SlideShare ist ein Scribd-Unternehmen logo
1 von 41
Downloaden Sie, um offline zu lesen
Contextos de
Aprendizagem
11 de Outubro, 2012
COIED 2012 – Conferência Online de
Informática Educacional
Dois caminhos
divergiam
num bosque,
Robert Frost (1920)
The Road Not Taken
e eu,
eu escolhi
o menos
percorrido,
e isso fez toda
a diferença
conteúdos
contextos
1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO
5. CONCLUSÕES
4. CASOS ILUSTRATIVOS
1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO
5. CONCLUSÕES
4. CASOS ILUSTRATIVOS
Há quinze anos, a maioria dos entusiastas
da aprendizagem on-line assegurava
que o futuro estava nos conteúdos
Criaram-se numerosos projectos de investigação,
publicaram-se milhares de artigos científicos,
produziram-se centenas de modelos,
discutiram-se dezenas de normas,
geraram-se terabites de conteúdos
O que resultou, de válido, para os nossos dias?
1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
Pela mesma altura, divergi desse
caminho e defendi que o futuro
está nos contextos de aprendizagem
Ensinar é criar contextos
onde se possa aprender
Aprender é explorar contextos onde
onde se possam construir saberes,
práticas, culturas e relacionamentos
1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
A função central da educação
é o design de contextos onde
a aprendizagem possa acontecer
A função central da aprendizagem
é, hoje, o design de contextos
onde se possa aprender
Quando construímos
contextos temos de pensar
nos conteúdos, mas os conteúdos
só têm valor se usados em contexto
1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
Em 2005 desafiámos colegas de outros países e
compilámos as reflexões que partilhávamos na altura
1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
Curiosamente, hoje fala-se
menos de conteúdos
Também não se fala de contextos...
... mas as soluções mais promissoras
e disruptivas são baseadas em
contextos e não em conteúdos
1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
os PLEs são contextos
os MOOCs são contextos
a lógica do ‘user-generated content’ (UGC)
baseia-se na concepção de contextos
que a tornem possível
as redes sociais são contextos
as estratégias pedagógicas são contextos
1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
O que nós defendemos é que
em vez de estudarmos separadamente
cada uma das manifestações da realidade
dos contextos de aprendizagem:
estratégias e práticas pedagógicas em geral,
explorações pedagógicas das redes sociais
e da inteligência colectiva, PLE, MOOC, UGC
o façamos segundo uma abordagem unificada:
DESIGN DE CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO
5. CONCLUSÕES
4. CASOS ILUSTRATIVOS
Até ao século XVIII, a aprendizagem
eram predominantemente contextual
Antes da massificação das escolas, aprendia-se
e ensinava-se no contexto do dia-a-dia
Os próprios profissionais se formavam em tirocínio
mestre/aprendiz, no contexto do trabalho profissional
Eram processos de aprendizagem ecológicos
porque integrados no ambiente social envolvente
2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
Nos séculos XIX e XX, a educação massificou-se,
inspirando-se nos modelos organizacionais
mecanicistas da Sociedade Industrial
O conhecimento deixou de ser construído pelos
próprios aprendentes, em contextos apropriados.
Passou a ser “matéria”
destinada a ser“transferida” para
as cabeças vazias dos aprendentes
2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
A “matéria” passou, então, a dividir-se por
disciplinas distintas, sem aplicação visível,
e a ser “transmitida”, de forma massificada,
pela palavra do professor e os textos dos livros
Os contextos desapareceram,
gradualmente, da educação
A aprendizagem transformou-se num processo
desintegrado e, como tal, não ecológico
2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
Parte da atual crise da aprendizagem
deve-se ao choque entre esta visão
mecanicista da educação e uma
civilização cada vez mais
relacional e de contextos
O grande desafio da
educação é hoje o de:
2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
Conciliar CONTEÚDOS e CONTEXTOS
conteúdos
contextos
2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
Conciliar CONTEÚDOS e CONTEXTOS
conteúdos
contextos
Os conteúdos e os contextos
geram-se mutuamente
Nenhum evento de aprendizagem
tem sentido se não articular
conteúdos e contextos
TIC na educação significa
conteúdos e contextos, e
articulação coerente entre eles
2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
contexto
• contexto – conjunto de
circunstâncias relevantes para a
construção do conhecimento (ex.:
ambiente da sala de aula, atividade
laboratorial, discussão de um caso).
conteúdo
• conteúdo – informação estruturada
e codificada (ex.: texto, material
multimedia, palavra do professor).
aprendente
evento de
aprendizagem
• evento de aprendizagem – situação em
que um indivíduo aprende (ex.: curso,
aula teórica, trabalho laboratorial,
discussão de um caso).
MODELO DO EVENTO
DE APRENDIZAGEM
2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
A infraestrutura tecnológica é vista como contexto.
A ação do professor (se houver professor) é vista
simultaneamente como conteúdo e como contexto.
Um conteúdo, entendido como informação
codificada, pode ser transferido e partilhado.
O aprendente empenha-se em atividades
que envolvem o conteúdo e o contexto.
As atividades são construídas como
encadeamentos de eventos de aprendizagem
2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO
5. CONCLUSÕES
4. CASOS ILUSTRATIVOS
FILOSOFIAS DOS CONTEXTOS:
•  Pragmatismo filosófico
Peirce, James, Dewey,
Rorty, Mead, Joas, etc.
3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO
Uma agenda de investigação em
Contextos de Aprendizagem
•  Teorias dos Sistemas Sociais
Adaptativos Complexos
Morin, Stacey, etc.
•  Teoria do ator-rede (ANT)
Latour, Callon, Law, etc.
3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO
•  Teoria da actividade
Vygotsky, Leont’ev, Engeström, etc.
SOCIOLOGIAS DOS CONTEXTOS:
•  Teorias da criatividade e do acaso
Sternberg, Amabile, Csikszentmihalyi, etc.
(são psicólogos, mas interessa a sua contribuição para o estudo da criatividade social)
Uma agenda de investigação em
Contextos de Aprendizagem
3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO
PEDAGOGIAS DOS CONTEXTOS:
•  Teorias da democracia em educação – John Dewey, etc.
•  Teorias da emancipação (empowerment) – Paulo Freire, etc.
•  Teorias da aprendizagem transformativa – Jack Mezirow, etc.
•  Teorias da andragogia e aprendizagem autónoma – Knowles, etc.
•  Teorias da “empowerment evaluation” – Fetterman, etc.
•  Teorias da aprendizagem social – Vygotsky, etc.
•  Teorias da aprendizagem experiencial e informal – Carl Rogers, etc.
•  Teorias das comunidades de prática – Lave, Wenger, etc.
Uma agenda de investigação em
Contextos de Aprendizagem
3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO
PRÁTICAS E TÉCNICAS PEDAGÓGICAS CONTEXTUAIS:
Uma agenda de investigação em
Contextos de Aprendizagem
•  estudos de casos
•  construção de cenários
•  projectos
•  simulações
•  debates
•  diálogos dirigidos
•  diálogos socráticos
•  storytelling
•  aprendizagem-ação
•  aprendizagem situada
•  aprendizagem reflexiva
•  aprendizagem pelo erro
•  aprendizagem acidental
•  project-based learning
•  flipped learning
3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO
AMBIENTES DE APRENDIZAGEM CONTEXTUAIS
Uma agenda de investigação em
Contextos de Aprendizagem
•  PLE
•  PLN
•  PKM
•  MOOC
3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO
MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO
Uma agenda de investigação em
Contextos de Aprendizagem
•  estudos de casos
•  action-research
•  design-based research
•  grounded theory
•  investigação etnográfica
•  etnometodologia
•  métodos mistos qualitativos
3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO
ESTRATÉGIAS E TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO CONTEXTUAL
Uma agenda de investigação em
Contextos de Aprendizagem
co-avaliação
projectos colaborativos
construção de instrum. de avaliação
avaliação colaborativa de portfólios
amigo de avaliação
equipa de avaliação amiga
portfólios
diagnósticos de competência
contratos de aprendizagem
instrumentos de avaliação
(rubricas, etc.)
workshops
dramatizações
mercados
1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO
5. CONCLUSÕES
4. CASOS ILUSTRATIVOS
CASO 1. COMO ORGANIZAR E GERIR GRUPOS
DE TRABALHO EM B-LEARNING?
encontro
em
espaço
aberto
constit.
grupos
trabalho
colaborat.
(grupos)
avaliação
pelos
pares
melhoria
debates virtuais
reflexão
individual
publicação
materais
evento final
propósito mobilizador
Encontro em Espaço Aberto
(Open Space Technology)
sistema social adaptativo complexo
abordagem de investigação: design-based research
4. CASOS ILUSTRATIVOS
b-OST (blended OST)
consultar, por exemplo: http://fie-conference.org/fie2010/papers/1097.pdf
O sucesso do Encontro em Espaço Aberto
(EEA) não é explicável à luz das teorias
sociais tradicionais (determinísticas)
É explicável pelas teorias dos sistemas adaptativos
sociais complexos, como acontece com
os fenómenos de “inteligência colectiva”
Faz sentido em contextos sistémicos de abertura,
elevado número de interações, localidade de
interações, diversidade de pertenças, não-
linearidades, evolução temporal, sensibilidade às
condições iniciais, regras de interação simples
CASO 1. COMO ORGANIZAR E GERIR GRUPOS
DE TRABALHO EM B-LEARNING?
4. CASOS ILUSTRATIVOS
Regista propriedades de auto-
organização e emergência
(criatividade colectiva) e de
equilíbrio na “fronteira do caos”
EEA foi testado com sucesso em grupos
de 10 a 2000 participantes, sem
problemas de escalabilidade (nas nossas
experiências virtuais: 19 a 151 alunos)
CASO 1. COMO ORGANIZAR E GERIR GRUPOS
DE TRABALHO EM B-LEARNING?
4. CASOS ILUSTRATIVOS
CASO 2. EMPOWERMENT DOS ALUNOS ATRAVÉS
DE AVALIAÇÃO PARTICIPATIVA
estratégias colectivas:
gestão participativa do curso
projectos colaborativos
construção colaborativa de
instrumentos de avaliação
avaliação colaborativa de portfólios
amigo de avaliação
equipa de avaliação amiga
estratégias pessoais:
portfólios
diagnósticos de competência
contratos de aprendizagem
instrumentos de avaliação
(estrelas, rubricas)
4. CASOS ILUSTRATIVOS
Também neste caso se manifestaram
condições de abertura, multiplicidade de
interações, localidade de interações,
diversidade de pertenças, não-
linearidades, evolução temporal,
sensibilidade às condições iniciais,
regras de interação simples
CASO 2. EMPOWERMENT DOS ALUNOS ATRAVÉS
DE AVALIAÇÃO PARTICIPATIVA
Abordagem de investigação: action-research
consultar, por exemplo: http://bit.ly/IYFBVW
4. CASOS ILUSTRATIVOS
Outro sistema social adaptativo complexo
susceptível de ser concebido e gerido à
luz das teorias da complexidade
Alguns conceitos centrais: emancipação,
co-gestão, co-avaliação, co-organização,
co-transformação, inclusão, emoção
CASO 2. EMPOWERMENT DOS ALUNOS ATRAVÉS
DE AVALIAÇÃO PARTICIPATIVA
4. CASOS ILUSTRATIVOS
CASO 3. ENSINO SUPERIOR EM CONTEXTOS SOCIAIS MEDIADOS
PELAS TECNOLOGIAS: DOS LMS PARA O FACEBOOK
Moodle Dolphin Facebook + blog
Conceitos orientadores:
Propostas filosóficas de Dewey
sobre democracia e comunidade
Propostas de Freire sobre literacia, emancipação
e autonomia (individual e colectiva)
Reconhecimento da natureza não linear e
complexa do contexto explorado
4. CASOS ILUSTRATIVOS
Alguns conceitos centrais:
emancipação, co-gestão, co-avaliação,
co-organização, co-transformação,
democracia, cidadania, política
Abordagem de investigação: action-research
consultar, por exemplo: http://bit.ly/Jw3qSw
CASO 3. ENSINO SUPERIOR EM CONTEXTOS SOCIAIS MEDIADOS
PELAS TECNOLOGIAS: DOS LMS PARA O FACEBOOK
Avaliação pelos pares, co-construção
dos instrumentos de avaliação
Trabalhos de índole profissional, portfólios e rúbricas
4. CASOS ILUSTRATIVOS
1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO
5. CONCLUSÕES
4. CASOS ILUSTRATIVOS
5. CONCLUSÕES
DESIGN DOS CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
é cada vez mais a linha de força central
da investigação e da prática em
educação e aprendizagem
no século XXI
Contextos de
Aprendizagem
11 de Outubro, 2012
COIED 2012 – Conferência Online de
Informática Educacional
FIM
As transparências serão colocadas em:
http://www.slideshare.net/adfigueiredoPT

Weitere ähnliche Inhalte

Was ist angesagt?

Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo FreirePedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo FreireBruno Carrasco
 
Meu pré projeto joiara nara
Meu pré projeto joiara naraMeu pré projeto joiara nara
Meu pré projeto joiara narajoiramara
 
Abordagens pedagógicas
Abordagens pedagógicasAbordagens pedagógicas
Abordagens pedagógicasElicio Lima
 
Espaços Da Educação Infantil
Espaços Da Educação InfantilEspaços Da Educação Infantil
Espaços Da Educação InfantilPaulo Fochi
 
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de TrabalhoRelacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de TrabalhoLuis Paulo Barros
 
Dinâmica das emoções
Dinâmica das emoçõesDinâmica das emoções
Dinâmica das emoçõesThais Fraga
 
Psicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagemPsicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagemna educação
 
A avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processoA avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processoUESPI - PI
 
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"Viviane De Carvalho Teixeira
 
SLIDES PROJETOS INTEGRADORES.pptx
SLIDES PROJETOS INTEGRADORES.pptxSLIDES PROJETOS INTEGRADORES.pptx
SLIDES PROJETOS INTEGRADORES.pptxEliane Gomes
 
Recursos didaticos e multimedia
Recursos didaticos e multimediaRecursos didaticos e multimedia
Recursos didaticos e multimediaAna Martins
 
Conteúdos de ensino
Conteúdos de ensinoConteúdos de ensino
Conteúdos de ensinoNaysa Taboada
 
Meios de comunicação
Meios de comunicaçãoMeios de comunicação
Meios de comunicaçãoGTCRIS
 

Was ist angesagt? (20)

Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo FreirePedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
 
Diário de bordo
Diário de bordoDiário de bordo
Diário de bordo
 
Meu pré projeto joiara nara
Meu pré projeto joiara naraMeu pré projeto joiara nara
Meu pré projeto joiara nara
 
A Literatura Infantil na Escola
A Literatura Infantil na EscolaA Literatura Infantil na Escola
A Literatura Infantil na Escola
 
Abordagens pedagógicas
Abordagens pedagógicasAbordagens pedagógicas
Abordagens pedagógicas
 
Projeto de intervenção
Projeto de intervençãoProjeto de intervenção
Projeto de intervenção
 
Espaços Da Educação Infantil
Espaços Da Educação InfantilEspaços Da Educação Infantil
Espaços Da Educação Infantil
 
Aulas de protagonismo juvenil ef
Aulas de protagonismo juvenil efAulas de protagonismo juvenil ef
Aulas de protagonismo juvenil ef
 
Métodos de ensino
Métodos de ensinoMétodos de ensino
Métodos de ensino
 
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de TrabalhoRelacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
 
Dinâmica das emoções
Dinâmica das emoçõesDinâmica das emoções
Dinâmica das emoções
 
Psicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagemPsicologia da aprendizagem
Psicologia da aprendizagem
 
A avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processoA avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processo
 
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
Projeto "Bullying: Somos todos iguais nas próprias diferenças"
 
SLIDES PROJETOS INTEGRADORES.pptx
SLIDES PROJETOS INTEGRADORES.pptxSLIDES PROJETOS INTEGRADORES.pptx
SLIDES PROJETOS INTEGRADORES.pptx
 
Recursos didaticos e multimedia
Recursos didaticos e multimediaRecursos didaticos e multimedia
Recursos didaticos e multimedia
 
Educação e novas tecnologias slides
Educação e novas tecnologias slidesEducação e novas tecnologias slides
Educação e novas tecnologias slides
 
Conteúdos de ensino
Conteúdos de ensinoConteúdos de ensino
Conteúdos de ensino
 
Meios de comunicação
Meios de comunicaçãoMeios de comunicação
Meios de comunicação
 
Competencias socioemocionais--nova-escola
Competencias socioemocionais--nova-escolaCompetencias socioemocionais--nova-escola
Competencias socioemocionais--nova-escola
 

Andere mochten auch

O processo de ensino num contexto de aprendizagem online terry anderson
O processo de ensino num contexto de aprendizagem online terry andersonO processo de ensino num contexto de aprendizagem online terry anderson
O processo de ensino num contexto de aprendizagem online terry andersonisabepaiva
 
Do Passado ao Futuro - Repensar o Ensinar e o Aprender
Do Passado ao Futuro - Repensar o Ensinar e o AprenderDo Passado ao Futuro - Repensar o Ensinar e o Aprender
Do Passado ao Futuro - Repensar o Ensinar e o AprenderAntonio Dias de Figueiredo
 
O Papel do Ensino a Distância nas Instituições de Ensino Superior do Futuro
O Papel do Ensino a Distância nas Instituições de Ensino Superior do FuturoO Papel do Ensino a Distância nas Instituições de Ensino Superior do Futuro
O Papel do Ensino a Distância nas Instituições de Ensino Superior do FuturoAntonio Dias de Figueiredo
 
Vamos Fazer o que Ainda Não Foi Feito: Redescobrir a Educação, Reinventar a P...
Vamos Fazer o que Ainda Não Foi Feito: Redescobrir a Educação, Reinventar a P...Vamos Fazer o que Ainda Não Foi Feito: Redescobrir a Educação, Reinventar a P...
Vamos Fazer o que Ainda Não Foi Feito: Redescobrir a Educação, Reinventar a P...Antonio Dias de Figueiredo
 
Novas políticas de educação e formação de adultos o contexto internacional ...
Novas políticas de educação e formação de adultos   o contexto internacional ...Novas políticas de educação e formação de adultos   o contexto internacional ...
Novas políticas de educação e formação de adultos o contexto internacional ...isabepaiva
 
A lingua portuguesa e as literacias do século XXI
A lingua portuguesa e as literacias do século XXIA lingua portuguesa e as literacias do século XXI
A lingua portuguesa e as literacias do século XXIAntonio Dias de Figueiredo
 
Conceito de competência
Conceito de competênciaConceito de competência
Conceito de competênciasararaimundo6
 
Coied2_António Dias Figueiredo
Coied2_António Dias FigueiredoCoied2_António Dias Figueiredo
Coied2_António Dias FigueiredoCOIED
 
Educação e Aprendizagem, da Pré-história ao Próximo Futuro
Educação e Aprendizagem, da Pré-história ao Próximo FuturoEducação e Aprendizagem, da Pré-história ao Próximo Futuro
Educação e Aprendizagem, da Pré-história ao Próximo FuturoAntonio Dias de Figueiredo
 
António Dias de Figueiredo, Universidade de Coimbra
António Dias de Figueiredo, Universidade de CoimbraAntónio Dias de Figueiredo, Universidade de Coimbra
António Dias de Figueiredo, Universidade de Coimbraedudesafios
 
Que Universidade na Era das Pedagogias Emergentes?
Que Universidade na Era das Pedagogias Emergentes?Que Universidade na Era das Pedagogias Emergentes?
Que Universidade na Era das Pedagogias Emergentes?Antonio Dias de Figueiredo
 
Bibliotecas Universitarias: Regresso ao Futuro
Bibliotecas Universitarias: Regresso ao Futuro Bibliotecas Universitarias: Regresso ao Futuro
Bibliotecas Universitarias: Regresso ao Futuro Antonio Dias de Figueiredo
 
Resenha pensamento e linguagem p 31 a 39 stern vixwas
Resenha pensamento e linguagem p 31 a 39 stern vixwasResenha pensamento e linguagem p 31 a 39 stern vixwas
Resenha pensamento e linguagem p 31 a 39 stern vixwasWashington Rocha
 
Tudo o que Você Sempre Quis Saber Sobre o Futuro da Engenharia Informática (M...
Tudo o que Você Sempre Quis Saber Sobre o Futuro da Engenharia Informática (M...Tudo o que Você Sempre Quis Saber Sobre o Futuro da Engenharia Informática (M...
Tudo o que Você Sempre Quis Saber Sobre o Futuro da Engenharia Informática (M...Antonio Dias de Figueiredo
 

Andere mochten auch (20)

Pedagogia dos Contextos de Aprendizagem
Pedagogia dos Contextos de AprendizagemPedagogia dos Contextos de Aprendizagem
Pedagogia dos Contextos de Aprendizagem
 
O processo de ensino num contexto de aprendizagem online terry anderson
O processo de ensino num contexto de aprendizagem online terry andersonO processo de ensino num contexto de aprendizagem online terry anderson
O processo de ensino num contexto de aprendizagem online terry anderson
 
Do Passado ao Futuro - Repensar o Ensinar e o Aprender
Do Passado ao Futuro - Repensar o Ensinar e o AprenderDo Passado ao Futuro - Repensar o Ensinar e o Aprender
Do Passado ao Futuro - Repensar o Ensinar e o Aprender
 
O Papel do Ensino a Distância nas Instituições de Ensino Superior do Futuro
O Papel do Ensino a Distância nas Instituições de Ensino Superior do FuturoO Papel do Ensino a Distância nas Instituições de Ensino Superior do Futuro
O Papel do Ensino a Distância nas Instituições de Ensino Superior do Futuro
 
Vamos Fazer o que Ainda Não Foi Feito: Redescobrir a Educação, Reinventar a P...
Vamos Fazer o que Ainda Não Foi Feito: Redescobrir a Educação, Reinventar a P...Vamos Fazer o que Ainda Não Foi Feito: Redescobrir a Educação, Reinventar a P...
Vamos Fazer o que Ainda Não Foi Feito: Redescobrir a Educação, Reinventar a P...
 
Que Pedagogias para o Século XXI?
Que Pedagogias para o Século  XXI?Que Pedagogias para o Século  XXI?
Que Pedagogias para o Século XXI?
 
Novas políticas de educação e formação de adultos o contexto internacional ...
Novas políticas de educação e formação de adultos   o contexto internacional ...Novas políticas de educação e formação de adultos   o contexto internacional ...
Novas políticas de educação e formação de adultos o contexto internacional ...
 
Da Colaboração para a Co-evolução
Da Colaboração para a Co-evoluçãoDa Colaboração para a Co-evolução
Da Colaboração para a Co-evolução
 
Escolas de Hoje, Empreendedores de Amanhã
Escolas de Hoje, Empreendedores de AmanhãEscolas de Hoje, Empreendedores de Amanhã
Escolas de Hoje, Empreendedores de Amanhã
 
A lingua portuguesa e as literacias do século XXI
A lingua portuguesa e as literacias do século XXIA lingua portuguesa e as literacias do século XXI
A lingua portuguesa e as literacias do século XXI
 
Tipos De Aprendizagem
Tipos De AprendizagemTipos De Aprendizagem
Tipos De Aprendizagem
 
Apresentação em ppt do ambiente ava
Apresentação em ppt do ambiente avaApresentação em ppt do ambiente ava
Apresentação em ppt do ambiente ava
 
Conceito de competência
Conceito de competênciaConceito de competência
Conceito de competência
 
Coied2_António Dias Figueiredo
Coied2_António Dias FigueiredoCoied2_António Dias Figueiredo
Coied2_António Dias Figueiredo
 
Educação e Aprendizagem, da Pré-história ao Próximo Futuro
Educação e Aprendizagem, da Pré-história ao Próximo FuturoEducação e Aprendizagem, da Pré-história ao Próximo Futuro
Educação e Aprendizagem, da Pré-história ao Próximo Futuro
 
António Dias de Figueiredo, Universidade de Coimbra
António Dias de Figueiredo, Universidade de CoimbraAntónio Dias de Figueiredo, Universidade de Coimbra
António Dias de Figueiredo, Universidade de Coimbra
 
Que Universidade na Era das Pedagogias Emergentes?
Que Universidade na Era das Pedagogias Emergentes?Que Universidade na Era das Pedagogias Emergentes?
Que Universidade na Era das Pedagogias Emergentes?
 
Bibliotecas Universitarias: Regresso ao Futuro
Bibliotecas Universitarias: Regresso ao Futuro Bibliotecas Universitarias: Regresso ao Futuro
Bibliotecas Universitarias: Regresso ao Futuro
 
Resenha pensamento e linguagem p 31 a 39 stern vixwas
Resenha pensamento e linguagem p 31 a 39 stern vixwasResenha pensamento e linguagem p 31 a 39 stern vixwas
Resenha pensamento e linguagem p 31 a 39 stern vixwas
 
Tudo o que Você Sempre Quis Saber Sobre o Futuro da Engenharia Informática (M...
Tudo o que Você Sempre Quis Saber Sobre o Futuro da Engenharia Informática (M...Tudo o que Você Sempre Quis Saber Sobre o Futuro da Engenharia Informática (M...
Tudo o que Você Sempre Quis Saber Sobre o Futuro da Engenharia Informática (M...
 

Ähnlich wie Contextos de Aprendizagem

Bases Teóricas e Abordagens Inovadoras.pdf
Bases Teóricas e Abordagens Inovadoras.pdfBases Teóricas e Abordagens Inovadoras.pdf
Bases Teóricas e Abordagens Inovadoras.pdfjessicaeklewerton
 
Metodologias
MetodologiasMetodologias
Metodologiasjmpg2011
 
Metodologias
MetodologiasMetodologias
Metodologiasjmpg2011
 
Integracao Curricular
Integracao CurricularIntegracao Curricular
Integracao CurricularRBE Algarve
 
AULA 05.pptx
AULA 05.pptxAULA 05.pptx
AULA 05.pptxCidrone
 
Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação na Formação de Professores d...
Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação na Formação de Professores d...Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação na Formação de Professores d...
Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação na Formação de Professores d...Universidade Federal de Pernambuco
 
Aspectos tecnologicos da teoria da objetivação.pptx
Aspectos tecnologicos da teoria da objetivação.pptxAspectos tecnologicos da teoria da objetivação.pptx
Aspectos tecnologicos da teoria da objetivação.pptxfisicajaque
 
Apr i seminario virtual de educadores 144109185643406
Apr i seminario virtual de educadores 144109185643406Apr i seminario virtual de educadores 144109185643406
Apr i seminario virtual de educadores 144109185643406afermartins
 
Tecnologia na Educação e Novas Tendência
Tecnologia na Educação e Novas TendênciaTecnologia na Educação e Novas Tendência
Tecnologia na Educação e Novas TendênciaDaniel Caixeta
 
REFLEXÃO FINAL - PPEL -MPEL10
REFLEXÃO FINAL - PPEL -MPEL10REFLEXÃO FINAL - PPEL -MPEL10
REFLEXÃO FINAL - PPEL -MPEL10malmeidaUAB
 
Guia Pedagógico- Hibridização dos módulos de Física da disciplina de FQ dos c...
Guia Pedagógico- Hibridização dos módulos de Física da disciplina de FQ dos c...Guia Pedagógico- Hibridização dos módulos de Física da disciplina de FQ dos c...
Guia Pedagógico- Hibridização dos módulos de Física da disciplina de FQ dos c...acarneirinho
 

Ähnlich wie Contextos de Aprendizagem (20)

Bases Teóricas e Abordagens Inovadoras.pdf
Bases Teóricas e Abordagens Inovadoras.pdfBases Teóricas e Abordagens Inovadoras.pdf
Bases Teóricas e Abordagens Inovadoras.pdf
 
Metodologias
MetodologiasMetodologias
Metodologias
 
Metodologias
MetodologiasMetodologias
Metodologias
 
Metodologias ativas no ensino de filosofia
Metodologias ativas no ensino de filosofiaMetodologias ativas no ensino de filosofia
Metodologias ativas no ensino de filosofia
 
Pacto caderno ciencias da natureza
Pacto caderno ciencias da natureza Pacto caderno ciencias da natureza
Pacto caderno ciencias da natureza
 
Metodologia De Projetos
Metodologia De ProjetosMetodologia De Projetos
Metodologia De Projetos
 
Integracao Curricular
Integracao CurricularIntegracao Curricular
Integracao Curricular
 
Aula 04 100 horas 2011
Aula 04  100 horas 2011Aula 04  100 horas 2011
Aula 04 100 horas 2011
 
AULA 05.pptx
AULA 05.pptxAULA 05.pptx
AULA 05.pptx
 
Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação na Formação de Professores d...
Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação na Formação de Professores d...Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação na Formação de Professores d...
Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação na Formação de Professores d...
 
Aspectos tecnologicos da teoria da objetivação.pptx
Aspectos tecnologicos da teoria da objetivação.pptxAspectos tecnologicos da teoria da objetivação.pptx
Aspectos tecnologicos da teoria da objetivação.pptx
 
Aula 05
Aula 05Aula 05
Aula 05
 
Aula 05
Aula 05Aula 05
Aula 05
 
gerson.pdf
gerson.pdfgerson.pdf
gerson.pdf
 
Apr i seminario virtual de educadores 144109185643406
Apr i seminario virtual de educadores 144109185643406Apr i seminario virtual de educadores 144109185643406
Apr i seminario virtual de educadores 144109185643406
 
Tecnologia na Educação e Novas Tendência
Tecnologia na Educação e Novas TendênciaTecnologia na Educação e Novas Tendência
Tecnologia na Educação e Novas Tendência
 
Tese
TeseTese
Tese
 
REFLEXÃO FINAL - PPEL -MPEL10
REFLEXÃO FINAL - PPEL -MPEL10REFLEXÃO FINAL - PPEL -MPEL10
REFLEXÃO FINAL - PPEL -MPEL10
 
Manha.ppt
 Manha.ppt Manha.ppt
Manha.ppt
 
Guia Pedagógico- Hibridização dos módulos de Física da disciplina de FQ dos c...
Guia Pedagógico- Hibridização dos módulos de Física da disciplina de FQ dos c...Guia Pedagógico- Hibridização dos módulos de Física da disciplina de FQ dos c...
Guia Pedagógico- Hibridização dos módulos de Física da disciplina de FQ dos c...
 

Mehr von Antonio Dias de Figueiredo

Centralidade da Educação Face aos Desafios do Futuro
Centralidade da Educação Face aos Desafios do FuturoCentralidade da Educação Face aos Desafios do Futuro
Centralidade da Educação Face aos Desafios do FuturoAntonio Dias de Figueiredo
 
Universidades do Século XXI: Que Competências? Que Pedagogias?
Universidades do Século XXI: Que Competências? Que Pedagogias?Universidades do Século XXI: Que Competências? Que Pedagogias?
Universidades do Século XXI: Que Competências? Que Pedagogias?Antonio Dias de Figueiredo
 
Transformação Digital e Educação: os Grandes Desafios
Transformação Digital e Educação: os Grandes DesafiosTransformação Digital e Educação: os Grandes Desafios
Transformação Digital e Educação: os Grandes DesafiosAntonio Dias de Figueiredo
 
A Investigação Qualitativa e os Desafios da Complexidade
A Investigação Qualitativa e os Desafios da ComplexidadeA Investigação Qualitativa e os Desafios da Complexidade
A Investigação Qualitativa e os Desafios da ComplexidadeAntonio Dias de Figueiredo
 
Histórias, Mitos e Aspirações das TIC na Educação em Portugal
Histórias, Mitos e Aspirações das TIC na Educação em PortugalHistórias, Mitos e Aspirações das TIC na Educação em Portugal
Histórias, Mitos e Aspirações das TIC na Educação em PortugalAntonio Dias de Figueiredo
 
Engenharia Empresarial em Contextos de Incerteza
Engenharia Empresarial em Contextos de IncertezaEngenharia Empresarial em Contextos de Incerteza
Engenharia Empresarial em Contextos de IncertezaAntonio Dias de Figueiredo
 
Sistemas de Informação Universidade e Conhecimento
Sistemas de Informação Universidade e ConhecimentoSistemas de Informação Universidade e Conhecimento
Sistemas de Informação Universidade e ConhecimentoAntonio Dias de Figueiredo
 
Inovar em Educação, Educar para a Inovação
Inovar em Educação, Educar para a InovaçãoInovar em Educação, Educar para a Inovação
Inovar em Educação, Educar para a InovaçãoAntonio Dias de Figueiredo
 
Que Sociedade? Que Conhecimento? Que Educação?
Que Sociedade? Que Conhecimento? Que Educação? Que Sociedade? Que Conhecimento? Que Educação?
Que Sociedade? Que Conhecimento? Que Educação? Antonio Dias de Figueiredo
 
Gestão do Conhecimento e Sistemas de Informação
Gestão do Conhecimento e Sistemas de InformaçãoGestão do Conhecimento e Sistemas de Informação
Gestão do Conhecimento e Sistemas de InformaçãoAntonio Dias de Figueiredo
 

Mehr von Antonio Dias de Figueiredo (18)

Universidade em tempos de incerteza
Universidade em tempos de incertezaUniversidade em tempos de incerteza
Universidade em tempos de incerteza
 
Centralidade da Educação Face aos Desafios do Futuro
Centralidade da Educação Face aos Desafios do FuturoCentralidade da Educação Face aos Desafios do Futuro
Centralidade da Educação Face aos Desafios do Futuro
 
Universidades do Século XXI: Que Competências? Que Pedagogias?
Universidades do Século XXI: Que Competências? Que Pedagogias?Universidades do Século XXI: Que Competências? Que Pedagogias?
Universidades do Século XXI: Que Competências? Que Pedagogias?
 
Transformação Digital e Educação: os Grandes Desafios
Transformação Digital e Educação: os Grandes DesafiosTransformação Digital e Educação: os Grandes Desafios
Transformação Digital e Educação: os Grandes Desafios
 
Educação no Futuro
Educação no FuturoEducação no Futuro
Educação no Futuro
 
Que Pedagogias para as Próximas Décadas?
Que Pedagogias para as Próximas Décadas?Que Pedagogias para as Próximas Décadas?
Que Pedagogias para as Próximas Décadas?
 
A Investigação Qualitativa e os Desafios da Complexidade
A Investigação Qualitativa e os Desafios da ComplexidadeA Investigação Qualitativa e os Desafios da Complexidade
A Investigação Qualitativa e os Desafios da Complexidade
 
Histórias, Mitos e Aspirações das TIC na Educação em Portugal
Histórias, Mitos e Aspirações das TIC na Educação em PortugalHistórias, Mitos e Aspirações das TIC na Educação em Portugal
Histórias, Mitos e Aspirações das TIC na Educação em Portugal
 
Engenharia Empresarial em Contextos de Incerteza
Engenharia Empresarial em Contextos de IncertezaEngenharia Empresarial em Contextos de Incerteza
Engenharia Empresarial em Contextos de Incerteza
 
Sistemas de Informação Universidade e Conhecimento
Sistemas de Informação Universidade e ConhecimentoSistemas de Informação Universidade e Conhecimento
Sistemas de Informação Universidade e Conhecimento
 
TDIC e Educação, para Além das TDIC
TDIC e Educação, para Além das TDICTDIC e Educação, para Além das TDIC
TDIC e Educação, para Além das TDIC
 
Inovar em Educação no Século XXI
Inovar em Educação no Século XXIInovar em Educação no Século XXI
Inovar em Educação no Século XXI
 
Avaliação de Artigos Científicos
Avaliação de Artigos CientíficosAvaliação de Artigos Científicos
Avaliação de Artigos Científicos
 
Inovar em Educação, Educar para a Inovação
Inovar em Educação, Educar para a InovaçãoInovar em Educação, Educar para a Inovação
Inovar em Educação, Educar para a Inovação
 
A Geração 2.0 e os Novos Saberes (2009)
A Geração 2.0 e os Novos Saberes (2009)A Geração 2.0 e os Novos Saberes (2009)
A Geração 2.0 e os Novos Saberes (2009)
 
Escola, Tecnologias e Cultura (2009)
Escola, Tecnologias e Cultura (2009)Escola, Tecnologias e Cultura (2009)
Escola, Tecnologias e Cultura (2009)
 
Que Sociedade? Que Conhecimento? Que Educação?
Que Sociedade? Que Conhecimento? Que Educação? Que Sociedade? Que Conhecimento? Que Educação?
Que Sociedade? Que Conhecimento? Que Educação?
 
Gestão do Conhecimento e Sistemas de Informação
Gestão do Conhecimento e Sistemas de InformaçãoGestão do Conhecimento e Sistemas de Informação
Gestão do Conhecimento e Sistemas de Informação
 

Kürzlich hochgeladen

637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 

Kürzlich hochgeladen (20)

637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 

Contextos de Aprendizagem

  • 1. Contextos de Aprendizagem 11 de Outubro, 2012 COIED 2012 – Conferência Online de Informática Educacional
  • 2. Dois caminhos divergiam num bosque, Robert Frost (1920) The Road Not Taken e eu, eu escolhi o menos percorrido, e isso fez toda a diferença
  • 4. 1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS 2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM 3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO 5. CONCLUSÕES 4. CASOS ILUSTRATIVOS
  • 5. 1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS 2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM 3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO 5. CONCLUSÕES 4. CASOS ILUSTRATIVOS
  • 6. Há quinze anos, a maioria dos entusiastas da aprendizagem on-line assegurava que o futuro estava nos conteúdos Criaram-se numerosos projectos de investigação, publicaram-se milhares de artigos científicos, produziram-se centenas de modelos, discutiram-se dezenas de normas, geraram-se terabites de conteúdos O que resultou, de válido, para os nossos dias? 1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
  • 7. Pela mesma altura, divergi desse caminho e defendi que o futuro está nos contextos de aprendizagem Ensinar é criar contextos onde se possa aprender Aprender é explorar contextos onde onde se possam construir saberes, práticas, culturas e relacionamentos 1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
  • 8. A função central da educação é o design de contextos onde a aprendizagem possa acontecer A função central da aprendizagem é, hoje, o design de contextos onde se possa aprender Quando construímos contextos temos de pensar nos conteúdos, mas os conteúdos só têm valor se usados em contexto 1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
  • 9. Em 2005 desafiámos colegas de outros países e compilámos as reflexões que partilhávamos na altura 1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
  • 10. Curiosamente, hoje fala-se menos de conteúdos Também não se fala de contextos... ... mas as soluções mais promissoras e disruptivas são baseadas em contextos e não em conteúdos 1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
  • 11. os PLEs são contextos os MOOCs são contextos a lógica do ‘user-generated content’ (UGC) baseia-se na concepção de contextos que a tornem possível as redes sociais são contextos as estratégias pedagógicas são contextos 1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
  • 12. O que nós defendemos é que em vez de estudarmos separadamente cada uma das manifestações da realidade dos contextos de aprendizagem: estratégias e práticas pedagógicas em geral, explorações pedagógicas das redes sociais e da inteligência colectiva, PLE, MOOC, UGC o façamos segundo uma abordagem unificada: DESIGN DE CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM 1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS
  • 13. 1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS 2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM 3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO 5. CONCLUSÕES 4. CASOS ILUSTRATIVOS
  • 14. Até ao século XVIII, a aprendizagem eram predominantemente contextual Antes da massificação das escolas, aprendia-se e ensinava-se no contexto do dia-a-dia Os próprios profissionais se formavam em tirocínio mestre/aprendiz, no contexto do trabalho profissional Eram processos de aprendizagem ecológicos porque integrados no ambiente social envolvente 2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
  • 15. Nos séculos XIX e XX, a educação massificou-se, inspirando-se nos modelos organizacionais mecanicistas da Sociedade Industrial O conhecimento deixou de ser construído pelos próprios aprendentes, em contextos apropriados. Passou a ser “matéria” destinada a ser“transferida” para as cabeças vazias dos aprendentes 2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
  • 16. A “matéria” passou, então, a dividir-se por disciplinas distintas, sem aplicação visível, e a ser “transmitida”, de forma massificada, pela palavra do professor e os textos dos livros Os contextos desapareceram, gradualmente, da educação A aprendizagem transformou-se num processo desintegrado e, como tal, não ecológico 2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
  • 17. Parte da atual crise da aprendizagem deve-se ao choque entre esta visão mecanicista da educação e uma civilização cada vez mais relacional e de contextos O grande desafio da educação é hoje o de: 2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
  • 18. Conciliar CONTEÚDOS e CONTEXTOS conteúdos contextos 2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
  • 19. Conciliar CONTEÚDOS e CONTEXTOS conteúdos contextos Os conteúdos e os contextos geram-se mutuamente Nenhum evento de aprendizagem tem sentido se não articular conteúdos e contextos TIC na educação significa conteúdos e contextos, e articulação coerente entre eles 2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
  • 20. contexto • contexto – conjunto de circunstâncias relevantes para a construção do conhecimento (ex.: ambiente da sala de aula, atividade laboratorial, discussão de um caso). conteúdo • conteúdo – informação estruturada e codificada (ex.: texto, material multimedia, palavra do professor). aprendente evento de aprendizagem • evento de aprendizagem – situação em que um indivíduo aprende (ex.: curso, aula teórica, trabalho laboratorial, discussão de um caso). MODELO DO EVENTO DE APRENDIZAGEM 2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
  • 21. A infraestrutura tecnológica é vista como contexto. A ação do professor (se houver professor) é vista simultaneamente como conteúdo e como contexto. Um conteúdo, entendido como informação codificada, pode ser transferido e partilhado. O aprendente empenha-se em atividades que envolvem o conteúdo e o contexto. As atividades são construídas como encadeamentos de eventos de aprendizagem 2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM
  • 22. 1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS 2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM 3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO 5. CONCLUSÕES 4. CASOS ILUSTRATIVOS
  • 23. FILOSOFIAS DOS CONTEXTOS: •  Pragmatismo filosófico Peirce, James, Dewey, Rorty, Mead, Joas, etc. 3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO Uma agenda de investigação em Contextos de Aprendizagem •  Teorias dos Sistemas Sociais Adaptativos Complexos Morin, Stacey, etc.
  • 24. •  Teoria do ator-rede (ANT) Latour, Callon, Law, etc. 3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO •  Teoria da actividade Vygotsky, Leont’ev, Engeström, etc. SOCIOLOGIAS DOS CONTEXTOS: •  Teorias da criatividade e do acaso Sternberg, Amabile, Csikszentmihalyi, etc. (são psicólogos, mas interessa a sua contribuição para o estudo da criatividade social) Uma agenda de investigação em Contextos de Aprendizagem
  • 25. 3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO PEDAGOGIAS DOS CONTEXTOS: •  Teorias da democracia em educação – John Dewey, etc. •  Teorias da emancipação (empowerment) – Paulo Freire, etc. •  Teorias da aprendizagem transformativa – Jack Mezirow, etc. •  Teorias da andragogia e aprendizagem autónoma – Knowles, etc. •  Teorias da “empowerment evaluation” – Fetterman, etc. •  Teorias da aprendizagem social – Vygotsky, etc. •  Teorias da aprendizagem experiencial e informal – Carl Rogers, etc. •  Teorias das comunidades de prática – Lave, Wenger, etc. Uma agenda de investigação em Contextos de Aprendizagem
  • 26. 3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO PRÁTICAS E TÉCNICAS PEDAGÓGICAS CONTEXTUAIS: Uma agenda de investigação em Contextos de Aprendizagem •  estudos de casos •  construção de cenários •  projectos •  simulações •  debates •  diálogos dirigidos •  diálogos socráticos •  storytelling •  aprendizagem-ação •  aprendizagem situada •  aprendizagem reflexiva •  aprendizagem pelo erro •  aprendizagem acidental •  project-based learning •  flipped learning
  • 27. 3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO AMBIENTES DE APRENDIZAGEM CONTEXTUAIS Uma agenda de investigação em Contextos de Aprendizagem •  PLE •  PLN •  PKM •  MOOC
  • 28. 3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO Uma agenda de investigação em Contextos de Aprendizagem •  estudos de casos •  action-research •  design-based research •  grounded theory •  investigação etnográfica •  etnometodologia •  métodos mistos qualitativos
  • 29. 3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO ESTRATÉGIAS E TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO CONTEXTUAL Uma agenda de investigação em Contextos de Aprendizagem co-avaliação projectos colaborativos construção de instrum. de avaliação avaliação colaborativa de portfólios amigo de avaliação equipa de avaliação amiga portfólios diagnósticos de competência contratos de aprendizagem instrumentos de avaliação (rubricas, etc.) workshops dramatizações mercados
  • 30. 1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS 2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM 3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO 5. CONCLUSÕES 4. CASOS ILUSTRATIVOS
  • 31. CASO 1. COMO ORGANIZAR E GERIR GRUPOS DE TRABALHO EM B-LEARNING? encontro em espaço aberto constit. grupos trabalho colaborat. (grupos) avaliação pelos pares melhoria debates virtuais reflexão individual publicação materais evento final propósito mobilizador Encontro em Espaço Aberto (Open Space Technology) sistema social adaptativo complexo abordagem de investigação: design-based research 4. CASOS ILUSTRATIVOS b-OST (blended OST) consultar, por exemplo: http://fie-conference.org/fie2010/papers/1097.pdf
  • 32. O sucesso do Encontro em Espaço Aberto (EEA) não é explicável à luz das teorias sociais tradicionais (determinísticas) É explicável pelas teorias dos sistemas adaptativos sociais complexos, como acontece com os fenómenos de “inteligência colectiva” Faz sentido em contextos sistémicos de abertura, elevado número de interações, localidade de interações, diversidade de pertenças, não- linearidades, evolução temporal, sensibilidade às condições iniciais, regras de interação simples CASO 1. COMO ORGANIZAR E GERIR GRUPOS DE TRABALHO EM B-LEARNING? 4. CASOS ILUSTRATIVOS
  • 33. Regista propriedades de auto- organização e emergência (criatividade colectiva) e de equilíbrio na “fronteira do caos” EEA foi testado com sucesso em grupos de 10 a 2000 participantes, sem problemas de escalabilidade (nas nossas experiências virtuais: 19 a 151 alunos) CASO 1. COMO ORGANIZAR E GERIR GRUPOS DE TRABALHO EM B-LEARNING? 4. CASOS ILUSTRATIVOS
  • 34. CASO 2. EMPOWERMENT DOS ALUNOS ATRAVÉS DE AVALIAÇÃO PARTICIPATIVA estratégias colectivas: gestão participativa do curso projectos colaborativos construção colaborativa de instrumentos de avaliação avaliação colaborativa de portfólios amigo de avaliação equipa de avaliação amiga estratégias pessoais: portfólios diagnósticos de competência contratos de aprendizagem instrumentos de avaliação (estrelas, rubricas) 4. CASOS ILUSTRATIVOS
  • 35. Também neste caso se manifestaram condições de abertura, multiplicidade de interações, localidade de interações, diversidade de pertenças, não- linearidades, evolução temporal, sensibilidade às condições iniciais, regras de interação simples CASO 2. EMPOWERMENT DOS ALUNOS ATRAVÉS DE AVALIAÇÃO PARTICIPATIVA Abordagem de investigação: action-research consultar, por exemplo: http://bit.ly/IYFBVW 4. CASOS ILUSTRATIVOS
  • 36. Outro sistema social adaptativo complexo susceptível de ser concebido e gerido à luz das teorias da complexidade Alguns conceitos centrais: emancipação, co-gestão, co-avaliação, co-organização, co-transformação, inclusão, emoção CASO 2. EMPOWERMENT DOS ALUNOS ATRAVÉS DE AVALIAÇÃO PARTICIPATIVA 4. CASOS ILUSTRATIVOS
  • 37. CASO 3. ENSINO SUPERIOR EM CONTEXTOS SOCIAIS MEDIADOS PELAS TECNOLOGIAS: DOS LMS PARA O FACEBOOK Moodle Dolphin Facebook + blog Conceitos orientadores: Propostas filosóficas de Dewey sobre democracia e comunidade Propostas de Freire sobre literacia, emancipação e autonomia (individual e colectiva) Reconhecimento da natureza não linear e complexa do contexto explorado 4. CASOS ILUSTRATIVOS
  • 38. Alguns conceitos centrais: emancipação, co-gestão, co-avaliação, co-organização, co-transformação, democracia, cidadania, política Abordagem de investigação: action-research consultar, por exemplo: http://bit.ly/Jw3qSw CASO 3. ENSINO SUPERIOR EM CONTEXTOS SOCIAIS MEDIADOS PELAS TECNOLOGIAS: DOS LMS PARA O FACEBOOK Avaliação pelos pares, co-construção dos instrumentos de avaliação Trabalhos de índole profissional, portfólios e rúbricas 4. CASOS ILUSTRATIVOS
  • 39. 1. CONTEXTOS vs CONTEÚDOS 2. CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM 3. AGENDA DE INVESTIGAÇÃO 5. CONCLUSÕES 4. CASOS ILUSTRATIVOS
  • 40. 5. CONCLUSÕES DESIGN DOS CONTEXTOS DE APRENDIZAGEM é cada vez mais a linha de força central da investigação e da prática em educação e aprendizagem no século XXI
  • 41. Contextos de Aprendizagem 11 de Outubro, 2012 COIED 2012 – Conferência Online de Informática Educacional FIM As transparências serão colocadas em: http://www.slideshare.net/adfigueiredoPT