Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.

Ver / Olhar

0

Teilen

Nächste SlideShare
Educar o olhar (2)
Educar o olhar (2)
Wird geladen in …3
×
1 von 2
1 von 2

Weitere Verwandte Inhalte

Ähnliche Bücher

Kostenlos mit einer 14-tägigen Testversion von Scribd

Alle anzeigen

Ähnliche Hörbücher

Kostenlos mit einer 14-tägigen Testversion von Scribd

Alle anzeigen

Ver / Olhar

  1. 1. VER OLHAR  Conhecer (os objetos externos) por meio do sentido da visão Daqui também se pode ver e ouvir bem.  Fixar os olhos em; contemplar, fitar, mirar "Atirou o cigarro ao cinzeiro e ficou olhando a fumaça azulada" (Érico Veríssimo). “Amar não é olhar um para o outro, é olhar juntos na mesma direção.” (Antoine de Saint-Exupéry)  Ser espectador ou testemunha de; presenciar Não vi a última cena da peça, tive que sair do teatro.  Estudar, examinar, observar, pesquisar, sondar "Os homens do mar não olham as ondas que sulcam, senão o céu" (João Ribeiro).  Achar, encontrar “Eu vejo a vida melhor no futuro”… (Lulu Santos)  Tomar conta de Macaco, olha o teu rabo. (ditado popular)  Estudar, examinar, indagar Precisamos ver bem esse assunto. Verbo OLHAR com função substantiva As mais lindas palavras de amor são ditas no silêncio de um olhar. (Leonardo da Vinci)  Visitar Amanhã veremos nossos amigos do Brasil.  Compreender Não vejo razão para você deixar passar essa oportunidade.
  2. 2. Sobre as diferenças de sentido entre ver e olhar “...Ver está implicado ao sentido físico da visão. Costumamos, todavia, usar a expressão olhar para afirmar uma outra complexidade do ver. Quando chamo alguém para olhar algo espero dele uma atenção estética, demorada e contemplativa, enquanto ao esperar que alguém veja algo, a expectativa se dirige à visualização, ainda que curiosa, sem que se espere dele o aspecto contemplativo. Ver é reto, olhar é sinuoso. Ver é sintético, olhar é analítico. Ver é imediato, olhar é mediado. A imediaticidade do ver torna-o um evento objetivo. Vê-se um fantasma, mas não se olha um fantasma. Vemos televisão, enquanto olhamos uma paisagem, uma pintura. A lentidão é do olhar, a rapidez é própria ao ver. (...) Ver não nos faz pensar, ver nos choca ou nem sequer nos atinge. (...) O olhar mostra que não é fácil ver e que é preciso ver, ainda que pareça impossível, pois no olhar o objeto visto aparece em seus estilhaços de ser e só com muito custo é que se recupera para ele a síntese que nos possibilita reconstruir o objeto. É como se depois de ver fosse necessário olhar, para então, novamente ver. Há, assim, uma dinâmica, um movimento - podemos dizer - um ritmo em um processo de olhar-ver. Ver e olhar se complementam, são dois movimentos do mesmo gesto que envolve sensibilidade e atenção.”(...) Márcia Tiburi "... cada um de nós vê o mundo com os olhos que tem, e os olhos vêem o que querem, os olhos fazem a diversidade do mundo e fabricam as maravilhas, ainda que sejam de pedra, e altas proas, ainda que sejam de ilusão" José Saramago, in Jangada d e Pedra Fontes consultadas http://michaelis.uol.com.br/ http://www.dicio.com.br/olhar/ http://www.espacoacademico.com.br/007/07walter.htm http://www.marciatiburi.com.br/textos/aprender.htm

×