Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.
Geoprocessamento das atividades
coletivas do território da STS Penha
Ana Paula de L. R. Bueno
Leticia S. de Oliveira
Lucia...
INTRODUÇÃO
A prática de atividade coletiva no SUS é uma ferramenta importante para
o processo de saúde biopsicossocial do ...
OBJETIVO
Construir uma rede de atividades coletivas dentro do território de Penha,
proporcionando o acompanhamento longitu...
DESENVOLVIMENTO
Todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) do território forneceram as
informações especificas de cada gru...
Montagem
cooperativa da
planilha de dados
Levantamento de
informações por
equipamento
Avaliação dos dados
enviados
Georref...
RESULTADOS
Foi possível mapear 217 atividades coletivas, com prevalência das
práticas em Saúde Mental (36 grupos), Saúde d...
RESULTADOS
AtualizaçãoRESULTADOS
CONCLUSÃO
Esse projeto fortalecerá a comunicação entre os equipamentos de saúde
da região da STS Penha. Ofertará maiores o...
Obrigada!
Luciene Iacobucci
email: luciene.iacobucci@sas-seconci.org.br
Nächste SlideShare
Wird geladen in …5
×

Geoprocessamento das atividades coletivas do território da Supervisão Técnica de Saúde da Penha

158 Aufrufe

Veröffentlicht am

Pôster apresentado no CRICS10, no eixo temático de Inovação e Saúde Digital

Veröffentlicht in: Gesundheitswesen
  • Als Erste(r) kommentieren

  • Gehören Sie zu den Ersten, denen das gefällt!

Geoprocessamento das atividades coletivas do território da Supervisão Técnica de Saúde da Penha

  1. 1. Geoprocessamento das atividades coletivas do território da STS Penha Ana Paula de L. R. Bueno Leticia S. de Oliveira Luciana Felizali Luciene Iacobucci
  2. 2. INTRODUÇÃO A prática de atividade coletiva no SUS é uma ferramenta importante para o processo de saúde biopsicossocial do indivíduo. Para instituir um grupo é necessário considerar as especificidades e prioridades do território, considerando a assistência nas diversas linhas de cuidado. Nesta lógica, foi desenvolvido o geoprocessamento, ferramenta que permite aos equipamentos de saúde terem visibilidade dos grupos desenvolvidos no território, sendo possível ampliar as opções terapêuticas dentro das unidades. Na prática, o usuário poderá contar com maiores possibilidades de dias e horários de grupos para frequentar. Dessa forma é possível ampliar o acesso, dar continuidade de sua assistência e contribuir na manutenção e efetividade das atividades coletivas.
  3. 3. OBJETIVO Construir uma rede de atividades coletivas dentro do território de Penha, proporcionando o acompanhamento longitudinal nas linhas de cuidado, por meio do geoprocessamento de dados no GoogleMaps.
  4. 4. DESENVOLVIMENTO Todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) do território forneceram as informações especificas de cada grupo desenvolvido. Estas informações foram analisadas e consolidadas em uma única plataforma de Excel. Foram classificadas dentro das seguintes linhas de cuidado: Saúde Mental, Saúde da Pessoa com Doença Crônica, Saúde da Mulher, Saúde do Adulto, PICS, Promoção de Saúde, Saúde da Criança e do Adolescente, PCAF, Alimentação Saudável/Nutrição, Reabilitação Física, Reabilitação Fonoaudiológica, Saúde do Idoso, Saúde Homem, Saúde do Trabalhador, Saúde da População Imigrante e Saúde da População LGBT. Com esses dados consolidados, todas as informações foram Geoprocessadas com o auxílio do Google Maps, sendo essa tecnologia de fácil acesso e custo zero. Este consolidado foi compartilhado com os gestores e coordenadores dos equipamentos de saúde.
  5. 5. Montagem cooperativa da planilha de dados Levantamento de informações por equipamento Avaliação dos dados enviados Georrefenciamento dos dados coletados Atualização quando necessário Fórum Reabilitação Devolutiva aos Gestores DESENVOLVIMENTO
  6. 6. RESULTADOS Foi possível mapear 217 atividades coletivas, com prevalência das práticas em Saúde Mental (36 grupos), Saúde da Pessoa com Doença Crônica (25) e Saúde da Mulher (19). Com esse processo, é possível analisar as informações existentes em cada equipamento de saúde de acordo com as linhas de cuidado. Os dados foram multiplicados para os gestores dos serviços e demais profissionais da região que poderão acessar a ferramenta utilizando-a para gestão do cuidado.
  7. 7. RESULTADOS
  8. 8. AtualizaçãoRESULTADOS
  9. 9. CONCLUSÃO Esse projeto fortalecerá a comunicação entre os equipamentos de saúde da região da STS Penha. Ofertará maiores oportunidades de atividades coletivas ao usuário conforme a linha de cuidado em que se enquadra, ampliando o acesso na rede local.
  10. 10. Obrigada! Luciene Iacobucci email: luciene.iacobucci@sas-seconci.org.br

×