Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Die SlideShare-Präsentation wird heruntergeladen. ×

037c - A avidez de poder, de riqueza e de domínio sempre foi a causa das guerras e das pobrezas dos povos

Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Anzeige
A AVIDEZ DE PODER, DE RIQUEZA E DE DOMÍNIO, SEMPRE FOI A CAUSA DAS GUERRAS
E DAS POBREZAS DOS POVOS
Resumo
1. O egoísmo do...
riquezas de todo tipo nos bancos e nos cofres do mundo e do luxo desenfreado de tantos
nababos, para iniciar a partir de o...
de povos 7
. E quais estas responsabilidades podem ser? No passado distante, os Europeus
fizeram guerra entre eles e à out...
Anzeige
Anzeige
Anzeige
Wird geladen in …3
×

Hier ansehen

1 von 16 Anzeige

Weitere Verwandte Inhalte

Ähnlich wie 037c - A avidez de poder, de riqueza e de domínio sempre foi a causa das guerras e das pobrezas dos povos (20)

Weitere von OrdineGesu (20)

Anzeige

Aktuellste (20)

037c - A avidez de poder, de riqueza e de domínio sempre foi a causa das guerras e das pobrezas dos povos

  1. 1. A AVIDEZ DE PODER, DE RIQUEZA E DE DOMÍNIO, SEMPRE FOI A CAUSA DAS GUERRAS E DAS POBREZAS DOS POVOS Resumo 1. O egoísmo dos Países ricos e a miséria do povos pobres Página 1 2. Os conflitos, os Europeus e os outros cidadãos ricos do mundo " 2 3. As responsabilidades dos países ricos do mundo e da ONU e a voz dos sábios " 7 4. A desordem do mundo é demasiado grande " 8 5. Queremos colaborar para melhorar o mundo? " 9 6. Aprendemos e refletimos sobre o Decálogo, ou seja,sobre os Dez Mandamentos, E sobre os Mandamentos do amor " 10 7. O ensinamento do conhecer si mesmos é útilíssimo " 12 8. Refletimos sobre o amor e sobre a unidade da vida, que é um mosaico " 12 9. A roda dos nascimentos e das mortes e o expansionismo islâmico radical " 13 10. As religiões " 16 A história ensina-nós que também as religiões têm sido frequentemente uma justificação e um meio para iscar conflitos armados, como não se fosse todos irmãos e filhos do único Pai-Mãe- Deus 1 . Mas as organizações que fazem a guerra também aquelas islâmicos não são, as religiões de Deus, mas eles são as Anti - religiões do Anticristo, isto é, de Satanás, que quer a guerra e o ódio 2 . A guerra sempre foi filha do egoísmo e do egocentrismo, dos povos e das religiões, por vezes, especialmente quando as Revelações divinas são storcidas da erradas e maliciosas interpretações dos homens. No caso dos árabes, descobrimos e listadas no elaborado N°4 o astuto e os malvadas interpretações dos islâmicos radicais belicistas de até 14 temas do Corão em quanto não temos encontrado na livraria um trabalho análogo. Tais interpretações erradas em torcer à vários niveles o significado total da divina revelação ao Profeta dos árabes, pagão, Maomé. Você vai encontrar a referida elaboração N°4 em nosso catecismo, no Aprofundamentos das religiões na pasta do Islão. Tais interpretações erradas do Corão dos expansionistas árabe são desde sete séculos a principal causa das guerras islâmicas no mundo a partir da morte do profeta Maomé aos nossos dias (início do Terceiro Milénio: matança dos cristãos na África); estas guerras islâmicas são todas as guerras satânicas. O egoísmo dos países ricos e as misérias dos povos pobres: as miséria dos povos pobres, têm sido o fruto prevalente do egoísmo dos Países ricos ou forte do mundo desde da antiguidade. Nestes últimos séculos o egoísmo das nações ricas é demonstrado pela enorme acumulação de 1 Eileen Caddy, La voce di Dio a Findhorn, páginas 103-104, o Mediterranee 2 Maria de Nazaré, Messaggi da Medjugorje, de 25 de Setembro de 2001, Shalom 1
  2. 2. riquezas de todo tipo nos bancos e nos cofres do mundo e do luxo desenfreado de tantos nababos, para iniciar a partir de os senhores do petróleo. Os malvado fruto de tais egoísmos, é observado nos Países pobres, principalmente da África, da qual se originam a maior parte dos recursos naturais que tais países ricos utlizam sem moderação no tempo que as cotações de mercado são mantidas baixas. , Cada ano, as populações desses Países pobres são drasticamente reduzidas pela fome, pela sede e pelas doenças; todo isto é intolerável e inaceitável. A ONU deveria intervir para prevenir estas situações gravíssimas . As riquezas naturais da Terra e aqueles criados pelo homem devem ser equitativamente distribuídas entre todos os homens. Os conflitos, os Europeus e as outras povos ricos do mundo: todas as guerras, revoluções e similares são devido ao sentido errôneo de separação de Deus que o homem se é criado, depois de Lúcifer e os outros anjos rebeldes 3 ; para quanto resguarda a Europa que tem conquistado a paz desde 50 anos, ali sopram agora (fim do segundo Milénio) ventos de guerra movidos pelo expansionismo Islâmico e por uma infinidade de imans fundamentalistas, que usam as mesquitas que temos lhes concedido de construir para seus fins malignos de opressão totalmente contrário aos ensinamentos do Corão, como demonstramos no citado N°4 Elaborado em relação a erros de interpretação do Corão cometidos com astúcia e maldade pelos fundamentalistas islâmicos 4 . A paz europeia foi quebrada no final do século xx, por uma guerra de religião nos Balcãs entre Sérvios e Muçulmanos; a paz foi novamente imposta pelas Nações Unidas, mas não é fácil manter-la, considerado o ódio das partes que opõem-se a eles, como lutas recentes demonstram. Mas não é todo, infelizmente, porque o plurisecular expansionismo árabe se está tornando a manifestar na Europa a partir do interior, aproveitando dos combatentes islâmicos que os Fundamentalistas muçulmanos têm infiltrado nos Países europeus incluídos a Itália. Dêste deriva daqui, que o fantasma da guerra reaparece na Europa por causa do expansionismo Árabe, sob a forma de Jihad dentro as Nações europeias 5 e do terrorismo islâmico. Os Líderes europeus têm as suas graves culpas, assim Oriana Fallaci demonstra em sua obra, publicada recentemente; mas seria demasiado conveniente para os Europeus a dar toda a culpa aos Muçulmanos radicais, aos políticos e seus amigos. Se nós, Europeus, queremos resolver os graves problemas que esta grave ameaça nós põe também devemos reconhecer que também temos graves culpas ou pecados de fazer penitência (causas) porque temos responsabilidades colectivas e os ventos de guerra islâmica são correcções / ensinamentos cármicos (efeitos), que o céu nos faz dar por os Senhores ou Mestres da Karma 6 também à nível 3 Jakob Lorber, Il Signore parla, páginas 157-163 (La natura di Satana e le conseguenze della sua caduta), Armenia 4 No nosso você o nosso Catecismo, vé entre os Aprofundamentos das Religiões (a pasta do Islã) 5 Magdi Allam, Jihad in Itália, Oscar Mondadori 6 Cerchio Firenze 77, Dizionario del Cerchio, página 266 (Signori del Karma), Mediterranee 2
  3. 3. de povos 7 . E quais estas responsabilidades podem ser? No passado distante, os Europeus fizeram guerra entre eles e à outros povos, enquanto no passado longínquo recente e contemporânea, os Europeus têm ideado, construído e vendido armas à todos os outros povos do mundo. Tais culpas e responsabilidades (causas), resguardam sem dúvida, o tempo passado recente, distante, contemporâneo de os povos da Europa, mas agora os Europeus tornaram-se maduro para compreendê-los e, por conseguinte, recebem os ensinamentos / correcções cármicas (efeitos) sob a forma de ataques terroristas, porque << o efeito >> recae quando o sujeito é pronto para caber, isto é quando o sujeito do efeito, ele trova a consciência que faltava à ele/ela 8 >>. E esta é a misericórdia divina! L' a existência da lei do karma emerge de muitas páginas dos Evangelhos; para um exemplo daqueles que referem os milagres feitos pelo Senhor Jesus que tinha em Si mesmo a podência de Deus além que ao palavra. Se demonstraremos com os fatos (comportamentos fraternos com os outros povos e, daqui, verdadeira assistência às populações pobres e cessação da produção e venda das armas) Nós, Europeus, poderemos limitar os ensinamentos cármica inevitável 9 que doam compreensão porque a misericordiosa Lei do Karma tem a finalidade de fazer compreender ao homem os erros que cometeu e, daqui, o karma amplia a consciência do homem mesmo e quando o homem tem entendido o karma não é mais necessário. Em outros palavras, as correcções / ensinamentos cármicas para fazer compreender ao homem o que ele/ela coisa deve fazer e coisa ele/ela não deve fazer de acordo com o Decálogo e os Mandamentos do amor; o karma, daqui, ensina ao homem como ele deve se comportar e pràticamente amplia-lhe a consciência 10 . Sòmente uma caridade activa e desinteressada poderá demonstrar ao Céu que temos cabido o ensinamento cármico e em tal maneira nós poderemos limitar o inevitável lições do dor que não são castigos, mas ensinamentos e correcções porque a dor tem uma função evolutiva 11 . A caridade activa e desinteressada dos Europeus, a busca da paz entre os povos e a cessação da fabricação e venda de armas que seriam os sinais que teríamos compreendido os ensinamentos cármicos. Tal compreensão e novas formas de comportamento demonstraríam também a nossa conversão aos ensinamentos do Senhor Jesus porque os Europeus, tão pragmáticos, são tornados-se ateus, mas ateus avaros, soberbos e insensíveis às necessidades dos pobres homens. Os europeus não sabem que seu eu humano, tão egoísta e tão egocêntrico domina-los. De tal maneira eles ignoram, dobrados como eles são em seus pensamentos ociosos 7 Cerchio Firenze 77, Dai a mondi invisibili, página 166-167 (o carma não castiga, ele ensina; carmas familiar e carmas coletivos) ; Dizionario del Cerchio, página 156 (Karma), Mediterranee 8 Cerchio Firenze 77, Le grandi verità ricercate dall'uomo, página 46 (n°4-5-6 e 7) e página 158 ; Dizionario del Cerchio (60-63 páginas), Coscienza Mediterranee 9 Cerchio Firenze 77, Per un mondo migliore, página 209 (Karma), Mediterranee 10 Cerchio Firenze 77, Dizionario del Cerchio, página 154 (Karma) : Le grandi verità ricercate dall'uomo, páginas 46 (n°4,5,6 e 7) e página 158 ; Dizionario del Cerchio, páginas 60-63 (Coscienza),Mediterranee 11 Cerchio Firenze 77, Dai a mondi invisibili, páginas 167-168 (La funzione evolutiva del dolore), Mediterranee 3
  4. 4. e materialistas e seus interêsses que a vida na Terra tem a finalidade de ampliar suas consciência e, daqui, ensinar-los a amar como o Senhor Jesus ensina com seus Evangelhos. A vida na Terra é preciosa, porque tem o escopo de realizar a lei da evolução, que é um << processo para o qual a vida, por meio de formas sempre mais e mais organizadas, expressa graus sempre maiores de mente e de espírito 12 >>. ( minha nota : Para Espírito se entenda consciência, porque a Centelha Divina não é criada e não está sujeita a evolução 13 ). A vida tem sido ideada e realizados pelo Onipotente Deus para a salvação dos demônios por meio da vida e do homem 14 , com a lei fundamental da Evolução 15 - que um sacerdote antropólogo francês da Companhia de Jesus, Pierre Teilhard de Chardin, apelidado o << Darwin Cristão >> intuiu admiravelmente, Na vida alem ao lei da Evolução, há também a lei da reencarnação 16 e a misericordioso lei do carma 17 . Não resulta-nós que as obras de Teilhard tenhm sido publicadas em Itália, excepto que, por iniciativa de um benemérito jornalista italiano, Giancarlo Vigorelli 18 . Felizmente, um grande cientista francês, o físico experimental, Jean E. Charon, veio à conhecimento da obra do sacerdote Teilhard, estudou-a e, em seguida, ele descobriu e ele representou para os físicos do mundo, a teoria da relatividade complexa que representa a Realidade complexa, composta de espírito e matéria ou bem a grande Unificação. Em seu primeiro livro sobre o Espírito, o Espírito este desconhecido Charon citou esta frase de Teilhard: << é vindo o momento de realizar que uma interpretação também positivista, do universo deve, para ser satisfatória, cobrir o interior além que o fora das coisas, o Espírito ao mesmo modo da Matéria. A verdadeira Física é aquela que chegará um dia ou outro-lo a integrar o Homem total em uma representação coerente do mundo 19 >>. Desde muito tempo os Europeus têm disponível a Revelação do Senhor Jesus a Jakob Lorber, a demonstração científica do Todo que é Espírito e Matéria, feita por Charon e a Revelação dos Mestres espirituais do Cerchio Firenze Firenze 77 (círculo), mas os Europeus não cabito ainda que as tribulações da vida fazem-nós intuir durante a existências terrestres como devemos comportar vivendo sobre a Terra, porque a dor se é revelado ao onisciência de Deus o único modo para induzir os homens a tentar de caber por qual motivo são sujeitos ao dor: o dor 12 Cerchio Firenze 77, Per un mondo migliore, páginas 206 (Evoluzione) e 210 (Legge di evoluzione), Mediterranee 13 Cerchio Firenze 77, Per un mondo migliore, página 207 (Goccia ó Centelha Divina - Spirito - Sé), Mediterranee 14 Jakob Lorber, Il Signore parla, páginas 157-163 (La natura di Satana e le conseguenze della sua caduta), Armenia ( 15 Cerchio Firenze 77, Per un mondo migliore, página 206 (Evoluzione e página 210 Legge di evoluzione 16 Cerchio Firenze 77, Per un mondo migliore, página 214 (Reincarnazione) e Dizionario del Cerchio, páginas 238-240 (Reincarnazione), Berkley 17 Cerchio Firenze 77, Dizionario del Cerchio, página 153-156 (Karma) e páginas 157-159 (Legge di causa e di effetto o legge karmica), Mediterranee 18 Giancarlo Vigorelli, Il Gesuita proibito, Vita e opere di Pierre Teilhard de Chardin, Il Saggiatore 19 Jean E. Charon, Lo Spirito questo Sconosciuto; você vai encontrar a frase de Teilhard na página anterior o prefácio do livro acima mencionado, Armenia 4
  5. 5. faz o homem a compreender como eles devem se comportar 20 isto é observando o Decálogo 21 e os Mandamentos do amor 22 ; após tal entendimento a consciência do homem se amplia. Equanto aos Budistas eles não têm a humildade e a sabedoria de reconhecer que não pode ser negada no homem a existência do Espírito de Deus, a Centelha divina 23 que nós anima 24 , o dom do Deus Criador, Pai e Mãe de todos. O Ordine Gesù Redentore (Jesus Redentor Ordem) individua as culpas mais graves dos Países ricos em seus comportamentos egoístas, entre as quais a falta de caridade para com os Países pobres do mundo, mas pensa-se que as culpas mais graves (causas) foram as guerras e o culpas de ter planeado, construído e vendido armas, bombas, minas e cada tipo de máquinas de guerra a todo o mundo, bem como o know how para construir-los. Isto que está acontecendo no mundo nesta época (final do segundo milênio e o início do terceiro) é também devido ao expansionismo violento das seitas satânicas muçulmanas - o Islão violento (o) para qual agir eles receberão correções/ensinamentos inelutável, de acordo com as regras de ferro da lei de causa e de efeito 25 . O Senhor Jesus disse implicitamente que a transformação dos homens de seres materiais em seres espirituais acontece sob a prensa de lutas, tentações e dores 26 . Os Países ricos do mundo têm outras culpas grandes: por exemplo, o consumismo desenfreado, a falta do sentido do pudor, a sexualidade viciosa que temos feito tornar-se uma mercadoria trocada a nível internacional por organizações criminosas e por singular delinquents; a excessiva admiração por divos de hoje, seja para aquêles do espetáculo que para os jogadores de futebol ou de outros esportes exorbita na adoração de ídolos que é proibida pelo primeiro Mandamento do Decálogo 27 , porque só Deus deve ser adorado. Os Europeus, sendo comportado-se de forma egoísta ou muito ruim eles têm visto para tornar em seus países o fantasma da guerra, não obstante que eles já haveriam conquistado a paz com uma federação de Estados irmãos. O fantasma da guerra tem também retornado em outros Países ricos,. Para a lei de causa e de efeito, em base ao qual se recolhe isto que é semeado 28 , também a guerra recair sobre nós sob a forma de matanças de terrorismo de matriz Árabe. Os islâmicos também – antes os Muçulmanos - por suas culpas que são enormes receberam, recebem e receberão correções /ensinamentos cármicos, pois que eles habitualmente a 20 Cerchio Firenze 77, Dizionario del Cerchio, páginas 75-77 (Dolore), Mediterranee 21 Deuteronomio 5, 6-22 22 Levitico 19, 18 ; Deuteronomio 6, 4-9 23 Cerchio Firenze 77, Per un mondo migliore, página 207 (Goccia ó Scintilla Divina - Spirito - Sé), Mediterranee 24 Cerchio Firenze 77, La Fonte Preziosa, página 267, Mediterranee 25 Cerchio Firenze 77, Per un mondo migliore, página 209 (Karma) e Dizionario del Cerchio, páginas 153-156 (Karma) e páginas 157-159 (Legge di causa e di effetto o Legge karmica), Mediterranee 26 Jakob Lorber, Il Signore parla, página 162, Arménia 27 Deuteronomio 5, 6-22 28 Cerchio Firenze 77, Le grandi verità ricercate dall'uomo, páginas 43-49 (La dinamica del karma), Mediterranee 5
  6. 6. programam a ocupação de terras estrangeiras até o tempo de um dos primeiros califas (excluídos Abu Bark, parecer de quem escreve). Entre as culpas dos Europeus também há aquela de não ter considerado que os habitantes do Sul do mundo, são nossos irmãos. Nem nós,temos tido compaixão deles, também para quanto resguarda o maior valor das suas matérias-primas. Não temos sabido compreender que as riquezas que a Europa foi capaz de produzir, assim como outros Estados ricos do mundo, teriam devido ser usado para ajudar as populações pobres também para libertar-se da fome, da sede, das doenças e da ignorância, porque dos Países pobres têm origem e são originários de quase todas as matérias-primas. Isto não obstante a riqueza dos recursos naturais tem sido quase exclusivamente utilizado pelos povos ricos para si mesmos. E depois, entre os Europeus há este desejo difundido de gozar sempre mais dos bens terrestres, de divertir-se, de correr atrás para a fatuous felicidade que o homem idealiza, puxando mais e mais aos prazeres do mundo e da carne, e ao venda de produtos industriais, incluídas as armas, munições, máquinas de guerra e similares. Os ricos preferem os divertimentos e o consumismo para gratificar si mesmos. E, resguardo ao religião, eles tornam-se em boa parte os ateus ou indiferentes. A maioria dos ricos deserta também as funções eclesiásticas esquccendo Deus ou lembrar-se lo uma vez tanto ou em ocasião das tribulações, que são correcções / ensinamentos cármicos, também se eles não sabem-lo. Nós Europeus temos deixado também de procriar para gozar nós a sexualidade sem empenhos filiais temos institucionalizado o abôrto, isto é o infanticídio dos nossos mesmo filhos semelhantemente aos populações primitivas da antiguidade 29 . Temos também institucionalizado o trabalho da mulher, como se os seus filhos não teriam necessidade de sua mãe pelo menos metade do dia; temos também perdido o sentido do pudor, et caetera. Desta forma, sendo as coisas nós não evitaremos a pedagogia divina da misericordiosa lei de causa e de efeito, ou lei do carma 30 . E como nós Europeus, temos feito, mais ou menos, todos os povos ricos, mas também eles estão sujeitos à lei karmica como todos os outros homens. As responsabilidades dos Países ricos do mundo e do ONU e a voz da consciência dos sábios: Se temos pensado e agido tão mal, isto significa que ainda não temos compreendido o sentido e a finalidade da vida terrestre, porque "…o homem na prosperidade não compreende 31 " o Senhor Deus disse das existências terrestres: "… pois que um vida feliz, mas estéril, não é tanto preciosa quanto uma atormentada que doe compreensão …. 32 ". 29 Il Corano, trad. L. Bonelli, sura XVI 57-61 e sura XVII 32-33, Ulrico Hoepli 30 Cerchio Firenze 77, Maestro perché?, páginas 71-94 (La legge del karma); Dizionario del Cerchio, páginas 157-159 (Legge di causa e di effetto o Legge karmica), Mediterranee 31 Salmo 49, 21 32 Cerchio Firenze 77, La Fonte Preziosa, página 230, Mediterranee 6
  7. 7. Muitas vozes que se eram levadas nos últimos vinte/vinte e cinco anos (1975 -2000) para sugerir aos povos ricos de ajudar as populações pobres à "construir-se” uma vida digna" no Sul do mundo, isto é em suas casa, não foram escutadas. Por algunas razões egoístas, que todos nós conhecemos, foi preferido fazer caridade interessada; por exemplo " Construindo catedrais no deserto" ou outras obras inúteis ou quase ou vendendo máquinas que os Africanos não têm sido capazes de usar, ou pior ainda, como já disse, vendendo armas, minas e máquinas de guerra. As vozes dos sábios tinham sugerido e continuam a sugerir-nós : - Você renunciem a créditos para os Países pobres (em que ali seria muito a dizer, pois que aquelas pessoas que são chamado à pagar tais empréstimos, isto é o cidadãos, têm recebiso sòmente as migalhas de tais empréstimos, assim como é pois são fácil entender, entre as coisas inúteis para eles e os traficantes e ladrões de aqui e além do mar). Infelizmente o reembolso do devido exterior não vem pedido a quem beneficiou de ganhos exorbitantes ou de apropriaçãos e de distrações ilegais de fundos em suas próprias contas correntes em um paraíso fiscal, mas o reembolso do débito feito vem pedido ao Estado do Terceiro Mundo, em nome de qual foi aceso o débito mesmo. Tais Nações para pagar os interesses ou as prestações dos empréstimos não podem enfrentar os custos dos serviços indispensáveis aos população, no tempo que os cabos povo, a rica burguesia as suas famílias, chapinham no luxo como porcos em um porqueira; - Você fazem obras simples, útiis e duradoura, disseram e continuam a dizer os sábios, aqueles obras que - a poderia tornar disponível a agua que existe em profundidade - para uma exemplo em África - sem a qual os frutos da terra não nascem ou crescem pouco; - Ajudar os Países pobres a sair da tantas dificuldades, curando eficazmente as doenças endêmicas, aos quais desde mais de 20 anos (desde 1980) se é juntada, a terríficante epidemia de Hiv/Aids; - Falando desta última doença destrutiva dos homens e das economias e os muito ricos indústrias farmacêuticas foi dito: você doam aos medicamentos para os Países pobres (por exemplo, da África, onde a doença se enfurecia) para meter-los em grau de tornar a meter em seus pés suas economias pobres e seus serviços sanitários. Sabemos que algo foi feito, mas, em seguida, as pessoas potentes do mundo, EUA, para primeiros, preferiram distribuir mais útil lucros a seus acionistas, no tempo que a doença se enfurecia; recentemente, os medicamentos anti-Hiv/Aids são produzidos na Índia e no Brasil para que eles custam menos para as populações pobres. - No terceiro mundo têm sido elevadas inúmeros protestas para a utilização dos fundos da parte de muitas agências das Nações Unidas, fundos que teria de servir para livrar-los da escravidão da fome, da sede, das doenças e do analfabetismo. Os pobres homens, 7
  8. 8. directamente ou através os missionários, disseram: os ingentes fundos assinados para nós são praticamente absorvido pelos salários pagos aos funcionários brancos por custos fixos e despesas gerais para fazer funcionar tais, Agências das Nações Unidas; foi também pedido de assumir pessoal local. Quai disposiçãos foram tomadas por pessoas potentes do mundo nas Nações Unidas? Provavelmente nenhum, no tempo que os anos continuavam à passer e os pobres homens continuavam à morrer ou à viver também abaixo do limite de pobreza. Permanecendo desatentidas tais vozes, eis então que prove a lei de causa e de efeito, ou lei do carma à induzir-nós a recobrar a razão com as matanças feitas pelos Fundamentalistas islâmicos, o Jihad e a imigração clandestina, que são os efeitos das causas por nós movidas (nossos comportamentos egoístas ou malévolo, entre quais a indiferença). De fato, para a reação e para desesperação os afadigados e oprimidos do Sul do mundo são vindos à viver no hemisfério Norte e, com eles, são vindas muitas pessoas feias, entre os quais os fundamentalistas islâmicos violentos, imans belicistas e combatentes muçulmanos, alguns dos quais são potenciais terroristas 33 . A desordem do mundo é muito grande já: por isto, para nosso mesmo bem e para fazer coisa agradável a Deus e a todos os homens que sofrem, é chegado a hora que nós, Europeus (e com todos nós os ricos do Norte, do Sul, do Oriente e do Ocidente do mundo) se copreenda o sentido e a finalidade da vida terrestre: supercar o eu, o egoísmo e o egocentrismo para entender que não estamos separados do Deus do amor e dos outros homens 34 ; ao contrário, em Espírito somos uma família 35 procriada pelo Deus do amor 36 e, por conseguinte, unidos por uma relação de amor 37 , também se nós não sabemos-lo ou não queremos-lo crer: da esta família humana nós fazem parte indissoluvelmente, nós agrade ou menos, nós quera ou menos pois que é uma realidade da vida em que todo é Um 38 . Todos os homens são uma parte de Deus porque Deus é absoluto; por isso o Senhor não é limitado nem de algum ser vivo, nem de alguma coisa ou mundo ou universo, porque Deus é o todo e o todo é um 39 . Espero que êste se tornou claro para todos, porque se Deus fosse lá e nós fôssemos aqui, dividido por Ele, o Senhor não seria infinito, pois que cada um de nós limitaria-lo. E o mesmo se pode dizer de todas as coisas e dos mundos que são em Deus, o Todo-Um-Absoluto 40 . A Altíssimo tem-se dito com certeza desde a antiguidade, 33 Magdi Allam, Jihad na Italia, páginas 23, 42, 67, 95, 102, 106, 115, 134, 136, 138, 141, 142, 143, 144, 165, 166, 169 e 192, a menos que outras páginas, Oscar Mondadori 34 Eileen Caddy, Le porte interiori, Mensagens, datada de 29 de Maio e 4 e 12 de Setembro, Amrita 35 Eileen Caddy, Le porte interiori, Mensagem de 4 de Setembro , Amrita 36 Eileen Caddy, La voce di Dio a Findhorn, página 42, o Mediterranee 37 Eileen Caddy, Le porte interiori, mensagem, datada de 12 de Setembro , Amrita 38 Eileen Caddy, La voce di Dio a Findhorn, página 26, o Mediterranee 39 Maria Valtorta, L'Evangelo come mi è stato rivelato, Vol. VI , páginas 7 e 231, o CEV srl, 03036 Isola del Liri (Frosonone), Itália; Eileen Caddy, Le porte interiori, Mensagem, datada de 29 de Agosto , Amrita 40 Cerchio Firenze 77, Dizionario del Cerchio, páginas 33-34 (Assoluto), páginas 71-72 (Dio) e páginas 296-297 ( Tutto ;Tutto è perfetto ; Tutto-Uno-Assoluto), Mediterranee 8
  9. 9. de que Ele está dentro de nós 41 , porque isto é uma Realidade do Espírito. Ele é o nosso Deus, e à Ele os homens devemos obediência, também se Lúcifer, o outros daemons, Eva e Adão não deu certo o bom exemplo obrigando o Criador, para salvar os demônios do jugo de Satanás e da matéria, à inventar e à realizar a vida como nós a conhecemos, exposta a lutas, tentações e dores 42 , com a finalidade de readmitir todos os demônios no Reino dos Céus depois de ter feito ampliar suas consciência por meio da vida no Cosmos (mundos físico, com a Terra, astral, mental e akasico ou da consciência 43 ) e do homem, mas, respeitando a liberdade de escolha de cada homem porque o princípio da liberdade é o primeiro princípio da vida e aquêle do aperfeiçoamento é o segundo 44 . Deriva de quanto acima que todos os homens devem fazer o esforço cristão da verdadeira conversão, do mudar - isto é - a mentalidade e estilo de vida, fundando-las sobre os ensinamentos que o Redentor nós dá nos Evangelhos, à começar da observância do Decálogo, dos Mandamentos do amor, a partir de valores dos discursos sobre as Beatitudes 45 e da regra de ouro: " Você também fazer para os outros todo o que você querem que eles fazem para você; assim comanda a lei de Mosè e assim os profetas ensinaram 46 ". Queremos cooperar para melhorar o mundo? Cada um pode fazer-lo para sua parte infinitesimal, mas devemos converter-nos 47 cambiandoa os escopos da nossa vida, devemos deixar de pensar em nós mesmos e devemos começar a dedicar nossa vida para aos outros; de isto derivará uma mudança de mentalidade, porque também nossos pensamentos cambiarão e, por conseguinte, nossos desejos, pois seremos tornados-se altruístas. Se começaremos a pensar no bem dos outros e a fazer-lhes isto que quererímos fosse feito a nós procurando de compreender-los sem criticar-los ou julgar-los, então começaremos – interessando nós de lhes e pensando ao lhes bem sobre - a amar-los 48 , tornando-se assim verdadeiros cristãos sem fins de interesses pessoais para obter algo deles, de Deus ou de outros. Só então começaremos, sem perceber, a amar os outros em base ao segundo Mandamento do amor " amar os outros como a nós mesmos 49 ", porque " o amor é necessário em todos os lugares; o amor é serviço, é ação; o amor não é um confusa, vaga emoção de que falar. Aprende à demonstrar-lo em todo isto que você fazes 50 ". Desta forma, cambiaremos também o escopo humano da nossa existência; e isto agradará muito à Deus; cada homem começando a amar poderá, efetivamenre, a cooperar com Deus para 41 Deuteronomio 30, 11-14 ; Il Corano, trad. L. Bonelli, sura L 15, Ulrico Hoepli 42 Jakob Lorber, Il Signore parla, página 162, arménia 43 Cerchio Firenze 77, Dizionario del Cerchio, páginas 64-65 (Cosmo), Mediterranee 44 Jakob Lorber, Il Signore parla, página 162, Arménia 45 Vangelo di Matteo 5, 1-12 Vangelo de Luca 6, 20-23 46 Vangelo di Matteo 7, 12 47 Vangelo di Matteo 4-17, 48 Eileen Caddy, Le porte interiori, mensagem, datada de 13 de Agosto , Amrita 49 Levitico 19, 18 50 Eileen Caddy, La voce di Dio a Findhorn, página 77, Mediterranee 9
  10. 10. melhorar o mundo, em primeiro lugar, porque nós terrmos melhorado a nós mesmos, também através o auto conhecimento 51 e auto psicanálise 52 . Não existem outras formas com que os homens podem melhorar o mundo, se não melhorar si mesmos como o Mestres espirituais do Cerchio Firenze 77 (Círculo Florença 77) ensinam. E agindo assim se cooperará à diminuir a avidezes de poder, de riqueza e de domínio e, consequentemente, o conflitos sobre a terra. Aprendemos e refletimos sobre o Decálogo, ou seja, os Dez Mandamentos, e sobre os Mandamentos do amor: a Lei de Deus do Sinai, o Decálogo, é eterna e não vale para os Judeus solos e para solos Cristãos, mas vale para todos os homens, porque todos são filhos de Deus à qualquer povo ou religião pertencam. O Decálogo foi escrito pelo próprio Deus em duas tábuas de pedra 53 : Os Dez Mandamentos são o caminho que todos os homens devem percorrer para tornar-se santos e, por isto, para entrar no Reino dos Céus. Os homens e as religiões devem conhecer e reflectir sobre o Decálogo para saber como eles devem se comportar no relacionamento com Deus e com os outros homens seus irmãos, porque <<… todos os indivíduos têm origem em Deus e eles formam uma única família … 54 .>>. No século XX, o Senhor Deus disse à Eileen Caddy da Comunidade de Findhorn << Para muitas almas, é difícil aceitar a suas relação de amor com todos os outros seres humanos. Tal separação é a origem de todos os sofrimentos do mundo, dos conflitos e das guerras. O lugar para começar a tornar a meter ordem nas coisas é em ti mesmo e nas relações pessoais com todas as almas que encontras: você deixa de apontar o dedo e a ser crítico para as almas com as quais você não tens sucesso a intenderti, você põe em ordem a tua casa. Você tens bastante de fazer in ti mesmo sem reduzir em pedaços, os seres humanos e teus companheiros e sem evidênciar dêste os defeitos, as falência e os culpas. Quando você estarás disposto para olharte em rosto e à corrigir as coisas dentro de você, você poderás ajudar então a seus companheiros seres humanos simplesmente através o exemplo, sem críticas, intolerância e de palavras de exprobração. Ama o teus semelhante, como eu amo você. Ajudá-los, abençoá-los, encorajá-los e você ver neles só o melhor lado 55 >>. Tornando aos Dez Mandamentos é indispensável que seja aprendido pela memória por cada homem e seja observados todos os dias "vivendo", tais preceitos. Falando do Decálogo, o Senhor Jesus disse: <<… você veem que isto eu digo é ainda o Decálogo. O Decálogo é sempre a palavra do rabino. Porque o bem, a justiça, a glória está em fazer isto que o Decálogo ensina e ordena de fazer. Não há outra doutrina. Então dada entre os fulgores do Sinai, agora entre os fulgores da misericórdia, mas a doutrina é aquela. E não muda e não pode mudar. Muitos deles,à lhes desculpa, vai dizeráo em Israel, para justificar de não ser santos também após a passagem sobre a terra do Salvador: "Eu não tenho tido a oportunidade de 51 Cerchio Firenze 77, Dizionario del Cerchio, páginas 35-36 (Autoconoscenza), Mediterranee 52 Cerchio Firenze 77, Dizionario del Cerchio, página 37 (Autopsicanalizi), Mediterranee 53 Esodo 31, 18 54 Eileen Caddy, Le porte interiori, Mensagem, datada de 4 de Setembro, Amrita 55 Eileen Caddy, Le porte interiori, Mensagem, datada de 12 de Setembro, Amrita 10
  11. 11. seguir-lo e escutar-lo." Mas eles desculpa não tem nenhum valor. Porque o Salvador não é vindo para pôr uma nova lei, mas de reconhecer a primeira a única lei. Ao invés à reconfirmar-la na sua nudez santa, na sua perfeita simplicidade. A reconfirmar com amor, e com promessas de certo amor de Deus, isto que antes havia sido dito com rigor, por um lado, e escutado com temor medo pela outra… 56 .>>. Os Dez Mandamentos são: A . Primeiro Mandamento: Eu sou o Senhor, vosso Deus: Você não terás outro Deus fora de Mim; B. Segundo Mandamento: Não nomear em vão o nome de Deus; C. Terceiro Mandamento: Recorda-te de santificar as festas; D. Quarto Mandamento: honrar o pai e a mãe; E . Quinto Mandamento: Não matar; F. Sexto Mandamento: Não cometer adultério; G. Sétimo Mandamento: Não roubar; H. Oitavo Mandamento: Não dizer falsa testemunho; I. Nono Mandamento: Não desejar a mulher dos outros; L. Décimo Mandamento: Não desejar a roupa dos outros 57 . Os Mandamentos do amor são: 1.<< O ama, o Senhor, teu Deus, com todo o teu coração, com toda a tua alma e com toda tua mente. Este é o mandamento mais grande e o mais importante >>. 2. O segundo é igualmente importante: << Ama o teu próximo como a a ti mesmo. Toda a lei de Mosè e todo o ensinamento dos profetas dependem desses dois mandamentos 58 >>. É indispensável que todos os homens além ao Decálogo conhecam também os Mandamentos do amor e coloca-los em prática em um certo ponto da suas evolução espiritual na terra, quando eles terão superado seus eu e seus egoísmo 59 , se eles quererão se tornar santos e entrar no Reino dos Céus, porque <<O amor cumpre a lei. Você cumpre a lei do amor e todos os outros trovarão o seu cumprimento. O amor é o maior poder de união do universo. O amor abre todas as portas. O amor leva harmonia e compreensão, onde não existe qualquer outra coisa que desarmonia e a incompreensão. Você abre teu coração e deixa que o meu amor divino flui livremente. Você manifesta êste amor divino em cento e uma maneira 60 >>. 56 Maria Valtorta, L'Evangelo come mi è stato rivelato, Vol. VII, páginas 123-124, CEV srl, 03036 Isola del Liri (Frosinone), Itália 57 Deuteronomio 5, 6-22 58 Vangelo di Matteo 22, 37-40 59 Cerchio Firenze 77, La voce dell'ignoto, páginas 45-50, Mediterranee 60 Eileen Caddy, La voce di Dio a Findhorn, página 146, Mediterranee 11
  12. 12. O ensinamento do conhecer si mesmo é útilíssimo 61 ; por isto, é importantíssimo aprender a conhecer si mesmos porque nosso eu egoístico humano e daqui nosso egoísmo se podem superar sòmente descobrendo quais o capital vícios e quais defeitos temos simplesmente rendendo nós sabedores deles "… porque é êste conhecimento que, por um processo natural, vós tornará livre de aquêles limites que estão na base de cada concepção egoística, truncando assim pela raiz a causa de todas as incompreensões e todos dores 62 "; neste processo natural nós devemos ver a mão de Deus 63 que sempre nos ajuda para nos fazer crescer espiritualmente, ampliando a nossa consciência. A reflexão sobre as nossas transgressões para aos três mais importantes leis espirituais de Deus: Decálogo 64 e Mandamentos do amor 65 , transgressões que geralmente chamamos pecados, eles vão ajudar-nós a decidir-nós a fazer o primeiro passo em direção da conversão 66 ; tomada tal decisão, é indispensável que, através a introspecção ou auto psicanálise 67 objectivamente se começas a conhecer a nós mesmos buscando a verdade do nosso ser interior 68 . É também muito importante que se começas a pensar com nossa cabeça e verdades e que se procurem dentro de nós, invés, que ao exterior 69 . Quando encontramos dificuldades vamos virar para o Jesus Redentor para ter a ajuda de que temos necessidade, porque a conversão não é uma caminhada fácil, todo outro! E a iniciativa deve ser sempre do homem. Deus e Seu Cristo estão sempre prontos a nos ajudar, mas está à nóa a nós ajudar para a primeira, como nos lembra o sábio provérbio "ajuda você que Deus ajuda você " porque na vida espiritual, cada um deve fazer o seu trabalho e a pensar com a sua cabeça encontrando as soluções para seus problemas, caminhando com suas pernas, sem nunca esperar que alguém faza em seu lugar, todo aquêle que deve ser feito é virar o olhar dentro de nós, buscando a verdade de nós mesmos e dentro de nós trovar-emos-la 70 . Refletimos sobre o amor e sobre a unidade da vida, que é um mosaico 71 : Se queremos efectivamente melhorar o mundo, se queremos evitar que o caos do mundo aumenta, para o nosso mesmo bem, devemos compreender que é chegado o tempo que cada um de nós refleta sobre o amor, que irá consolidar a união dos individuais e os povos na diversidade dos muitos em Um, porque somos todos filhos do único Pai-Mãe-Deus e, por isto, formamos um Única 61 Cerchio Firenze 77, Per un mondo migliore, páginas 45-61 (Conosci te stesso) ; Maestro, perché? paginas 121-130 (Conosci te stesso), Mediterranee 62 Cerchio Firenze 77, La voce dell'ignoto, páginas 45-50, Mediterranee 63 Eileen Caddy, Le porte interiori, Mensagens, datada de 14 de Novembro e 14 de Dezembro , Amrita, 64 Deuteronomio 5, 6-22 65 Levitico 19, 18 e Deuteronomio 6, 4-9 66 Vangelo di Matteo 4, 17 67 Cerchio Firenze 77, Dizionario del Cerchio, página 37 (Autopsicanalizi), Mediterranee 68 Tommaso apostolo, Il quinto Vangelo, trad. Mario Pincherle, páginas 17-19, e Cerchio Firenze 77 Macroedizioni, Dizionario del Cerchio, páginas 54-55 (Conoscere se stessi), Mediterranee 69 Eileen Caddy, Le porte interiori, Mensagens de Janeiro 23 , 24 ª e 28 ª , 8 de Abril, 30 de Maio e 29 Agosto 29, Amrita ; Eileen Caddy, La voce di Dio a Findhorn, página 61, Mediterranee 70 Eileen Caddy, Le porte interiori, mensagem, datada de 30 de Maio, Amrita 71 Eileen Caddy, Le porte interiori, Mensagens de 17 de Maio e 14 de Agosto, Amrita 12
  13. 13. Família 72 ; cada homem é como um téssera de uma infinito mosaico espiritual 73 , cada um deles com suas próprias qualidades.peculiares (seus talentos e seus dotes). Devemos fazer de tal forma, com a ajuda das religiões, todos juntos, no lhe juntos, que ali não seja mais desfrutamento do mais forte e do mais rico sobre o mais débil porque todos têm o direito a uma repartição equitativa do valor dos recursos terrestres, dom de Deus, mas também de aqueles criadas pelo homem. De que irá derivar que não serão muitos migrantes de Países pobres e quase ninguém, salvo as sólitas exceções, se afasrterá do seu belo País e de seus afetos, porque todo poderão ter isto que lhe serve a a sua casa, a começar do trabalho, dos serviços sociais e da instrução e, por isto, não serão mais , ou diminuirão muito tanto o ódio que a inveja dos homens pobres para os ricos. Quanto ao ódio, fonte de dores e ais terríveis, se deve recorder sempre que teve origem em Satanás, que é ainda agora aquêle que quer a guerra e o ódio 74 , que engana e que ainda é potente, como também nosso perseguidor 75 . A roda dos nascimentos, dos mortes 76 e o expansionismo radical islâmico 77 : os homens devem entender que para o princípio da liberdade a iniciativa e o trabalho a ser salvos da cadeia dos nascimentos e mortes e isto é da cadeia das lutas, das tentações e das dores impende exclusivamente em cada um de nós 78 . Para nós a escolha, portanto, para nós, o primeiro movimento, como o Senhor Jesus nos ensina " converter-vós porque o Reino dos Céus está próximo 79 " (minha nota: a proximidade é espacial e temporal parece-me juntos). O homem tem de compreender, pensando com a sua cabeça, encontrando sozinho a solução aos seus problemas e caminhando com as pernas 80 , que sua transformação, de ser egoísta à um ser altruísta pode começar sòmente apenas de si mesmo, pois que não há ninguém, tão pouco o Senhor Jesus, que é também o misericordioso Redentor e Salvador do homem que Ele quer fazer-la em nosso lugar, pois que - se ela fez itso – levaria em Céu dos autômatos espirituais, indignos de viver ali sem a luz do auto-consciência 81 . Por isto, o Senhor Jesus nós ajudará sòmente se nós tomaremos a iniciativa da conversão duradoura para nossa escolha livres e autónomas, com conseqüente empenho de vida, porque o princípio da liberdade é o primeiro princípio da vida e aquêle do aperfeiçoamento é o segundo 82 . O Senhor Jesus atende com confiança a nossa conversão, para nós redimir durante a caminho no nosso peculiar senda 72 Eileen Caddy, Le porte interiori, Mensagem, datada de 4 de Setembro, Amrita 73 Eileen Caddy, Le porte interiori, as mensagens com data de Maio de 17 Maio e 17 de Agosto, Amrita 74 Maria de Nazaré, Messaggi da Medjugorje, datada de 25 de Setembro de 2001, Shalom 75 Você vê os documentos sobre Satanás no mesmo Catecismo no Aprofundamentos de Anjos e Demônios 76 Cerchio Firenze 77, Maestro perché?, páginas 45-70 (La ruota delle nascite e delle morti), Mediterranee 77 Magdi Allam, Jihad na Italia, páginas 40, 115, 132, 187 e seguintes, 194 e 198 e seguintes, salvo se outros 78 Eileen Caddy, Le porte interiori, as mensagens com data de Maio de 30 th E Agosto 29 th , Amrita 79 Evangelho di Matteo4, 17 80 Eileen Caddy, Le porte interiori, as mensagens com data de Maio de 30 Maio e Agosto 29 th , Amrita 81 Jakob Lorber, Il Signore parla, página 161, Armenia 82 Jakob Lorber, Il Signore parla, página 162, Armenia 13
  14. 14. espiritual, porque Ele tem fé em nós . Esta ajuda está disponível para quem quer que seja - à qualquer religião ou povo pertenca 83 - mas seria melhor que a Ele se dirige com confiança depois ter começado a estudar os Evangelhos. O caminho da transformação do homem de ser egoísta em um ser altruísta não é nem fácil, nem muito difícil; é indicada nos Evangelhos particularmente no Evangelho do apóstolo João nos capítulos 14 e 15: "Quem me ama observa os meus mandamentos; se você me amam, observaráo os meus mandamentos". Não podemos certo dizer que os homens não sabam como fazer para tornar-se pessoas altruístas 84 fazendo aos outros aquêle que quereríamos fosse feito à nós 85 . Chegou a hora que os povos do mundo refletam sobre o fato de que o Islamismo tem sido inspirado os fundamentalistas de La Meca (os chefes Sauditas de ontem e de hoje 86 ) desde os tempos antigos (excepção feita, em nossa opinião, só para o primeiro califa Abu Bark, o fiel companheiro do Profeta Maomé, provavelmente um verdadeiro muçulmano, que é um homem inteiramente dedicado a Deus 87 ). De acordo com um nosso estudo, disponível em este Catecismo 88 , o expansionismo Árabe é fundada sobre a errada interpretação de vários temas do Alcorão, pois que os Fundamentalistas da La Meca eram notoriamente ávidos de riqueza e de domínio no tempo de Maomé também 89 e assim nos séculos eles têm adaptado e continuam a adaptar a Revelação do Alcorão aos lhe avidezes, fontes de inúmeros e graves conflitos também nesta época, final do segundo milênio e o início do terceiro, (por exemplo, a matança dos Cristãos no Sul, Sul Sudão). Sabemos que os Fundamentalistas islâmicos querem árabizzare o mundo e para eles, homens primitivos espiritualmente, a fim justifica também a matança de inocentes como aquela de Nova York e de Madrid. A propaganda para o Jihad e para a vingança é uma prova dêste. Qualquer avidez ou desculpa torna-se, para êles, um razão para combater contra os infiéis – isto é todos os Não muçulmanos – também se a Guerra do profeta Maomé devia cessar com a afirmação da nova religião dos Árabes, que demonstra o comportamento do profeta após a conquista de La Meca. Maomé " não pediu e não impôs, conversões " aos Beduínos pagãos, mas ordenou que " a fim do culto dos ídolos para todos e em cada casa " : " Quem crê em Deus e no Profeta, não deixe os ídolos em sua própria casa, mas quebrá-las e queimá-los: a venda dos ídolos não é permitido. Além disso Mohammed fez destruir sistemàticamente os santuários pagãos em torno ao Meca e a abater dêste os ídolos sistemàticamente 90 . 83 Eileen Caddy, Le porte interiori, Mensagens de 24 e 25 de Dezembro, Amrita ; Cerchio Firenze 77, Le grandi veritù ricercate dalll’uomo, páginas 160-161 (Il “ritorno” del Cristo), Mediterranee 84 Vangelo di Luca 10, 29-37 85 Vangelo di Matteo 7, 12 86 Magdi Allam, Jihad na Italia, páginas 33 e 141, Oscar Mondadori 87 Alessandro Nangeroni, Dizionario del Corano, página 5, sura III 67 (Abramo), Xenia Tascabili 88 Elaborado 4 89 Sergio Noja, Maometto profeta dell'Islam, páginas 126-127, Oscar Mondadori 90 Sergio Noja, Maometto profeta dell'Islam, páginas 244-245, Oscar Mondadori 14
  15. 15. De acordo com o Corão para infiel deve ser entendido sòmente um politeísta, isto é um Beduíno, do tempo de Maomé, mas não certamente, um Hebreu, um Cristão, um Sabeo 91 ou outras pessoas que creem em Deus. Em cada caso, o Senhor Deus prescreveu aos Árabes de respeitar a liberdade religiosa, ordenando: - Ali não seja alguma constrição na religião … 92 ", ou bem, uma vez afirmada a religião do verdadeiro Deus na Arábia, os Bedouins eram livres de continuar ou menos à ser politeísta e, à maior razão, cremos que Maomé teria respeitado a liberdade religiosa de outros povos; - " Dize: a verdade vem de vosso Senhor, e quem quer, acredita e quem quer, não acredita. Nós certo temos preparados para o iníquos fogo cuja redemoinho de fumo, envolverá-los de cada parte; e, se eles implorarão ajuda, eles virão socorridos com água como cobre fundido, que, quando beberão-la, assará lhes os rostos; qual horrível bebida e qual triste enxêrga 93 "! Uma prova da ferocidade mais que bestial dos Terroristas islâmicos e da sua sede de sangue - não ignota aos Bedouins do tempo de Maomé 94 , povo primitivo 95 - é fornecida pelas matanças abates em Nova York e Madrid. Com as matanças, de fato os Terroristas matam ferozmente, indiscriminadamente e vilmente todas aquelas pessoas que estão em um datum hora e em um datum lugar, sem algum respeito pelas meninos, mulheres, velhos e homens inocentes, fazendo muito pior de como eles fazem também hoje, todas as outras sociedades primitivas que ensinam a matar os inimigos 96 . Aparentemente nada parece mudado da época das guerras entre tribos em Arábia, adversas para o contemporâneos Fundamentalistas islâmicos que predicam o Jihad, guerra demoníaca certamente, pois que é Satanás que odia e quer a guerra 97 . Sobretudo os Terroristas , incrivelmente fanáticos, desapietados, covardes e abjectos, temos incrementado, a imprevisibilidade, a periculosidade e o demoníaca ferocidade das ações militares feitas no mundo contra cidadãos inermes, com a cobertura do anonimato e do evento improviso e inesperado. Aquêle que surpreende é que os Islâmicos moderados – ali onde não existe o domínio dos Terroristas islâmicos e, daqui, o perigo de vida ou de gravíssimas represálias - não tenham declarado os Terroristas organizações criminosas incompatível com o Islão, que significa submissão a Deus 98 . 91 Il Corano, trad. L. Bonelli, sura V 73, Ulrico Hoepli 92 Il Corano, trad. L. Bonelli sura II, 257-259 Ulrico Hoepli 93 Il Corano, trad. L. Bonelli, sura XVIII 28, Ulrico Hoepli 94 Sergio Noja, Maometto profeta dell'Islam, páginas 217 e 241, Oscar Mondadori 95 Il Corano, trad. L. Bonelli, sura XVII 33, Ulrico Hoepli 96 Cerchio Firenze 77, Maestro perché?, página 101, Mediterranee 97 Maria de Nazaré, Messaggi da Medjugorje, de 25 de Setembro de 2001, Shalom 98 Alessandro Nangeroni, Dizionario del Corano, página 62 (sura III 19 ), Xenia Tscabili 15
  16. 16. Contudo o profeta Maomé não era um fanático religioso e depois que ele derrotou o Coreisciti (seus inimigos) foi clemente com todos, especialmente com os cristãos 99 ; Ele ordenou de matar sòmente quem atacava-lo 100 . As religiões: as religiões juntamente, <<Todos juntos, em lhes juntos >> devem aliar-se o mais rapidamente possível para exercitar uma clara e contínua pressão sobre os Fundamentalistas do mundo, para eliminar tantas tragédias humanas. Reunindo-se em nome do Senhor Jesus as religiões rogem juntos o Senhor Deus 101 para dar um novo coração e uma nova mente para os Fundamentalistas violentos de todo o mundo e particularmente para os Terroristas para o amor que Deus tem para os homens de todas as Nações. Seja como seja, trabalhamos de mais, juntos, em qualquer parte do mundo as boas batalhas incruentas, para os pobres, a justiça e a paz; eles são as boas batalhas que agradam à Deus para melhorar a vida de êste planeta; nós podemos competir entre nós em fazer boas obras 102 . E assim, fazendo daramos mais coragem e esperança a todas as pessoas que se dirigirão ao Senhor Jesus, especialmente aos afadigados e aos oprimidos 103 , para realizar o sonho de um mundo melhor, mais bom, mais justo e pacífico. 99 Sergio Noja, Maometto profeta dell'Islam, página 269, Oscar Mondadori 100 Sergio Noja, Maometto profeta dell'Islam, páginas 243, 246 e 257, Oscar Mondadori 101 Evangelho di Matteo 18, 19-20 102 Il Corano, trad. L. Bonelli, sura V 53, Ulrico Hoepli 103 Vangelo di Matteo 11, 28-30 16

×