Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

José Airton de Carvalho

264 Aufrufe

Veröffentlicht am

Maçonaria

Veröffentlicht in: Seele & Geist
  • Loggen Sie sich ein, um Kommentare anzuzeigen.

José Airton de Carvalho

  1. 1. José Airton de Carvalho jaclese33@gmail.com
  2. 2. UM ESTUDO DAS OBRAS MATERIAIS E ESPIRITUAIS DA MAÇÔNARIA OPERATIVA Contribuição Irmão Wagner da Cruz .`. M .`. I .`.
  3. 3. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO ...se o Aprendiz quiser realmente estar em condições de passar a Companheiro, deve estudar cuidadosamente, as propriedades dos números, seja nas obras dos Pitagóricos, na Cabala numérica ou, ainda, nas obras de arquitetura e arqueologia iniciáticas de Vitruvio, Ramée e outras... (Simbologia dos Números - Instruções do Grau 1 - GLMMG) GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO José Airton de Carvalho
  4. 4. VITRUVIO (Marcus Vitruvius Pollio) foi um arquiteto e engenheiro romano que trabalhou no primeiro século a.C. Foi autor de um tratado teórico e técnico detalhado que sobrevive como a mais antiga e a mais influente de todas as obras sobre a Arquitetura. Vitruvio deu ênfase a EURRITMIA (beleza e harmonia das formas), ordem, simetria, propriedade e economia dentro da arte arquitetônica. Essa harmonia simétrica alcança sua mais alta expressão na natureza através do Corpo Humano, demonstrada por Vitruvio. VITRUVIO GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO José Airton de Carvalho
  5. 5. O homem vitruviano (ou homem de Vitrúvio) é um conceito apresentado na obra “Os Dez Livros de Arquitetura”, escrita pelo arquiteto romano Marcus Vitruvius Pollio, do qual o conceito herda o nome. Tal conceito é considerado um cânone das proporções do corpo humano, segundo um determinado raciocínio matemático e baseando-se, em parte, na Divina Proporção. Desta forma, o homem descrito por Vitrúvio apresenta-se como um modelo ideal para o ser humano, cujas proporções são perfeitas, segundo o ideal clássico de beleza. Originalmente, Vitrúvio apresentou o cânone tanto de forma textual (descrevendo cada proporção e suas relações) quanto através de desenhos. Porém, à medida que os documentos originais perdiam-se e a obra passava a ser copiada durante a Idade Média, a descrição gráfica se perdeu. Desta forma, com a redescoberta dos textos clássicos durante o Renascimento, uma série de artistas, arquitetos e tratadistas dispuseram-se a interpretar os textos vitruvianos a fim de produzir novas representações gráficas. Apesar do trabalho de Vitruvius versar sobre arquitetura e tratar de questão tão fundamental ao antropocentrismo, o clássico latino, nunca apresentou um único esboço prático da imagem que demonstrasse como as medidas humanas estariam inscritas dentro de uma ordem matemática superior que se ligaria proporcionalmente a todas as demais formas de vida no universo por meio do número de ouro 1,618 Phi. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO O HOMEM VITRUVIANO José Airton de Carvalho
  6. 6. A questão foi deixada em aberto como um exercício para as gerações seguintes. Fra Giovanni Giocondo foi o primeiro a publicar um esboço prático do que havia capturado da idéia originalmente concebida por Vitruvius. Foi então que, 1500 anos depois, durante o início da Renascença, Fra Giovanni Giocondo, o arquiteto responsável pela construção da famosa basílica de São Pedro, no Vaticano, publicou a primeira edição ilustrada de De Architectura. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO O HOMEM VITRUVIANO José Airton de Carvalho
  7. 7. Cesare Cesarino, Francesco Giorgi, Mariano di Jacopo Tacolla e Francesco di Giorgio Martini, todos brilhantes engenheiros, arquitetos e matemáticos do período renascentista, seguiram a Fra Giovanni, cada qual com uma representação distinta do problema. Cesare Cesari Francesco Giorgi Mariano di Jacopo Tacolla Francesco di Giorgio Martini GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO O HOMEM VITRUVIANO José Airton de Carvalho
  8. 8. Nenhum dos esboços apresentados, entretanto, conseguiu o feito de combinar de forma harmoniosa e matemática as razões do corpo humano e a solução da quadratura do círculo através de Phi, conforme proposto por Vitruvius. Então, em 1490, Leonardo da Vinci nos revelou a solução definitiva para a questão num dos seus diários de anotações. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO Confrontado com o problema, Leonardo, profundo conhecedor da anatomia humana, sabia que a aplicação das proporções oferecidas por Vitruvius não era apenas correta como também oferecia a chave para o uso da razão áurea. O HOMEM VITRUVIANO Ele nos descreve uma figura masculina desnuda, separadamente e simultaneamente em duas posições sobrepostas, com os braços inscritos num círculo e num quadrado, as figuras-chave do problema e, por extensão, de toda a natureza. José Airton de Carvalho
  9. 9. 45º GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO O HOMEM VITRUVIANO POR LEONARDO DA VINCI José Airton de Carvalho
  10. 10. Isto ilustra o princípio que na mudança entre as duas posições, o centro aparente da figura parece se mover, mas de fato, o umbigo da figura, que é o verdadeiro centro de gravidade, permanece imóvel. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO O HOMEM VITRUVIANO POR LEONARDO DA VINCI Examinando o desenho, vemos que a combinação das posições dos braços e das pernas forma duas posturas diferentes. A posição com os braços e as pernas em cruz está inscrita no quadrado. Já a posição com os braços e as pernas em estrela fica inscrita no círculo. José Airton de Carvalho
  11. 11. Aplicando a razão áurea na escala do desenho do corpo humano, o movimento em cruz determina os lados do quadrado, enquanto que aquele em estrela delimita o círculo. A área total do circulo é igual a área total do quadrado e estão dispostos de tal forma que suas proporções podem ser utilizadas como base do algoritmo matemático que calcula o número de ouro Phi. E, então, como que por mágica, o problema da QUADRATURA DO CÍRCULO é resolvido por um simples movimento do corpo humano! A quadratura do círculo consiste em, dado um círculo “A”, desenhar um quadrado “B” de mesma área que “A”. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO O HOMEM VITRUVIANO POR LEONARDO DA VINCI José Airton de Carvalho
  12. 12. A genialidade de Leonardo permitiu uma solução extremamente elegante. Da Vinci acreditava na perfeição da figura humana, e considerava as medidas e o funcionamento do corpo humano como uma analogia das medidas e funcionamento do universo, todas conectadas pela proporção do número de ouro dado: 1,618 Phi. O desenho é considerado um símbolo perfeito e acabado da simetria do corpo humano e um marco do antropocentrismo. Um símbolo da interconexão do homem com o universo. O estudo ficou celebrizado como o “Homem Vitruviano”, sendo aceito, como símbolo universal da humanidade. Essa ilustração do Leonardo Da Vinci é usada como referência estética de simetria e proporção no mundo todo. O desenho e o texto são considerados O Cânone das Proporções. É a resposta gráfica para um desafio matemático formulado por Vitruvius. Segundo ele, a construção de um templo deveria se basear nas proporções do homem, consideradas divinas. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO O HOMEM VITRUVIANO POR LEONARDO DA VINCI José Airton de Carvalho
  13. 13. A possibilidade de usar as medidas proporcionais do corpo humano como valor de escala para a solução do problema geométrico da “Quadratura do Círculo” seduziu matemáticos ao longo de toda a história. A razão maior dessa sedução foi a possibilidade de se utilizar um número, considerado por muitos um número mágico, senão até mesmo divino, para a solução do problema. Trate-se do uso de Phi. Phi (lê-se “fi”), em homenagem ao escultor e arquiteto grego Phídias, responsável pela construção do Parthenon e que fez largo uso do número nos cálculos de proporção das construções gregas. Trata-se de um número irracional, dos mais misteriosos e enigmáticos da história, pois surge numa infinidade de exemplos encontrados na natureza sob a forma de uma razão. Nos Elementos de Euclides, uma das mais importantes e influentes obras da história da matemática, surge o seguinte segmento de reta, dividido em duas partes: a b a + b  GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO  = a + b a a b =  = 1 + 2 5 = 1,618033989 GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO O HOMEM VITRUVIANO José Airton de Carvalho
  14. 14. Leonardo da Vinci, em seus estudos de Anatomia, trabalhou com um modelo padrão (O canon) para a forma de um ser humano, utilizando Vitrúvio como modelo. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO EVIDÊNCIAS DA GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO CANON (Leonardo Da Vinci) José Airton de Carvalho
  15. 15. Entre 1942 e 1948, Le Corbusier (o arquiteto francês Charles-Edouard Jeanneret-Gris), desenvolveu um sistema de medição que ficou conhecido por “MODULOR”. Baseado na razão de ouro e nos números de Fibonacci e usando também as dimensões médias humanas (dentro das quais considerou 183 cm como altura standard), o MODULOR é uma seqüência de medidas que Le Corbusier usou baseadas na divisibilidade do corpo humano em proporção harmônica. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO EVIDÊNCIAS DA GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO MODULOR (Le Corbusier) José Airton de Carvalho
  16. 16. A molécula de DNA baseia-se na Secção Dourada. Mede 34 angstroms de comprimento por 21 angstroms de largura para cada ciclo completo da sua dupla hélice espiral. Quando estudamos sob o microscópio, as células vivas revelam um sistema altamente ordenado de formas e padrões, a partir da forma do DNA, seguindo por todo o corpo os mesmos padrões previsíveis. 34 A 21A DNA GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO EVIDÊNCIAS DA GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO 34 e 21 são números na série de Fibonacci e sua proporção, 1,6190476 aproxima Phi, 1,6180339. José Airton de Carvalho
  17. 17. DNA e Geometria Sagrada – Simetria de Cinco Pontos como o padrão da Vida Orgânica na Terra. As imagens do DNA incluídas aqui é o desenho Matemático Fractal do DNA. Consiste de 10 formas circulares (2x5), as quais representam duas cordas de DNA físico na típica formação espiral (helicoidal). DNA GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO EVIDÊNCIAS DA GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO José Airton de Carvalho
  18. 18. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO EVIDÊNCIAS DA GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO PROPORÇÕES DO CORPO HUMANO José Airton de Carvalho
  19. 19. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO EVIDÊNCIAS DA GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO PROPORÇÕES DA MÃO 1 2 3 Mm Mm Mm José Airton de Carvalho
  20. 20. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO EVIDÊNCIAS DA GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO SEGMENTO ÁUREO FACIAL José Airton de Carvalho
  21. 21. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO O TEMPLO MAÇÔNICO E A PROPORÇÃO ÁUREA A B M C D 1. Encontrando o ponto médio (M) do Segmento AB. 2. Por B traçamos um reta perpendicular ao segmento AB. 3. Com o compasso em B, traçamos um arco do ponto M até a perpendicular B, surgindo o ponto C. 4. Unimos os pontos A, B e C, formando o triângulo ABC. 5. Com o compasso no vértice C, traçamos um arco do ponto B até a hipotenusa do triângulo, determinando o ponto D. 6. Com o compasso no vértice A, traçamos um arco partindo do ponto D até o segmento AB, no qual determinamos o ponto E. A distância AE no segmento AB é 1,6183 maior que a distância EB. Esse número é denominado Phi ou proporção áurea, e se relaciona com a Natureza, podendo ser encontrado no corpo humano e no Universo. E PROPORÇÃO ÁUREA Podemos encontrar a proporção áurea, geometricamente, da seguinte maneira: José Airton de Carvalho
  22. 22. “Que relação poderão ter as Pirâmides do Egito com a Catedral de Notre-Dame de Paris; o Partenon da Grécia com o Templo de Luxor ou, os Templos pagãos do Sol, as mesquitas islâmicas e os tabernáculos de Jeová?”. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO O TEMPLO MAÇÔNICO E A PROPORÇÃO ÁUREA “A GEOMETRIA SAGRADA” “O que ao vulgo parece uma questão de difícil resposta, para o iniciado é simples:” José Airton de Carvalho Não se admite em Maçonaria, a ausência do estudo da Geometria, pois as figuras que resultam de seus problemas e cálculos constituem, não só a Arquitetura do Templo Maçônico, como a imagem de seus símbolos. A Maçonaria denomina Deus, o Grande Arquiteto do Universo, como sendo o Grande Geômetra.
  23. 23. Segundo Virtuvio, “a construção de um templo deveria se basear nas proporções do homem, consideradas divinas”. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO O TEMPLO MAÇÔNICO E A PROPORÇÃO ÁUREA Construir templos implica saber medir as dimensões do espaço e do tempo. Os primitivos construtores livres, ou francos maçons, elaboraram bases operativas das quais a moderna Maçonaria Especulativa conserva hoje a memória e o uso simbólico. “O Templo construído segundo a Geometria Sagrada é um ser vivo, algo que respira, que tem pulsação, está envolto numa energia e numa eletricidade peculiar. É um organismo organizado, no qual todas as suas partes se inter-relacionam e se integram naturalmente com seus habitantes. A Egrégora é fortalecida, a energia circundante beneficia e é sentida por todos.” (Fulcanelli) José Airton de Carvalho
  24. 24. “Um Templo transcende o caráter realista do mundo e penetra na estrutura íntima e matemática do Universo, em aparente contradição com seu arquétipo, o templo interior do ser humano”. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO O TEMPLO MAÇÔNICO E A PROPORÇÃO ÁUREA Se quisermos um Templo Maçônico, como uma representação do Universo, para que ele se torne uma caixa de ressonância deste, devemos seguir certas regras ocultas e leis esotéricas aplicadas desde tempos imemoriais pelos detentores dos poderes da Geometria Sagrada. José Airton de Carvalho O Templo pode ser considerado como uma imagem simbólica do Homem e do Mundo: para ter acesso ao conhecimento do Templo Celeste, é necessário realizar em si mesmo, viver, em espírito, sua reconstrução e sua defesa...
  25. 25. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO O TEMPLO MAÇÔNICO E A PROPORÇÃO ÁUREA Sua finalidade primordial não é apenas abrigar Irmãos, mas criar para estes um ambiente propício à penetração nesses mistérios, através de um jogo sutil de influências que integre o Templo físico e o Templo interior do homem na comunhão com o Grande Arquiteto do Universo e a Natureza. Vitruvio afirmava que: “Se a Natureza compôs o corpo do homem de modo que cada membro tenha uma proporção com o todo, não foi sem razão que os Antigos quiseram que nas suas obras, a mesma relação das partes com o todo estivesse observada”. José Airton de Carvalho
  26. 26. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO O TEMPLO MAÇÔNICO E A PROPORÇÃO ÁUREA GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO “Os cânones da figura humana demonstrados por Leonardo Da Vinci ajustam-se ao símbolo biométrico do corpo dividido em dois pelos órgãos sexuais ou em “phi” pelo umbigo”. Segundo Heráclito, “o homem é a medida de todas as coisas”. José Airton de Carvalho
  27. 27. José Airton de Carvalho GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO O TEMPLO MAÇÔNICO E A PROPORÇÃO ÁUREA (PLANTA) 1,618 1,000 0,618 1,000
  28. 28. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO José Airton de Carvalho 0,382 O TEMPLO MAÇÔNICO E A PROPORÇÃO ÁUREA (PERSPECTIVA CAVALEIRA)
  29. 29. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO O TEMPLO MAÇÔNICO E A LOCALIZAÇÃO DAS LUZES 1º Vig. José Airton de Carvalho Ven. Mestre 2º Vig. Deambulação, ou Marcha do Aprendiz
  30. 30. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO O TEMPLO MAÇÔNICO E A PROPORÇÃO ÁUREA Os Maçons, em especial, seja por ignorância, falta de estudo ou indisposição de voltar às suas origens, redescobrir as raízes de sua Doutrina e Ritual, infelizmente renegam a cultura de seus longínquos predecessores e constroem seus templos sem qualquer afinidade com os conhecimentos da Geometria Sagrada. Devemos, pois, resgatar os conhecimentos herméticos de nossos Irmãos do passado e construir nossos Templos segundo a sabedoria antiga. Por outro lado, os nossos Rituais não priorizam as orientações e recomendações para construção de Templos, fundamentados na Geometria Sagrada. Consta, somente simbolicamente da forma, da orientação, comprimento, largura, altura e profundidade. José Airton de Carvalho
  31. 31. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO O TEMPLO MAÇÔNICO E AS COLUNAS ZODIACAIS “Certas características e raízes da Maçonaria são esquecidas de seus Obreiros, para não dizer desprezadas. A Geometria e a Astronomia possuem relação íntima com toda a sua doutrina, mas que têm ficado cada vez mais distante dos estudos dos Maçons. Normalmente abrimos e fechamos nossas reuniões percorrendo as palavras do Ritual mecanicamente, sem o estudarmos e observarmos quantos ensinamentos contém. Com isso, adquirimos conhecimentos superficiais. O exemplo está na maneira de como são ministradas as Instruções, que se torna impossível de ser entendida com uma leitura apenas.” Tanto na Abertura quanto no Encerramento há profundos conhecimentos astronômicos ignorados pela maioria dos Irmãos. - A que horas inicia o Maçom, simbolicamente, os seus Trabalhos? - Por que o Venerável Mestre senta-se no Oriente? - E o 1º Vigilante no Ocidente? - Por que o 2º Vigilante senta-se ao Sul, observando o Sol no Meridiano? José Airton de Carvalho
  32. 32. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO O TEMPLO MAÇÔNICO E AS COLUNAS ZODIACAIS NO RITO ESCOCÊS ANTIGO E ACEITO “Com relação a orientação dos templos, os antigos construtores valiam-se da astronomia e da reverência do povo egípcio pelo Sol e a influência deste e de outros planetas, na vida da Terra e da humanidade”. “Os sábios da Antiguidade conheciam os ritmos zodiacais que disciplinam os elétrons em suas órbitas no seio do átomo, e assim, aplicavam a ciência astrológica visando um maior aproveitamento energético das formas geométricas”. José Airton de Carvalho
  33. 33. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO A faixa do Zodíaco é puramente simbólica, mostrando as constelações que o Sol atravessa em sua eclíptica, ou seja, em sua órbita aparente. Ao contrário das constelações celestes, cada signo zodiacal ocupa um segmento fixo de 30 graus do círculo completo (que corresponde a 360º) Os signos, no misticismo maçônico representam todo o caminho percorrido pelo iniciado, desde sua iniciação até ao cume de sua trajetória no Grau de Mestre Maçom. Vindo do círculo do mundo profano, o Aprendiz voltará para ali mais tarde, no estado de Mestre, após haver adquirido a Iniciação. Assim é figurado o caduceu hermético que da a chave real dos Graus simbólicos. Ressalvando as diferenças existentes entre os templos de diversos ritos, essa representação é mostrada fisicamente com os símbolos alusivos presentes na Loja. José Airton de Carvalho O TEMPLO MAÇÔNICO E AS COLUNAS ZODIACAIS NO RITO ESCOCÊS ANTIGO E ACEITO
  34. 34. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO ÁRIES FOGO MARTE TOURO TERRA VÊNUS GÊMEOS AR MERCÚRIO CÂNCER ÁGUA LUA LEÃO FOGO SOL VIRGEM TERRA MERCÚRIO LIBRA AR VÊNUS ESCORPIÃO ÁGUA MARTE SAGITÁRIO FOGO JÚPITER CAPRICÓRNIO TERRA SATURNO AQUÁRIO AR SATURNO PEIXES ÁGUA JÚPITER PONTO CÓSMICO ENTRE COLUNAS PONTO CÓSMICO ALTAR DOS JURAMENTOS 1 2 1 2 José Airton de Carvalho N S EW O TEMPLO MAÇÔNICO E AS COLUNAS ZODIACAIS NO RITO ESCOCÊS ANTIGO E ACEITO
  35. 35. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO A QUADRATURA DO CÍRCULO José Airton de Carvalho Raio do círculo = 1 Lado do quadrado = L SOLUÇÃO MATEMÁTICA SOLUÇÃO GEOMÉTRICA (Compasso e Régua) Sq = L Sc = r Sq = Sc L = r  L =  2 2 2 2 2 D = L + 2 2 L 2 2 D = L + 2 2 L 4 2 D = 2 5 L 4 D = L  5 2 2 L =  5/2 D  L = 2 1,1180 L = 1,7888 L = 1,7724  GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO L =    L =  3,1416 L L/2 D C A B O M
  36. 36. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO A QUADRATURA INICIÁTICA José Airton de Carvalho GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO Para o Iniciado (Geômetra), o Círculo representa o espírito-espaço puro e não manifesto, enquanto o Quadrado significa o mundo material e compreensível. Filosoficamente, quando se atinge uma igualdade quase completa entre o Círculo e o Quadrado, o infinito é capaz de expressar suas dimensões ou qualidades através do finito. Isto é, atingimos um estado de consciência plena. Maçonicamente, alcançamos o ápice da pirâmide. Esotericamente, somos parte integrante da Egrégora.
  37. 37. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO Diz nosso Ritual: “Em toda Loja Regular, Justa e Perfeita, existe um ponto dentro de um Círculo pelo qual um Maçom não pode transpor. Este círculo é limitado entre o Norte e o Sul por duas grandes linhas paralelas. Na parte superior do círculo fica o Livro da Lei, que suporta a Escada de Jacó, cujo cimo toca os Céus. Caminhando dentro deste Círculo, sem nunca o transpormos, limitar-nos-emos às duas linhas Paralelas e ao Livro da Lei e enquanto assim procedermos, não podemos errar”. O Círculo entre Paralelas Verticais e Tangenciais representam os trópicos de Câncer e de Capricórnio, a figura mostra que o Sol não transpõe os trópicos e recorda, ao maçom, que as concepções metafísicas e a consciência religiosa de cada obreiro são de foro íntimo e, portanto, invioláveis. O Círculo com um Ponto do Meio, também é, como ensinamento maçônico, importantíssimo, pois, representa um local estático. Ele é, assim, o local de menor turbulência, de menor agitação (Câmara do Meio). É o centro, onde a inteligência é iluminada pela Luz da Verdade e onde se encontram os verdadeiros Mestres, que, depois do estudo e da profunda meditação, podem melhor compreender os mistérios da Natureza. Sendo o ponto de nula turbulência, onde, simbolicamente, não reinam as paixões humanas, é onde o Mestre tem a lucidez necessária para evitar os erros e as falhas humanas. José Airton de Carvalho O TEMPLO MAÇÔNICO E O CÍRCULO (Entre Paralelas Verticais e Tangenciais com um Ponto no Meio)
  38. 38. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO PONTO CÓSMICO ALTAR DOS JURAMENTOS José Airton de Carvalho O TEMPLO MAÇÔNICO E O CÍRCULO (Entre Paralelas Verticais e Tangenciais com um Ponto no Meio)
  39. 39. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO O TEMPLO MAÇÔNICO – LUZES, DIGNIDADES E OFICIAIS (LOCALIZAÇÃO) V. Mestre Orador Secretário Arquiteto M. Cerimônias 2º Diácono C. Externo C. Externo 2º Vigilante 1º Vigilante P. Espada P. Bandeira P. Estandarte 1º Diácono Hospitaleiro Tesoureiro Chanceler 1º Experto 2º Experto G. Templo M. Harmonia José Airton de Carvalho
  40. 40. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO O verdadeiro sentido da Estrela Flamejante é Hominal, eis que o símbolo designa o homem espiritual, o indivíduo dotado de alma, ou de fator de movimento e trabalho. Ou seja, o indivíduo como espírito ou fagulha interna que lhe concedeu o G.·.A.·.D.·.U.·.. A ponta superior da Estrela é a cabeça humana, a mente. As demais pontas são os braços e as pernas. PENTAGRAMA - (ESTRELA FLAMEJANTE) Na Maçonaria essa idéia serve para lembrar ao Maçom que o homem deve criar e trabalhar, isto é, inventar, planejar, executar e realizar, com sabedoria e conhecimento. José Airton de Carvalho
  41. 41. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO O TEMPLO MAÇÔNICO E O PENTAGRAMA (ESTRELA FLAMEJANTE) José Airton de Carvalho PONTO CÓSMICO ALTAR DOS JURAMENTOS
  42. 42. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO PROPORÇÃO ÁUREA DO PENTAGRAMA (ESTRELA FLAMEJANTE) 1,000 0,618 1,618 José Airton de Carvalho
  43. 43. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO HEXAGRAMA - (ESTRELA DE DAVID) José Airton de Carvalho Os dois triângulos entrelaçados representam a união das forças ativa e passiva na natureza, os pólos feminino e masculino, yoni e linga (representações dos genitais no hinduísmo). O triângulo voltado para baixo o símbolo do princípio feminino e o triângulo voltado para cima representando o princípio masculino. Portanto, nesta interpretação, o hexagrama possui um simbolismo sexual. O hexagrama na Maçonaria do Arco Real representa o equilíbrio e a harmonia. Há também uma interpretação na qual o triângulo voltado para baixo representa o céu e o segundo triângulo simboliza a terra; de forma que um interfira no outro. Supõe-se também que as seis pontas representam o domínio celeste sobre os quatro ventos, sobre o que está em cima e o que está em baixo na terra (Hermes Trismegisto).
  44. 44. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO HEXAGRAMA - (ESTRELA DE DAVID) José Airton de Carvalho Embora, sejam a Estrela de David e o Hexagrama, iguais por definição morfológica, na verdade apresentam diferenças substanciais. Na Estrela de David os triângulos são sobrepostos enquanto que no hexagrama os mesmos são entrelaçados. Esta diferença leva os estudiosos a terem interpretações místicas e esotéricas das mais variadas possíveis. Ao nosso estudo importa compreendermos que a Estrela Flamejante corresponde ao Microcosmo humano, isto é, ao homem considerado como um mundo em miniatura, ao passo que os dois triângulos entrelaçados designam a Estrela no Macrocosmo, isto é, do mundo em toda a sua extensão infinita.
  45. 45. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO O TEMPLO MAÇÔNICO E O HEXAGRAMA José Airton de Carvalho PONTO CÓSMICO ALTAR DOS JURAMENTOS
  46. 46. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO MERKABA José Airton de Carvalho Merkaba é o nome dado à Luz Divina, veículo usado pela Maçonaria para atingir realidades superiores. Mer = Luz Ka = Espírito Ba = Corpo A Merkaba teoricamente funciona como espirais energéticas em torno do corpo que poderia transportar o espírito para uma outra dimensão. A representação gráfica do Merkaba é o desenho de Leonardo Da Vinci dentro de uma Estrela de David tridimensional.
  47. 47. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO GEOMETRIA SAGRADA NO TEMPLO MAÇÔNICO O TEMPLO MAÇÔNICO – ESPIRAL DE FOBONACCI José Airton de Carvalho
  48. 48. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO REFLEXÃO “O interior do Templo Maçônico, através de seu simbolismo e o saber oculto de sua forma geométrica, interagindo com seu cerimonial mágico, propiciará transmitir uma influência espiritual saudável e realização metafísica pretendida. Portanto, o Maçom deve ter consciência de que toda vez que transpuser a porta de seu templo estará penetrando em seu Espaço Sagrado e, por isso, deve fazê-lo com solenidade, contrito, com seriedade e, principalmente, cobrindo seu próprio templo interior” José Airton de Carvalho
  49. 49. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO José Airton de Carvalho FONTES CONSULTADAS • ANATALINO, João – CONHECENDO A ARTE REAL – Ed. Madras – São Paulo, 2001 • BLAVATSKY, H. P. – A DOUTRINA SECRETA, Volumes 1, 4 e 5 – Ed. Pensamento – São Paulo, 1989 • BOUCHER, Jules – A SIMBÓLICA MAÇÔNICA – Pensamento – São Paulo, 199 • CASTELLANI, José. – AS ORIGENS HISTÓRICAS DA MÍSTICA MAÇÔNICA – Ed. Landmark – São Paulo, 2005 • D’ALVEYDRE, Saint-Yves. – O ARQUEÔMETRO – Ed. Madras – São Paulo, • FULCANELLI – O MISTÉRIO DAS CATEDRAIS – Ed. Madras – São Paulo, 2007 • GIORDANI, Mário Curtis. – HISTÓRIA DA ANTIGUIDADE ORIENTAL. 8ª ed. – Vozes – Petrópolis, 1987 • HEATH, Richard – GEOMETRIA SAGRADA E AS ORIGENS DA CIVILIZAÇÃO – Ed. Pensamento – São Paulo, 2010 • HORNE, Alex – O TEMPLO DO REI SALOMÃO NA TRADIÇÃO MAÇÔNICA – Ed. Pensamento – São Paulo, 1972 • LAWLOR, Robert. - GEOMETRIA SAGRADA (Mitos,Deuses e Mistérios) – Ed. Del Prado – Madrid, 1996. • LEADBEATER, C. W. – A VIDA OCULTA NA MAÇONARIA – Ed. Pensamento – São Paulo, 1984 • LIVIO, Mario – LA PROPORCION AUREA – Ed. Ariel – Barcelona, 2008 • LIVIO, Mario – DEUS É MATEMÁTICO? – Ed. Record – Rio de Janeiro, 2011 • LUNDY, Miranda. – GEOMETRIA SAGRADA – La Aventura de la Ciencia – Ed. Oniro – Barcelona, 2005 • MONTEIRO, Eduardo Carvalho. – ESOTERISMO NA RITUALÍSTICA MAÇÔNICA – Ed. Madras – São Paulo, 2002 • MONTEIRO, Eduardo Carvalho. – TEMPLO MAÇÔNICO E AS MORADAS DO SAGRADO – Ed. A Trolha – Londrina, 1996 • MURPHY, Tim Wallace – O CÓDIGO SECRETO DAS CATEDRAIS – Pensamento – São Paulo, 2007 • POËSSON, Paul – O TESTAMENTO DE NOÉ – Livraria Bertrand – Amadora/Portugal, 1972 • PENNICK, Nigel. – GEOMETRIA SAGRADA – Ed. Pensamento – São Paulo, 2004 • QUEIROZ, Álvaro de. – A GEOMETRIA MAÇÔNICA – Ed. Madras – São Paulo, 2010 • SHESSO, Renna. – MATEMÁTICA PARA MÍSTICOS – Ed. Pensamento – São Paulo, 2008 • TALLON, Jaime Buhigas. – LA DIVINA GEOMETRIA – La Esfera de los Libros – Barcelona, 2008 • VIEUX, Maurice. – OS SEGREDOS DOS CONSTRUTORES – Difel – São Paulo, 1977
  50. 50. GEOMETRIA SAGRADA NO CORPO HUMANO E NO TEMPLO MAÇÔNICO José Airton de Carvalho Agradecemos pela atenção de todos. JOSÉ AIRTON DE CARVALHO, 33º jaclese33@gmail.com ARLS Inconfidência No 47 – GLMMG Ven M da Loja Maçônica de Pesquisas Quatuor Coronati “Pedro Campos de Miranda” Membro da Academia Mineira Maçônica de Letras

×