Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.

Teoria e Prática Científica - Antônio Severino

6.648 Aufrufe

Veröffentlicht am

Trabalho realizado para a disciplina de Introdução à Pesquisa Científica pela Universidade Federal de São Carlos pela aluna Klicia Mendonça, graduanda de Biblioteconomia e Ciência da Informação

Veröffentlicht in: Bildung
  • Als Erste(r) kommentieren

  • Gehören Sie zu den Ersten, denen das gefällt!

Teoria e Prática Científica - Antônio Severino

  1. 1. INTRODUÇÃO À PESQUISA CIENTÍFICA<br />Apresentação de slides sobre o Capítulo III do livro Metodologia do Trabalho Científico, de Antônio Joaquim Severino.<br />Klicia Silva Mendonça<br />São Carlos, 2011<br />1<br />
  2. 2. A Ciência<br />“A Ciência se faz quando o pesquisador aborda os fenômenos aplicando recursos técnicos, seguindo um método e apoiando-se em fundamentos epistemológicos” (SEVERINO, 2007)<br />2<br />
  3. 3. Método Científico<br />A Ciência precisa do método científico porque é o que a diferencia do senso comum e das demais formas de expressão da subjetividade humana.<br />Considera-se como Método Científico, o conjunto de procedimentos e técnicas operacionais, realizados de forma lógica, e que podem revelar as relações causais entre os fenômenos.<br />O método científico se dividem em dois momentos: o Momento Experimental e o Momento Matemático.<br />3<br />
  4. 4. Método Experimental<br />Fase indutiva: processo de generalização<br />O cientista<br />Observa os fatos<br />Formula uma hipótese, ou seja, explica o fato propondo uma relação causal.<br />Verifica experimentalmente: Se confirmada a hipótese, tem-se, então, uma lei<br />4<br />
  5. 5. 5<br />
  6. 6. Método Matemático<br />Fase dedutiva: passagem do universal para o particular<br />O cientista<br />Formula hipóteses mais gerais<br />Verifica de maneira dedutiva: Se confirmada a hipótese, tem-se, então, uma teoria<br />Formula uma hipótese universal<br />Verifica de maneira dedutiva: Se confirmada a hipótese universal , tem-se, então, um sistema<br />6<br />
  7. 7. Formulação<br /><ul><li>Hipótese mais geral
  8. 8. Teoria
  9. 9. Hipótese universal
  10. 10. Sistema</li></ul>Verificação dedutiva<br />Verificação dedutiva<br />7<br />
  11. 11. Graças ao seu Método Científico, à sua técnica e sua eficácia operatória, a Ciência se legitima como um conhecimento válido, universal e verdadeiro.<br />8<br />
  12. 12. Paradigmas Epistemológicos<br />O pressuposto epistemológico refere-se à forma pela qual é concebida a relação sujeito/objeto de conhecimento.<br />Cada modalidade de conhecimento pressupõe um tipo de relação entre sujeito e objeto.<br />9<br />
  13. 13. As Ciências Humanas<br />“Depois de conhecer o mundo físico mediante a aplicação da metodologia experimental-matemática, a ciência se propôs a conhecer o mundo humano, seguindo o mesmo caminho...” (SEVERINO, 2007)<br />10<br />
  14. 14. A Ciência, até o momento, é tida como o único conhecimento verdadeiro e o Método Científico passa a ser visto como a única forma de se alcançar a verdade.<br />Nesse contexto de unicidade metodológica, forma-se, então, a proposta de se criar o sistema das Ciências Humanas.<br />11<br />
  15. 15. Com o desenvolvimento dos estudos sobre os diferentes aspectos da fenomenalidade humana, foi-se percebendo que não prevalecia um paradigma epistemológico único.<br />Existiam diversas possibilidades de como se conceber a relação sujeito/objeto, com resultados igualmente satisfatórios.<br />Pluralismo Epistemológico.<br />12<br />
  16. 16. Foi preciso enriquecer e aprimorar a forma de se fazer ciência, sem abandonar a forma existente.<br />As pesquisas em Ciências Humanas passam a ser feitas sob referências teórico-metodológicas diferentes daquelas usadas até então. <br />13<br />
  17. 17. Funcionalismo<br />O funcionalismo apoia-se no pressuposto da analogia que aproxima as relações existentes entre os diversos órgãos de um organismo biológico e aquelas existentes entre as formas de organização social e cultural.<br />As Ciências Humanas deveriam identificar objetivamente essas relações funcionais, descrevendo seus processos e explicitando suas articulações no interior da sociedade.<br />14<br />
  18. 18. Estruturalismo<br />Para o Estruturalismo, todo sistema constitui um jogo de oposições, de presenças e ausências, formando uma estrutura e gerando uma interdependência entre as partes, de tal forma que as alterações em um elemento atingem todo o conjunto.<br />15<br />
  19. 19. Fenomenologia<br />A Fenomenologia parte do princípio de que todo conhecimento fatual (aquele das ciências fáticas ou positivas) funda-se num conhecimento originário (o das ciências eidéticas) de natureza intuitiva, viabilizando pela condição intencional de nossa consciência subjetiva.<br />16<br />
  20. 20. Hermenêutica<br />A Hermenêutica pressupõe que toda a realidade da existência humana se expressa sob uma dimensão simbólica.<br />Baseia-se em subsídios epistemológicos fornecidos pela Psicanálise, pela Dialética e pelo Estruturalismo.<br />17<br />
  21. 21. Arqueogenealogia<br />A Arqueogenealogia propõe ampliar os espaços da subjetividade.<br />Trata-se de resgatar outras dimensões da vivência humana como o sentimento, a paixão, a vitalidade, as energias instintivas.<br />18<br />
  22. 22. Referência<br />SEVERINO, J. A. Teoria e prática científica. In: ________Metodologia do trabalho científico. São Paulo, Cortez, 2007.<br />19<br />
  23. 23. Obrigada<br />Klicia Silva Mendonça<br />Email: klicia_mendonca@hotmail.com<br />RA: 404969<br />20<br />

×