DECISÃO DA EMPRESA EM
MERCADOS COMPETITIVOS
 Identificar e entender os fatores que estão por trás da
curva de oferta dos mercados em concorrência perfeita.
OBJETIVO ...
CARACTERIZAÇÃO DO MERCADO EM CONCORRÊNCIA
PERFEITA
 Um mercado extremamente concorrencial ou em
concorrência perfeita ser...
CARACTERIZAÇÃO DO MERCADO EM CONCORRÊNCIA
PERFEITA
 Como consequência destas características estruturais
dos mercados em ...
MEDIDAS DE RECEITA DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA
PERFEITA
 Receita total da firma seria dada pelo total produzido e
vendido ve...
MEDIDAS DE RECEITA DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA
PERFEITA
 A receita média da firma é dada pela divisão da receita
total da fi...
 Receita marginal é a variação na receita total decorrente
da venda de uma unidade adicional de produto. Sendo
dado pela ...
MEDIDAS DE RECEITA DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA
PERFEITA
 Exemplo:
Quantidade
(Q)
Preço
(P)
Receita Total
(RT=PxQ)
Receita Mé...
DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA:
MAXIMIZAÇÃO DE LUCRO E CURVA DE OFERTA
 A decisão da quantidade produzida que ...
DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA:
MAXIMIZAÇÃO DE LUCRO E CURVA DE OFERTA
 Gráfico da decisão da firma – Ponto aq...
DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA:
MAXIMIZAÇÃO DE LUCRO E CURVA DE OFERTA
 Gráfico da decisão da firma – Ponto al...
DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA:
MAXIMIZAÇÃO DE LUCRO E CURVA DE OFERTA
 Gráfico da decisão da firma – Ponto de...
DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA:
MAXIMIZAÇÃO DE LUCRO E CURVA DE OFERTA
 Gráfico da decisão da firma – Curva de...
MAXIMIZAÇÃO DE LUCRO OU MINIMIZAÇÃO DE
PREJUÍZO, E SUA MEDIÇÃO.
 Situação de Lucro Econômico Positivo e sua medição
Recei...
MAXIMIZAÇÃO DE LUCRO OU MINIMIZAÇÃO DE
PREJUÍZO, E SUA MEDIÇÃO.
 Situação de Lucro Econômico Zero e sua medição
Receita
e...
MAXIMIZAÇÃO DE LUCRO OU MINIMIZAÇÃO DE
PREJUÍZO, E SUA MEDIÇÃO.
 Situação de Lucro Econômico Negativo (Prejuízo) e sua
me...
DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO:
CARACTERIZAÇÃO
 Quando a empresa em concorrência perfeita enfrenta
prejuízo ...
DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO:
SUSPENSÃO DAS ATIVIDADES NO CURTO PRAZO
 A firma leva em consideração os cus...
DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO:
SUSPENSÃO DAS ATIVIDADES NO CURTO PRAZO
 Com isso, firma paralisará a produç...
DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO:
SUSPENSÃO DAS ATIVIDADES NO CURTO PRAZO
 Gráfico da decisão da firma – Suspe...
DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO:
SAÍDA DO MERCADO NO LONGO PRAZO
 No longo prazo, a firma sairá do mercado se...
DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO:
SAÍDA DO MERCADO NO LONGO PRAZO
 Gráfico da decisão da firma – Sair ou não d...
DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO:
OFERTA DA EMPRESA NO CURTO PRAZO
 Como no curto prazo mudanças estruturais n...
DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA:
OFERTA DA EMPRESA NO CURTO PRAZO
 Gráfico da decisão da firma – Curva de Ofert...
DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO:
OFERTA DA EMPRESA NO LONGO PRAZO
 No longo prazo mudanças estruturais passam...
DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA:
OFERTA DA EMPRESA NO LONGO PRAZO
 Gráfico da decisão da firma – Curva de Ofert...
DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO:
OFERTA DA EMPRESA NO LONGO PRAZO
 Ao final do processo de entrada e saída, a...
DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO:
OFERTA DA EMPRESA NO LONGO PRAZO
 Motivações para as empresas permanecem no ...
DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO: EFEITOS
DE UMA ALTERAÇÃO NA DEMANDA (DO CURTO PRAZO AO
LONGO PRAZO)
 Um merc...
DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO: EFEITOS
DE UMA ALTERAÇÃO NA DEMANDA (DO CURTO PRAZO AO
LONGO PRAZO)
 Como es...
DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA:
EFEITOS DE UMA ALTERAÇÃO NA DEMANDA (DO CURTO
PRAZO AO LONGO PRAZO)
 Gráfico d...
DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA:
EFEITOS DE UMA ALTERAÇÃO NA DEMANDA (DO CURTO
PRAZO AO LONGO PRAZO)
 Gráfico d...
DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA:
EFEITOS DE UMA ALTERAÇÃO NA DEMANDA (DO CURTO
PRAZO AO LONGO PRAZO)
 Gráfico d...
DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO:
MERCADOS COM CURVA DE OFERTA ASCENDENTE NO LONGO
PRAZO
 Alguns mercados com ...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
 MANKIW, N. G. Introdução à Economia. São Paulo:
Cengage Learning, 2009. 838 pg.
 VASCONCELLO...
Nächste SlideShare
Wird geladen in …5
×

Decisão da empresa em mercados competitivos

23.200 Aufrufe

Veröffentlicht am

Curso de decisão da firma em mercados de concorrência perfeita para cursos superiores e para não economistas

Veröffentlicht in: Bildung

Decisão da empresa em mercados competitivos

  1. 1. DECISÃO DA EMPRESA EM MERCADOS COMPETITIVOS
  2. 2.  Identificar e entender os fatores que estão por trás da curva de oferta dos mercados em concorrência perfeita. OBJETIVO GERAL OBJETIVOS ESPECÍFICOS  Caracterizar o mercado em concorrência perfeita.  Identificar e explicar as medidas de receita de uma empresa em mercado em concorrência perfeita.  Identificar a situação de maximização de lucro das firmas em mercado competitivo.  Explicar a decisão de saída da firma no curto e longo prazos.  Situação da estrutura de custo e oferta empresa competitiva no curto e no longo prazos.
  3. 3. CARACTERIZAÇÃO DO MERCADO EM CONCORRÊNCIA PERFEITA  Um mercado extremamente concorrencial ou em concorrência perfeita seria caracterizado por:  Muitos ou milhares de compradores;  Muitos ou milhares de vendedores;  Os bens ofertados são essencialmente iguais e não é possível a diferenciação de produtos.  Não existem barreiras significativas à entrada ou saída de empresas. Ou seja, empresas podem entrar ou sair do mercado com facilidade.
  4. 4. CARACTERIZAÇÃO DO MERCADO EM CONCORRÊNCIA PERFEITA  Como consequência destas características estruturais dos mercados em concorrência perfeita temos que:  Nenhum vendedor consegue por meio de suas ações influenciar os preços.  Nenhum comprador consegue por meio de suas ações influenciar os preços.  Assim cada indivíduo deste mercado, seja vendedor ou comprador, deve aceitar os preços definidos pelo mercado. Por isso, são chamados de “tomadores de preços”.
  5. 5. MEDIDAS DE RECEITA DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA  Receita total da firma seria dada pelo total produzido e vendido vezes o preço de venda, neste caso o preço de mercado. Podemos expressar a receita total pela formula:
  6. 6. MEDIDAS DE RECEITA DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA  A receita média da firma é dada pela divisão da receita total da firma pela quantidade produzida e vendida. Sendo identificado pela seguinte formula:  Ela representa o montante de receita obtido por unidade de produto padrão vendido.  Resolvendo a equação para RT = PxQ, temos:  Assim, em mercados de concorrência perfeita a receita média é igual ao preço de mercado.
  7. 7.  Receita marginal é a variação na receita total decorrente da venda de uma unidade adicional de produto. Sendo dado pela formula abaixo:  Em empresas em mercados de concorrência perfeita, a receita marginal será igual ao preço de mercado do bem. MEDIDAS DE RECEITA DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA
  8. 8. MEDIDAS DE RECEITA DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA  Exemplo: Quantidade (Q) Preço (P) Receita Total (RT=PxQ) Receita Média (RMe=RT/Q) Receita Marginal (RMg=ΔRT/ΔQ) 0 R$ 5,00 R$ 00,00 - - 1 R$ 5,00 R$ 05,00 R$ 5,00 R$ 5,00 2 R$ 5,00 R$ 10,00 R$ 5,00 R$ 5,00 3 R$ 5,00 R$ 15,00 R$ 5,00 R$ 5,00 4 R$ 5,00 R$ 20,00 R$ 5,00 R$ 5,00 5 R$ 5,00 R$ 25,00 R$ 5,00 R$ 5,00 6 R$ 5,00 R$ 30,00 R$ 5,00 R$ 5,00 7 R$ 5,00 R$ 35,00 R$ 5,00 R$ 5,00
  9. 9. DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA: MAXIMIZAÇÃO DE LUCRO E CURVA DE OFERTA  A decisão da quantidade produzida que maximiza o lucro da firma pode ser obtida comparando a receita marginal e o custo marginal de cada unidade produzida.  Isso é possível dado que a ΔLucro = RMg – CMg, assim:  Se RMg > CMg, temos que a próxima unidade produzida gerará aumento no lucro (variação positiva no lucro).  Se RMg < CMg, temos que a próxima unidade produzida gerará diminuição no lucro (variação negativa no lucro).  Se RMg = CMg, temos que a próxima unidade produzida não gerará variação no lucro.  Com isso, temos que o ponto em que RMg=CMg, é o ponto em que o lucro é maximizado.
  10. 10. DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA: MAXIMIZAÇÃO DE LUCRO E CURVA DE OFERTA  Gráfico da decisão da firma – Ponto aquém do máximo lucro Receita e Custos Quantidade Preço Preço=RMe=RMg CMg CMe CVMe QMÁX Para pontos a esquerda de “QMÁX” temos que a receita marginal é maior que o custo marginal. Assim é interessante aumentar “Q” até “QMÁX” para aumentar o lucro. Q
  11. 11. DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA: MAXIMIZAÇÃO DE LUCRO E CURVA DE OFERTA  Gráfico da decisão da firma – Ponto além do máximo lucro Receita e Custos Quantidade Preço Preço=RMe=RMg CMg CMe CVMe QMÁX Para pontos a direita de “QMÁX” temos que a receita marginal é menor que o custo marginal. Assim é interessante diminuir “Q” até “QMÁX” para aumentar o lucro. Q
  12. 12. DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA: MAXIMIZAÇÃO DE LUCRO E CURVA DE OFERTA  Gráfico da decisão da firma – Ponto de Máximo Lucro Receita e Custos Quantidade Preço Preço=RMe=RMg CMg CMe CVMe QMÁX A firma maximiza o seu lucro produzindo na quantidade onde o custo marginal iguala a receita marginal.
  13. 13. DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA: MAXIMIZAÇÃO DE LUCRO E CURVA DE OFERTA  Gráfico da decisão da firma – Curva de Oferta Receita e Custos Quantidade CMg CMe CVMe Q1 A parte da curva de custo marginal situada acima da curva de custo médio é também a curva de oferta da firma. P1 P2 P3 Q2 Q3
  14. 14. MAXIMIZAÇÃO DE LUCRO OU MINIMIZAÇÃO DE PREJUÍZO, E SUA MEDIÇÃO.  Situação de Lucro Econômico Positivo e sua medição Receita e Custos Quantidade Preço Preço=RMe=RMg CMg CMe CVMe QMÁX Se o ponto ótimo de produção e venda (RMg=CMg) estiver acima da curva de CMe teremos Lucro Econômico Positivo. O Lucro Médio por unidade é a diferença entre o Preço e o CMe; e o Lucro Total é Lucro por unidade vezes a quantidade vendida. Lucro médio por unidadeLucro Econômico Total
  15. 15. MAXIMIZAÇÃO DE LUCRO OU MINIMIZAÇÃO DE PREJUÍZO, E SUA MEDIÇÃO.  Situação de Lucro Econômico Zero e sua medição Receita e Custos Quantidade Preço Preço=RMe=RMg CMg CMe CVMe QMÁX Se o ponto ótimo de produção e venda (RMg=CMg) estiver sobre a curva de CMe teremos Lucro Econômico Zero. Isto ocorre porque o Preço (Rme) é igual ao CMe. Lucro Econômico Zero
  16. 16. MAXIMIZAÇÃO DE LUCRO OU MINIMIZAÇÃO DE PREJUÍZO, E SUA MEDIÇÃO.  Situação de Lucro Econômico Negativo (Prejuízo) e sua medição Receita e Custos Quantidade Preço Preço=RMe=RMg CMg CMe CVMe QMÁX Se o ponto ótimo de produção e venda (RMg=CMg) estiver abaixo da curva de CMe teremos Lucro Econômico Negativo. O Prejuízo Médio por unidade é a diferença entre o Preço e o CMe; e o Prejuizo Total é Prejuízo por unidade vezes a quantidade vendida. Prejuízo médio por unidadePrejuízo Econômico Total
  17. 17. DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO: CARACTERIZAÇÃO  Quando a empresa em concorrência perfeita enfrenta prejuízo (o preço de mercado é menor que o custo médio) a empresa enfrenta as decisões de continuar a operar em prejuízo, suspender as atividades brevemente ou sair definitivamente do mercado.  Sendo que:  Suspender as atividades significa não produzir nada durante um período específico de tempo devido a condições adversas de mercado no curto prazo.  Saída definitiva refere-se a uma decisão de longo prazo de deixar o mercado.
  18. 18. DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO: SUSPENSÃO DAS ATIVIDADES NO CURTO PRAZO  A firma leva em consideração os custos irrecuperáveis quando está para decidir se sai do mercado, mas os ignora quando está decidindo se paralisa a produção temporariamente.  Custos irrecuperáveis são aqueles custos que já foram despendidos e não podem ser recuperados.
  19. 19. DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO: SUSPENSÃO DAS ATIVIDADES NO CURTO PRAZO  Com isso, firma paralisará a produção no curto prazo se a receita que obtém com a venda de seus produtos é menor que o custo variável de produção; ou seja, quando:  Assim, a porção da curva de CMg que está acima da curva de CVMe é a curva de oferta de curto prazo da firma em um mercado de concorrência perfeita.
  20. 20. DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO: SUSPENSÃO DAS ATIVIDADES NO CURTO PRAZO  Gráfico da decisão da firma – Suspensão de Atividades Receita e Custos Quantidade CMg CMe CVMe A preços entre 0 e P1 as atividades devem ser paralisadas. A preços entre P1 e P2 as atividades apresentam prejuízo, mas devem ser mantidas. P1 P2 0 Paralisação Operar em Prejuízo
  21. 21. DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO: SAÍDA DO MERCADO NO LONGO PRAZO  No longo prazo, a firma sairá do mercado se a receita obtida com a venda de seus produtos é menor que os seus custos totais.Ou seja, quando:  No longo Prazo, a firma entrará no mercado se a receita obtida com a venda de seus produtos é maior que os seus custos totais.Ou seja, quando:  A curva da oferta de longo prazo da firma em concorrência perfeita é a porção da curva do custo marginal acima do custo médio.
  22. 22. DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO: SAÍDA DO MERCADO NO LONGO PRAZO  Gráfico da decisão da firma – Sair ou não do mercado Receita e Custos Quantidade CMg CMe CVMe A preços entre 0 e P1 a empresa deve sair do mercado no longo prazo Se o preço for maior que P1 a empresa deve permanecer ou entrar no mercado. P1 0 Sair do Mercado Entrar no Mercado
  23. 23. DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO: OFERTA DA EMPRESA NO CURTO PRAZO  Como no curto prazo mudanças estruturais não são fáceis ou até mesmo impossíveis podemos considerar que não há entrada ou saída imediata de firmas.  Assim, teríamos no curto prazo um número fixo de empresas para formar a oferta de produtos.  Para cada preço dado, cada firma suprirá uma quantidade onde o seu custo marginal seja igual ao preço.  A curva da oferta do mercado refletirá a soma das curvas de custo marginal de cada firma individualmente.
  24. 24. DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA: OFERTA DA EMPRESA NO CURTO PRAZO  Gráfico da decisão da firma – Curva de Oferta no Curto Prazo Preço Quant. CMg CMe CVMe Q1 P1 P2 P3 Q2 Q3 Preço Quant. Oferta Q1’ P1 P2 P3 Q2 ’ Q3 ’ Situação de Oferta de Uma Firma Situação de Oferta do Mercado Observação: Q1’, Q2’ e Q3’ são a soma das quantidades produzidas por cada uma das empresas integrantes do mercado.
  25. 25. DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO: OFERTA DA EMPRESA NO LONGO PRAZO  No longo prazo mudanças estruturais passam a ser possíveis então firmas entrarão e/ou sairão do mercado até que o lucro seja levado a zero.  Como resultado no longo prazo, o preço de mercado será sempre igual ao custo total médio mínimo.  E com isso, a curva de oferta de mercado de longo prazo é horizontal e igual ao nível de preços.  Ou seja, ao preço de mercado qualquer quantidade demandada será ofertada.
  26. 26. DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA: OFERTA DA EMPRESA NO LONGO PRAZO  Gráfico da decisão da firma – Curva de Oferta no Curto Prazo Preço Quant. CMg CMe CVMe Q1 P1 Preço Quant. OfertaP1 Situação de Oferta de Uma Firma Situação de Oferta do Mercado
  27. 27. DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO: OFERTA DA EMPRESA NO LONGO PRAZO  Ao final do processo de entrada e saída, as firmas remanescentes no mercado estarão obtendo lucro econômico igual a zero.  O processo de entrada e saída só terminará quando o preço e o custo total médio forem iguais.  Equilíbrios de longo prazo necessitam que as empresas estejam operando nas suas escalas eficientes.
  28. 28. DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO: OFERTA DA EMPRESA NO LONGO PRAZO  Motivações para as empresas permanecem no mercado mesmo com lucro econômico zero:  A empresa aceita obter lucro econômico zero por que o custo total inclui todos os custos de oportunidade da firma.  Incluindo custos que não representam desembolso.  Na situação de lucro econômico zero a empresa esta pagando todos os custos contábeis (desembolso) e esta obtendo o lucro contábil mínimo para aceitar o negócio como viável ou válido.  Ou seja, as receitas das empresas compensam os donos das firmas pelo tempo e dinheiro que gastam para manter as firmas operando.
  29. 29. DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO: EFEITOS DE UMA ALTERAÇÃO NA DEMANDA (DO CURTO PRAZO AO LONGO PRAZO)  Um mercado inicialmente em equilíbrio de longo prazo terá empresas obtendo lucro econômico zero e empresas externas não terão interesse de entrar neste mercado.  Com um aumento da demanda de mercado teríamos um aumento do preço e quantidade de equilíbrio no curto prazo.  Com isso as firmas passariam a ter lucro econômico positivo, pois o preço está acima do custo total médio; e este mercado passaria a ser mais atraente.
  30. 30. DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO: EFEITOS DE UMA ALTERAÇÃO NA DEMANDA (DO CURTO PRAZO AO LONGO PRAZO)  Como este mercado esta apresentando lucro econômico positivo, varias empresas passarão a entrar neste mercado gerando um aumento da oferta de mercado.  Com o aumento de oferta, o preço passaria a se reduzir diminuindo o nível de atratividade do mercado.  No longo prazo, oferta de mercado aumentaria até o ponto em que o lucro econômico se torne zero e não exista mais empresas interessadas em entrar no mercado.
  31. 31. DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA: EFEITOS DE UMA ALTERAÇÃO NA DEMANDA (DO CURTO PRAZO AO LONGO PRAZO)  Gráfico da decisão da firma – Situação Inicial Preço Quant. CMg CMe CVMe Q1 P1 Preço Quant. OfertaLPP1 Situação de Oferta de Uma Firma Situação de Oferta do Mercado OfertaCP1 DemandaCP1 E1 Q1’
  32. 32. DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA: EFEITOS DE UMA ALTERAÇÃO NA DEMANDA (DO CURTO PRAZO AO LONGO PRAZO)  Gráfico da decisão da firma – Equilíbrio no Curto Prazo Preço Quant. CMg CMe CVMe Q1 P1 Preço Quant. OfertaLPP1 Situação de Oferta de Uma Firma Situação de Oferta do Mercado OfertaCP1 DemandaCP1 E1 Q1’ DemandaCP2 E2 Q2’ P2 P2 Lucro Econômico Positivo Q2
  33. 33. DECISÃO DA FIRMA EM CONCORRÊNCIA PERFEITA: EFEITOS DE UMA ALTERAÇÃO NA DEMANDA (DO CURTO PRAZO AO LONGO PRAZO)  Gráfico da decisão da firma – Equilíbrio no Longo Prazo Preço Quant. CMg CMe CVMe Q1 P1 Preço Quant. OfertaLPP1 Situação de Oferta de Uma Firma Situação de Oferta do Mercado OfertaCP1 DemandaCP1 E1 Q1’ DemandaCP2 E2 Q2’ P2 P2 Q2 OfertaCP2 Q3’
  34. 34. DECISÃO DE ATIVIDADE NO CURTO E LONGO PRAZO: MERCADOS COM CURVA DE OFERTA ASCENDENTE NO LONGO PRAZO  Alguns mercados com estruturação específica podem ter curva de oferta de longo prazo ascendente ao invés da curva de oferta horizontal.  Isto pode ocorrer basicamente por dois motivos:  Alguns insumos utilizados na produção podem estar disponíveis apenas em quantidades limitadas.  Ex: Mercados agrícolas, Mercados com insumos exauríveis, etc..  As firmas podem apresentar diferentes estruturas de custos.  Estes mercados apresentariam tanto empresas com lucro econômico positivo como empresas com lucro econômico zero simultaneamente.  As empresas com lucro econômico zero sairiam do mercado se os preços caíssem, e são chamadas de empresas marginais.
  35. 35. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  MANKIW, N. G. Introdução à Economia. São Paulo: Cengage Learning, 2009. 838 pg.  VASCONCELLOS, M. S. Economia, Micro e Macro, Atlas, 2002.

×