Anzeige
Anzeige

Más contenido relacionado

Anzeige

Último(20)

Corrente neocognivista

  1. *CORRENTE NEOCOGNIVISTAS * Teorias Pedagógicas Modernas no contexto da Cibercultura AS TEORIAS PEDAGÓGICAS MODERNAS RESIGINIFICADAS PELO DEBATE CONTEMPORÂNEO NA EDUCAÇÃO José Carlos Libâneo Luciana de Lima Oliveira Ferreira Curso: Novas Tecnologias para Ensino de Matemática Disciplina : Informática Educativa I
  2. SOBRE O QUE PREOCUPA-SE A PEDAGOGIA? A pedagogia ocupa-se das tarefas de formação humana em contextos determinados por marcos espaciais e temporais. A investigação do seu objeto, a educação, implica considerá-lo como uma realidade em mudança.
  3. É IMPORTANTE LEMBRAR QUE :  Nenhum investigador e nenhum educador prático poderá, pois, evadir-se da pedagogia, pois o que fazemos quando intentamos educar pessoas é efetivar práticas pedagógicas que irão constituir sujeitos e identidades.  Buscar saber como os contextos socioculturais, históricos e institucionais atuam em processos de ensino e aprendizagem de modo a formar o desenvolvimento cognitivo, afetivo e moral dos indivíduos com base em necessidades sociais, é uma forte razão para o cotejamento entre o “clássico” da pedagogia e as novas construções teóricas lastreadas no pensamento “pós-moderno”.
  4. A pedagogia quer compreender como fatores socioculturais e institucionais atuam nos processos de transformação dos sujeitos mas, também, em que condições esses sujeitos aprendem melhor.
  5. AS TEORIAS PEDAGÓGICAS MODERNAS  As teorias modernas da educação são aquelas gestadas em plena modernidade, quando a idéia de uma formação geral para todos toma lugar na reflexão pedagógica. Comênio lança em 1657 o lema do “ensinar tudo a todos” e, não por acaso, é considerado o arauto da educação moderna.  As teorias pedagógicas modernas estão ligadas, assim, a acontecimentos cruciais como a Reforma Protestante, o Iluminismo, a Revolução Francesa, a formação dos Estados Nacionais, a industrialização.
  6.  Pedagogos como Pestalozzi, Kant, Herbart, Froebel, Durkheim, Dewey, vão consolidando teorias sobre a prática educativa assentadas na manutenção de uma ordem social mais estável, garantidas pela racionalidade e pelo progresso em todos os campos, especialmente na ciência.  São modernas a pedagogia tradicional, a pedagogia renovada, o tecnicismo educacional, e todas as pedagogias críticas inspiradas na tradição moderna como a pedagogia libertária, a pedagogia libertadora, a pedagogia crítico-social.
  7. O CONTEXTO “PÓS-MODERNO” Algumas correntes modernas da educação buscam rearticular seus discursos face às transformações que marcam a contemporaneidade. O momento histórico presente tem recebido várias denominações: sociedade pós-moderna, pós-industrial ou pós-mercantil, sociedade do conhecimento.
  8. ALGUNS TRAÇOS GERAIS QUE CARACTERIZAM A CONDIÇÃO PÓS-MODERNA,  Novas tecnologias da comunicação e informação, ampliação e difusão da informação, novas formas de produção, circulação e consumo da cultura, colapso da divisão entre realidade e imagem, arte e vida;  Mudanças nos paradigmas do conhecimento, sustentando a não separação entre sujeito e objeto, a construção social do conhecimento, o caráter não-absolutizado da ciência, a acentuação da linguagem.
  9. DAS CORRENTES PEDAGÓGICAS CONTEMPORÂNEAS DESTACAREI: Corrente Neocognivistas Modalidade : Construtivismo pós- piagetiano
  10. A CORRENTE NEOCOGNIVISTA Nesta denominação estão incluídas correntes que introduzem novos aportes ao estudo da aprendizagem, do desenvolvimento, da cognição e da inteligência.
  11. CONSTRUTIVISMO PÓS-PIAGETIANO  O construtivismo, no campo da educação, refere-se a uma teoria em que a aprendizagem humana é resultado de uma construção mental realizada pelos sujeitos com base na sua ação sobre o mundo e na interação com outros.  O ser humano tem uma potencialidade para aprender a pensar que pode ser desenvolvida porque a faculdade de pensar não é inata e nem é provida de fora.  Incorpora contribuições de outras fontes tais como o lugar do desejo e do outro na aprendizagem, o predomínio da linguagem em relação à razão, o papel da interação social na construção do conhecimento, a singularidade e a pluralidade dos sujeitos.
  12.  Nessa mesma perspectiva, o socioconstrutivismo mantém o papel da ação e da experiência do sujeito no desenvolvimento cognitivo, mas introduz com mais vigor o componente social na aprendizagem, tornando claro o papel determinante das significações sociais e das interações sociais na construção de conhecimentos.  Uma das noções chave desse paradigma é o conflito sócio-cognitivo que surge em situações de interação, nas quais estão também envolvidas experiências sociais e culturais que interveêm nas aprendizagens.
  13.  A abordagem cognitiva refere-se a estudos relacionados ao desenvolvimento da ciência cognitiva associada à utilização de computadores.  Seu objetivo é buscar novos modelos e referências para avançar na investigação sobre os processos psicológicos e a cognição.  A partir da psicolinguística, da teoria da comunicação e da cibernética (ciência dos computadores), surgem duas versões: a psicologia cognitiva, que estuda diretamente o comportamento inteligente de sujeitos humanos, i.e., o ser humano como processador de informações  e a ciência cognitiva, que aprofunda as analogias entre mente e computador, visando a construção de modelos computacionais para entender a cognição humana. Seu interesse é a construção de programas de inteligência artificial que realizam tarefas que implicam um comportamento inteligente.
  14. A CORRENTE NEOCOGNITIVISTA NO CONTEXTO DA CIBERCULTURA  A cibercultura é a cultura contemporânea estruturada pelo uso das tecnologias digitais em rede nas esferas do ciberespaço e das cidades.  Os primeiros estudos sobre cibercultura sinalizavam que esta era a cultura do ciberespaço, que é um hibrido da internet, infraestrutura tecnológica, com os seres humanos em movimento e em processos de comunicação e deredes sociais.  Para Santaella, “o ciberespaço é todo e qualquer espaçoinformacional multidimensional que, dependente da interação do usuário,permite a este o acesso, a manipulação, a transformação e o ntercâmbio deseus fluxos codificados de informação” (2004, p. 45).
  15. Esse espaço informacional se constitui e é constituído pelas tecnologias digitais em rede, que é para nosso tempo um dos mais importantes artefatos técnico-culturais, pois ampliam e potencializam a nossa capacidade de memória, armazenamento, processamento de informações e conhecimentos, e, sobretudo, de comunicação.
  16. RELACIONANDO COM A METEMÁTICA  Segundo as teorias de Jean Piaget, a criança passa por vários estádios ao longo do seu desenvolvimento cognitivo. Também a construção de conceitos matemáticos é um processo longo que requer um envolvimento ativo da criança-aluno e vai progredindo do concreto para o abstrato. Sabe-se também que o processo de abstração matemática começa para as crianças na interação destas com o meio e só depois com os materiais concretos que, em princípio, as conduzem aos conceitos matemáticos.
  17.  Acontece que estes materiais manipuláveis são fundamentais se pensarmos em ajudar a criança na passagem do concreto para o abstrato, na medida em que eles apelam a vários sentidos e são usados pelas crianças como uma espécie de suporte físico numa situação de aprendizagem. Assim sendo, parece relevante equipar as aulas de Matemática com todo um conjunto de materiais manipuláveis (cubos, geoplanos, tangrans, réguas, papel ponteado, ábaco, e tantos outros) feitos pelo professor, pelo aluno ou produzidos comercialmente, em adequação com os problemas a resolver, as ideias a explorar ou estruturados de acordo com determinado conceito matemático.
  18. * Os professores de Matemática necessitam de recursos adequados, sendo fundamentais à aprendizagem e à construção da Matemática não só os materiais manipuláveis ( como os citados anteriormente), como também as calculadoras e os computadores. *No que concerne à inclusão do computador nas aulas de Matemática, dado que cada vez mais crescemos num ambiente em que as tecnologias de informação, em especial o computador, este parece assumir atualmente um papel importante. *Temos defendido a ideia de que é necessário diversificar o tipo de atividades na sala de aulas. Ora o computador é um ótimo instrumento no desenvolvimento de experiências e no ensaio de estratégias de resolução de problemas.
  19.  Mas, mais do que isso, ele, o computador, é importante na construção da própria Matemática: na formulação, investigação e exploração de situações problemáticas, bem como no desenvolvimento do gosto pela disciplina. Na verdade, com a utilização dos computadores o próprio valor estético dos trabalhos realizados neste âmbito pode ser um estímulo positivo já que os jovens vivem diariamente bombardeados por fortes concepções estéticas.  Acreditamos que a imersão na cibercultura é formativa; afinalaprendemos em rede e o ciberespaço é um espaço mutirreferencial deaprendizagem, pois, como já sinalizamos neste texto, permite interatividadecom diversas culturas, linguagens, discursos, tecnologias.
  20.  Assim, quando Lévy (1997) destaca a necessidade de “aprender com o movimento contemporâneo das técnicas”, podemos nos inspirar no digital e em algumas de suas potencialidades (interatividade, hipertexto, simulação, convergência, mobilidade, ubiquidade),propondo práticas curriculares mais comunicativas, com mais e melhores autorias e mediações coletivas e em rede.  O sujeito na cibercultura é autônomo, critico, criativo, produz novos sentidos e conhecimento a partir do digital e em rede, além do que, ela instiga a produção de novos saberes e a prática colaborativa: tudo o que precisamos e desejamos em sala de aula!
  21. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  LIBÂNEO, José Carlos. As teorias pedagógicas modernas resiginificadas pelo debate contemporâneo na educação. 2005.  SANTOS, Edméa. A cibercultura e a educação em tempos de mobilidade e redes sociais: conversando com os cotidianos. PROPED – UERJ. 2010.  SILVA, Anabela; MARTINS, Susana.Falar de Matemática hoje é ....Escola Superior de Educação de Viseu.  YASMIM HABITSENTHER. Os benefícios da cibercultura no processo ensino-aprendizagem. Disponível em:< https://www.youtube.com/watch?v=e_BPYMiK6Kc>. Acesso em:29 jul.2017
Anzeige