • Conduzida pelo Board composto por: BASF; B3, CPFL Energia, ENEL Brasil e Itaú Unibanco; • Regida pelo Comitê Brasileiro do Pacto Global, composto por 40 organizações; • Seis eixos de atuação: ÁGUA ALIMENTOS E AGRICULTURA ENERGIA E CLIMA ANTICORRUPÇÃO ODS DIREITOS HUMANOS E TRABALHO
  5. 5. A evolução da conversa Objetivos de Desenvolvimento do Milênio – ODM  Agenda 2030 – Objetivos do Desenvolvimento Sustentável - ODS Maior processo de consulta global já desenvolvido
  6. 6. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável São integrados e indivisíveis, e mesclam, de forma equilibrada, as três dimensões do desenvolvimento sustentável: a econômica, a social e a ambiental. Ferramenta de Planejamento Estratégico
  7. 7. O papel das empresas na Agenda 2030 – ODS São integrados e indivisíveis, e mesclam, de forma equilibrada, as três dimensões do desenvolvimento sustentável: a econômica, a social e a ambiental. • O modelo econômico atual tem falhas estruturais, gerando turbulência e incertezas; • Os avanços sociais e econômicos conquistados nos últimos 30 anos ​​podem ser perdidos, caso não haja ações imediatas; • Dificuldade das empresas em realizar projeções positivas de crescimento e prosperidade. • A Agenda 2030 - ODS uma estratégia de crescimento e desenvolvimento para empresas individuais e para a economia mundial. Fonte: BETTER BUSINESS, BETTER WORLD. The report of the Business & Sustainable Development Commission, 2017.
  8. 8. O papel das empresas na Agenda 2030 – ODS Alcançar os Objetivos Globais abre US$ 12 trilhões de oportunidades de mercado em quatro sistemas econômicos examinados pela Comissão: Alimentos e Agricultura, Cidades, Energia e Materiais, Saúde e bem-estar. Fonte: BETTER BUSINESS, BETTER WORLD. The report of the Business & Sustainable Development Commission, 2017.
  9. 9. O papel das empresas na Agenda 2030 – ODS As 60 maiores oportunidades de mercado relacionadas aos ODS Fonte: BETTER BUSINESS, BETTER WORLD. The report of the Business & Sustainable Development Commission, 2017.
  10. 10. O papel das empresas na Agenda 2030 – ODS Os 12 temas principais na economia mundial em busca dos ODS Fonte: BETTER BUSINESS, BETTER WORLD. The report of the Business & Sustainable Development Commission, 2017.
  11. 11. O papel das empresas na Agenda 2030 – ODS Empresas pioneiras operam simultaneamente em três escalas de tempo Fonte: BETTER BUSINESS, BETTER WORLD. The report of the Business & Sustainable Development Commission, 2017.
  12. 12. • Alcançar os ODS que atendem às necessidades básicas e protegem os humanos direitos (as metas sociais); • A falha nos objetivos sociais tem enormes custos econômicos – a crescente desigualdade derrubou mais de 10 % do crescimento de alguns economias. • As mulheres ainda ganham 25% menos do que os homens, em média, para trabalho comparável. • Mais de 600 milhões de novos empregos são necessários nos próximos 15 anos para atender o crescimento da força de trabalho global. O desemprego juvenil já é 13%; os riscos de automação são significativos. O potencial para os ODS para entregar mais de 380 milhões de empregos até vital. • Hoje, 20 a 40 milhões de trabalhadores estão presos em formas de escravidão moderna. Mais de 150 milhões de crianças estão trabalhando nos campos, minas, oficinas e lixeiras. Renovando o contrato social das empresas “O nível confiança nos negócios está em declínio. A Agenda 2030 pode ajudar a restaurá-lo.” Fonte: BETTER BUSINESS, BETTER WORLD. The report of the Business & Sustainable Development Commission, 2017.
  13. 13. • A confiança nos negócios continua a cair. O negócio pode honrar os termos de seu contrato social para recuperar a confiança da sociedade por: – Aderir a padrões elevados de comportamento; – Apoiar coalizões setoriais que elevam padrões de qualidade para todos os atores; – Pagar seus impostos de forma transparente, como todos os outros; – Usar sua influência para defender políticas em consonância com os Objetivos Globais; e – Desenvolver bons empregos com salários decentes ao longo de suas cadeias de suprimentos, de forma a respeitar plenamente os Princípios Orientadores das Nações Unidas sobre Negócios e Direitos Humanos. Renovando o contrato social das empresas “O nível confiança nos negócios está em declínio. A Agenda 2030 pode ajudar a restaurá-lo.” Fonte: BETTER BUSINESS, BETTER WORLD. The report of the Business & Sustainable Development Commission, 2017.
  14. 14. • Líderes sustentáveis agem orientados por crenças, princípios e valores. Acreditam e praticam os conceitos que fundamentam a sustentabilidade. • Seis competências de uma nova liderança: – Mudança de mentalidade, com foco em valores. – Coragem, coerência e resiliência. – Construir sinergias, envolver pessoas em torno da ideia. – Visão de oportunidades: pensar em sustentabilidade a partir do que se pode ganhar com ela é melhor do que pensar no que se pode perder se não houver sustentabilidade. – Líderes sustentáveis educam outros líderes para a sustentabilidade. – Ter visão sistêmica e noção de interdependência - “Não existe parte independente do resto.” Qual o papel do “novo” administrador? As seis competências do líder em Sustentabilidade Fonte: Ricardo Voltolini – Ideia Sustentável
  15. 15. Mariana Martinato Assessora de Meio Ambiente - Rede Brasil do Pacto Global Telefone: (11) 2500 5287 E-mail: mariana.martinato@undp.org Sites www.pactoglobal.org.br www.sdgcompass.org Redes Sociais @pactoglobalbr /pactoglobalBR
  • JorgeaneFrancodeLima

    Nov. 6, 2018
  • TamaraNanni2

    Jul. 19, 2018
  • GeovanaMattos

    Oct. 15, 2017

Carlo Pereira Químico e mestre em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP), MBA em Sustentabilidade pela Universidade de Lüneburg (Alemanha) e especialização em International Leadership Training pela Deutsche Gesellschaft Fur Internationale Zusammenarbeit (GIZ); Tem mais de 15 anos de experiência em temas relacionados à sustentabilidade corporativa, tais como mudanças do clima, energia renovável e investimento social privado, com passagem por inúmeros setores de empresas brasileiras; Nos últimos anos, foi gerente corporativo de Sustentabilidade da CPFL Energia e coordenou o Grupo Temático de Energia e Clima da Rede Brasil do Pacto Global entre 2015 e 2017. Sonia Karin Chapman Graduada em Administração de Empresas pela FAAP, com especialização em Finanças e em Sustentabilidade pela University of Cambridge; Iniciou sua carreira como Auditora Externa na PriceWaterhouse. A partir de 1995 assumiu desafios locais e globais de Controlling, M&A, Integração e Marketing da Crop Protection da BASF na Alemanha e Espanha; Presidente da Fundação Espaço ECO de 2007 a 2012, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, instituída pela BASF e pela GIZ, para a promoção do Desenvolvimento Sustentável na América Latina, através da prestação de serviços. De 2013 a 2016 estruturou e geriu a área de Relacionamento com Entidades em Sustentabilidade da Braskem. Integrante do Grupo do Pacto Global - GPG do CRASP; É professora no MBA Internacional de Agronegócio da ESPM e Audencia School de Nantes, França. Objetivo: Discutir a relevância da agenda 2030 dos "Objetivos de Desenvolvimento Sustentável" nos negócios, as tendências globais e o papel do Administrador nesse futuro. Temas: O papel do Administrador na integração da agenda de desenvolvimento sustentável 2030 - ODS na estratégia dos negócios. Da teoria à prática: as competências necessárias para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Aufrufe

Aufrufe insgesamt

249

Auf Slideshare

0

Aus Einbettungen

0

Anzahl der Einbettungen

28

Befehle

Downloads

0

Geteilt

0

Kommentare

0

Likes

3

×