Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Avó e neto contra vento e areia

9.280 Aufrufe

Veröffentlicht am

Avó e neto contra vento e areia, A mulher que prendeu a chuva, Teolinda Gersão, guião de leitura, questionário

Veröffentlicht in: Bildung
  • Als Erste(r) kommentieren

  • Gehören Sie zu den Ersten, denen das gefällt!

Avó e neto contra vento e areia

  1. 1. Conto Contigo 7, p. 147
  2. 2.  1. e 2. Resposta aberta.  3. a) “Tinham ido à praia…” até “…uma manhã perfeita”;  b) “Até se levantar o vento” até “Ambas perdidas, no vento e na areia.”  c) “Avó, olha o cão do sr. Lourenço…” até ao final do conto.
  3. 3. 3.1. – Reconto de cada momento  1º momento – Numa manhã de verão, a avó e o neto foram à praia. A avó, feliz, por ter o neto ao seu cuidado, e o neto, contente, por ter ido brincar e nadar com a avó. Durante a manhã, a avó perdeu os óculos, mas pensou que depois arranjaria outros.
  4. 4.  2º momento – O tempo mudou de repente, levantou-se cada vez mais vento e o céu cobriu-se de nuvens. A avó, decidida a ir para casa, percebeu que não sabia onde estava. Entretanto, o neto espetou um pico no pé e queixava-se com dores. O tempo piorou e a avó, com o neto ao colo, tentava encontrar o caminho. À sua mente, vieram recordações de tempos tristes passados, em que perdera uma criança.  continua
  5. 5. 3.1. – Reconto de cada momento  Ficou com medo de que algo de semelhante acontecesse novamente. Forte e resoluta, continuou a caminhar.  3º momento – O neto avistou o cão do sr. Lourenço, o dono do café. Seguiram o cão e, passado pouco tempo, estavam em segurança dentro do café.
  6. 6. 4.1.  a) As palavras que comprovam a afirmação são “Muitos anos atrás”, “A lembrança”, “E depois os dias passavam”, “Durante muito tempo”; os verbos estão no pretérito perfeito, mais-que-perfeito e imperfeito.  b)Esta sequência explica os medos que a avó sentiu quando o tempo piorou – teve receio de voltar a perder uma criança.
  7. 7. 5.1. - Espaços  A ação decorre na praia, “Tinham ido à praia”, e no café do sr. Lourenço, “Em breve se sentavam à mesa do café”.
  8. 8. 5.2. – Espaço interior / espaço exterior  Podemos estabelecer uma relação entre o espaço exterior, a praia, e os momentos de desequilíbrio da ação (o perigo que avó e neto enfrentaram nesse espaço).  Já no espaço interior, dentro do café, voltaram a sentir-se protegidos.
  9. 9. 5.3. – divisão da narrativa em momentos  1º momento da ação: “Tinham ido à praia, porque estava uma manhã bonita”, (l. 1) até “…uma manhã perfeita” (l. 56);  2º momento da ação – “Até se levantar o vento. Na verdade não se percebeu por que razão de repente se levantou cada vez mais vento.” (l. 57 – 58 – 59) até “Ambas perdidas, no vento e na areia.” (l. 111);  continua
  10. 10. 5.3.  3º momento – (l. 118- 119) “Em breve se sentavam à mesa do café, e viam o vento levantar a areia. Mas agora isso passava-se lá fora, do lado de lá da janela.”
  11. 11. 6. - Personagens  As personagens principais são a avó e o neto.  6.1. 1º momento – A avó estava muito contente por ir à praia com o neto; achava o neto perfeito e sentia-se orgulhosa por ainda conseguir tomar conta dele. O neto estava contente por ir à praia com a avó; tinha cinco anos e sabia nadar muito bem, não assustava a avó e não tinha medo de nada.
  12. 12. 6.1.  2º momento – A avó ficou surpreendida e preocupada com a mudança repentina de vento; receosa por não saber onde estava, sentia-se perdida, cansada e não conseguia carregar o neto, corajosa e persistente. O neto estava com dores no pé, magoado, cansado.  3º momento – A avó fica feliz por encontrar o caminho de regresso; estava agradecida, sossegada e reconfortado. O neto ficou feliz por encontrar o cão e esqueceu a dor.
  13. 13. 6.2.  a) “o seu coração cantava” – avó  b) “era ainda suficientemente forte para ter alguém por quem olhar” – avó  c) “gostava de protegê-la contra os medos” – neto  d) “não tinha medo de nada” – neto  e) “tinha a sensação de entrar para dentro de fotografias, tiradas nos mesmos lugares, muitos anos antes.” – avó  f) “tinha a sensação de entender tudo” – avó  g) “era muito pesado” - neto
  14. 14. 6.2.1.  a) A avó estava feliz por estar com o seu neto e sentia isso no seu coração, que parecia cantar.  c) Apesar de ter apenas cinco anos, o neto percebia que não deveria assustar a avó com diabruras.  e) A avó, ao ver o neto, lembrava-se dos momentos bons, registados em fotografias e tornados únicos, passados com outros familiares, nos mesmos lugares.  f) A avó parecia compreender tudo, dada a sua experiência de vida.
  15. 15. 6.2.  6.2.2. “o seu coração cantava” - O recurso expressivo presente é a metáfora.  6.2.3. “entrar para dentro” - O pleonasmo presente na expressão reforça a ideia expressa de que a personagem parece ter a capacidade de se fundir com as fotografias.
  16. 16. 7. - Narrador  O narrador é não participante, “Tinham ido à praia…”, “A avó vestia uma saia clara e levava o neto pela mão.”  7.1. O narrador revela conhecer os sentimentos e o estado psicológico das personagens, “Ia muito contente, e o seu coração cantava”. e conhece os medos que se apoderaram da personagem avó, “a avó começou a ter medo de estar perdida”.
  17. 17. 8. Tema  O tema do conto é a relação afetuosa entre avó e neto.
  18. 18. “subiram para umas dunas à procura de camarinhas…” http://hortaaporta.blogspot.pt/2012/08/core ma-album-camarinha-caraminheira.html http://tentacoesobreamesa.blogspot.pt/2012 /09/geleia-de-camarinhas.html

×