Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.
Nächste SlideShare
A Arte Rococó
Weiter

134

Teilen

Rococó

Ähnliche Bücher

Kostenlos mit einer 30-tägigen Testversion von Scribd

Alle anzeigen

Ähnliche Hörbücher

Kostenlos mit einer 30-tägigen Testversion von Scribd

Alle anzeigen

Rococó

  1. 1. O Rococó
  2. 2. Um novo estilo artístico …“Tardo-Barroco e Rococó constituem as útimas fases do períodohistórico iniciado pelo Renascimento. Um aspeto menos restrito, umacomposição mais livre, um sossegado desabrochar, o gosto pelabeleza sensual opõe-se à densidade, ao sopro heróico, ao caráctersistemático do Barroco do século XVII.Mais do que nunca se impõe o prazer dos olhos como critériodecisivo: sumptuosidade e decoração, estilo teatral e agradável, oritmo da luz e das cores desempenham papel decisivo. É com razãoque geralmente se utilizam os adjetivos agradável, alegre paraqualificar a época e o termo recreio para designar pavilhões e casas.” A. Châtelet e B.P. Groslier, História da Arte, Larousse
  3. 3. Um novo estilo artístico …“Tardo-Barroco e Rococó constituem as útimas fases do período históricoiniciado pelo Renascimento. Um aspeto menos restrito, uma composiçãomais livre, um sossegado desabrchar, o gosto pela beleza sensual opõe-se àdensidade, ao sopro heróico, ao carácter sistemático do Barroco do séculoXVII.Mais do que nunca se impõe o prazer dos olhos como critério decisivo:sumptuosidade e decoração, estilo teatral e agradável, o ritmo da luz e dascores desempenham papel decisivo. É com razão que geralmente se utilizamos adjetivos agradável, alegre para qualificar a época e o termo recreio paradesignar pavilhões e casas.” A. Châtelet e B.P. Groslier, História da Arte, Larousse Continuidade e rutura com o Barroco
  4. 4. Um novo estilo artístico … Movimento artístico que irradiou de França para o resto da Europa Centro intelectual e artístico da Europa
  5. 5. Os estilos artísticos do século XVIII Século XVII Século XVIIILuís XIV (1643-1715) Luís XV (1715-74) Luís XVI(1774-91)) Barroco tardio Rococó Neoclassicismo Pré- Romantismo
  6. 6. Um novo estilo artístico … Continuidade e rutura com o Barroco- Revolta contra as regras seiscentistas- procura de intimidade, requinte e deelegância nas festas galantes- insere-se no novo espírito deliberdade cortesã, sem vínculo ao“gosto oficial” de Versalhes- procura de efeitos fantasiosos,expressivos e puramente visuais,exaltando o prazer dos sentidos Palácio de Wurzburg
  7. 7. A origem da palavra Rocaille Tipo de decoração de interiores que usava elementos naturalistas (rochas, conchas, flores, etc), procurando obter efeitos artificiais, grotescos ou inquietantes
  8. 8. Um novo estilo decorativo O estilo Luís XV
  9. 9. Um novo estilo decorativoEstilo leve, elegante e Estilo próprio de uma eliterefinado, com cores aristocrática e intelectual,suaves, linhas amante da alegria, do natural e do convíviodelicadas, sinuosas,caprichosas einformais, em oposiçãoà oponência barroca
  10. 10. Valorização das artes decorativas - Mobiliário - cerâmica - ourivesaria - ferraria - tapeçariaCressent, cómoda do estilo Luís XV Poltrona à la Reine, meados do século XVIII
  11. 11. Valorização das artes decorativas Blanchard, canapé com assentos de canto, pertencente às filhas de Luís XV, c. 1784
  12. 12. Valorização das artes decorativas - Mobiliário - cerâmica - ourivesaria - ferraria - tapeçaria Matin Carlin, mesa-secretária, Ferro forjado num portão do Jadim das c. 1772 Tulherias
  13. 13. Valorização das artes decorativas - Mobiliário - cerâmica - ourivesaria - ferraria - tapeçaria Vaso da Manufatura Real Cafeteira de porcelana da de Sèvres Saxónia
  14. 14. Valorização das artes decorativas Centro de mesa do Duque de Kingston (gravura), Juste- Aurèle Meissonier, 1735
  15. 15. Valorização das artes decorativas Prato de sopa de prata, Henri-Guillaume Adnet and Francois Bonnestrenne, sob a direção de Juste-Aurèle Meissonier
  16. 16. A arquitetura rococóPrincípios:-Diferenciação dos edifícios, de acordo coma sua função- traçado exterior simples- conceito de interior, que deve proporcionarconforto, comodidade e intimidade- utilização de elementos decorativosbarrocos, mas de um modo mais liberto, maissensual- novos elementos decorativos (conchas,algas marinhas, rocalhos e chinoiseries)- uso de materiais fingidos: falsos mármores,madeiras e estuques pintadosR. Aubert, Palácio de Biron, 1731, Paris
  17. 17. A arquitetura rococóPrincípios:-Diferenciação dos edifícios, de acordocom a sua função- traçado exterior simples- conceito de interior, que deveproporcionar conforto, comodidade e Arabescos, linhas ondulantes,intimidade irregulares e assimétricas)- utilização de elementos decorativosbarrocos, mas de um modo mais liberto,mais sensual- novos elementos decorativos (conchas,algas marinhas, rocalhos e chinoiseries) chinesices- uso de materiais fingidos: falsosmármores, madeiras e estuques pintados Imitação de rochasR. Aubert, Palácio de Biron, 1731, Paris
  18. 18. A arquitetura rococó Arquitetura civil Hôtel Château particulier Delamair, secção central da fachada, Hôtel de Soubise, século XVIII, Paris
  19. 19. A arquitetura rococó Características exteriores- Fachadas: - mais alinhadas - banidos os elementos decorativos clássicos (colunas, frontões e esculturas) - manutenção dos entablamentos e das balaustradas - ângulos retos suavizados por Delamair, secção central da fachada, curvas Hôtel de Soubise, século XVIII, Paris- Tetos de duas águas
  20. 20. A arquitetura rococó Características exteriores Portas-janelas: - de maiores dimensões - alinhadas na vertical e na horizontal, ritmando as fchadas - recortadas e emoluradas com arcos de volta perfeita ou abatidos - Decoração exterior concentrada nas portas e nas janelas, nas consolas, nas arcadas, no aparelho de alvenaria, nas ferragens e batentes - ferro forjado muito abundante (grades para jardins, lagos e portas)
  21. 21. A arquitetura rococó Características exteriores Portas-janelas: - de maiores dimensões - alinhadas na vertical e na horizontal, ritmando as fchadas - recortadas e emoluradas com arcos de volta perfeita ou abatidos - Decoração exterior concentrada nas portas e nas janelas, nas concolas, nas arcadas, no aparelho de alvenaria, nas ferragens e batentesVergara e Rovira, Entrada do Palácio de - ferro forjado muito abundanteDuas Águas, 1740-44, Valência, Espanha (grades para jardins, lagos e portas)
  22. 22. A arquitetura rococóJardins: - Grandes relvados com arvoredos - esculturas, rampas, lagos, pavilhões de caça, pequenos apartamentos, pagodes chineses Locais de festas faustosas Hôtel de Soubise
  23. 23. A arquitetura rococóJardins: - Grandes relvados com arvoredos - esculturas, rampas, lagos, pavilhões de caça, pequenos apartamentos, pagodes chineses Locais de festas faustosas Neumann, Residência do Arcebispo de Wurzburg, 1737-42
  24. 24. A arquitetura rococóJardins: - Grandes relvados com arvoredos - esculturas, rampas, lagos, pavilhões de caça, pequenos apartamentos, pagodes chineses Locais de festas faustosas Neumann, Residência do Arcebispo de Wurzburg, 1737-42
  25. 25. A arquitetura rococó Características interioresÁtrio do Imperador, da Residência Episcopal de Wurzburg, de Neumann, 1737, com estuques e estatuária de A. Bossi (1749-51) e frescos de Tiepolo (1752)
  26. 26. A arquitetura rococó Características interiores- Plano central das habitações: salãoprincipal- em torno deste estão as salassecundárias e a biblioteca- 2º piso: divisões privadas- divisões baixas, pequenas,independentes, arredondadas epavimento em parquet- interior iluminado: portas-janelas,espelhos, candeeiros e lustres- paredes com decoração exuberantecom cores claras(molduras douradas,telas, tapeçarias, frescos, relevospolicromados)
  27. 27. A arquitetura rococó Características interioresArabescos em estuquedouradoSofitos com pinturasem trompe l’oeil Diferentes entradas de luz Estatuária de movimento “galante” Espelhos para ampliar os espaços
  28. 28. A arquitetura rococóBoffrand (1667-1754), interiordo salão oval, cerca de 1735 Pinturas, telas, estuques, mobiliário e lustre
  29. 29. A arquitetura rococó Hôtel de Soubise Chambre de Parade de la princesse
  30. 30. A arquitetura rococó Lambert-Sigisbert , Hôtel de Soubise
  31. 31. A arquitetura rococó Arquitetura religiosa -Plantas longitudinais complexas - exteriores simples mas cheios de janelas - principal elemento decorativo: a concha - interiores: mistura escultura, pintura e arquitetura, com vários pontos de fuga, criando um cenário fictícioBaltasar Neumann, Abadia de Vierzehnheiligen, 1743-72, Francónia, Alemanha
  32. 32. A arquitetura rococó Arquitetura religiosa -Plantas longitudinais complexas - exteriores simples mas cheios de janelas - principal elemento decorativo: a concha - interiores: mistura escultura, pintura e arquitetura, com vários pontos de fuga, criando um cenário fictícioBaltasar Neumann, Abadia de Vierzehnheiligen, 1743-72, Francónia, Alemanha
  33. 33. A arquitetura rococó Arquitetura religiosa -Plantas longitudinais complexas - exteriores simples mas cheios de janelas - principal elemento decorativo: a concha - interiores: mistura escultura, pintura e arquitetura, com vários pontos de fuga, criando um cenário fictícioBaltasar Neumann, Abadia de Vierzehnheiligen, 1743-72, Francónia, Alemanha
  34. 34. A arquitetura rococó Arquitetura religiosa -Plantas longitudinais complexas - exteriores simples mas cheios de janelas - principal elemento decorativo: a concha - interiores: mistura escultura, pintura e arquitetura, com vários pontos de fuga, criando um cenário fictícioZimmermann, Igreja de Peregrinação de Wies, Baviera, Alemanha, 1745-1754
  35. 35. A escultura do RococóNovos cânones estéticos:- manutenção das linhas curvas econtra-curvas- linhas mais delicadas e diluidas,organizadas em: - estilizados esses (S), - expressivos ces (C) - em contracurvados duplos Edmé Bouchardon, Cupido a tirar uma seta da pata do leão, 1747
  36. 36. A escultura do RococóNovos cânones estéticos:-adoção do cânone maneirista da figurahumana: - corpos alongados e silhuetas caprichosas; - leveza e graciosidade nos gestos, nas aitudes e nas posições (esculturas galantes) Edmé Bouchardon, Cupido a tirar uma seta da pata do leão, 1747
  37. 37. A escultura do RococóNovos cânonesestéticos:-grupos escultóricos:composições commovimento e ritmo,com elevado sentidocénico eenquadradas nocenário onde sedestinam P. Persico e T. Solari, Fonte de Diana, 1770-89, Jardins do Palácio Real de Caserta, Nápoles
  38. 38. A escultura do RococóPreferência por:- Escultura decorativa quecomplementa aarquitetura, de forma acobrir todas as estruturase superfícies- estatuária de pequenoporte que complementa adecoração de interiores(bibelots), com pequenosobjetos sem funçãoutilitária (bustos,estatuetas religiosas oumitológicas) Claude Michel, o Clodion, La Gimbelette
  39. 39. A escultura do Rococó Materiais: - nas grandes obras escultóricas do exterior: pedra e bronze - escultura de pequena dimensão e objetos ornamentais: bronze, ouro, prata, porcelana (a porcelana biscuit) - decoração mural de interiores: madeira, argila, estuque e gesso Giuseppe Gricci, Mater Dolorosa, 1744, (39,4 cm)
  40. 40. A escultura do Rococó Materiais: - nas grandes obras escultóricas do exterior: pedra e bronze - escultura de pequena dimensão e objetos ornamentais: bronze, ouro, prata, porcelana (a porcelana biscuit) - decoração mural de interiores: madeira, argila, estuque e gesso Claude Michel, o Clodion, Ninfa e Sátiro, c. 1780 (terracota)
  41. 41. A escultura do RococóNovos temas:-sobretudo na pequenaescultura, preferência portemas “menores”: irónicos,jocosos, sensuais e atéeróticos e galantes- Estatuária monumental:temas tradicionais(comemorativos, alegóricose/ou honoríficos) Claude Michel, o Clodion, La Gimbelette
  42. 42. A escultura do RococóNovos temas:- sobretudo na pequena escultura,preferência por temas “menores”: irónicos,jocosos, sensuais e até eróticos e galantes- Estatuária monumental: temas tradicionais(comemorativos, alegóricos e/ouhonoríficos) Falconet, estátua equestre do czar Oedro, o Grande, 1782, bronze sobre rocha natural
  43. 43. A escultura do RococóMaior frivolidade:- mitologia - preferência por deuses“menores”- temas profanos – preferência poraspetos pitorescos ou frívolos doquotidiano- temas religiosos (Alemanha) –contraste tema sagrado / roupagensluxuosas e maneirismos galantes Claude Michel, o Clodion, Baco e uma Ninfa, c. 1790
  44. 44. A escultura do RococóMaior frivolidade:- mitologia - preferência por deuses“menores”- temas profanos – preferência poraspetos pitorescos ou frívolos doquotidiano- temas religiosos (Alemanha) –contraste tema sagrado / roupagensluxuosas e maneirismos galantes Ignaz Gunther, O Anjo da Guarda
  45. 45. A pintura do Rococó Século XVIII: nova maneira de sentir e viver a arte Temas:Pintura sobre tela - cenas pastoris Amor, sedução, erotismo, - festas galantes hedonismo Doutrina filosófica que faz - retrato: do prazer o objeto de vida - histórico - sereno - burguês - psicológico François, Boucher, Confidências pastorais Temas tratados de forma ligeira e superficial, com referência a deuses e a pequenos cupidos
  46. 46. A pintura do Rococó Século XVIII: nova maneira de sentir e viver a arte Temas:Pintura sobre tela - cenas pastoris - festas galantes - retrato: - histórico - sereno - burguês - psicológico Temas tratados de forma ligeira e superficial, com referência a deuses e a pequenos cupidos F. Boucher, Rapariga com um bouquet
  47. 47. A pintura do RococóComposições: - rítmicas - exuberantes - tendência decorativaOrnamentos: - mais ricos - relacionados com o mundo marinho (conchas, ondasCromatismo: - brancos - azuis - rosas Fragonard, Os amantes felizes
  48. 48. A pintura do Rococó Pintores franceses Jean Antoine Watteau-Festas galantes- cenas de género- cenas mitológicas- teatralidadepróprias do estiloRococó, aliada àansiedade e tristezado Barroco Watteau, Peregrinação à Ilha de Cítera, 1717
  49. 49. A pintura do Rococó Pintores franceses Jean Antoine Watteau-Festas galantes- cenas de género- cenas mitológicas- teatralidade própriasdo estilo Rococó,aliada à ansiedade etristeza do Barroco Watteau, A Lição do Amor, 1716
  50. 50. A pintura do Rococó Pintores franceses François Boucher-Pintura mais robusta esólida- decorativismo e frivolidade Boucher, O Banho de Diana, 1742
  51. 51. A pintura do Rococó Pintores franceses François Boucher-Pintura mais robusta esólida- decorativismo e frivolidade Boucher, Jupiter, 1759
  52. 52. A pintura do Rococó Pintores franceses Jean-Honoré Fragonard-Pincelada rápida e espontânea- temas: amor e alegria de viver- sensibilidade apurada O baloiço, 1766-67
  53. 53. Pintores franceses Jean-Honoré Fragonard-Pincelada rápida e espontânea- temas: amor e alegria de viver- sensibilidade apurada O concurso musical
  54. 54. A pintura do RococóPintores francesesJean-Baptiste-Siméon Chardin- cenas de género (vidaquotidiana)- naturezas-mortas(linha flamenga eholandesa)Natureza-morta com Caça, c. 1760-65
  55. 55. A pintura do RococóPintores franceses Jean-Baptiste- Siméon Chardin- cenas de género (vidaquotidiana)- naturezas-mortas(linha flamenga eholandesa) A Lavadeira, c. 1735
  56. 56. A pintura do Rococó Pintura mural- Pintura muralquase inexistente- colocação depequenos painéisem tela colocadossobre painéisdecorativos fixos,que emolduravama pintura Boffrand, interior do salão oval do Hôtel de Soubise, c. 1735
  • LuLemos7

    Aug. 8, 2021
  • SamantaCardoso4

    Jul. 3, 2021
  • TheresaAraujo

    May. 24, 2021
  • LicinioCavalcante

    May. 19, 2021
  • naldonaum

    May. 17, 2021
  • NandoPires2

    Mar. 14, 2021
  • BeatrizSantos488

    Jan. 13, 2021
  • ManuelaBarata2

    Nov. 25, 2020
  • josivalns

    Oct. 18, 2020
  • joseRaimundoRochaSou

    Sep. 3, 2020
  • maistelabresolinbresolin

    Aug. 18, 2020
  • AndreiaAmorim12

    Jun. 9, 2020
  • alinelimapinheiro

    May. 31, 2020
  • SandraVieira40

    May. 11, 2020
  • JooLeito16

    May. 10, 2020
  • PatriciaMoraes42

    Mar. 20, 2020
  • FernandoCastilho2

    Mar. 18, 2020
  • AdryanFernandes2

    Dec. 15, 2019
  • MarioVerissimo

    Dec. 2, 2019
  • MirianMaass

    Nov. 6, 2019

Aufrufe

Aufrufe insgesamt

72.953

Auf Slideshare

0

Aus Einbettungen

0

Anzahl der Einbettungen

3.992

Befehle

Downloads

0

Geteilt

0

Kommentare

0

Likes

134

×