Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Ceasa: alimentos vão passar por inspeção de defensivos

227 Aufrufe

Veröffentlicht am

Matéria sobre o convênio assinado pelo IB com as Centrais de Abastecimento de Campinas S/A (Ceasa) para verificar a existência de resíduos de defensivos agrícolas nos produtores recebidos pela empresa foi publicada no jornal Metro, em 25 de agosto de 2016. O pesquisador do instituto, Amir Bertoni Gebara, concedeu entrevista sobre o assunto.

Veröffentlicht in: Serviceleistungen
  • Als Erste(r) kommentieren

  • Gehören Sie zu den Ersten, denen das gefällt!

Ceasa: alimentos vão passar por inspeção de defensivos

  1. 1. CAMPINAS, QUINTA-FEIRA, 25 DE AGOSTO DE 2016 www.metrojornal.com.br {FOCO} 05| Por intermédio de convê- nio firmado entre a Ceasa (Centrais de Abastecimen- to de Campinas) e o Institu- to Biológico de São Paulo, a Secretaria Estadual de Agri- cultura e Abastecimento vai analisar a existência de resí- duos de defensivos agríco- las nos alimentos comercia- lizados pelas empresas que atuam dentro da Ceasa. De acordo com a secretaria, o objetivo do projeto é pro- mover a qualidade dos pro- dutos e a segurança alimen- tar dos consumidores. Todososmeses,aCeasaco- letará 12 amostras de alimen- tos como pimentão, tomate, alface, morango, manga e mamão, que serão encami- nhadas ao Laboratório de Re- síduos de Pesticidas do Insti- tuto Biológico, em São Paulo, onde serão feitas as análises de resíduos, por meio de tes- tes que compreendem mais de 250 pesticidas. A coleta dos hortifrutis inicia até o final deste mês e será feita no momento de en- trada dos produtos no entre- posto. “As amostras serão co- letadas na portaria da Ceasa Campinas. Desta forma, po- deremos rastrear os fornece- dores dos alimentos. Nosso foco é na origem do produ- to”, afirma Ricardo de Olivei- ra Munhoz, engenheiro agrô- nomo da Ceasa Campinas. O projeto tem duração de um ano, com possibili- dade de prorrogação. De acordo com a Secretaria de Agricultura e Abastecimen- to, o custo anual do convê- nio é de R$ 120 mil. O pesquisador do Insti- tuto Biológico de São Paulo, Amir Bertoni Gebara, explica que o consumo de alimentos que têm aplicação de produ- tos químicos proibidos e al- tamente tóxicos pode causar problemas na saúde dos con- sumidores, dependendo da quantidade de resíduos, a fai- xa etária do consumidor e a frequência de ingestão do ali- mento contaminado. “Alguns agrotóxicos têm sua aplicação proibida mun- dialmente, mas ainda po- dem ser encontrados de for- ma clandestina. Eles podem causar doenças crônicas no consumidor”, comentou. Em caso de não con- formidade do alimento, a Ceasa Campinas, por meio de instituições parceiras, fará um trabalho com os agricultores para promover boas práticas agrícolas. “Esperamos que esse pro- jeto motive a seleção de for- necedores cada vez mais adequados ao conceito de segurança alimentar”, disse Munhoz. CAMPINAS Parceria. Pimentão, alface, mamão e manga estão entre os produtos que serão analisados em testes do Instituto Biológico de São Paulo Tomate também vai passar por análise | ARQUIVO/PUBLIMETRO CAMPINAS Ceasa: alimentos vão passar por inspeção de defensivos 60 mil toneladas de alimentos são comercializadas todos os meses na Ceasa. Entreposto recebe produtos de 900 municípios

×