Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Uma breve história do teatro no ocidente

  • Als Erste(r) kommentieren

Uma breve história do teatro no ocidente

  1. 1. Uma Breve História do Teatro no Ocidente Dos Gregos ao Absurdo…. 1 Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira - Faro
  2. 2. Teatro Grego – 500 a. C. • O primeiro Actor – Téspis • Festival de Dionísio – deus do vinho e da fertilidade • Anfiteatros – capacidade para 20 000 espectadores • Todas as peças eram representadas durante o dia e tinham a duração de várias horas • Os actores representavam na “Skène” e o Coro na “Orkestra” • Todos os actores eram do sexo masculino • Uso de máscaras • Tragédias - Ésquilo, Sófocles, Eurípides – representações na Primavera/ Festival da Primavera • Comédias – Aristófanes e Menandro. Representadas no festival de Inverno • Eurípides inspirou a abordagem naturalista no Teatro • ´A Música e a Dança eram tanto ou mais importantes que o texto. • Os actores vestiam roupa grossa e sapatos grandes para os ajudarem a manter-se direitos e visíveis para aqueles que estavam mais atrás no anfiteatro Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira - Faro 2
  3. 3. O Teatro Romano • Os Romanos apoderaram-se do Teatro Grego, ainda que actualmente nos identifiquemos mais com o Teatro Romano. • Duas formas de Teatro: Fabula Palliata (peças gregas traduzidas para Latim – com a introdução de enredos secundários e personagens mais complexas) e Fabula Tagata (Farsa e Teatro físico) • Gladiadores, corridas de carros – outras diversões. Menor influência da cerimónia e da religião • Existência de poucas peças romanas actualmente. • Palco elevado e estilo de representação mais vigoroso • Igreja Romana desaprovava o teatro – muitas foram amaldiçoadas • Dramaturgos: Plauto e Terêncio • Audiência rude e barulhenta pelo que as peças eram mimadas e repetidas Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira - Faro 3
  4. 4. Teatro Romano • Os actores desenvolveram uma espécie de código: • Uma peruca preta - personagem era um homem jovem • Uma peruca cinzenta – personagem era um homem velho • Uma peruca vermelha – escravo • Túnica branca – homem velho • Túnica púrpura – homem jovem • Túnica amarela – personagem é uma mulher (isto era necessário no início do Teatro Romano, pois as personagens femininas eram representadas por homens, ao longo do seu desenvolvimento, as escravas começaram a representar os papeis femininos) • Um barrete amarelo significa que a personagem é um deus Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira - Faro 4
  5. 5. Teatro medieval • A Igreja recorreu ao teatro como modo de aumentar a sua popularidade através da representação de histórias sagradas em determinadas comemorações (Natal…) • As representações foram saindo do espaço da Igreja para as ruas. As Guildas começam a fazer pequenas representações • Peças sobre a paixão de Cristo, os milagres, os mistérios ou de moralidade – proximidade com a Igreja, embora sejam introduzidas personagens tipo • Grupos ambulantes introduzem e desenvolvem personagens tipo • O teatro e as representações são mantidos vivos através dos artistas ambulantes, de rua (jongleurs – malabaristas) • Durante a Reforma o teatro torna-se mais secular (mundano, profano, civil) Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira - Faro 5
  6. 6. Renascimento e Reforma • Teatro dos séculos XV e XVI • Renascimento– redescoberta da Arte Clássica e que irá influenciar o Teatro • Em Itália desenvolve-se o proscénio • Noutras partes da Europa as peças continuam a ser representadas em pátios ou em palcos rectângulares cercados por galerias • Maior enfâse nos diálogos que nas acções • Peças com conteúdos moralistas • Trupes ou companhias de actores desenvolvem repertórios de peças. As companhias pertencem a ricos investidores ou a actores • Os enredos são simples • A Reforma protestante afasta-se dos repertórios católicos, e corta com as peças clássicas, representando peças de cariz não político e não religioso. • Os puritanos, no entanto, opõem-se ao Teatro • O medo da peste influencia o teatro ambulante • A agitação civil através da bebida era um tema • As mulheres da classe alta não iam ao teatro. Era considerado um espectáculo para as classes baixas • O Estado domina o teatro • Por vezes as mulheres eram autorizadas a participar/representar em algumas representações • Molière exemplo de dramaturgo e actor nesta época Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira - Faro 6
  7. 7. Commedia dell’Arte • Teatro de Improvisação • Nasce em Itália por volta de 1560 • Não há cenários e são usados pouco adereços • Não existem textos somente espaço cénico a partir do qual se trabalha • Interlúdios cómicos – Lazzi • Personagens de acção – Amantes, Patrões, Criados • Criados – Zanni • O termo “palhaçada” tem origem na vara com que Arlequim costuma andar e a girar à sua volta causando sarilhos • 13 a 14 elementos numa trupe ( nenhuma mulher) Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira - Faro 7
  8. 8. Teatro Isabelino • William Shakespeare 1564- 1616 • Escreveu e representou em várias peças • Outros dramaturgos: Chistopher Marlow e Bem Jonson • Accionista na sua companhia de Teatro – The Lord Chamberlain’s Men e The King’s Men ( a preferida do rei Jaime I) • Dono de parte do The Globe e do The Blackfriar • Escreveu Tragédias, Comédias, Histórias, Tragicomédias e Sonetos • Tinha família que raramente via em Sratfort-Upon-Avon • Personagens realistas, mas… • Os actores eram mais que realistas/naturalistas, a grande arte dramática era o que Shakespeare desejava • Durante a Guerra Civil Inglesa (1642) o teatro foi banido em Londres. Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira - Faro 8
  9. 9. Teatro do Século XVIII • Teatro dominado por David Garrick (Actor, dramaturgo e produtor teatral – 1717-1779 – célebre a sua interpretação de Ricardo III e o 1º actor a ter enorme sucesso) • Enfâse no modo natural de falar e representar • Influenciou o crescimento dos movimentos do realismo e naturalismo • Encorajou fortemente o teatro de proscénio – e não o estilo do palco rectângular de Shakespeare • No século XVIII o teatro comercial começa a ter um franco desenvolvimento nos Estados Unidos da América Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira - Faro 9
  10. 10. Teatro do Século XIX • Revolução Industrial • Iluminação a gás a partir de 1817 • No final do século a iluminação eléctrica começa a usar-se para iluminar o palco • Crescimento do melodrama – enfâse no espectáculo e no exagero da representação, em vez do texto • Começa a usar-se tecnologia básica – efeitos, utilização de adereços • Grandes dramaturgos: Henrick Ibsen, George Bernard Shaw, Anton Tchekov • As ideias de Stanislavsky sobre a arte de representar, o seu “método” veio à tona e ainda hoje são consideradas válidas Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira - Faro 10
  11. 11. Teatro do Século XX • Promoção de ideias sobre realismo e naturalismo. Introdução ao simbolismo, impressionismo, expressionismo, surrealismo, anti-realismo estilizado (Absurdo, Teatro da Crueldade), pós- modernismo • Representações de grandes musicais – Porgy and Bess, O Fantasma da Ópera • O custo de produção dos espectáculo torna impossível a concorrência com Hollywood • Dramaturgos: Arthur Miller, Samuel Beckett, Bertoldt Brecht, Antonin Artaud. Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira - Faro 11

×