Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

APOSTILA DO OBREIRO NO SERVIR A DEUS

Quando um obreiro da casa de DEUS decide em seu coração servi-lo, empenha-se em produzir frutos e ter uma vida espiritual promissora.
Para isso não podemos deixar de apresentar fatores importantes que não podem ser ignorados por nenhum obreiro.
Nos cultos os obreiros são distribuídos de acordo com a escala para atender a necessidade da Liturgia e precisam cumpri-las diligentemente, VOCÊ É O OBREIRO DA CASA DE DEUS E DEVE DAR EXEMPLO. Seja na portaria, salão,entrada dos banheiros , corredores , na verificação do abastecimento de copos, papel higiênico,papel toalha, ventiladores, luzes , limpeza do templo, organização das cadeiras, observando se algum membro esqueceu seus pertences no final de cada reunião e etc...a sua aplicação lhe dará destaque na Igreja como um verdadeiro homem e mulher de DEUS.

  • Als Erste(r) kommentieren

APOSTILA DO OBREIRO NO SERVIR A DEUS

  1. 1. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 1
  2. 2. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 2 APOTILA DO OBREIROS 1) OBREIRO NAS ATIVIDADES DA IGREJA 2) O OBREIROS NA PORTARIA DA IGREJA 3) A PESSOA D O O B R E IR O 4) A Conduta do Obreiro 5) A POSTURA DO OBREIRO 6) O obreiro a ética e a submissão 7) O OBREIRO E A PALAVRA DE DEUS 8) O que podem derrubar o obreiro 9) Como ser um bom obreiro 10) A POSTURA EXIGIDA DO OBREIROS Pastor Carlos c da silva celular (11)94675-4007 PRIMEIRAMENTE AGRADEÇO A DEUS QUE TODOS IRMÃOS POSSA SER ABENÇOADO EM NOME DE JESUS
  3. 3. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 3 Introdução: Sempre foi necessário ao ministério das igrejas evangélicas um curso preparatório para os obreiros, tudo em virtude do crescimento ministerial que tem ocorrido nas igrejas e da crescente onda de mundanismo que tenta invadir as congregações em nosso país e ao redor do mundo. Como se vê, este trabalho não está voltado ao simples conhecimento teológico acerca das doutrinas cristãs, mas o objetivo central é preparar o obreiro no exercício das funções ministeriais. Haja vista que a estrutura social da Igreja tem tomado muito mais forma do que a espiritual. Aqueles que tem aceitado a Cristo hoje, já não se parecem nada com o cidadão que o aceitava há vinte anos atrás, geralmente ele conhece as leis civis, os códigos de conduta sociais e às vezes alguns aspectos da fé. É comum atualmente ouvirmos termos como: Ética , respeito , educação, postura, etc, sendo exigido de nossos obreiros, por parte dos membros da igreja. Essa é uma característica do tempo presente, o lado social vai crescendo enquanto o espiritual vai ficando para o segundo plano, isso deve ser combatido, e só com obreiros preparados isso será possível. É fácil observar pessoas tristes e frustradas por não receberem uma oportunidade ou não serem convidadas para esse ou aquele evento na igreja. A idéia com esse estudo, é mostrar o que a Bíblia nos ensina, pois é possível ser social e altamente espiritual At 6.5. Hoje o Obreiro deve aprender que "estar ligado" nem sempre é estar em espírito, às vezes é "estar prestando atenção!" "Fiel é esta palavra: Se alguém aspira ao episcopado, excelente obra almeja." 1 Tm 3.1
  4. 4. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 4 1)O OBREIRO NAS ATIVIDADES DA IGREJA É durante o culto e eventos, da igreja, que o obreiro mais tem contato com os membros de uma forma geral, é nesse momento que ele é observado e julgado por suas atitudes pela igreja, podemos minimizar ao máximo os danos causados pelo julgamento precipitado, observando , além daquilo que a Bíblia coloca como requisitos para o ministério e das tarefas específicas do obreiro, alguns procedimentos diante da igreja, que passaremos a apresentar a seguir. Tudo o que a Bíblia ensina como comportamento e ordenanças para o povo de Deus, deve ser primeiramente evidenciados nos obreiros para que estes sirvam como exemplo para todos os membros, assim o obreiro será também um agente motivador. Todas as recomendações apresentadas aqui, devem ser seguidas por todos os obreiros, seja homem ou mulher, basta que esteja a serviço do Senhor.
  5. 5. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 5 Auxiliar de Trabalho (Cooperador) O Auxiliar de Trabalho é uma função que precede ao Diácono, o termo é relativamente novo e não se encontra na Bíblia, por conta disso, algumas denominações mais rígidas quanto à doutrina, não o reconhecem como cargo ministerial. Embora não haja referência bíblica sobre o cargo, ele pode ser inferido no contexto de 1 Tm 3.10. Baseado neste conceito, o cargo de auxiliar de trabalho foi criado com o objetivo de experimentar o obreiro para o diaconato, é como se o obreiro ficasse em um período de observação, para ao ser aprovado como obreiro, fosse então consagrado a Diácono. Ocorre freqüentemente no meio "assembleano", que alguns auxiliares de trabalho se destaquem tanto, que a própria igreja local o considerem como diácono antes mesmo da sua consagração. Obreiro Em um sentido genérico, seria todo aquele que trabalha na Obra do senhor, mas o termo é usado especificamente no meio evangélico para designar os que foram consagrados para exercerem cargos ministeriais de qualquer natureza, seja pastor, presbítero, diácono ou auxiliar de trabalho, seja homem ou mulher, todos são obreiros do Senhor, é muito comum na Assembléia de Deus o uso do termo para designar apenas o auxiliar de trabalho ou cooperador. Diácono O nome vem do grego e significa "servidor", leia At 6.1-7. Entende-se nesta passagem que o objetivo da instituição dos diáconos era basicamente para servir as mesas, mas devido à ascensão social da Igreja as funções do diácono tiveram seu caráter modificado, embora mantenha a mesma essência, agora o diácono é o principal responsável pelos meios que fazem o culto funcionar, como água, som, limpeza da igreja, organização, e anotações diversas entre outras. Diante do aqui exposto o diácono é o cargo ministerial que melhor expressa a intenção do Senhor em Jo 13.12-15. O ideal é que todo obreiro antes de alcançar qualquer função de maior responsabilidade ou relevância na Obra de Deus, tenha passado pela escola do diaconato, assim como Moisés passou quarenta anos no deserto aprendendo a servir em humildade para só depois então, ser enviado pelo Senhor para libertar e conduzir o povo de Deus pelo deserto até a terra prometida Ex 3.2,10.
  6. 6. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 6 Diaconisa É o equivalente ao diácono e diz respeito às irmãs consagradas com as mesmas funções dos diáconos, algumas denominações não adotam este cargo por não encontrarem referência Bíblica dele, porém existem tarefas que são peculiares às irmãs, como cozinhar, tomar conta de berçário entre outras. Várias mulheres na Palavra de Deus, foram cooperadoras do Senhor Jesus no seu ministério terreno Mt 27.55,56. Presbítero O nome vem do grego que significa "o mais idoso" era o ancião responsável pela observância da justiça nas cidades gregas, em o Novo Testamento, equivale ao pastor e ao bispo At 20.17,18, e por essa equivalência em muitas denominações atualmente o presbítero se constitui em um auxiliar e substituto direto do pastor e exerce funções administrativas e de ministro, responsável pelo ensino da Palavra, aconselhamento, direção dos trabalhos da igreja e unção com o óleo, entre outras. No tempo apostólico o presbítero era o dirigente das congregações Tt 1.5-7, atualmente vem depois do pastor na hierarquia funcional, há quem critique as denominações evangélicas de tirarem o sentido real e a importância da palavra ao criarem o cargo de pastor. Evangelista Equivalente ao cargo de pastor e muitos vezes é chamado de pastor evangelista, tem a função de coordenar os trabalhos de evangelismo na área de influencia da igreja local, pode também ser enviado para abrir ou dirigir algum trabalho de oração ou até mesmo alguma congregação.
  7. 7. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 7 Pastor É o anjo da Igreja, ou líder espiritual do rebanho, o que tem a função principal de apascentar as ovelhas e recebe orientação do Senhor no desempenho dessa missão Ap 2.1. Em o Novo Testamento equivale a bispo e presbítero At 20.17,18, mas atualmente nas Assembléias de Deus se diferencia do presbítero nas funções ministeriais, e vem depois do bispo na hierarquia funcional das denominações que possuem o sacerdócio episcopal. Tem a função também de administrador da Igreja de Cristo 1 Pe 5.1-3. Devido à necessidade da obra de Deus e ao chamado, o pastor também recebe designações especiais como Evangelista e Missionário Missionário É o obreiro comissionado para uma obra de missão, dentro ou fora do país, para evangelização e/ou abertura de congregações, é também atribuído às irmãs consagradas para essa obra. é apenas para fins de organização e trabalho, a hierarquia no reino de Deus obedece ao critério da humildade Lc 22.24-27.
  8. 8. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 8 2)obreiro na Portaria da igreja 1-não da menos importância para o igreja é a portaria, pois equivale ao cartão de visitas da casa, o obreiro que estivar no cargo portaria deve procurar seguir tudo que foi ensinado sobre apresentação individual e além disso alguns detalhes a segu 2-Deve o obreiro ser simpático, estar sempre com um sorriso para receber os convidados e visitantes; 3-Se não houver outro obreiro para conduzir os visitantes aos lugares vagos, para evitar que estes fiquem em pé sem saber onde sentar; 4-O obreiro na portaria deve manter sempre pronto uma prancheta e caneta para as anotações de dados dos visitantes, como igreja, pastor, nome de grupo, etc; 5-O obreiro da portaria deverá fazer as apresentações dos irmãos visitantes; 6-Quando houver ministros visitando a igreja o obreiro da portaria deve pedir a credencial, conferir a validade e passar para o ministério ou para o dirigente fazer a devida apresentação; 7-O obreiro da portaria deve estar também atento às crianças que eventualmente tentam sair da igreja sem que suas mães percebam; 8-O obreiro na portaria deve comportar-se como uma sentinela, nunca deverá estar de olhos fechados ou distraído com alguma coisa; 9-Durante a leitura da Palavra Introdutória, o obreiro que estiver na portaria deve solicitar aos irmão que não circulem pela porta, mas que aguardem o término da leitura.
  9. 9. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 9 3) A PESSOA DO OBREIROS 1) Apresentação individual Qualquer empresa ou instituição zela pela boa apresentação de seus funcionários, pois isso por si só já se constitui em um cartão de visita, é correto afirmarmos que a roupa não salva, mas também devemos observar na casa de Deus o que a Bíblia chama de "ordem e decência," até mesmo pela ênfase que Palavra de Deus dá ao assunto At 6.3. Detalhes como roupa limpa e passada, barba bem feita, cabelo cortado, sapato engraxado e unhas cortadas, podem fazer muita diferença diante de Deus e dos homens. Diante de Deus pela importância que demonstramos a tudo aquilo que se relaciona com nosso Deus e diante dos homens pela ação motivadora e glorificação ao nome de Deus 2 Cr 9.3,4. 2) Gentileza Há razões simples para sermos gentis no trato com todos, uma delas seria a própria fé que pregamos, pois seria no mínimo incoerente falarmos que o fruto do espírito é amor, benignidade, bondade, paz, etc, Gl 5.22, e assumirmos uma atitude hostil ou ranzinza para com os irmãos . Existe principalmente a questão do exemplo, é fácil notar quando existe o clima fraternal entre os irmãos, pelo sorriso espontâneo, pelo abraço, entre outros gestos, e isso também pode ser percebido pelos de fora, a exemplo disso existem muitos irmãos que ao procurarem uma igreja para congregarem, acabam preferindo aquela onde além de serem, melhor recebidos, também observaram as atitudes uns para com os outros. As pessoas estão procurando os lugares onde se prega e se vive a Palavra de Deus, esperamos convencê-las que isso ocorre em nossas igrejas, porém sabemos que o exemplo fala mais que as palavras 1 Jo 3.18, além do mais para aquele que é gentil o Senhor está pronto para abrir as portas 1 Sm 16.18. 3) Educação O obreiro deve observar regras simples de boa educação como aguardar sua vez de falar, pedir licença ao sair e ao entrar, cumprimentar a todos quanto for possível, evitar gritarias, respeitar a hierarquia funcional usando os pronomes de tratamento corretos (Sr ou você), nisso estaremos todos em uma só ligação, além dessas regras existem outras, é só ter um pouco de bom senso e seguir a Palavra de Deus, Mt 7.12.
  10. 10. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 10 4) Ética Ética são códigos de conduta para o bom relacionamento entre as pessoas dentro dos grupos, variam de grupo para grupo, existem ética etc e também existe a ética cristã. São códigos que se forem quebrados podem danificar os relacionamentos, prejudicar a imagem da instituição e até trazer escândalos ao Corpo de Cristo, convém estar atento a alguns procedimentos: - Celulares, os obreiros devem colocar seus aparelhos para o modo silencioso ou desligarem durante o culto; - Evitar conversas a parte com irmãs casadas ou entre obreiros casados e irmãs solteiras, a não ser quando for necessário e por breve período de tempo; - Evitar beijos no rosto e abraços com as irmãs, que se conhece há pouco tempo ou novas convertidas; - Evitar ficar do lado de fora da igreja durante o culto; - Evitar andar sem necessidade no meio da igreja durante o culto; - Ser breve nas oportunidades, evitando principalmente histórias particulares e infindáveis; - Nas oportunidades, nunca se referir ao problema particular de um irmão por mais que seja do conhecimento de todos; - Não chamar a atenção dos obreiros diante da igreja, deve-se falar em particular, na presença de outro obreiro ou nas reuniões; - Evitar o uso de apelidos; - Respeitar a dor dos outros; - Ao orar em grupo, deve ser feito com ordem e em comum acordo com os irmãos, para evitar os falatórios sem objetivo; - Evitar quaisquer atividades que tirem a ligação do culto, como trocar uma lâmpada, arrastar uma mesa, afinar uma guitarra ou bateria, salvo o que for necessário, todo preparo do culto deve ser feito antes; Além dessas normas, poderíamos citar muitas outras, mas por hora essas parecem ser as mais comuns. O obreiro deve aprender que a ética a ser praticada entre os irmãos do Ministério e destes para com os membros da igreja, é aquela que leva em consideração a pessoa do próximo, seu nível social, seus costumes, seu patamar espiritual, etc. Diante disso entendemos que alem da Ética Cristã, que é comum a todos os crentes, existem também a ética social e a cultural que variam de indivíduo para indivíduo ou entre grupos, nem sempre o que é certo pra mim, será para o meu irmão, um exemplo clássico disso é aquele irmão que tem o costume de cumprimentar as irmãs com beijos no rosto ou às vezes com abraços, esse costume geralmente vem do convívio familiar e não representa nada para aqueles que o praticam, sendo apenas uma mera saudação, mas sabemos que nem todos vêem com bons olhos esse hábito, sendo então recomendável que não
  11. 11. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 11 se use dessa prática no convívio entre os irmãos em Cristo quando se tratar de novos convertidos ou irmãs, cujos maridos não são convertidos ainda. A manutenção da ética independe do que eu penso ou considero, e sim, leva em conta a Palavra de Deus e o meu próximo. 5) Postura O obreiro representa a própria igreja e por isso deve sempre manter uma postura condizente com o cargo, função ou atividade que estiver desempenhando, precisa o obreiro estar atento a detalhes como a forma de estar sentado no Ministério ou em pé na portaria. O obreiro deve evitar ficar encostado ou sentado de qualquer maneira, deve manter uma postura ereta, decisiva, séria na sua função mas sem perder a "gentil presença", também deve evitar conversas desnecessárias, tudo que o obreiro fizer durante o culto deve ser em prol da realização deste, salvo em algumas ocasiões quando algum assunto externo urgente requer a sua atenção. 6) Atenção No transcorrer do culto o obreiro deve estar atento nas atividades do mesmo, há situações que requerem atitudes imediatas, como falta d’água para o ministério, som do microfone falhando, crianças fazendo bagunça na porta do banheiro, fio do microfone embolado, bêbado falando alto desvirtuando a atenção dos membros entre outras, milhares de situações possíveis, por isso é necessário que o obreiro tenha atenção constante. Em contra partida é necessário que o obreiro mantenha também uma ligação espiritual, como é praticamente impossível que haja atenção aos detalhes do culto e ao mesmo tempo ligação espiritual, recomenda- se que a liderança da igreja mantenha uma escala de obreiros responsáveis pela execução do culto, onde seriam escalados dois ou mais obreiros por culto, dependendo do tamanho do templo e disponibilidade de obreiros, para trabalharem no apoio direto à liturgia en quanto os outros ficariam livres para manterem a disciplina espiritual, se ligando na oração, nos louvores, na palavra e no agir do Espírito Santo. Essa escala não livra em absoluto os outros obreiros de atuarem, podendo ser acionados a qualquer momento para ajudarem em alguma tarefa. Os obreiros devem, a todo custo, evitar o desligamento (desatenção), principalmente estando assentado ao Ministério, ou o obreiro vai estar no apoio direto ao culto, ou vai estar em ligação espiritual, é estranho ver um obreiro no Ministério ou na portaria com o olhar distante, distraído, disperso,
  12. 12. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 12 talvez preocupado com alguma coisa ou pensando em algo que para ele no momento é mais importante ou interessante do que o culto. O ideal no culto é que todos estejam unidos em um só propósito, que é o de adorar ao Senhor e os obreiros devem ser os primeiros a colaborar neste sentido, se isso não for observado pelos obreiros, corre-se o risco de oferecermos um culto frio e arrastado ao nosso Deus. 7) Iniciativa A iniciativa é uma qualidade que faz com que o indivíduo tome atitudes preventivas ou corretivas, sem que para isso seja preciso alguma ordem. Essa uma das qualidades que mais se espera de um obreiro, isso é que ele desenvolva a iniciativa, a Obra de Deus sofre por causa de obreiros que não tem iniciativa. Todo obreiro, ao verificar algo que precise ser feito ele deve imediatamente fazer, e trabalho é o que não falta. Veja como deve se considerar aquele que espera uma ordem de alguém para executar alguma tarefa: "Porventura agradecerá ao servo, porque este fez o que lhe foi mandado? Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis; fizemos somente o que devíamos fazer" Lc 17.9,10 A aplicabilidade dessa palavra é impressionante para os nossos dias, pois alguns obreiros por não conhecerem esta temática vão se tornando inúteis para o serviço da Casa do Senhor. Tarefas simples são simples de se executar, tais como, bancos desarrumados, banheiro sujo, secretaria desorganizada e etc, para isso é necessário que os obreiros estejam atentos a esses detalhes que podem passar desapercebidos. O interessante dessa Palavra é que esse ensinamento é cobrado no meio secular, fica evidente essa verdade: Aquele de souber desenvolver a iniciativa, terá grande sucesso em sua vida em todas as áreas. 8) Envolvimento O obreiro deve procurar se envolver nas atividades da igreja, como em um jogo de futebol quando algum jogador está com a bola, os outros correm para se desmarcar e ficar em condições de receber o passe, também nas atividades da igreja, o obreiro deve estar sempre em condições receber a bola, sempre se apresentar para os trabalhos. O obreiro deve ser aquele membro com quem o pastor pode contar para auxiliar nos projetos e realizações 9) atividade Esse é um termo relativamente novo mundo, diz respeito às atitudes preventivas em um determinado projeto ou tarefa, é o ato de se prever possíveis necessidades ou falhas no futuro.
  13. 13. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 13 Diríamos que proatividade é a soma de iniciativa e envolvimento nos diversos projetos e realizações da igreja. Ex: ao ser marcado um culto ao ar livre, o obreiro deve, antes de tudo, pensar em coisas como som, folhetos, ponto de luz para a instalação do som e etc, ainda que não seja da sua alçada. O obreiro não deve se comportar como se não fosse responsabilidade Dele , a realização de algum trabalho na igreja 10) Equilíbrio: O obreiro deve a todo custo ter um comportamento equilibrado, ele deve saber identificar o momento de descontração e o momento de assumir a postura séria para as atividades, e ao descontrair deve evitar brincadeiras extravagantes, piadas a fora de tempo, ou com temas duvidosos (infames, com mentiras Pv 26.18,19 , 4) A Conduta do Obreiro 1 – O obreiro e sua vida a) - O obreiro deve entender o ministério como vocação divina e a atividade humana mais excelente (1Tm 3:1 Fiel é esta palavra: Se alguém aspira ao episcopado, excelente obra deseja.At 3.2); b) - A Bíblia para o obreiro deve ser considerada como o instrumento indispensável no seu ministério e deverá usá-la como única regra de fé e prática (2Tm 2:15 Procura apresentar-te diante de Deus aprovado, Como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.4:1-5); c) - O obreiro deve ser estudioso, mantendo-se em dia com o pensamento teológico, com a literatura bíblica e a cultura geral (II Tm 3:15-16 e que desde a infância sabes as sagradas letras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela que há em Cristo Jesus. Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender,II Tm 3:2); d) - O obreiro deve ser um modelo de boa conduta em todos os sentidos e um exemplo de pureza em suas conversações e atitudes como líder moral e espiritual do povo de Deus (1Pe 5:3 nem como dominadores sobre os que vos foram confiados, mas servindo de exemplo ao rebanho.1Tm 4:12); e) - O obreiro deve zelar o máximo pelo bom nome do ministério, da Palavra e do Senhor Jesus Cristo (Rm 11:3 Senhor, mataram os teus profetas, e derribaram os teus altares; e só eu fiquei, e procuraram tirar-me a vida? ICo
  14. 14. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 14 1:1; 4:1-2). f) - O obreiro deve ser prudente ao se relacionar com as pessoas, principalmente as do sexo oposto (1 Tm 5:1-2 Não repreendas asperamente a um velho, mas admoesta-o como a um pai; aos moços, como a irmãos; às mulheres idosas, como a mães; às moças, como a irmãs, com toda a pureza) g - O obreiro deve ter a sua vida submetida ao Espírito Santo para que o fruto do Espírito seja manifesto em sua vida no dia a dia (Gl. 5:22 Mas o fruto do Espírito é: o amor, o gozo, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade Rm 12:17-21; Is 42:1-5) h – O obreiro deve ser Dizimista e Ofertante fiel. Sua Coragem .Exige-se do obreiro intrepidez e ousadia. Sua dignidade. Ter uma vida decente e respeitosa no trato com as pessoas e com valores espirituais. A dignidade de um obreiro se revela através: Da sua linguagem. O obreiro deve evitar linguagem imprópria ao seu ofício (piadas obscenas); Da sua reverencia no trato com as coisas sagradas e respeitosas; Do seu relacionamento decoroso com o sexo oposto. Sua discrição. O obreiro deve ser moderado, agindo sempre com discernimento em relação à posição que ocupa. • Deve ter cuidado no trajar. Vestindo sempre condignamente com a função que ocupa. • Deve ter cuidado com os gestos. • Deve evitar cenas patéticas que chamem as atenções para si. • Deve ter modos e costumes que coadunem com a posição que ocupa. Sua polidez. Um obreiro polido é aquele que, no trato com as pessoas, Principalmente subalternas, demonstra cortesia e civilidade. São as boas maneiras do tratamento, tais como: •Saber dar ordens. Não esquecer das duas palavras chaves do relacionamento social obrigado e por favor. •Saber corrigir. Ao fazê-lo não se esqueça do amor. •Saber relacionar com os colegas de ministério: não esquecer as boas formas de tratamento. Mesmo, apenas, ao se referir ao colega, é preciso demonstrar respeito. •Saber vigiar as palavras, elas tanto curam quanto matam. Sua liderança. liderança é o exercício de dons espirituais sob o chamado de Deus para servir a determinado grupo de pessoas, para que este atinja os alvos que Deus lhes deu, com o fim de que glorifiquem a Cristo. Baseado nessa definição o obreiro tem de entender que ele deve ser o exemplo para os seus liderados ( I Pe 5.3b Mas servindo de exemplo ao rebanho. )
  15. 15. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 15 nunca deve agir de forma ditatorial. Esse modelo não funciona mais (I Pe 5.3a Nem como dominadores sobre os que vos foram confiados); deve ter motivação para alcançar os alunos se o professor não a tem; nunca deve agir como dominador, porque o rebanho não é sua propriedade particular. Ele é, apenas, confiado a homens chamados por Deus; deve avaliar sempre o perfil de sua liderança, se ela está enquadrada no modelo bíblico. Sua ética. A ética é o conjunto de princípios normativos que norteiam o bom relacionamento do obreiro. Esse conjunto de valores deve estar em conformidade com a Bíblia Sagrada, pois, muitas vezes, o que parece ser ético para o ímpio, não o é para o cristão. A ética se presta, principalmente, nas seguintes áreas da vida do obreiro: No seu relacionamento com colegas de ministério. Deve respeitá-los. Ter cuidado quando for substituir um companheiro frente a uma igreja; No seu relacionamento com os seus colaboradores. Deve evitar liderar por decretos; No seu relacionamento com a política partidária; Na administração dos negócios da Igreja. 2 - A vida Espiritual do Obreiro O obreiro e a sua vida devocional, um obreiro que quer lograr êxito no seu Ministério deve procurar cultuar um relacionamento sadio com Deus, através da oração e meditação da Sua Palavra. Para pastorear as almas dos homens, o obreiro tem de, principalmente, pastorear a própria vida. a) Uma vida de oração Um obreiro, que não ora, jamais poderá cobrar esse hábito dos fiéis. Em nenhum outro setor, o líder deveria estar mais à frente de seus liderados, do que nesse. Cristo costumava passar noites inteiras em oração ( Lc 6.12 Naqueles dias retirou-se para o monte a fim de orar; e passou a noite toda em oração Como saber a vontade de Deus para nossas vidas e para sua obra se não orarmos?A oração é uma via de mão dupla: leva o homem a Deus, e traz Deus ao homem. b) Uma vida de Amor à Palavra Por que temos de ler?.- Leia a fim de alimentar ospoços da inspiração. Ler para alimentar a própria alma. Ler para compreender. O obreiro que não procura profundidade Biblica deixará o rebanho com fome, rebanho com fome, procura outras pastagens. O obreiro e a santidade. Uma característica principal, exigida por Deus, na vida do obreiro, é a sua pureza interior. O obreiro deve ter a vida santificada para o bem da sua própria vida espiritual.A santidade na vida não é uma opção, é uma ordem: Mas, como é
  16. 16. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 16 santo aquele que vos chamou, sede também santos em toda vossa maneira de viver (I Pe 1.15).O obreiro cuja vida é separada para o Senhor tem um impacto poderoso ao redor. •O obreiro que cultiva a pureza interior se torna uma fonte de inspiração e um modelo a ser seguido. O obreiro e a humildade. Nada façais por partidarismo, ouvanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo. Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão cada qual o que é dos outros (Fp 2.3-Nada façais por contenda ou por vanglória, mas com humildade cada um considere os outros superiores a si mesmo;não olhe cada um somente para o que é seu, mas cada qual também para o que é dos outros). Embora a humildade não seja uma característica muito apreciada e recomendada pelo mundo, ela é a marca registrada da pessoa usada por Deus.Não confiar em si mesmo. O orgulho é uma das primeiras ferramentas do diabo para manter nossos olhos em nós mesmos e desviá-los dos outros.Não menosprezar os companheiros por não possuir os seus talentos e dons.Não rejeitar a instrução. Ter uma vida aberta à ministração de pessoas diferentes de você. 3 – O Obreiro e sua Família a) - O obreiro aspira a excelente obra do episcopado. Isso sugere que ele deve ter como companheira uma mulher em condições de ajudá-lo no ministério (1Tm 3:3-11Não dado ao vinho, não espancador, mas moderado, inimigo de contendas, não ganancioso; que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com todo o respeito(pois, se alguém não sabe governar a sua própria casa, como cuidará da igreja de Deus?); não neófito, para que não se ensoberbeça e venha a cair na condenação do Diabo.Também é necessário que tenha bom testemunho dos que estão de fora, para que não caia em opróbrio, e no laço do Diabo. Da mesma forma os diáconos sejam sérios, não de língua dobre, não dados a muito vinho, não cobiçosos de torpe ganância, guardando o mistério da fé numa consciência pura. E também estes sejam primeiro provados, depois exercitem o diaconato, se forem irrepreensíveis.Da mesma sorte as mulheres sejam sérias, não maldizentes, temperantes, e fiéis em tudo.); b) - O obreiro casado deve tratar a esposa e os filhos como estabelece a Palavra de Deus, tornando-se exemplo para o rebanho a partir de sua própria casa. ( 1Tm 3:4-5Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com todo o respeito (pois, se alguém não sabe governar a sua própria casa, como cuidará da igreja de Deus?)= EF. 5:24-33; 6:4) c) - O obreiro deve também ser dedicado a sua família esforçando-se para lhe dar o sustento adequado (o vestuário – a educação – a assistência médica e o tempo necessário) (1Pe 3:7; Igualmente vós, maridos, vivei com elas com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais frágil, e como sendo elas herdeiras convosco da graça da vida, para que não sejam impedidas as vossas orações.
  17. 17. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 17 1Tm 3:4-5; Tt 1:6; Lc 11:11-13). d) - O obreiro deve evitar comentários na presença dos filhos menores, dos problemas, aflições ou frustrações que por ventura possam acontecer no seu ministério (1Co 4:1-4 Que os homens nos considerem, pois, como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus. Ora, além disso, o que se requer nos despenseiros é que cada um seja encontrado fiel.Todavia, a mim mui pouco se me dá de ser julgado por vós, ou por qualquer tribunal humano; nem eu tampouco a mim mesmo me julgo. Porque, embora em nada me sinta culpado, nem por isso sou justificado; pois quem me julga é o Senhor.). 4 – O obreiro e sua Igreja a) - O obreiro não deve assumir compromissos financeiros pela Igreja sem sua prévia autorização; b) - O obreiro deve tratar a Igreja com toda a consideração e estima sendo consciente que ela pertence a Cristo (Ef 5:23-25; porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o Salvador do corpo. Mas, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres o sejam em tudo a seus maridos. 1Pe. (5:2). c) - O obreiro não deve insistir em permanecer em um cargo quando perceber que seu ministério não está contribuindo para a edificação da Igreja e seu crescimento em Deus (Fl 1:24-26todavia, por causa de vós, julgo mais necessário permanecer na carne. E, tendo esta confiança, sei que ficarei, e permanecerei com todos vós para vosso progresso e gozo na fé;para que o motivo de vos gloriardes cresça por mim em Cristo Jesus, pela minha presença de novo convosco.) d) - Manobras políticas para manter-se em seu cargo ou para obter posição denominacional, não devem ser promovidas pelo obreiro ou aprovadas por ele. Pelo contrário, ele deve, antes de tudo, colocar-se exclusivamente nas mãos de Deus para fazer o que lhe aprouver (1Co 10:23-3 Todas as coisas são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas são lícitas, mas nem todas as coisas edificam. = 9:7). e) - O obreiro deve respeitar as decisões da Igreja com prudência e amor. 5 - O Obreiro e seu Ministério a) - O obreiro deve exercer o seu ministério com dedicação e fidelidade a Cristo; (1Co 4 : 1,3 Que os homens nos considerem, pois, como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus.Ora, além disso, o que se requer nos despenseiros é que cada um seja encontrado fiel.Todavia, a mim mui pouco se me dá de ser julgado por vós, ou por qualquer tribunal humano; nem eu ; 9 : 27). b) - O obreiro deve zelar pelo decoro do púlpito, por seu preparo e fidelidade na comunicação da mensagem divina a seu povo, como pela sua
  18. 18. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 18 apresentação pessoal (Jr. 48: 10 Maldito aquele que fizer a obra do Senhor negligentemente, e maldito aquele que vedar do sangue a sua espada!; Lv 21). c) - O Quando usar sermões ou sugestões de outros, na pregação ou na escrita, mencionar as fontes, pois a autenticidade deve ser característica marcante na ação do obreiro. d) - O obreiro deve ter grande respeito pelo lar que o recebe e pelas pessoas com quem dialoga. Nas visitas e contatos com o seu rebanho. (1Tm 5: 1 – 15 Não repreendas asperamente a um velho, mas admoesta-o como a um pai; aos moços, como a irmãos; às mulheres idosas, como a mães; às moças, como a irmãs, com toda a pureza. Honra as viúvas que são verdadeiramente viúvas.; Pv. 27: 22 – 27). e) - O Obreiro deve guardar sigilo absoluto sobre o que converse o saiba em relação de aconselhamento, atendimento e problemas daqueles que o procuram para orientação. Jamais deverá usar as experiências da conversação pastoral como fontes de ilustrações para suas mensagens ou conversas (2Tm 3:1–6 Sabe, porém, isto, que nos últimos dias sobrevirão tempos penosos;pois os homens serão amantes de si mesmos, gananciosos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a seus pais, ingratos, ímpios,sem afeição natural, implacáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando-lhe o poder. Afasta-te também desses. Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências;) f) - O obreiro como líder do povo de Deus deve ter consciência de que não pode saber todas as coisas, e por isso, deve ser assessorado por pessoas idôneas e capazes que possam ajudá-lo na formulação e execução de planos, tomada de decisão e zelo pela causa (Ne 7. 2 Pus Hanâni, meu irmão, e Hananias, governador do castelo, sobre Jerusalém; pois ele era homem fiel e temente a Deus, mais do que muitos; ). g) - O obreiro deve se mostrar pronto a receber conselho e ser repreendido tanto por seus colegas de ministério como por irmãos não ministros, quando sua conduta for julgada repreensível (2Cr 10:8 – 11 Mas ele deixou o conselho que os anciãos lhe deram, e teve conselho com os jovens que haviam crescido com ele, e que assistiam diante dele. Perguntou-lhes: Que aconselhais vós que respondamos a este povo que me falou, dizendo: Alivia o jugo que teu pai nos impôs? E os jovens que haviam crescido com ele responderam-lhe Assim dirás a este povo, que te falou, dizendo: Teu pai fez pesado nosso jugo, mas tu o alivia de sobre nós; assim lhe falarás: o meu dedo mínimo é mais grosso do que os lombos de meu pai. Assim que, se meu pai vos carregou dum jugo pesado, eu ainda aumentarei o vosso jugo; meu pai vos castigou com açoites; eu, porém, vos castigarei com escorpiões.).
  19. 19. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 19 h) - O obreiro deve respeitar as horas e o local de trabalho dos membros de sua Igreja, evitando procurá-los ou incomodá-los em seu ambiente de trabalho. i) - O obreiro não aceitará convite para falar onde sabe que a sua presença causará constrangimento ou atrito j) - O obreiro deve ser franco com os colegas (Rm 12: 9, 10, Amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem. Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros; 18; Pv). 9:8, 9). l) - Ainda que leal e solidário com os colegas o obreiro não está obrigado a silenciar na desonra ao ministério (Mt 18:15 – 17 Ora, se teu irmão pecar, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, terás ganho teu irmão;mas se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda palavra seja confirmada.Se recusar ouvi-los, dize-o à igreja; e, se também recusar ouvir a igreja, considera-o como gentio e publicano.; 1 Tm 5:19 - 24) 6 – O Obreiro e sua Denominação a) - O obreiro deve manter-se leal a sua denominação. b) - A cooperação do obreiro com sua denominação deve ser exemplo para os demais. 7 – O Obreiro e a Comunidade a) – O obreiro deve ser partícipe da vida da comunidade em que sua Igreja estiver localizada, identificando-se com a sua causa e solidarizando-se com os anseios de seus moradores, procurando apoiá-los o quanto possível, nos esforços para o bem de todos b) – Através de exemplo de vida o obreiro deve imprimir em sua comunidade o espírito de altruísmo e participação. Não se limitar a serviços eclesiásticos. c) – O obreiro deve procurar conhecer as autoridades de sua comunidade, honrando-as e incentivando-as no desempenho de sua missão (Rm 13 Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as que existem foram ordenadas por Deus.). d) – O obreiro deve estar presente às comemorações e celebrações cívicas que ocorrerem na sua comunidade ou cidade, local de trabalho, para tratar de assuntos adiáveis ou de pouca importância (Ec 3:1, 11 Tudo tem a sua ocasião própria, e há tempo para todo propósito debaixo do céu.Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derribar, e tempo de edificar;tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de
  20. 20. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 20 dançar;tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de abster-se de abraçar;tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de deitar fora;tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar; tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz.Que proveito tem o trabalhador naquilo em que trabalha? Tenho visto o trabalho penoso que Deus deu aos filhos dos homens para nele se exercitarem.Tudo fez formoso em seu tempo; também pôs na mente do homem a idéia da eternidade, se bem que este não possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até o fim.) e) – O obreiro não deve fazer proselitismo com membros de outras Igrejas. 8 – O Obreiro e seus Colegas a) - O obreiro não deve se intrometer nem tomar partido em problemas que surgirem nas outras congregações. (Mt 7:12; Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós a eles; porque esta é a lei e os profetas.Jo 15: 17; 1 Pe 4: 15 – 17) b) – O obreiro não deve passar adiante qualquer notícia desabonadora de seu colega, nem divulgá-la; c) - O obreiro deve ter modos cristãos quanto aos obreiros mais velhos em tempo e idade. d) - O obreiro que assume um novo cargo deve honrar e valorizar o trabalho do seu antecessor, não fazendo nem permitindo comentários desairosos a seu respeito por parte do rebanho. (Pv. 12: 14; Do fruto das suas palavras o homem se farta de bem; e das obras das suas mãos se lhe retribui.Hb 13: 7; Rm 13: 7; Mt 7: 12) e) - O obreiro deve considerar todos os colegas como cooperadores na causa e não menosprezar ninguém (Mt 23: 8; Vós, porém, não queirais ser chamados Rabi; porque um só é o vosso Mestre, e todos vós sois irmãos Fl 2: 3; 1 Co 3: 5, 7, 9 ) 9 – O Obreiro e as Visitas quando Desiguinado: A visitação é parte integrante do ministério pastoral, e pode ser relacionada com o trabalho de aconselhamento, porque durante as visitas o obreiro terá necessidade de aconselhar. O serviço da visitação não só é necessário como proveitoso no que diz respeito ao cuidado do rebanho de Deus, e é ainda, útil ao ministério do Obreiro. 9.1 – Precauções a tomar nas visitas
  21. 21. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 21 O obreiro que não faz visitas está sujeito a fracassar no seu próprio ministério. A visitação pode ser considerada sob dois aspectos: 1 – Aos enfermos, a órfãos, às viúvas, e a todos que se encontram em estado de necessidades: Mt 25.35,36; Tg 1.27. Este tipo de visitas é de grande utilidade e pode ser considerado o mais importante, embora haja muitos obreiros e crentes de modo geral que dele não fazem uso, não sabendo que causam mal a si próprio. Não existe nada que possa beneficiar mais um enfermo do que uma visita do seu pastor; faz mais bem para a sua saúde do que muitos medicamentos, e pode até ocasionar a cura. Uma palavra de consolação dada a um enfermo, uma oração feita, são coisas de valor inestimável. Jesus recebe isso como se fosse feito a Ele próprio e Tiago diz que isso faz parte da verdadeira religião. 2. Co 1.3,4 2 – Segundo aspecto da visitação é quando ela é feita com caráter social, ou de amizade. Esse tipo também é bom, mas não é tão importante e necessário como o primeiro, e nem sempre um pastor ocupado com os seus muitos afazeres ministeriais e com as visitas relacionadas no item anterior, tem tempo de sobra para fazer visitas a pessoas que não estejam em estado de necessidade. É até perigoso quando as visitas sem necessidades são muito freqüentes, podem tomar rumos diferentes. Não havendo cuidado necessário, esse trabalho pode degenerar-se e atrair pecados e perdição. As visitas muito freqüentes não são mesmo aconselháveis. Jesus recomendou aos discípulos que não andassem de casa em casa. Salomão faz a seguinte recomendação: “Retira o teu pé da casa do teu próximo, para que não se enfade de ti e te aborreça”. Pv 25.17; Lc 10.7. A visita não deve ser muito freqüente nem muito demorada. Não pode haver coisa mais importuna que uma pessoa ficar muito numa visita, impedindo que a dona da casa cuide dos seus afazeres. Muitos exemplos negativos poderiam ser citados, como o de um pastor que costuma fazer visitas desacompanhadas de sua esposa e com muita freqüência pelas casas; depois passou a almoçar nas visitas; depois a pousar, deixando a esposa sozinha em casa; e depois caiu em pecado. Outro, pelos mesmos motivos, passou grande parte da sua vida na cadeia, pagando por pecados causados contra as famílias que freqüentemente visitava. O obreiro precisa ter muito cuidado com os seus contatos pessoais, para não cair no laço do diabo. As consultas de gabinete de portas fechadas não são menos perigosas. Se for convidado a fazer uma visita domestica deverá e obreiro se precaver: 1 – Se a pessoa for mulher, nunca ir sozinho, mas levar consigo a esposa. 2 – Se for homem, levar mais um ou dois obreiros acompanhantes 10– O Obreiro e o Aconselhamento quando Desiguinado O aconselhamento é parte integrante do ministério. O obreiro precisa aconselhar, não somente os crentes, mas também os descrentes.
  22. 22. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 22 A palavra de Deus é a fonte principal do aconselhamento. O púlpito da igreja é o melhor lugar para o aconselhamento. Do púlpito atingem-se pessoas que muitas vezes não procurariam um aconselhamento particular isolado. Ouvindo do púlpito, as pessoas sentem que o conselho veio de Deus, porque seu caso não é conhecido do pastor que deu a mensagem. Hb 12: 12,13. Esse trabalho deve ser feito nos cultos para membros, cultos de doutrina, onde todos são crentes. Aí é o melhor lugar para o aconselhamento. O trabalho de aconselhamento também pode ser feito no gabinete. Sem dizer que é errado digo que não é muito produtivo, pelas seguintes razões: 10.1 – Técnica Do Aconselhamento. 1 Manejar bem a Palavra de Deus. - A Bíblia é a ferramenta principal e indispensável do obreiro, ele precisa aprender a manejá-la bem; 2 - O obreiro precisa cautela no aconselhamento; 3 - Nunca fazer acepção de pessoas.Dt. 10.17 Pois o Senhor vosso Deus, é o Deus dos deuses, e o Senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e terrível, que não faz acepção de pessoas, nem recebe peitas;; At 10.34,35; Tg 2.9; 4 - Nunca tratar alguém com dureza e rigor; 5.- Demonstrar interesse na solução do problema apresentado; 6. Nunca acusar as pessoas, fazer com que elas próprias confessem as suas faltas. 2 Sm 12. 1-6; O Senhor, pois, enviou Natã a Davi. E, entrando ele a ter com Davi, disse-lhe: Havia numa cidade dois homens, um rico e outro pobre. O rico tinha rebanhos e manadas em grande número;mas o pobre não tinha coisa alguma, senão uma pequena cordeira que comprara e criara; ela crescera em companhia dele e de seus filhos; do seu bocado comia, do seu copo bebia, e dormia em seu regaço; e ele a tinha como filha.Chegou um viajante à casa do rico; e este, não querendo tomar das suas ovelhas e do seu gado para guisar para o viajante que viera a ele, tomou a cordeira do pobre e a preparou para o seu hóspede. Então a ira de Davi se acendeu em grande maneira contra aquele homem; e disse a Natã: Vive o Senhor, que digno de morte é o homem que fez isso. Pela cordeira restituirá o quádruplo, porque fez tal coisa, e não teve compaixão 7.- Ter cuidado de não desanimar a pessoa, mas dar-lhe esperança de, pela fé em Deus, alcançar a vitória.Sl 40, Esperei com paciência pelo Senhor, e ele se inclinou para mim e ouviu o meu clamor. Também me tirou duma cova de destruição, dum charco de lodo; pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos.Rm 8.35-39, Hb 11;
  23. 23. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 23 8.- Jamais mostrar interesse no sentido de tirar proveito próprio da situação do aconselhado. Atente-se para Gl 6.1.2. Irmãos, se um homem chegar a ser surpreendido em algum delito, vós que sois espirituais corrigi o tal com espírito de mansidão; e olha por ti mesmo, para que também tu não sejas tentado.Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo. Dicas de como repreender uma pessoa e não ser odiado por ela: 1.Fale primeiro sobre os seus próprios defeitos; 2 Lembre se de que ninguém gosta de receber ordens; 3. Evite envergonhar a pessoa com quem fala; 4. Faça o defeito parecer de fácil correção; 5.Torne a pessoa feliz, para que aceite o que você disser Aconselhamentos práticos para o dia a dia do obreiros Asseio Corporal a) Banho - Uso de sabonete b) Uso de desodorante Perfume, colônia d) Cabelos (limpos em ordem sempre penteados) e) Dentes (escová-los pelos ao menos 03 vezes ao dia, depois das refeições) f) Barba ( bem feita) Orelhas (limpas). 2. Apresentação pessoal a) Vista-se adequadamente, aparência é muito importante. - A primeira impressão é a que fica. Uma pessoa não precisa estar ricamente trajada para estar bem vestida. - O importante é estar bem cuidada. - Trajes sóbrios • decentes (não usar roupas extravagantes) combinados com bom gosto. A roupa simples e até "usada", porém lavada • passada compõe bem quem a veste. Fique atento pare não usar nada que chame muita a atenção pare usa pessoa. Jesus é quem deve ser exaltado. O importante é demonstrar uma aparência natural, descontraída, mas, sobretudo DISCRETA. b) Evite:- comer alho ou cebola em certas ocasiões; - falar muito em cima das pessoas; - mascar chicletes; - Cacoetes como: roer unhas, coçar a cabeça, expressões como: "tá", "né?", "ta entendendo?" etc. 3. Preparo Intelectual: a) Algum conhecimento secular, estar atualizado em relação a situação do Mundo ; b) Conhecer o local, a cidade, o país, onda resiste, suas necessidades, cultura, etc. A postura - Essencialmente nos púlpitos e em outros momentos onde as
  24. 24. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 24 atenções estão voltadas para ele. O Obreiro nunca deve esquecer de sua postura, pois está a todo momento sendo observado e tido como modelo para os homens; Os gestos - Muitos são ridicularizados por não observarem o proceder de suas mãos e corpo, enquanto pregam a Palavra. Todo excesso é notado, bem como todo gesto de aparência obscena; Os arrotos - Necessitamos ter cuidado com o que comemos e bebemos, essencialmente quando estamos indo para as reuniões sociais, e muito mais se soubermos que deveremos pronunciar ou dirigir a reunião. Há comidas e bebidas que nos traem, sem esperarmos arrotamos, deixando-nos em um estado de muita penúria e acanhamento; Espirro sem proteção - Ao espirrarmos devemos proteger a boca e nariz, bem como evitar o alarde que muitos fazem. As vezes somos banhados por pessoas desse tipo que, inadvertidamente espirram em nossa direção, ou ainda sobre a mesa de alimentos ou da Santa Ceia. Os cacoetes - A limpeza do nariz, os ouvidos, coçar lugares íntimos em público. Todos estas coisas devem ser impreterivelmente banidas da vida pública e diária do Obreiro.
  25. 25. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 25 5)A POSTURA DO OBREIRO I - A POSTURA DO OBREIRO II Timóteo 2:15 Procura apresentar-te a Deus aprovado, comoobreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. A postura do obreiro é muito importante para o avançoe conceitodo seu ministério junto à congregação. O texto de II Timóteo 2:15 diz que o obreiro aprovadonão tem de que se envergonhar. Por isso é necessário alguns itens, que veremos a seguir, para aprovação de um obreiro. O obreiro precisa manter uma postura de forma que a igreja veja nele um exemplo. Filipenses 3:17, nos diz: “Sede também meus imitadores, irmãos, e tendes cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam”. I Tessalonicenses 1:7 - “De maneira que fostes exemplo para todos os fiéis na Macedônia e Acaia”. I Timóteo 4:12 - “Ninguém despreze a tua mocidade: Mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, na caridade, no espírito, na fé, na pureza”. Hebreus 13:7 - “...lembrai dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos tais imitai, atentando para a sua maneira de viver”. Vejamos a seguir alguns itens que o obreiro precisa observar:- a) A MANEIRA DE SE VESTIR:- Embora pareça ser uma coisa tão irrisória, sem importância, mas a maneira do obreiro se vestir influi no seu ministério. Vejamos por que:- Há um ditado popular que “a primeira impressão é que fica”. Quando o obreirochega à igreja, numa reunião, ou mesmo em uma visita evangelística, a primeira coisa que é observada pelos membros ou visitantes é a maneira que ele está vestido.
  26. 26. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 26 Não digo da necessidade de estar com roupas caríssimas, estar de terno ou fazer algo além de suas possibilidades, porém é necessário se vestir bem para que não tenha de que se envergonhar. Não deve pois o obreiro se apresentar sujo, com roupas rasgadas, indecentes, roupas de tom berrantes e coloridas, como exemplo: calça verde, camisa roxa, sapato marrom, meia azul, paletó alaranjado e gravata preta: pois tornaria alvo de gozação dificultando a recepção de mensagens. b) ANDAR:- Embora não pareça, mas o andar dá uma representação de postura. O drogado tem um jeito de andar, o criminoso tem uma maneira de andar e assim sucessivamente. Se formos observar veremos que cada pessoa, pelo seu nível social, pela maneira de vida, tem um modo de andar e o cristão, principalmente o obreiro, deve se adequar ao andar do cristão, com calma e com prudência. Assim fazendo, será conhecido ao longe. c) O FALAR:- Tito 2:8 -> “linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós”. Há muitos obreiros que afirmam não ser necessário o estudo, e que a letra mata. Seria uma afirmação correta? Quando analisamos o texto em : II Coríntios 3:6 -> “O qual nos fez também capazes de ser ministros dum novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, e o espírito vivifica”. Vemos que quando diz letra, está dizendo da lei e não do alfabeto, pois a lei condena, mas fomos feitos ministros de um novo testamento não da letra (lei) mas do espírito ( graça). Outro ponto é, como teremos uma linguagem sã e irrepreensível se não lermos e estudarmos? Existem muitos obreiros que por não se dedicarem à leitura, ao estudo, falam errado, lêem errado e torcem a palavra dando uma segunda interpretação das escrituras. Tiago 1:19 nos diz que devemos ser prontos para ouvir e tardios para falar, por isso devemos saber ouvir também. Como poderá o obreiro ajudar as pessoas se não as
  27. 27. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 27 ouvir? Deve pois o obreiro saber falar, saber conversar evitando os vícios de linguagem, isto é, repetir a mesma palavra constantemente, tendo um linguajar saudável, sem gírias e conversas mundanas, sem esquecer que existe a hora de falar e a hora de ouvir, lembre-se: MELHOR QUE SABER FALAR É SABER OUVIR. d) O SENTAR:- infelizmente existem irmãos que não sabem se portar, principalmente na igreja. É importante lembrar que quando estamos na igreja, estamos na casa de Deus, casa de oração, e devemos nos portar com decência. Convêm pois, que principalmente os obreiros, saibam se portar e sentar com postura, não como se estivesse em sua casa, ou na praia, ou numa rede, etc. lembre-se que o conselho a Timóteo é “em tudo te dê por exemplo”. e) OS GESTOS / GESTICULAÇÕES:- deve-se termuito cuidado neste campo, pois a falta de observação leva o obreiro a fazer gestos imorais diante da igreja. Nunca se deve fazer gestos abaixo da cintura, nem acima da cabeça, pois acaba desviando a atenção do ouvinte que está atento e com os olhos fitos no preletor. Deve-se observar também, para não fazer gestos que venha abalar, desmotivar ou tirar a atenção do público, como por exemplo, arremessar o corpo sobre o púlpito ou sobre o público, nem tão pouco para trás. Evitar também andar muito na explanação ou adiante do público, porque a atenção sempre está voltada ao preletor, e este andando, a atenção do ouvinte vai também se dispensando tendo assim “ruídos” que acabam por dificultar a mensagem. f) CUMPRIMENTOS:- Às vezes o obreiro se individualiza e não mantêm um contato com a igreja. É importante que os obreiros sejam amigáveis, afáveis e receptíveis, principalmente ao visitante. Nunca se esqueça que geralmente a primeira impressão é que fica. É bom sempre, principalmente no final do culto/reunião, cumprimentar as pessoas com amor e atenção, demonstrando sempre que a presença dele (a) é importante na
  28. 28. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 28 congregação. g) COMO SE APRESENTAR NA IGREJA :- Existem varias maneiras de apresentar-se à igreja. Uns se apresentam como ditador, outros como superior a todos, outros inferior a todos. Como será que devo me apresentar? “A Deus devemos apresentar aprovados, como obreiro que não tenha de que se envergonhar”. II Timóteo 2:15. “Nunca devemos esquecer que para sermos aprovados é necessário ser provado”. I Timóteo 3:10. Para não ter de que se envergonhar, tem que ter conhecimento e boa aparência, além da unção. E o espírito de Deus que é imprescindível. “À igreja devemos nos apresentar como exemplo dos fiéis”. I Timóteo4:12, Tito 2:7-> “Em tudo te dê por exemplo de boas obras; na doutrina mostre incorrupção, gravidade, sinceridade”. Então é dever do ministro / obreiro apresentar-se à igreja como exemplo em tudo, com sinceridade, com temperança, com confiança, com estrutura espiritual, com zelo, tendo cuidado de nós e da doutrina ( I Timóteo) 4:16). Não esquecendo da mansidão e da caridade, que é o vínculo da perfeição. (Colossenses 3:14). H) PARTICIPAÇÃO:- Infelizmente existem obreiros que não participam do culto e ainda saem murmurando. É importante que a igreja participe do culto, esteja atenta e não assista simplesmente, mas o exemplo vem dos obreiros. Como eu quero que a igreja glorifique se eu não glorifico? Que a igreja cante se eu não canto? Que a igreja acompanhe a leitura bíblica se eu nem pego a Bíblia nas mãos? Poderia eu cobrar, exigir de outros o que nem eu faço?
  29. 29. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 29 Por isso, se queremos cultos de poder, tem que começar do grupo de obreiros, a participação e a atenção em tudo o que acontece no decorrer da reunião, sem haver em tempo algum a questão pessoal e sim buscando ser cheios do poder de Deus para ter para transmitir à igreja. i) COMO SE PORTAR DURANTE O CULTO:- O comportamento dos obreiros durante o culto é importante, porque chamam a atenção da igreja. Por isso, o obreiro, ao chegar no templo, deve ter um comportamento exemplar. Vejamos alguns pontos para lembrar da postura. 1º -> Se o culto já iniciou, deve entrar e sentar no seulugar sem chamar a atenção da igreja. 2º -> Se o culto ainda não começou, é bom que entre e cumprimente os que já estão ali, e vá para o seu lugar orar, para que no horário de começar o culto esteja pronto para dar abertura. 3º -> Sair do seulugar só no caso de necessidade. 4º -> Evitar conversar ou desviar a atenção para coisas que não façam parte da cerimônia. 5º -> Lembrando que na diferença quanto ao diácono ou porteiro, pois o mesmo deverá recepcionar o visitante, pegar o nome e dados dele e levar a quem está dirigindo o culto ou ao pastor alguns recados necessários. 6º -> Permanecer em oração, buscando sempre que o Senhor desperte a igreja e derrame do seu poder sobre os que comparecerem no templo para que se sintam bem, e a igreja cresça. j) COMO AGIR FRENTE AOS PROBLEMAS (ENFERMIDADES - DEMÔNIOS):- Nunca devemos esquecer que para tomar uma atitude deve-se observar a ocasião, sem fugir da norma. Observemos os casos comuns:- Iº - Se é enfermidade deve-se observar:- a) Se é membro da igreja ou não. Se for membro, a instrução é a seguinte:- Tiago
  30. 30. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 30 5:14 e15 diz: “Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor”. E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará, e, se houver cometido pecados, ser-lhes-ão perdoados. Esta é a regra, agora se deve observar a ocasião. Se for fora do culto, o obreiro vai até onde está o enfermo, unge com azeite e ora. Portanto, se é durante o culto o primeiro passo é ver se há possibilidade de esperar até o final do culto, se não for possível, ver um intervalo entre os cânticos ou antes da mensagem, sempre observando para não chamar a atenção da igreja, distraindo ou tirando a atenção da igreja da mensagem. Se for necessário orar pelo enfermo na hora da mensagem é preferível que seja levado o enfermo e o obreiro ao quintal da igreja. b) se não é membro, segue-se as mesmas instruções, com apenas uma exceção, não há unção com azeite porque se observa que a unção é se há alguém dentre vós, quantos aos demais a Bíblia ensina que colocarão as mãos sobre os enfermos e os curarão (Marcos 16:18). 2º - Manifestação de demônios devemos estar alerta sobre:- a) Se somos chamados para expulsar o demônio nas casas devemos saber que o primeiro objetivo é expulsar o diabo e não palestrar. O diabo é expulso no poder no nome de JESUS e não no sangue de JESUS (Marcos 16:17). Observa-se também que nós não estamos para pedir licença a satanás e sim para ordenar a ele. b) Se acontecer uma manifestação maligna durante o culto, deve o obreiro estar atento e preparado para expulsar, evitando sempre o máximo de chamar a atenção da igreja, para que isso aconteça enquanto uns estão expulsando o diabo, um dos obreiros ou o dirigente do culto deve colocar a igreja em oração. Lembre-se que quanto menos desviar a atenção da igreja melhor é. k) COMO CORRIGIR, EXORTAR OS MEMBROS:- Existem duas coisas que não podemos confundir, a correção e o aconselhamento, admoestação. O aconselhamento ou admoestação cabe a qualquer um, desde que saiba fazer (Colossenses 3:16) porém deve ser feito com humildade e mansidão e com amor para que o outro se edifique. Para corrigir alguém, em primeiro lugar, salvo casos de extrema necessidade, nunca deve ser feito perto dos outros e sim em particular ou em reunião específica.
  31. 31. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 31 Com amor e tendo exemplo de vida. Nunca com ira e tendo cuidado com o que vai falar para que se tenha compreensão de ambas as partes e sirva de edificação (Hebreus 12:06 ao 11). Veja o que diz II Timóteo 3:17 - Provérbios 9:7 e 8. Também se lembre que Deus constituiu pastores para apascentar o rebanho e a igreja deve submissão espiritual ao pastor (Hebreus 13:17). Para finalizar este tópico, quero lembrar que cada um deve se colocar na sua posição e desempenhar a função ou o ministério que foi confiado sem querer passar além do que lhe é permitido, pois a igreja não irá acatar sua posição tornando-se um antipático, dificultando o desenvolvimento do seu ministério. É bom ter também a visão de que temos que ter um mesmo parecer (II Coríntios 13:3). Encerrando este item quero deixar o conselho do apóstolo Pedro na sua II carta no capítulo I, versículo 5 ao 9. “E vós também, pondo nisto mesmo toda a diligência, acrescentai à vossa fé a virtude, e à virtude a ciência. E à ciência temperança, e à temperança paciência, e à paciência piedade, E à piedade amor fraternal; e ao amor fraternal caridade. Porque, se em vós houver e abundarem estas coisas, não vos deixarão ociosos nem estéreis no conhecimento de nosso Senhor jesus Cristo. Pois aquele em quem não há estas coisas é cego, nada vendo ao longe, havendo se esquecido da purificação dos seus antigos pecados”. 6) O obreiro a ética e a submissão Colossenses 3 ,22 Vós, servos, obedecei em tudo a vosso senhor segundo a carne, não servindo só na aparência, como para agradaraos homens, mas em simplicidade de coração, temendo a Deus. 1 Timóteo 6 ,1 Todos os servos que estão debaixo do jugo estimem a seus senhores por dignos de toda a honra, para que o nome de Deus e a doutrina não sejam blasfemados.
  32. 32. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 32 Como Obreiro qual o meu procedimento com relação ao meu Líder e igreja? 1º - Submissão: Obedecei a vossos pastores e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossa alma, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façamcom alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil. Hebreus 13:17 Pelo que disse Moisés a Josué:Escolhe-nos homens, e sai, e peleja contra Amaleque; amanhã, eu estarei no cume do outeiro, e a vara de Deus estará na minha mão. E fez Josué como Moisés lhe dissera, pelejando contra Amaleque; mas Moisés, Arão e Hur subiram ao cume do outeiro.Êxodo 17:9,10 Sujeitai-vos, pois, a toda ordenação humana por amor do Senhor; quer ao rei, como superior; 1 Pedro 2:13. 2º - Ajudar a seulíder: Porémas mãos de Moisés eram pesadas; por isso, tomaram uma pedra e a puseram debaixo dele, para assentar-se sobre ela; e Arão e Hur sustentaramas suas mãos, um de um lado, e o outro, do outro; assim ficaram as suas mãos firmes até que o sol se pôs. E, assim, Josué desfez a Amaleque e a seu povo a fio de espada. Êxodo.17:12,12 3º – Não questiona o seu líder: ( Josué um obreiro, general do exercito de Israel) E, assim, Josué desfez a Amaleque e a seu povo a fio de espada. Êxodo.17:13. 4º – Honra a seu líder: (é só eu que faço, ele não faz nada) Entretanto, pelejou Joabe contra Rabá, dos filhos de Amom, e tomou a cidade real. Então, mandou Joabe mensageiros a Davi e disse: Pelejei contra Rabá e também tomei a cidade das águas. Ajunta, pois, agora o resto do povo, e cerca a cidade, e toma-a, para que, tomando eu a cidade, não se aclame
  33. 33. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 33 sobre ela o meu nome. Então, ajuntou Davi a todo o povo, e marchou para Rabá, e pelejou contra ela, e a tomou. 2Samuel12:26 a 28. 5º – Ser Humilde : Entretanto, pelejou Joabe contra Rabá, dos filhos de Amom, e tomou a cidade real. Então, mandou Joabe mensageirosa Davie disse: Pelejei contra Rabá e também tomei a cidade das águas. Ajunta, pois, agora o resto do povo, e cerca a cidade, e toma-a, para que, tomando eu a cidade, não se aclame sobre ela o meu nome. 2Samuel12:26 a 27. 6º – Defendero seu líder: E Isbi-Benobe, que era dos filhos dos gigantes, e o peso de cuja lança tinha trezentos siclos de cobre, e que cingia uma espada nova, este intentou ferir Davi.Porém Abisai, filho de Zeruia, o socorreu, e feriu o filisteu, e o matou; então, os homens de Davi lhe juraram, dizendo: Nunca mais sairás conosco à peleja, para que não apagues a lâmpada de Israel. 2Samuel.21:16,17. Ex: Mical defende a Davi- Então, Mical desceu a Davi por uma janela; e ele se foi, e fugiu, e escapou.E Mical tomou uma estátua, e a deitou na cama, e pôs-lhe à cabeceira uma pele de cabra, e a cobriu com uma coberta.E, mandando Saul mensageiros que trouxessem a Davi, ela disse: Está doente.1Samuel.19:12,13 e 14. 7º – Fidelidade ao seu líder. Além disso, requer-se nos despenseiros que cada um se ache fiel. 1 Coríntios 4:2. Ética Postura do obreiro na igreja 1) Ser Exemplo: Porque para isto trabalhamos e lutamos, pois esperamos no Deus vivo, que é o Salvador de todos os homens, principalmente dos fiéis.Manda estas coisas e ensina-as. Ninguém despreze a tua mocidade;mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, na caridade, no espírito, na fé, na pureza. Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá.1Timoteo. 4:10 a 13.
  34. 34. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 34 Ser Servo- e qualquer que, entre vós, quiser ser o primeiro, que seja vosso servo, Mateus 20:27. E qualquer que, entre vós, quiser ser o primeiro, que seja vosso servo Mateus 20:27 ( fazer de tudo na igreja um servo útil ) Ética na igreja Não demonstrar insatisfação, através de gestos facial, principalmente no púlpito. Não ser destratavel – suas palavra devem ser temperadas com sal, ou seja com sabor. Aconselhamento mulheres e mulheres, homens com homens com exceção dos casais. Postura do obreiro fora da igreja Testemunho: Convém, também, que tenha bom testemunho dos que estão de fora, para que não caia em afronta e no laço do diabo. 1 Timóteo 3:7. Usar de Ética. Fujir da aparência do mal: “Abstende-vos de toda aparência do mal”.1 Tessalonicenses 5:22. Alguns exemplos abaixo: Nunca ir na casa sozinho de uma pessoa do sexo oposto. Nunca pegar carona com uma pessoa sozinha do sexo oposto. Fazer gestos obscenos e de desagradáveis. Não demonstrar insatisfação aos seus liderados ou membros.
  35. 35. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 35 Não marcar encontros sozinho, com uma pessoa do sexo oposto. 7) O OBREIRO QUANDO PREGA A PALAVRA DE DEUS A SIMPLICIDADE mostra que não deve se apartar da prudência e da simplicidade que há em Cristo (Ef. 5:15 e II Co. 11:3). Lembremo-nos do que Jesus disse aos seus mensageiros: “EIS QUE VOS ENVIO COMO OVELHAS AO MEIO DE LOBOS; PORTANTO, SEDE PRUDENTES COMO AS SERPENTES E SÍMPLICES COMO AS POMBAS” – Mt. 10:16. Muitos, em vez de agir com simplicidade, recorrem à excentricidade dramática! Preferem o ritualismo, o formalismo e o artificialismo. É claro que não precisamos adotar uma imobilidade sepulcral, mas devemos nos portar com sabedoria diante da Igreja de Deus (I Co. 10:32), a fim de que sejamos exemplos em tudo (I Tm. 4:12). Como deve ser a nossa postura ao pregar o Evangelho? O mestre Jesus – Nosso maior exemplo (Jo. 13:15) – simplesmente expunha a Palavra de Deus: “E, ABRINDO A BOCA, OS ENSINAVA, DIZENDO: BEM-AVENTURADOS OS POBRES DE ESPIRITO...” – Mt. 5:2-3. Alguns pregadores dramatizam ao extremo. Sentam-se ou se deitam no piso do púlpito; provocam as pessoas ou usam-nas como coadjuvantes; e fazem gracejos ou brincadeiras de mau gosto. Esquecem-se de que a sua missão é apenas expor a Palavra, e não chamar atenção para si (Jo. 1:22- 23 e 3:30). Pregue com naturalidade, sem gesticulação excessiva e uso abusivo de recursos do tipo: “Quem achou diga amém; quem não achou diga misericórdia” ou “Olhe para o seu irmão e diga isso ou aquilo”. Certo pregador exagerou tanto, a ponto de dizer ao público: “Fale para o seu irmão: Você é uma menina”, concluindo que somos a menina dos olhos do
  36. 36. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 36 Senhor! Imagine a cena... Não quero, com esses exemplos, incentivar você a ser uma estatua. Para ser simples, não é necessário abrir mão da personalidade e da ousadia no falar (At. 9:29). Seja autêntico. O OBREIRO E A LINGUAGEM A linguagem do obreiro também deve ser simples, não rebuscada. Não é preciso empregar palavras difíceis e raras (I Co. 2:4-5). O pregador deve falar de tal modo, que possa ser entendido até pelas crianças. Você pode até utilizar uma palavra que não seja usual, porém explique o seu significado. Caso contrário embora todos admirem o seu belo português, ficarão, sem entender o que quis dizer. Outro erro é empregar expressões chulas, mesmo com boa intenção de querer falar a linguagem do povo. Há algum tempo, ouvi um pregador dizendo: “Irmãos, Jesus nunca deu uma mancada. Nós sempre damos mancadas, mas ele nunca manca..” Ora, isso é linguagem de um pregador do Evangelho? Evite a linguagem demasiadamente coloquial, não digna de uma tribuna santa (Tt. 2:8). Gírias e expressões populares, salvo exceções, devem ser descartadas. É claro que, ás vezes, valer-se de uma ou outra expressão popular pode facilitar a comunicação ou exemplificação de uma verdade. Mas isso é uma exceção! Em geral, empregar uma linguagem assim não é bom. Muitos crentes – inclusive obreiros – não se preocupam com a linguagem. Não lêem nem se aperfeiçoam na gramática; consideram que orar e jejuar são o suficiente. Conquanto essas ferramentas sejam indispensáveis, estar bem preparado na arte de falar é uma grande virtude (I Tm. 4:13 e At. 19:24-25). Por incrível que pareça, já ouvi até profecia com emprego de gírias! O “profeta” disse a uma pessoa: “Meu servo, fica frio. Eu vou te tirar dessa gelada!” Nesse caso, a mensagem “profética”, em vez de edificar, consolar ou exortar (I Co. 14:3), resultou em descontração, pois todos começaram a rir da estranha predição. PRATICAS QUE O OBREIRO DEVE EVITAR: 1) Conversar com os companheiros  Sabemos que existem exceções (as vezes, há assuntos relacionados com o bom andamento do culto), mas há obreiros que conversam à vontade; brincam, riem, fazem gestos... Será que não percebem que há várias pessoas os observando? Atenção para o conselho de Paulo: “EM TUDO TE DÁ POR EXEMPLO DE BOAS OBRAS...” – Tt. 2:7. 2) Assentar-se deselegantemente  A cadeira do púlpito não é o sofá de nossa sala! Não é um lugar para relaxar. Alias, o obreiro, embora sentado, deve estar preparado, sabendo que poderá entrar em ação a qualquer momento, para pregar, orar ou cumprir algum procedimento litúrgico (At. 2:2, 14). Estejam pronto!
  37. 37. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 37 3) Falar ao celular  Entendo que hoje o telefone móvel tornou-se algo comum. Entretanto, atende-lo no púlpito, mesmo em uma emergência, é um péssimo exemplo. Tenha visto obreiros atender chamadas no púlpito com a maior tranqüilidade... E ainda falam alto, riem, discutem etc. Ora, se não for possível desligar o celular, use o modo vibrador, disponível em quase todos os aparelhos. Dia desse, se eu não tivesse adotado tal procedimento, teria passado por um grande vexame. Durante a pregação, meu telefone “tocou” sete vezes! 4) Não participar do culto  Os obreiros devem ser os principais crentes da congregação, pois todos se espelham neles. Nesse caso, devem orar, cantar os hinos congregacionais, prestar atenção quando alguém estiver testemunhando ou pregando etc. Um mau costume de alguns preletores, inclusive, é chegar quase na hora da pregação... Procura chegar no horário. 5) Contar testemunhos em vez de pregar a Palavra  Há obreiros que pensam que pregar é ficar contando experiências. Isso não é pregação! A exposição tem de ser bíblica e cristocêntrica. Um ou outro testemunho pode até ser empregado para reforçar uma verdade da Escrituras; apenas isso. “CONJURO-TE, POIS (...) QUE PREGUES A PALAVRA...”- II Tm. 4:1-2. 6) Usar corretamente a oportunidade dada  A obreiros que é dado a oportunidade de trazer uma saudação a Igreja, e o mesmo então, cumprimenta a Igreja, lê o maior texto que encontra na Bíblia, prega, testemunha, ora, canta e depois agradece a oportunidade. Isto é falta de ética e educação. O obreiro tem que ter postura e ética, se for dado a oportunidade para uma saudação, de os cumprimentos à igreja e agradece; se for para cantar, não lê nenhum texto testemunhe e nem ore, só cante e agradece a oportunidade. 7) Pregar com as mãos no bolso ou suspender calça enquanto fala  Ás vezes, fazemos algumas coisas por mania ou cacoete. Não me interprete mal; a minha intenção ao escrever sobre isso é orientar. No entanto, pregar com as mãos no bolso ou ficar suspendendo a calça não fica bem para um obreiro. É melhor apertar o cinto ou usar um suspensório... 8) Pregar com o colarinho e a grava desajeitados  Lembro-me de que uma vez um obreiro chegou à congregação com a gravata por cima do colarinho. Tentei ajuda-lo, para que não passasse por uma situação constrangedora, mas ele – curiosamente – disse que gostava de usar a gravata daquela forma! Bem, embora haja gosto para tudo, não podemos nos dar ao luxo de fazer tamanha extravagância. 9) Pregar com roupa amassada ou sapato sujo  A palavra de Deus nos ensina ser humilde de coração e não relaxados, o apostolo Paulo traz um aconselhamento acerca disto “PROCURA APRESENTAR-TE A DEUS
  38. 38. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 38 APROVADO, COMO OBREIRO QUE NÃO TEM DE QUE SE ENVERGONHAR...” – II Tm. 2:15. Diante do exposto, quero enfatizar que o púlpito – embora muito hoje o estejam transformando em palco – é um lugar sagrado. Dele se ministra a Palavra do Senhor: “E ESDRAS, O ESCRIBA, ESTAVA SOBRE UM PÚLPITO DE MADEIRA, QUE FIZERAM PARA QUELE FIM... E ESDRAS ABRIU O LIVRO PERANTE OS OLHOS DE TODO O POVO...” – Ne. 8:4-5. Que não subamos nele se não estivermos preparados (II Tm. 2:15). Valorizemos o privilégio que temos de ser mensageiros do Senhor, pregando a Palavra – e somente a Palavra – com temor e tremor (I Co. 2:3). 8) que podem derrubar o obreiro Alguns traços devem ser encontrados em um obreiro para que ele seja aprovado. A ausência de qualquer um destes traços poderá implicar em sua desqualificação. O obreiro, portanto, deve buscar ser “vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra” (2 Tm.2:21). Em outras palavras, ele deve buscar se qualificar, santificando-se para estar preparado para ser usado na obra de Deus. 1. Defeitos físicos com aplicação espiritual “Pois nenhum homem em quem houver defeito se chegará: como homem cego, ou coxo, ou de rosto mutilado, ou desproporcionado, ou homem que tiver o pé quebrado ou mão quebrada, ou corcovado, ou anão, ou que tiver belida no olho, ou sarna, ou impigens, ou que tiver testículo quebrado” (Lv 21.18-20). Veja que, nesta passagem bíblica, o Senhor proibiu que as pessoas com defeitos servissem como sacerdotes. Vamos, então, analisar estes defeitos mencionados na lista de Deus, deixando de lado a questão física e usando os olhos espirituais: • CEGO Não servia para a obra. Para sermos bons obreiros, precisamos ver com os olhos espirituais. Lembra-se do caso do servo de Eliseu, que entrou em casa a gritar e a dizer: “profeta! Estamos cercados pelo exército inimigo”.
  39. 39. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 39 O que é que fez o homem de Deus? Orou e disse: “Senhor, abra os olhos deste moço para que veja!”. E, então, ele pôde contemplar os anjos de Deus dando-lhes proteção (2 Rs 6.17). Por isso, um bom obreiro precisa ver as coisas com os olhos espirituais, não pode ser cego. • COXO É aquele que manca. E quem manca não anda ao mesmo ritmo do que os demais, ficando para trás. Portanto, Deus não poderá usar-nos se estivermos a coxear pela vida. • ROSTO MUTILADO Refere-se a como deve ser o semblante de alguém que deseja servir a Deus. Infelizmente, muitos ainda não entenderam que um sorriso no rosto e um semblante agradável valem mais do que mil palavras. Pois, as pessoas chegam à Igreja cansadas e decepcionadas com o Mundo; maltratadas pelos problemas e oprimidas pelo diabo, e, às vezes, encontram obreiros e pastores com a cara fechada, rancorosos e preocupados com os seus próprios interesses! • DESPROPORCIONADO Desproporcional. A pessoa que tem uma atitude exagerada – no falar, no comportamento, no modo como se relaciona com a família e os amigos, na forma como se veste, causa escândalo. • PÉ QUEBRADO O que é que acontece com quem tem o pé quebrado? Não fica de pé, não é verdade? Existem muitas pessoas que querem fazer a obra de Deus, mas têm o pé quebrado, não se firmam. Ou seja, estão aqui, depois mudam-se para lá, aparecem e depois desaparecem … “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor…” (1 Co 15.58). • MÃO QUEBRADA Quem tem a mão quebrada não consegue agarrar nada com firmeza. E a obra de Deus exige força de vontade e garra. • CORCOVADO Lembre-se que aquele que faz a obra de Deus não pode andar de cabeça baixa. Não pode estar curvado, nem por medo, nem por vergonha. Seja um obreiro aprovado e que não tem do que se envergonhar (2 Tm 2.15).
  40. 40. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 40 • ANÃO É aquele que não desenvolveu a sua estatura. Assim são muitas pessoas que estão na Igreja, espiritualmente falando são como anões, pararam de crescer. • BELIDA NOS OLHOS, SARNA E IMPIGEM O nosso olhar, o nosso semblante, devem refletir o Senhor Jesus. Você pode ser sério, mas não arrogante; pode ser sorridente, mas não escarnecedor; pode repreender, mas com amor, nunca com ódio. Elimine da sua vida a arrogância, a falsidade, a inveja, o medo e a inferioridade. O seu semblante ficará muito mais suave. • TESTÍCULO QUEBRADO Que é seja incapaz de se reproduzir! O bom obreiro é aquele que faz discípulos. Tem que ser reprodutivo, um ganhador de almas. O bom obreiro atrai a atenção das pessoas e todos querem imitá-lo pelo seu bom procedimento. Diante destas qualidades, é bom que você que deseja fazer a obra de Deus, ou que até já está a fazer, cuide bem da sua aparência interior, para que Deus o/a possa usar cada vez mais. 2. ORGULHO Salmo 131 – Para se livrar do orgulho e aprender a viver com humildade, praticando e repassando conhecimentos para os necessitados. 1 Senhor, o meu coração não é soberbo, nem os meus olhos são altivos; não me ocupo de assuntos grandes e maravilhosos demais para mim. 2 Pelo contrário, tenho feito acalmar e sossegar a minha alma; qual criança desmamada sobre o seio de sua mãe, qual criança desmamada está a minha alma para comigo. 3 Espera, ó Israel, no Senhor, desde agora e para sempre. • Veja a seguir as 18 características de um bom obreiro: 1 – O bom obreiro teme a Deus acima de qualquer coisa. (Ec 12, 13)
  41. 41. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 41 2 – O bom obreiro se compromete a ser fiel a liderança pastoral, as doutrinas e estatutos (Hb 13, 17) 3 - O bom ob¬re¬iro não fi¬ca en¬volvi¬do em fo¬focas nem em pa¬nelin¬has. (II Tm 2, 23) 4 - O bom obreiro tem que ser de confiança, honesto (a), verdadeiro e pontual. (Sl 101, 07) 5 - O bom obreiro dá bom testemunho de cristão dentro e fora da igreja. (At 1. 8) Sabe ouvir, falar na hora certa, se veste e se comporta com decência, e discretamente não dão escândalo. (I Co 10, 31 – 33) 6 - O bom obreiro é ensinável... Não pode ser arrogante nem orgulhoso. (2 Tm 2, 2 ; I Tm 4, 13) 7 - O bom obreiro não tem ciúmes de seu irmão quando lhe é dada a liderança de algum setor de igreja, ele tem que se aleg¬rar. (I Pe 2, 01 , 05) 8 - O bom obreiro sabe que somos um corpo e quem honra é o cabeça (Jesus) e não do pastor. (I Sm 2. 30 B) 9 – O bom obreiro tem que ser emocionalmente equilibrado, não pode melindrar com qualquer coisa, ficar ressentido e com sinais de amargura de cara virada tem que perdoar. (Mt 5. 43 – 48) 10 - O bom obreiro tem que ser fiel ao seu cargo, sua função é servir. (Lc 16, 10 – 11) 11 - O bom obreiro anda preparado na ausência do pastor ou do evangelista, ele está pronto para pregar, orar, aconselhar as pessoas. 12 - O bom obreiro tem que saber tratar e corrigir as pessoas de forma amigável, mansa e amorosa não deve ser autoritário, tem que respeitar seus limites. (2 Tm 2, 24 - 26) 13 - O bom obreiro deve respeitar e defender a liderança da igreja, não falar mal do pastor nem de outro obreiro, ele ora e não critica. (Sl 62, 4 ; Sl 101, 5A) 14 - O bom obreiro ora e jejua pelo seu ministério, sua função na
  42. 42. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 42 igreja pelos colegas, obreiros, pelo pastor e pela membresia da igreja. (Mc 9, 29) 15 - O bom obreiro se dedica diariamente na leitura da palavra de Deus e oração. (Sl 1. 2; I Ts 5, 17) 16 - O bom obreiro tem sede de ganhar almas para o reino de Deus. (Pv 11, 30) 17 - O bom obreiro tem que evangelizar e ganhar almas. (Mc 16, 15) 18 - O bom obreiro tem que ser dizimista e ofertante fiel. (Ml 3, 10 ; Sl 101, 06) 3. INCAPACIDADE Tendo encorajado Timóteo a continuar no seu serviço de evangelista (2 Tm 1:6-8,13-14), Paulo agora o exorta a encarar os sofrimentos deste trabalho, desenvolvendo as seguintes características do ministro fiel: Mestre da palavra (2:1-2). Em sofrimento, o servo de Deus deve procurar força na graça de Deus, e não em sua própria capacidade ou sabedoria (2:1; Hb 12:28; Tt 2:11-14; 2 Co 12:7-10). Assim fortificado, é necessário que o servo ensine a palavra da graça de Cristo para outros (2:2; At 20:32). Nisto notemos duas coisas importantíssimas: • É a vontade de Deus que a mesma palavra se passe de uma geração para outra. Paulo disse, "o que da minha parte ouviste... isso mesmo transmite a homens... para instruir a outros" (2:2). Deus não quer que novas gerações ensinem coisas novas (Gl 1:8). • O que é preciso em quem vai ensinar a palavra é fidelidade, e não eloqüência ou sabedoria própria ( 1 Co 4:1-2). Quem se fortifica na graça de Deus e não no orgulho de homens ensinará apenas a palavra de Deus. Soldado, atleta, lavrador (2:3-13). O servo do Senhor precisa ser bem treinado e disciplinado para que possa alcançar os alvos de Deus. Como soldado, terá que sacrificar certos confortos e seus próprios desejos para conquistar o objetivo do seu capitão.
  43. 43. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 43 Como atleta, terá de seguir regras, sacrificando a sua liberdade para receber o prêmio. Como lavrador, terá que trabalhar duro com muita paciência, para depois receber o fruto (2:3-7). Jesus e Paulo são exemplos perfeitos. Eles sofreram em servir a Deus, confiantes que ele dê a cada um de acordo com as suas obras (2:8-13; veja 2 Co 5:9-10). Obreiro diligente (2:14-19). Enquanto muitos no mundo religioso se enrolam com questões de doutrinas de igrejas e teologia humana, o servo de Deus precisa se afadigar no estudo da palavra da verdade (2:15). Quem busca contendas de doutrinas e segue toda idéia nova gasta seu tempo e corrompe outros com sua falta de confiança na simples palavra de Deus (2:14,16-19; Mc 12:24,27; Ef 4:11-14). Vaso santificado e disciplinado (2:20-26). O servo de Deus deve disciplinar a sua própria vida, fugindo das coisas que não convêm, e seguindo as que o tornam útil para serviço na casa de Deus (2:20-23). Com a sua própria vida em ordem, o servo então deve exortar a outros, lhes ensinando a pura palavra de Deus com a esperança de que sejam convencidos a se arrepender e parar de servir o diabo (2:24-26). 4. A ARROGANCIA 1 – O bom obreiro teme a Deus acima de qualquer coisa. (Ec 12-13) 2 – O bom obreiro se compromete a ser fiel a liderança pastoral, as doutrinas e estatutos (Hb. 13, 17) 3 - O bom obreiro não fica envolvido em fofocas nem em panelinhas. (2 Tm. 2-23) 4 - O bom obreiro tem que ser de confiança, honesto (a), verdadeiro e pontual. (Sl. 101-6, 7) 5 - O bom obreiro dá bom testemunho de cristão dentro e fora da igreja. (At 1. 8) Sabe ouvir, falar na hora certa se veste e se comporta com decência, e discretamente, não dá escândalo. (I Co 10,
  44. 44. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 44 31 – 33) 5. - O bom obreiro é ensinável... Não pode ser arrogante nem orgulhoso. (2 Tm. 2, 2 e I Tm. 4, 13. 6. - O bom obreiro não tem ciúmes de seu irmão quando lhe é dada a liderança de algum setor de igreja, ele tem que se alegrar. (I Pe 2, 1 ,5) 7. - O bom obreiro sabe que somos um corpo e quem honra é o cabeça (Jesus) e não o pastor. (I Sm. 2, 30 B) 8. – O bom obreiro tem que ser emocionalmente equilibrado, não pode melindrar com qualquer coisa, ficar ressentido e com sinais de amargura... de cara virada tem que perdoar. (Mt. 5, 43 – 48) 9. - O bom obreiro tem que ser fiel a seu cargo, sua função é servir. (Lc 16, 10 – 11) 10. - O bom obreiro anda preparado na ausência do pastor ou do evangelista, ele está pronto para pregar, orar, aconselhar as pessoas 11. - O bom obreiro tem que saber tratar e corrigir as pessoas de forma amigável, mansa e amorosa... Não deve ser autoritário, tem que respeitar seus limites. (2 Tm 2, 24 - 26) 12. - O bom obreiro deve respeitar e defender a liderança da igreja, não falar mal do pastor, superintendentes, Bispo, nem de outro obreiro, ele ora e não critica. (Sl 62, 4 ; Sl 101,5A) 13. - O bom obreiro ora e jejua pelo seu ministério, sua função na igreja pelos colegas, obreiros, pelo pastor e pela membresia da igreja. (Mc 9, 29) 14. - O bom obreiro se dedica diariamente na leitura da palavra de Deus e oração. (Sl 1, 2 ; I Ts 5, 17) 15. - O bom obreiro tem sede de ganhar almas para o reino de Deus. (Pv 11, 30) 16. - O bom obreiro tem que evangelizar e ganhar almas. (Mc 16, 15) 17. - O bom obreiro tem que ser dizimista e ofertante fiel. (Ml 3, 10 ; Sl 101, 6).
  45. 45. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 45 Deus sempre vai colocar por terra os arrogantes, pois Jeová disse: “Eu, abato o soberbo e exalto o humilde”. Ser humilde é reconhecer seus defeitos e fraquezas; é ser uma pessoa que aprende com os outros. “Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, porque sou MANSO e HUMILDE de coração”. A VIDA EXEMPLAR DE CRISTO A vida de Jesus foi uma vida exemplar. Ele foi o único homem que nunca pecou. Jesus teve essa vida santa porque Ele era humilde e dependente de Deus. No livro de Filipenses, no capitulo 2, do versículo 5 ao 8, está escrito: “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus, que, sendo igual a Deus, mas a Si mesmo se esvaziou, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens. E, achado na forma de homem, HUMILHOU-SE a Si mesmo, sendo obediente até a morte”. Nessa passagem que lemos podemos ver que a vida de Cristo foi uma vida de humildade e obediência. Jesus sempre demonstrou dependência em todo o Seu viver aqui na terra. Muitas pessoas interpretam de forma errada a palavra humildade. Acham que ser humilde é se deixar humilhar pelas outras pessoas. Mas, o que a Palavra de Deus nos ensina acerca da humildade é bem diferente. Para o Senhor, somos humildes quando não temos amor próprio. Se analisarmos a conduta de Cristo, veremos que Ele se esvaziou e assumiu a postura de servo. Isso é não ter amor próprio. Cristo escolheu servir aos homens. Ele era humilde porque era submisso à vontade do Pai. Assim, nós seremos humildes quando nos esvaziarmos de todo o nosso egoísmo e amor próprio e escolhermos servir ao Senhor de forma incondicional. Essa foi a escolha feita por Cristo. Deus o considerou humilde porque Ele, em tudo, foi obediente. Essa deve ser a nossa postura para com Deus. Ele quer que sejamos humildes e que tenhamos disposição para sermos submissos à Sua vontade.
  46. 46. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 46 Analise um pouco da vida de Cristo. Se você ler a Bíblia com bastante atenção, você verá que Jesus apenas servia a Deus e aos homens. Ele estava sempre disposto a fazer a vontade de Deus. Ele poderia ter resistido à cruz, mas por obediência Ele escolheu ir para a cruz e morrer por todos nós. Deus quer que nós tenhamos a mesma postura de Cristo. Se Ele foi humilde, nós também podemos ser, porque o mesmo Deus e o mesmo Espírito que estavam com Cristo, hoje estão conosco. Você somente será humilde quando a sua postura for de obediência e submissão. No Evangelho de Mateus, capitulo 11, versículo 29, está escrito: “Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, porque sou MANSO e HUMILDE de coração”. Nós realmente precisamos aprender a ser humildes assim como Cristo foi. Precisamos ter aulas de humildade com o Senhor Jesus. O material está à sua disposição, que é a Palavra de Deus. Leia a Bíblia e aprenda a ser humilde como Jesus foi. Preste muita atenção na conduta de Cristo e você aprenderá a ser manso e humilde de coração. Ele mesmo disse, no versículo que lemos: “aprendei de mim que sou manso e humilde de coração. Tome a vida de Jesus como um exemplo. Ele nunca fez alguma coisa em Seu próprio beneficio ou esperando ganhar algo para Si mesmo. Mas toda a Sua vida foi para agradar a Deus e para servir e beneficiar os homens. 9) Como ser um bom obreiro 1. É obreiro onde quer que esteja, é bem educado e demonstra mansidão; Permanece em espírito, mesmo no trabalho ou em casa; Chega cedo na igreja e não faz nada antes de orar; Nunca sai sem arrumar a igreja, e orar pelo povo; Tem temor com seu uniforme, com os utensílios e propósitos da igreja; Se ele tem problemas, renova mais a sua fé, e trabalha mais ainda;
  47. 47. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 47 Evangeliza com prazer, faz discípulos; Não precisa ser “empurrado”, mas sempre está disposto; Não falta em seus compromissos e escalas; Se renova trabalhando, 2. Sua postura é humilde, mas com autoridade; Tem o respeito das pessoas, é visto como uma pessoa de Deus; Não vem para a igreja para jogar conversa fora; Dedica-se em jejuar e orar pela Obra e pelo povo de Deus; Sua oração é de fé, resolve e demonstra comunhão com Deus; Tem prazer de ajudar o pastor; Tem temor no trato com o pastor e os outros obreiros; Tem prazer de estar com os outros obreiros; Não se julga melhor, mas faz a diferença; Não permanece exageradamente na casa dos outros; Não se envolve financeiramente com pessoas da igreja; Nunca tem maus olhos em relação a Obra, e as pessoas; Não revela a nudez da obra, mas tem estrutura; Vigia para não escandalizar os outros com suas atitudes; É humilde para contar com as orações dos outros obreiros; Ora junto com os outros obreiros e promove a espiritualidade; Sempre é visto no meio do povo atendendo, e sabe a necessidade deles; Tem postura diante de pessoas do sexo oposto; Não é fofoqueiro, ao invés de falar mal, convida pra orar pela pessoa; Cuida da igreja como da sua própria casa; limpando e arrumando; Recebe as ordens como um soldado e nunca diz não posso; Ao invés de apresentar problemas, traz soluções; Não espera pelos outros para fazer a diferença; Maneja bem a palavra de Deus; Sempre fala coisas do espírito, suas palavras edificam, nunca derrubam; Faz as pessoas terem prazer em ouví- lo; Nunca promove a discórdia; Não se envolve em confusões; Procura sempre estar no mesmo espírito do pastor e da igreja; Não é preguiçoso nem relaxado; Procura saber o que falta na igreja e ajudar
  48. 48. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 48 Não foge da responsabilidade, mas assume como a sua benção; Não aceita derrota, nem perder pro diabo; feliz por servir o seu Senhor, como o soldado que serve a sua nação. “Mas sede fortes, e não desfaleçam as vossas mãos, porque a vossa obra terá recompensa.” 2Cr 15:7 10) A POSTURA EXIGIDA A UM PASTOR OU MESMO UM OBREIROS O pastor e sua família (esposa e filhos) são pessoas que estão em evidência a todo instante e são convidados para eventos, cerimônias e ocasiões festivas, além de fazer da visitação aos membros uma rotina. Para tanto o pastor deve saber se portar e comportar diante de várias situações, para que sua autoridade não seja contestada e envergonhado seja seu ministério. Atividades comuns e corriqueiras à vida da família pastoral: • Ouvir e aconselhar pessoas (pastor e muitas vezes a sua esposa); • Visitar pessoas (a sós ou com a esposa); • Receber visitas em sua casa; • Ser convidado para almoçar ou jantar em casa de irmãos ou amigos; • Convidar colegas, irmãos ou amigos para almoçar ou jantar em sua casa e • Ser convidado para pregar ou palestrar em outras igrejas; • Participar de eventos sociais e comemorativos (formaturas, festas em geral, velórios, aniversários, bodas, casamentos, eventos oficiais da denominação, etc...) e tantas outras ocasiões... Para que o pastor e sua família causem boa impressão e sejam respeitados por todos (crentes e não crentes) seguem abaixo algumas recomendações que devem pautar a postura do pastor e família frente a esses compromissos religiosos, sociais e ministeriais que são do dia-a-dia no pastorado. 1. O pastor e sua esposa devem aprender a ouvir as pessoas e depois aconselhar se necessário e solicitado (repito, aconselhar se solicitado). Devem
  49. 49. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 49 aprender a conversar sem usar gírias, palavras inconvenientes, etc. 2. O pastor e esposa não devem comentar com outros seus assuntos particulares, muito menos falar sobre algo pessoal do(a) outro(a) para alguém sem este ser consultado(a) primeiro. Ex: salário do marido, quanto pagam de aluguel, quanto estão devendo, se a mulher ronca ou não arruma a casa direito, comparar filho com filho, vida sexual e outros absurdos. 3. Assuntos delicados devem ser evitados a todo custo. A menos que a(s) pessoa(s) envolvidas diretamente peçam aconselhamento ou orientação espiritual. Do contrário não seja inconveniente ou mal educado. Ex: perguntar se o filho é filho deles mesmo. Ou: Porque vocês mudam tanto de casa? 4. O pastor e sua esposa devem aprender a se comportar quando em casa de outras pessoas. Esperar ser convidado para entrar, para sentar, entrar em outro aposento da casa, mexer nas coisas, etc. Ser respeitoso com todos que moram ali. Regras de como cumprimentar ou quando é importante conhecer. 5. O pastor e família devem ser hospitaleiros. Isso quer dizer receber as pessoas em casa com alegria e tratá-las com respeito e educação. 6. O pastor e família devem aprender a se portar a mesa e regras básicas de etiqueta em várias situações. A boa etiqueta faz parte de uma boa educação. Se não souber faça um curso sobre o assunto. Há muitos em várias instituições como SENAC e outras. 7. O pastor e família devem aprender a honrar as pessoas quando visitam, são visitados ou em ocasiões semelhantes. 8. O pastor deve orientar a esposa e criar seus filhos usando a Palavra de Deus como manual. Isso fará com que não sejam envergonhados e percam seus filhos. 9. O pastor e sua família devem respeitas as normas da casa, ou do hospital ou do local que está visitando. Isso é educado e demonstra respeito pelas pessoas. 10. O pastor não deve monopolizar uma conversa, mas deixar que as pessoas falem. Há líderes que pregam ao invés de dialogar com os outros. Isso é irritante e produz impedimentos a futuros diálogos. Lembre-se: Sua postura inadequada e mal-educada pode prejudicar seu ministério. Esposa e filhos não orientados podem prejudicar seu ministério pastoral. Pastorear é ser responsável, sério e sábio na orientação, na pregação, no ensino e no aconselhamento da verdade bíblica e consequentemente na conduta e postura cristãs, trazendo a quem ouve ou convive paz, sabedoria e revelação de Deus. Não permita que isso seja escondido pela falta de educação e equilíbrio.
  50. 50. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 50 O pastor que não atentar para esses detalhes e não orientar sua família colherá os frutos de sua negligência e irresponsabilidade em um futuro breve. Não seja inconveniente! Não seja motivo de piada ! Mude, oriente, ensine e corrija enquanto é tempo! meditação: 1 Timóteo 3: 1-7; Pv. 19:18; 13:24; Heb. 12
  51. 51. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 51
  52. 52. APOSTILA DO OBREIROS FEITO POR PASTOR CARLOS 10 /11/2009 Página 52

    Als Erste(r) kommentieren

    Loggen Sie sich ein, um Kommentare anzuzeigen.

  • KleberVitorPassos

    Apr. 16, 2020
  • LeandroBarbosa17

    May. 24, 2020
  • FbioGuedes9

    Jul. 14, 2020
  • AnahBarcellos

    Jul. 21, 2020
  • CleideReginaFerreira

    Aug. 12, 2020
  • ClodoaldoAlves5

    Aug. 13, 2020
  • SheilaJulio

    Sep. 2, 2020
  • RudsonSoares3

    Sep. 3, 2020
  • brunoicastro

    Sep. 14, 2020
  • GenivalSilva9

    Oct. 10, 2020
  • LucianoMendona3

    Oct. 12, 2020
  • CarvalhoGomes1

    Oct. 20, 2020
  • MariaInesSantosLubke

    Jan. 8, 2021
  • ApostoloSandro

    Jan. 26, 2021
  • niqueejuli

    Jan. 30, 2021
  • ZaquelRocha

    Feb. 24, 2021
  • mariadorociocruz

    Mar. 11, 2021
  • DanielCarlos81

    Apr. 23, 2021
  • JosimarMoraes2

    May. 23, 2021
  • cantoratassia

    Jun. 28, 2021

Quando um obreiro da casa de DEUS decide em seu coração servi-lo, empenha-se em produzir frutos e ter uma vida espiritual promissora. Para isso não podemos deixar de apresentar fatores importantes que não podem ser ignorados por nenhum obreiro. Nos cultos os obreiros são distribuídos de acordo com a escala para atender a necessidade da Liturgia e precisam cumpri-las diligentemente, VOCÊ É O OBREIRO DA CASA DE DEUS E DEVE DAR EXEMPLO. Seja na portaria, salão,entrada dos banheiros , corredores , na verificação do abastecimento de copos, papel higiênico,papel toalha, ventiladores, luzes , limpeza do templo, organização das cadeiras, observando se algum membro esqueceu seus pertences no final de cada reunião e etc...a sua aplicação lhe dará destaque na Igreja como um verdadeiro homem e mulher de DEUS.

Aufrufe

Aufrufe insgesamt

20.907

Auf Slideshare

0

Aus Einbettungen

0

Anzahl der Einbettungen

1

Befehle

Downloads

319

Geteilt

0

Kommentare

0

Likes

59

×