Diese Präsentation wurde erfolgreich gemeldet.
Wir verwenden Ihre LinkedIn Profilangaben und Informationen zu Ihren Aktivitäten, um Anzeigen zu personalisieren und Ihnen relevantere Inhalte anzuzeigen. Sie können Ihre Anzeigeneinstellungen jederzeit ändern.
Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias 04/02/2017
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
Ar respirável significa:
• Estar livre de produtos prejudiciais à saúde, que at...
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
Ar respirável
O ar atmosférico que nos envolve, o ar natural (aqui considerado ...
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
Sistema Respiratório
Gastro- intestinal
(boca)
Pele
(Poros)
Conhecimento dos pe...
Agentes Químicos:
As substâncias ou produtos químicos que podem contaminar um ambiente de trabalho
classificam-se, segundo...
Gases e Vapores:
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
NBR 12176 – Cores de Cilindro gás
Gases Inertes
Provoca Asfixi...
Asfixiantes Simples e Químicos:
Asfixia Simples
São àqueles que não atuam diretamente sobre o organismo, mas tomam o
lugar...
Asfixiantes Simples e Químicos:
Asfixia Química
Penetram no organismo, impedem a obtenção do oxigênio do ar atmosférico,
o...
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
Hemoglobina Transporta
Oxigênio e Dióxido de Carbono
Hemoglobina
Hemácia (Glóbu...
Vapores
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
O vapor orgânico contem nas suas moléculas, no mínimo, átomos de carbono,
hidrogênio.
Ex. álcool etílico (C2H5OH), éter et...
Fumos
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
Definição:
Aerodisper...
Poeiras:
Aerodispersóides constituídos por partículas
sólidas formada por ruptura mecânica de um
sólido.
Sílica;
Amianto;
...
Nevoas:
Ruptura Mecânica de agente
químico em estado liquido.
EPC: Cortina de água
Solventes: Benzeno,
tolueno, acetatos, ...
Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
Devemos nos preocupar com a...
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
Controle dos perigos respiratórios
Num bom programa de proteção respiratória, é...
Bomba de amostragem de Gases, Vapores, Poeiras.
Possibilita a coleta de gases, vapores, névoas, neblinas, poeiras,
incluin...
Bomba de amostragem de Gases, Vapores, Poeiras.
Limite de Tolerância:
É o Valor máximo que uma pessoa pode ter contato dur...
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
05
Gases imediatamente perigosos à vida.
São contaminantes que podem estar pres...
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
05
Espaços Confinados.
•Aquele que não é destinado a ocupação humana;
•Aquele q...
Classificação dos riscos
• Deficiência de oxigênio (atmosferas IPVS abaixo de 19,5% de O2).
• Efeitos ambiente com 12,5% d...
Equipamentos de Proteção Respiratória – EPR
PFF1 ou P1: proteção contra poeiras e névoas partículas não
tóxicas (penetraçã...
FPR: Fator de Proteção Requerido pelo ambiente.
Obtido através do quociente entre a concentração do contaminante no
ambien...
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
TIPO DE DE EPR’s:
Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
Respirad...
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
Vida útil Descartável: 1 di...
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
•Alteração Brusca de Peso
•...
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
Ao sentir Cheiro;
Gosto;
Ir...
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
• O respirador deve ser apoiado inicialmente no queixo.
Depois, posicione-o de ...
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
Para verificar o ajuste, coloque as mãos na
frente do respirador cobrindo toda ...
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
Manutenção e Armazenamento
Não deixe o respirador em lugares sujos e, se tiver ...
PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA
Inspeção
Todos os equipamentos deverão ser inspecionados periodicamente, antes ...
Aplicação do Fit-test (Teste de Vedação)Aplicação do Fit-test (Teste de Vedação)
De Acordo com a IN nº1 de abril de 1994, ...
Aplicação do Fit-test (Teste de Vedação)Aplicação do Fit-test (Teste de Vedação)
Téc. em Segurança do trabalho: Fernando D...
Aplicação do Fit-test (Teste de Vedação)Aplicação do Fit-test (Teste de Vedação)
Téc. em Segurança do trabalho: Fernando D...
Programa de Proteção Respiratória - FUNDACENTRO
http://estudio01.proj.ufsm.br/cadernos_seguranca/sexta_etapa/toxicologia.p...
Treinamento de Proteção Respiratória (acompanha no https://www.youtube.com/watch?v=k3JY1hFb67U&t=894s)
Nächste SlideShare
Wird geladen in …5
×

Treinamento de Proteção Respiratória (acompanha no https://www.youtube.com/watch?v=k3JY1hFb67U&t=894s)

923 Aufrufe

Veröffentlicht am

Acompanhe o Treinamento em Vídeo
https://www.youtube.com/watch?v=k3JY1hFb67U&t=894s

Veröffentlicht in: Ingenieurwesen
  • Als Erste(r) kommentieren

Treinamento de Proteção Respiratória (acompanha no https://www.youtube.com/watch?v=k3JY1hFb67U&t=894s)

  1. 1. Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias 04/02/2017
  2. 2. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Ar respirável significa: • Estar livre de produtos prejudiciais à saúde, que através da respiração possam provocar distúrbios ao organismo ou o seu envenenamento. • Encontrar-se no estado apropriado para a respiração, isto é, ter pressão e temperatura normal, que em hipótese alguma levem a queimaduras ou congelamentos. • Não deve conter qualquer substância que o torne desagradável, por exemplo: Odores. (EX: Gás de cozinha GLP, mercaptano) Insípido, Incolor, Inodoro Respiração Por respiração do homem entende-se todo o processo pelo qual o corpo humano é suprido de oxigênio e libertado de CO2 (dióxido de carbono). SEM COMER 30 DIAS SEM BEBER 3 DIAS SEM RESPIRAR 3 MINUTOS QUANTO DURA A “CHAMA DA VIDA” ? Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
  3. 3. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Ar respirável O ar atmosférico que nos envolve, o ar natural (aqui considerado seco) pode ser representado em números redondos, em porcentagem por volume de: OXIGÊNIO GASES NOBRES ARGÔNIO DIÓXIDO DE CARBONO NITROGÊNIO Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias Ar Expirado 14 a 17% de oxigênio (equivalente a quantidade de oxigênio presente numa altitude de 2.500 metros) e 4 a 6% de gás carbônico
  4. 4. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Sistema Respiratório Gastro- intestinal (boca) Pele (Poros) Conhecimento dos perigos respiratórios Pelas características da formação do corpo humano, os materiais tóxicos podem penetrar no corpo por 3 (três) diferentes caminhos: 90% dos casos de intoxicação 1% dos casos de intoxicação. Situação acidental. 9% dos casos de intoxicação Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
  5. 5. Agentes Químicos: As substâncias ou produtos químicos que podem contaminar um ambiente de trabalho classificam-se, segundo as suas características físico-químicas em: • Aerodispersóides • Gases e Vapores Ambos os grupos comportam-se de maneira diferente, tanto no que diz respeito ao período de permanência no ar, quanto as possibilidade de ingresso no organismo. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Os Agentes Químicos tem seu estado definido com base nas Condições Normais de Temperatura e Pressão (CNTP) Em Laboratório 25°C temperatura 1 ATM (Nível o mar) Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
  6. 6. Gases e Vapores: PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA NBR 12176 – Cores de Cilindro gás Gases Inertes Provoca Asfixia •Acetileno •Hélio •Nitrogênio E •Gás Carbônico Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
  7. 7. Asfixiantes Simples e Químicos: Asfixia Simples São àqueles que não atuam diretamente sobre o organismo, mas tomam o lugar do oxigênio no pulmão. A concentração do asfixiante simples deve atingir pelo menos 33% na mistura do ar para causar asfixia. Exemplos de asfixiantes simples: gás carbônico; Metano; Etano; Butano; Acetileno; óxido nitroso; etc. Mais conhecidos como Gases Inertes Pouca tendência de se unir (reagir) entre si ou com outros elementos químicos. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
  8. 8. Asfixiantes Simples e Químicos: Asfixia Química Penetram no organismo, impedem a obtenção do oxigênio do ar atmosférico, ou ainda, a utilização do oxigênio pelos tecidos. Podem, portanto, causar asfixia mesmo que haja suficiente concentração de oxigênio no ar. Exemplos de asfixiantes simples: Monóxido de Carbono; Gás Cianídrico (cianeto) PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias Reage com a Hemoglobina dentro das Hemácias (glóbulos vermelhos) Gera Carboxihemoglobina, Impede a entrada de oxigênio nos Tecidos.
  9. 9. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Hemoglobina Transporta Oxigênio e Dióxido de Carbono Hemoglobina Hemácia (Glóbulo Vermelho) Fortes Ligações Entre Monóxido de Carbono e Hemoglobina Oxigênio e Dióxido de Carbono são Expulsos da Hemoglobina Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias Asfixia Química
  10. 10. Vapores PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
  11. 11. O vapor orgânico contem nas suas moléculas, no mínimo, átomos de carbono, hidrogênio. Ex. álcool etílico (C2H5OH), éter etílico (C2H5OC2H5),acetato de ética (H3COOC2H5) Odor Gás Acido (Irritantes O gás ou vapor ácido é formado por substâncias, que tem caráter ácido, isto é, ao se dissolverem na água formam os ácidos, fazendo com que o seu pH fique menor que 7. Ex: cloro, acido nítrico, óxidos nitrosos, etc. Alcalinos são aqueles que tem caráter alcalino, isto é, ao se dissolverem na água fazem com que seu pH fique maior que 7. Ex. amônia, aminas. Irritação Ocular, Irritação Nariz e Garganta (Devido Grande solubilidade dos gases) Os gases inorgânicos abrangem os gases ácidos e a amônia, que é alcalino. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias Vapores Orgânicos, Ácidos e Alcalinos
  12. 12. Fumos PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias Definição: Aerodispersoides constituídos por partículas sólidas produzidas por condensação ou oxidação de vapores de substâncias sólidas. EPC: Exaustores
  13. 13. Poeiras: Aerodispersóides constituídos por partículas sólidas formada por ruptura mecânica de um sólido. Sílica; Amianto; Carvão; Negro de Fumo. ETC. As Pneumoconioses são doenças que provocam uma fibrose ou endurecimento do tecido pulmonar em razão do acúmulo de poeira tóxica nos pulmões. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias Construção Civil Mineradoras; Marmorarias; Metalurgia, fundição e siderurgia Produção de Vidro;
  14. 14. Nevoas: Ruptura Mecânica de agente químico em estado liquido. EPC: Cortina de água Solventes: Benzeno, tolueno, acetatos, cetonas, etc... PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias Contaminação por Absorção da Pele devido lipossolubilidade dos solventes lipossolubilidade: significa a facilidade com que a substancia pode penetrar em uma membrana biológica.
  15. 15. Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Devemos nos preocupar com as Partícula que podem penetrar nos álveos pulmonares Partículas Inaláveis: partículas inaláveis grossas (MP2,5-10) são as que possuem o diâmetro aerodinâmico médio no intervalo de 2,5 a 10 μm Partículas Respiráveis: partículas finas ou respiráveis (MP2,5) são as inferiores a 2,5 μm. Micros ou Micha (Plural) Ou seja: 0,001 milímetro é igual a 1μm
  16. 16. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Controle dos perigos respiratórios Num bom programa de proteção respiratória, é essencial a avaliação correta do perigo. Isso requer que se conheça o processo, as matérias primas empregadas, os produtos finais, derivados e outros. Com esse conhecimento deve-se recolher uma quantidade suficiente de amostras apropriadas, que mostrem, durante todas as condições de operação, atmosferas que por seu conteúdo de oxigênio e níveis de concentração, sejam suficientemente conhecidas para avaliar a que exposição uma pessoa estará exposta durante o trabalho. (PPRA) Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
  17. 17. Bomba de amostragem de Gases, Vapores, Poeiras. Possibilita a coleta de gases, vapores, névoas, neblinas, poeiras, incluindo fumos metálicos. As amostras coletadas são encaminhadas aos laboratórios para analises químicas, com base em métodos analíticos, para quantificação de respectivas concentrações. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Bomba Colorimétrica Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
  18. 18. Bomba de amostragem de Gases, Vapores, Poeiras. Limite de Tolerância: É o Valor máximo que uma pessoa pode ter contato durante as 8hs de trabalho com um tipo de agente, é definido pela NR 15 ou ACGIH (o que for mais Restritivo). Definido em Ppm ou mg/m³ ou Db. Nível de Ação: Metade do limite de tolerância, mesmo estando dentro do limite de tolerância deve-se tomas ações de prevenção (Caráter de prevenção) EX: Agente Químico XXX tem limite de tolerância de 100ppm na NR15 (Agente químico fictício) Identificado nas medições ambientais que Agente químico XXX tem 51ppm no local de trabalho. Ou seja dentro do Nível de Ação, deve-se tomar medidas de proteção PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
  19. 19. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA 05 Gases imediatamente perigosos à vida. São contaminantes que podem estar presentes em concentrações perigosas, mesmo quando a exposição for por um período curto. IPVS: Imediatamente Perigosas à Vida e a Saúde (NR33) Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
  20. 20. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA 05 Espaços Confinados. •Aquele que não é destinado a ocupação humana; •Aquele que possui meios limitados para entrada e saída; •Aquele que possui deficiência de ventilação natural, atmosfera insegura, localização onde a atmosfera pode se tornar perigosa; Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
  21. 21. Classificação dos riscos • Deficiência de oxigênio (atmosferas IPVS abaixo de 19,5% de O2). • Efeitos ambiente com 12,5% de O2 : • Respiração Profunda; • Asfixia; • Desmaio, Coma e Morte. • Efeitos ambiente com 23% de O2 (enriquecimento de Oxigênio). PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA EXPLOSÃO Matéria Orgânica em Decomposição: Liberação de (CH4) Gás Metano Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias Reação em Cadeia
  22. 22. Equipamentos de Proteção Respiratória – EPR PFF1 ou P1: proteção contra poeiras e névoas partículas não tóxicas (penetração máx. através do filtro de 20%). PFF2 ou P2: proteção contra partículas finas, fumos e névoas tóxicas (penetração máx. através do filtro de 6%). PFF3 ou P3: contra partículas tóxicas finíssimas e radionuclídeos e (penetração máx. através do filtro de 0,1%). PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias Filtros Químicos Filtros Mecânicos Filtros Combinados
  23. 23. FPR: Fator de Proteção Requerido pelo ambiente. Obtido através do quociente entre a concentração do contaminante no ambiente de trabalho e o seu limite de tolerância, conforme expressão abaixo. FPR = Concentração do Contaminante Limite de Tolerância PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias FPA: Fatores de Proteção Atribuídos recomendados pela IN 01 de 11/04/94, são: Equipamentos de Proteção Respiratória – EPR Assim, por exemplo, o FPA de um respirador do tipo semifacial com filtro é igual a 10. Esse valor indica que, se o respirador for selecionado e usado dentro das recomendações do Programa de Proteção Respiratória (PPR), a concentração do contaminante no ar que está dentro da peça semifacial, e que será inalado pelo usuário, será no mínimo, 10 vezes menor que a existente no ar contaminado Fator de Proteção – é a relação da concentração de uma substância presente no ar atmosférico com uma concentração dessa mesma substância dentro do equipamento, na zona de respiração do usuário.
  24. 24. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA TIPO DE DE EPR’s: Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias Respirador Semifacial (descartável ou de cartucho recambiável)..........................................10 Respirador de Peça Facial Inteira..................100 Respirador Motorizado com Peça Facial Inteira, Capuz ou Capacete...........................................1000
  25. 25. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias Vida útil Descartável: 1 dia Cartucho:????
  26. 26. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias •Alteração Brusca de Peso •Extração de Dente
  27. 27. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias Ao sentir Cheiro; Gosto; Irritação na Garganta; O Respirador pode estar saturado, Procure o supervisor da área e reporte a situação. NÃO Permaneça no local com o equipamento danificado Não coloque as mãos sujas no respirador ou cartucho; Suor e umidade no respirador;
  28. 28. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA • O respirador deve ser apoiado inicialmente no queixo. Depois, posicione-o de forma que a boca e o nariz fiquem cobertos. Em seguida, puxe o elástico de baixo, passando-o pela cabeça e ajustando-o na nuca. Faça o mesmo com o elástico superior, ajustando-o bem acima das orelhas. • Com dois dedos de cada mão, pressione a peça de alumínio de forma a moldá-lo ao seu formato de nariz. Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
  29. 29. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Para verificar o ajuste, coloque as mãos na frente do respirador cobrindo toda sua superfície e inale. O ar não deve passar pelas laterais. Esta é a forma correta de utilizar este tipo de respirador. • TESTE DE VEDAÇÃO: Antes do uso do EPR, faça o teste de vedação, se a máscara estiver bem ajustada, o contorno do equipamento aderirá ao rosto, impedindo possíveis infiltrações de contaminantes para dentro da mascara. • Importante Se não ocorrer a vedação do respirador, aperte novamente o clip nasal e os tirantes, fazendo um novo teste. Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
  30. 30. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Manutenção e Armazenamento Não deixe o respirador em lugares sujos e, se tiver que manuseá- lo com as mãos sujas, pegue-o pela parte externa; •Quando não estiver utilizando o respirador, guarde-o em um saco plástico e coloque-o em um lugar apropriado; •Não Amasse, dobre o respirador descartável. Sacos Herméticos Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
  31. 31. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIAPROTEÇÃO RESPIRATÓRIA Inspeção Todos os equipamentos deverão ser inspecionados periodicamente, antes e depois do seu uso. • Troca do respirador sem manutenção Os respiradores sem manutenção também conhecidos como respiradores descartáveis, devem ser substituídos após um dia de trabalho, ou caso sinta dificuldade de respirar, cheiro ou gosto do produto com o qual está trabalhando, talvez esteja na hora de trocar o respirador por um novo, no caso de respiradores sem manutenção, ou caso esteja trabalhando com respiradores com manutenção, deve substituir o filtro. O filtro descartável tem vida útil de até 3 dias. Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
  32. 32. Aplicação do Fit-test (Teste de Vedação)Aplicação do Fit-test (Teste de Vedação) De Acordo com a IN nº1 de abril de 1994, exige-se que todo usuário de respirador seja inicialmente submetido a um ensaio de vedação facial a fim de garantir que o equipamento selecionado se ajuste bem ao rosto e proporcione o nível de proteção requerido Solução Sacarina ou Bitrex O kite possui dois frascos de sacarina e/ou dois de bitrex Solução de sensibilidade Solução para o Teste de Vedação Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
  33. 33. Aplicação do Fit-test (Teste de Vedação)Aplicação do Fit-test (Teste de Vedação) Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
  34. 34. Aplicação do Fit-test (Teste de Vedação)Aplicação do Fit-test (Teste de Vedação) Téc. em Segurança do trabalho: Fernando Daniel Dias
  35. 35. Programa de Proteção Respiratória - FUNDACENTRO http://estudio01.proj.ufsm.br/cadernos_seguranca/sexta_etapa/toxicologia.pdf http://www.saude.sp.gov.br/resources/sucen/programas/arquivos-seguranca-do-trab http://trabalho.gov.br/images/Documentos/SST/NR/NR15/NR15-ANEXO11.pdf http://estudio01.proj.ufsm.br/cadernos_seguranca/sexta_etapa/toxicologia.pdf http://www.ipef.br/publicacoes/stecnica/nr12/cap10.pdf http://assesv.com.br/wp-content/uploads/2016/04/NBR-12176-01-2004-Cilindro- para-Gases-Identifica%C3%A7%C3%A3o-do-conte%C3%BAdo-2.pdf http://solutions.3m.com.br/3MContentRetrievalAPI/BlobServlet? locale=pt_BR&lmd=1314681051000&assetId=1114286782911&assetType=MM M_Image&blobAttribute=ImageFile Referências

×